Governo Atila deleta nota oficial sobre comparação de Hospital de Campanha, arruma atrito com Santo André e joga lenha no inquérito do MP

Agentes políticos do governo Atila Jacomussi cometeram uma homérica barbeiragem ao emitirem na última quarta-feira (29) uma nota oficial com o intuito de explicar aos custos do hospital de campanha da cidade.

O gerente de Comunicação, Bruno Praun Coelho servidor comissionado que recebe mensalmente R$ 5.944,20, na página institucional do governo no Facebook traçou um grotesco paralelo com a vizinha cidade de Santo André na tentativa de justificar os custos com a montagem do hospital municipal de campanha.

A postagem foi deletada momentos após a sua publicação, que segundo fontes do Paço Andreense disseram ao Blog Caso de Politica que Prefeito Paulinho Serra (PSDB) iria entrar no debate da comparação, medida essa que fez com que o Prefeito Átila Jacomussi (PSB) pedisse para que apagassem a postagem.

Na nota oficial é claramente concebido um argumento com nítido objetivo de produzir a ilusão da verdade simulando um acordo com as regras da lógica dentro de uma estrutura inconsistente, incorreta e deliberadamente enganosa conforme descreveremos no decorrer do texto.

Vale antes de mais nada, clarear ao leitor do Caso de Política que a cidade de Mauá tem 1 Hospital de Campanha com 30 leitos, enquanto Santo André edificou 3 e disponibilizou 400 leitos para a população acometida pelo coronavírus.

“⚠️VEJA E COMPARE – A VERDADE CONTRA A MENTIRA: COMPARAÇÕES EQUIVOCADAS E MALICIOSAS, PRODUZIDAS POR AGENTES POLÍTICOS, SÃO FEITAS PARA MANCHAR A IMAGEM DA PREFEITURA, MAS NÃO IREMOS PERMITIR! ⚠️

✅ MAUÁ: LEITOS INDIVIDUAIS ❌ SANTO ANDRÉ COLETIVOS;

✅ MAUÁ: LABORATÓRIO PRÓPRIO ❌ SANTO ANDRÉ: SEM LABORATÓRIO;

✅ MAUÁ: PORTA ABERTA ❌ SANTO ANDRÉ: SÓ RECEBE PACIENTES DE UBSs E UPAs

✅ MAUÁ: 49 APARELHOS DE AR-CONDICIONADO ❌ SANTO ANDRÉ: CLIMATIZADO

✅ MAUÁ: DR. JAMAL SULEIMAN, UM DOS MAIORES INFECTOLOGISTAS DO PAÍS ❌ SANTO ANDRÉ: ❓❓❓”, em sua íntegra.

No quesito AR CONDICIONADO x CLIMATIZADOR vale ressaltar que existem estudos que apontam riscos no uso de aparelhos de ar condicionado para o aumento do contágio do COVID-19.

Um estudo chinês concluiu que aparelhos de ar-condicionado podem ajudar a espalhar o coronavírus. A tese se baseia na análise do caso de três famílias que frequentaram, no mesmo dia, um restaurante no município de Guangzhou. Ao todo, 10 pessoas que estiveram no estabelecimento contraíram a doença.

