Prefeitura de Ribeirão irá refazer pontos que alagaram no Boulevard Gastronômico. Associação de engenheiros ofereceu ajuda mas executivo recusa

Após o alagamento ocorrido no Boulevard Gastronômico após aproximadamente 15 minutos de chuva neste domingo (15), técnicos da prefeitura de Ribeirão Pires seguiram no meio da manhã desta segunda-feira para analisarem ações a serem tomadas.

O Boulevard Gastronômico de Ribeirão Pires está custando aos cofres público cerca de R$ 2,9 milhões e é uma grande aposta do executivo municipal para alavancar a economia municipal.

Segundo um comerciante da rua Stella Bruna Checchi Nardeli, a situação é preocupante e temos muito medo de grandes alagamentos quando se efetuar os períodos das chuvas na cidade.

Técnicos da Prefeitura comparecem ao local do alagamento e podem quebrar e refazer o serviço. A obra está orçada em R$ 2,9 milhões

Local é isolado com cavaletes e pode elevar custo final da obra do Boulevard Gastronômico de Ribeirão Pires

“Essa obra está nos causando alguns transtornos desde que foi iniciada. Ouvi de pessoas da prefeitura de que estão analisando desfazer o trecho que alagou e até mesmo retirar lombo faixas que é o que está represando a água não deixando a mesma escoar”, disse.

Conforme publicou o Repórter ABC – ver matéria aqui – o vereador Amigão D’orto (PTC) protocolou na manhã desta segunda-feira (16).

Em contato com Amigão, o parlamentar confirmou a cobrança e encaminhou a nossa redação cópia do documento protocolado. O ofício está direcionado ao Secretário Taka Yamauchi, titular da pasta de Obras de Ribeirão Pires.

Associação de Engenheiros e Arquitetos de Ribeirão Pires ofereceu ajuda, mas governo Kiko recusa o auxílio

“A nossa intenção é de tão somente contribuir de forma técnica com a Prefeitura”, disse Sérgio Reis

Segundo informou o presidente da Associação de Engenheiros e Arquitetos de Ribeirão Pires (AEARP), engenheiro Sérgio Poloni dos Reis “desde abril de 2018 a AEARP vem tentando audiência com a Secretaria de Obras e não consegue”.

Na conversa pessoal que o Repórter ABC teve com a AEARP, o presidente esclareceu os motivos da solicitação da audiência.

“A nossa intenção é de tão somente contribuir de forma técnica com a Prefeitura e principalmente com os munícipes. Fica difícil compreender -por exemplo- o motivo de tanta demora na obra do Boulevard Gastronômico. Hoje o que mais incomoda a entidade e os comerciantes é a demora na conclusão dos serviços”, falou o engenheiro Sérgio Poloni dos Reis.

Outra obra que causa polêmica na cidade é a instalação das lixeiras subterrâneas. As referidas lixeiras já consumiram R$ 380 mil de recursos públicos e segundo informações apuradas pelo Repórter ABC a prefeitura não dispõe de  contrato com empresa de coleta de lixo apta para a coleta.

Devido a falta de planejamento e amadorismo da administração municipal, as lixeiras seguem inutilizadas e com seus recipientes cheios de água.

Deixe uma resposta