Câmara de Formosa do Rio Preto aprova Projeto do executivo que visa adquirir empréstimo em banco para diversas ações na cidade

Sessão extraordinária da Câmara Municipal de Formosa do Rio Preto foi realizada nesta quinta-feira (8), às 9 horas da manhã, com o objetivo exclusivo de votar o Projeto de Lei nº 11 de 24 de julho de 2019 de iniciativa do Poder Executivo que solicitou ao parlamento municipal autorização para contrair dívida junto ao Banco do Brasil no valor de R$ 2.400.000,00 além de permitir ao prefeito Termosires a abrir créditos adicionais (remanejar verbas do orçamento) para saldar a referida obrigação financeira.

Segundo a Mensagem com as justificativas encaminhadas ao Legislativo, o executivo municipal pretende com estes recursos financeiro “adquirir adquirir veículos, motocicletas, laboratório de informática, máquinas, equipamentos de apoio à operações e à fiscalização”. Segundo ainda o documento, o objetivo é o de “modernização, ampliação e e eficientização da gestão pública”.

Conforme é expresso na mensagem, a ação proporcionará investimentos nas áreas de Agricultura, Defesa Civil, Educação, Eficiência, Energética, Cultura, Esportes, Iluminação Pública, Lazer, Limpeza Pública, Meio ambiente, Mobilidade Urbana, Modernização da Gestão, Saúde, Segurança Pública e Vigilância Sanitária.

Na votação, com a presença de 10 dos 11 atuais parlamentares, a Propositura foi aprovada pelo placar de 8 votos favoráveis contra 2 votos contrários.

Votaram favoravelmente os vereadores: Hermínio (PSL), Hildjane (PR), Manuela (PV), Netinho (PRB), Rosita (PT), Sandoval Queiroz (PRP), Zé de Zuza (PPS).

Votaram contra a proposta, os vereadores: Meletinha (DEM) e Joílson do Sucuriú (PRTB).

O Jornal Acontece, procurou os vereadores Netinho – que votou favoravelmente ao projeto – e o vereador Meletinha  – que deu voto contrário – onde na oportunidade puderam expor os seus pensamentos sobre a proposta Legislativa.

O vereador Meletinha disse que “não acredita na necessidade do município contrair dívida uma vez que a cidade dispõe de recursos suficientes que ao longo deste mandato pode realizar as aquisições proposta pelo Executivo”.

Segundo ainda o vereador pagar juros nunca é bom negócio além da proposta dar um cheque em branco ao prefeito para fazer livres alterações no orçamento municipal sem precisar de nova autorização dos vereadores municipais.

“Não posso concordar com proposta que retira dos vereadores uma das suas principais atribuições que é a de fiscalizar as ações do executivo. Outro ponto que questiono é a razão do Projeto de Lei nº ter chegado somente no dia 5 de agosto sendo que ele é datado de 24 de maio deste ano”, disse o parlamentar Meletinha.

Para o vereador Netinho, “a maioria da Casa entendeu a necessidade de se aprovar a Proposta do Executivo. Temos que dar crédito ao prefeito que vem demonstrando muita disposição em trabalhar. Como vereador atuante, quando ando pelas ruas e comunidades recebo muita reivindicações da população que clama por melhorias nos diversos setores da administração pública. Acredito que a proposto vai atender boa parte dos anseios dos formosenses”, justificou Netinho.

Deixe uma resposta