Os pesquisadores apontaram que a provável causa do surto foi a transmissão de gotículas propagadas pela ventilação do ar-condicionado do restaurante. “O fator-chave para a infecção foi a direção do fluxo de ar”, escreveram em artigo prévio da edição de julho do periódico Emerging Infeccious Diseases, publicado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos. Ver matéria completa clicando aqui.
Em consonância com o estudo chinês a Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABRAVA), destacou em sua página oficial, a relação do coronavírus, o uso do ar condicionado e a importância da manutenção.
Segundo a entidade que congrega os fabricantes de ar condicionado no país, destaca que:
…”preocupada com o cenário que tem verificado nos últimos dias, com o aumento exponencial dos casos de infecção de coronavírus (COVID-19) no Brasil e no mundo, vem esclarecer alguns pontos de relação ao coronavírus,  o uso do ar condicionado e a importância da manutenção do sistema de climatização. É fato que, o vírus se propaga pelo ar por meio de gotículas suspensas no ar, e que está pandemia alterou a rotina de toda a Sociedade”…
Clique aqui para ler a íntegra das recomendações e riscos reconhecidos pela entidade.
Na continuidade da nota oficial da prefeitura municipal de Mauá sobre a tranquilidade com que é tratada as investigações que estão sendo feitas pelo Ministério Público estadual (MP) e que toda a montagem do equipamento foi comunicada ao MP.
“🏥 Mais uma vez, viemos a público estabelecer a verdade sobre o nosso Hospital Municipal de Campanha, o Cecco (Centro Especializado de Combate ao Coronavírus) 🦠🌎. Inicialmente, tratamos a investigação do MP-SP (Ministério Público de São Paulo) com tranquilidade e confiança de que tudo será esclarecido, até porque desde o começo da montagem do equipamento, mantínhamos a Promotoria a par, em total compromisso com a transparência. Lamentamos que agentes políticos, com interesses partidários deturpem a verdade, ocultando informações para reforçar uma comparação equivocada com a estrutura montada em Santo André, em plena pandemia que tirou mais de 200 mil vidas pelo planeta, pessoas que terão de responder judicialmente pelas acusações.”, em sua íntegra.
Conforme comunicou o MP na ocasião da abertura do Inquérito, as investigações correrão em sigilo. Fontes do Blog Caso de Política dizem que a empresa responsável pela montagem do Hospital de Campanha de Mauá foram intimadas a prestarem esclarecimentos junto ao órgão do judiciário.
O MP além de investigar o suposto superfaturamento na montagem do Hospital de Campanha também apura os valores apontados em denúncia como elevados em comparação com a cidade de Santo André para a gestão do equipamento.

“👨🏽‍⚕️Sobre a comparação com o hospital de campanha de Santo André, vamos esclarecer todos os valores envolvidos, tanto ao Cecco no que tangem montagem e contratação da Organização Social de Saúde para gerir o equipamento, com todos os valores da cidade vizinha. Reparem que temos apenas dois contratos para tornar real o espaço que montamos no estacionamento do Paço Municipal, que é diferenciado, sendo o único do ABC a ter laboratório de testagem de Covid-19, 49 aparelhos de ar-condicionado, farmácia e leitos individualizados com respiradores. Então vamos aos números:

🔵 Combate ao coronavírus em Mauá:

🔹Gestão do Cecco – Atlantic – Transparência e Apoio a Saúde Pública: R$ 1.079.000,00;
🔹Montagem do Cecco – Pilar Organizações e Festas EPP: R$ 221.900,00 mensais (total: R$ 665.700,00)
🔷 Total do investimento do Cecco: R$ 1.744.700,00″, em sua íntegra.

Percebe-se uma clara má fé do departamento de comunicação da prefeitura de Mauá com relação ao números exposto. Segundo publicou o Blog Caso de Politica em 13 de abril – ver matéria clicando aqui – com base em informações oficiais divulgadas pela prefeitura de Mauá o valor total contratado com a empresa Atlantic – Transparência e Apoio a Saúde  para a Gestão do Hospital Municipal de Mauá é na verdade R$ 3.239.700,00 pelo período de três meses conforme print anexado abaixo.

 

Nos documentos acima, nota-se que no dia 9 de abril, – 19 dias antes da inauguração do CECCO – a prefeitura de Mauá autorizou pagamento antecipado de R$ 1.079.900,00 referente a um mês de gestão.

Os valores da empresa Pilar Organizações e Festas EPP conferem com a verdade, sendo: R$ 221.900,00 mensais e o total de R$ 665.700,00 pelo período de 3 meses.

“❗Todos esses valores já contemplam leitos, instalações elétricas, hidráulicas, rede gasosa, geradores, banheiros, caixas de água, containers auxiliares para desinfecção, cortinas hospitalares, vestimentas e materiais para os profissionais de Saúde, álcool em gel e toda a estrutura do Cecco.

