Aarão Teixeira acusa Kiko de comprar casa com dinheiro da prefeitura e cobra devolução dos R$ 45 milhões de Rio Grande

Aarão Teixeira, ex-prefeito de Rio Grande da Serra e irmão do atual prefeito de Ribeirão Pires, soltou nas redes sociais um novo áudio bomba onde acusa Kiko Teixeira de ter uma casa em Ribeirão Pires em nome de um suposto laranja.

O Repórter ABC para confirmar as denúncias feitas entrou em contato por telefone com Aarão na noite desta segunda-feira (28) para checagem da fala, a qual; foi confirmada.

“Tenho provas de tudo o que estou falando e tenho muito mais para denunciar, tanto que estou organizando uma série de documentos ao qual pretendo em breve apresentar as Fórum de Rio Grande da Serra e Ribeirão Pires”, disse ao Jornal.

No áudio distribuído no domingo ao qual dialogava com uma mulher, Aarão disse:

“Hoje com o dinheiro da prefeitura, hoje ele tem uma casa que não tá no nome dele num condomínio fechado que todo mundo sabe. E ajustiça vai saber, o imposto de renda também vai saber e nós vamos procurar quem é quem na justiça e isso eu faço questão de fazer. Porque eu quero a dignidade de Ribeirão Pires e quero os R$ 45 milhões que ele levou da minha cidade, a cidade que fez ele político, me fez político e fez toda a minha família politica”.

O citado condomínio é o Balneário Palmira, empreendimento de alto padrão aquisitivo com residencias comercializadas atualmente por cifras milionárias.

Em outro trecho, Aarão esclareceu que o problema não é pessoal.

“Eu não tenho problema com o senhor Adler Alfredo Jardim Teixeira! Não tenho problema! Eu tenho problema com a administração dele, com a incompetência dele! No começo eu até tentei falar pra ele que a primeira coisa que ele tem que fazer, o que ele fez em Rio Grande da Serra foi ter um bom engenheiro, coisa que ele não tem aí. O bom engenheiro foi o que está sustentando Rio Grande da Serra até hoje, que é o Maranhão. Eu sei de todas as histórias e sei muito bem o que é política e sei muito bem o que as pessoas para ter um cargo tem que fazer, mas é vergonhoso. Como eu nunca precisei disso e já trabalhe em tudo o que você possa imaginar em órgãos públicos, é vergonhoso. E a incompetência que se tem que fazer para se defender uma administração falida, uma administração sem caráter, uma administração corrupta, é difícil. Um abraço pra vocês, um abraço”.

Ainda na conversa telefônica, Aarão falou sobre uma procuração deixada por sua falecida mãe que nomeou Kiko para cuida de um terreno que hoje se encontra abandonado e de como o alcaide de Ribeirão fez para sobreviver após o bloqueio de suas contas diante acusação de desvio de verbas da saúde de Rio Grande da Serra.

“Minha mãe deixou uma procuração pra ele cuidar de um terreno que hoje está abandonado deixando claro a irresponsabilidade e incompetência do Kiko. Ele teve as suas contas bloqueadas e conseguia dinheiro movimentando por procuração uma conta da minha mãe”, disse Aarão Teixeira ao Repórter ABC.

Acompanhe abaixo o áudio

Deixe uma resposta