💻 Aqui deixamos o link do Portal da Transparência, em compromisso com a verdade: http://e-gov.maua.sp.gov.br/…/stnTitulosDetalhePorRubrica.f…”, em sua íntegra.

O link apresentado na tentativa de demonstrar transparência e compromisso com a verdade (http://e-gov.maua.sp.gov.br/…/stnTitulosDetalhePorRubrica.f…) direciona para uma “página não encontrada”, conforme se verifica abaixo. Mera sofisma!

Na sequencia, na postagem na página oficial da prefeitura de Mauá contava ainda comentários depreciativos a administração do prefeito Paulinho Serra (PSDB). Como pode-se verificar, há clara intenção de se combater os valores oficiais “subfaturando” os contratos de Mauá. Quando na verdade – segundo os dados oficiais a disposição no Portal da Transparência – apontam que para a edificação e a gestão do Hospital de Campanha foram contratados por R$ 3.905.400,00 e não  R$ 1.744.700,00.

Confira na sequencia a pachouchada.

🔴 Combate ao coronavírus em Santo André, com valores, contratos e serviços desmembrados, tudo ocultado por quem quer fazer política baixa sobre o Covid-19. Os dados são do Portal da Transparência do governo andreense:

🔸 PA (Processo Administrativo) 9.902/2020: a contratante foi a SP Eventos Ltda. EPP, para locação, incluindo serviços de montagem e desmontagem, de tendas em estrutura metálica para implantação de Hospital de Campanha, ao valor total de R$ 315.000,00. O contrato também teve um aditamento de 24,7619%, acrescentando mais R$ 78.000,00, totalizando R$ 393.000,00;

🔸 PA 9938/2020: a contratante foi novamente a SP Eventos Ltda. EPP, para locação de infraestrutura para orientação sobre cuidados do coronavírus, ao valor total de R$ 484.000,00;

🔸PA 9949/2020: a contratante foi a Net Telecom Informática Ltda, para prestação de serviços (com materiais inclusos) para instalação de infraestrutura para link óptico e rede lógica estruturada para atendimento às localidades “Estádio Bruno José Daniel” e “Ginásio Pedro Dell’Antonia” – Hospital de Campanha para enfrentamento do coronavírus – Covid-19, ao valor total de R$ 71.513,00;

🔸 PA 9898/2020: a contratante foi a Patricia Moraes Costa Piaya – ME, para fornecimento de mobiliários hospitalares, sendo 400 camas hospitalares e 100 camas fawler standart para o Hospital de Campanha, ao valor total de R$ 715.500,00;

🔸 PA 9934/2020: a contratante foi a Total Clean Comércio e Locações de Enxovais Eireli – EPP, para o fornecimento de macacão, capuz e botas destinados aos profissionais do Hospital de Campanha I e II da Secretaria Municipal de Saúde de Santo André, para enfrentamento do Coronavírus – Covid-19, ao valor total de R$ 364.000,00.

🔸PA 9918/2020: a contratante foi a Sistemas e Produtos para Proteção Ltda – EPP, para fornecimento (com instalação) de cortinas hospitalares destinadas ao Hospital de Campanha para enfrentamento do Coronavírus – Covid-19, com entrega única, com recursos provenientes da Portaria 395 de 16/03/2020*, Resolução SS-37 de 25/03/2020, ao valor total de R$ 15.752,00;

🔸 PA 9919/2020: contratação, pelo prazo de 90 dias, da empresa White Martins Gases Industriais Ltda, para prestação de serviços continuados de fornecimento ininterrupto de gases medicinais (oxigênio e Ar Medicinal), com instalação de tanques e centrais de reserva e locação de cilindros com manutenção preventiva e corretiva, para atender as necessidades dos Hospitais de Campanha de Santo André, ao valor total de R$ 948.615,46;

🔶 Total dos valores em Santo André: R$ 2.992.380,46.

🔸 Ainda em Santo André, temos o PA 9916/2020, para locação de três unidades móveis com consultórios de atendimento (semirreboque) para enfrentamento do Coronavírus – Covid-19 pelo período de 180 dias, ao valor total de R$ 2.175.000,00, além do PA 9903/2020, para higienização hospitalar de áreas interna e externa das Unidades de Saúde e Hospitais de Campanha da Secretaria Municipal de Saúde de Santo André, pelo período de 90 dias, ao valor mensal de R$ 929.267,69. Em sua íntegra.

Novamente é frisado valores irreais pela comunicação do prefeito Atila Jacomussi.

“❓Vale frisar que o Portal da Transparência de Santo André não disponibiliza download dos editais e contratos firmados no combate ao Covid-19, até a data desta publicação.

💲 Portanto, os nossos recursos para o Hospital Municipal de Campanha de Mauá somam 🔹R$ 1.744.700,00🔹, enquanto que em Santo André, temos contratos desmembrados que totalizam 🔸R$ 2.992.380,46🔸, sem considerar o PA 9874/2020 que acrescenta mais R$ 2.175.000,00, e o PA 9903/2020, com despesa de R$ 929.267,69.

Temos um compromisso com a transparência e com a vida, por essa razão, seguiremos trabalhando e sem medo de prestar esclarecimentos à nossa população.

#MauáMelhor #UmNovoTempo #Saúde #Coronavírus #FiqueEmCasa #Transparência #VaiFicarTudoBem”, na sua íntegra.

A repercussão após a retirada da Nota Pública da página oficial da prefeitura de Mauá no Facebook

Munícipes, operadores da política local e populares se manifestaram em suas páginas pessoais do Facebook e grupos de Whatsapp questionando a atitude de tirar da rede a nota oficial.

O Caso de Política acompanhou os debates até a alta madrugada deste 1º de maio.

Em post com grande reverberação, um acalorado debate, o qual selecionados alguns, inclusive com a participação da esposa do Secretário de Saúde de Santo André.

Bruno Coelho, gerente de Comunicação da prefeitura Municipal de Mauá em resposta a diversas críticas comentou:

…Só estabelecendo a verdade, de alguém de dentro da Prefeitura de Mauá e que tem conhecimento dos fatos. Retiramos a postagem em respeito à cidade vizinha, que nos pediu para retirar a publicação. Uma vez esclarecido o fato, não vou me prolongar aqui. Abraço a todos.

Em resposta ao Gerente de Comunicação um internauta disparou:

“A rainha do FAKE NEWS se acha inteligente. Acha que consegue enganar a população como tenta fazer o seu PREFEITO ATILA TREMEMBÉ TIRIRICA ABOBRINHA, porém a população já está atenta com esse pessoal. Se liga CHUPETA DE BALEIA.”

“Bruno Coelho Santo André pediu p tirar a postagem? Vc deveria ter vergonha, isso não é verdade, q coisa feia, num momento tão delicado, em q as pessoas estão morrendo, deveriam estar preocupados em salvar vidas e não criar discórdia, lamentável!!”

“Bruno Coelho se vc está dentro da prefeitura, isso significa que reconheceu a leviandade do poder público, utilizar a página oficial para expor algo, retirar em seguida e não respeitar os comentários da sociedade demonstra a falta de respeito. Significa claramente que se houvesse estratégia e respeito pela cidade de Santo André, jamais deveria ter feito um post nesse sentido”.

“Santo André 3 hospitais de campanha 400 leitos, sendo 40 UTIs, com laboratório, tomografia, exame de RX, 560 profissionais de saúde, melhores infectologistas do ABC, intensivistas e clínicos especializados em doenças infecciosas, fisioterapeutas respiratórios. Uma rede de 6 UPAs, 2 hospitais especializados (CHM é H.da mulher), desculpa não quero comparar, a saúde de todos é q importa, e viva o SUS, e fortaleça e SUS, o sistema é para todos!”

Deixe uma resposta