Barbosa amou ter 13% em pesquisa

Apesar de não ser candidato ao Palácio do Planalto, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) tem apreciado os números do Datafolha, que depois de colocá-lo como o nome preferido entre os manifestantes que tomaram as ruas do País nas últimas semanas, agora deu 13% das intenções de voto ao ministro.

                       
“Estou lisonjeado”, disse Joaquim Barbosa, ao comentar os números nesta segunda-feira 1º. “Eu me sinto extremamente lisonjeado, apesar de não ser político e jamais ter participado de campanha política. É excelente para a minha vida pessoal, para o meu histórico”, disse ele. “Não tenho a menor vontade de me lançar candidato a presidente da República”, completou.
Segundo a pesquisa, divulgada no fim de semana, Barbosa tem 13% dos votos num cenário em que concorre com o ex-presidente Lula, e 15% contra a presidente Dilma Rousseff. Na primeira hipótese, ele está à frente do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e do senador mineiro Aécio Neves, provável candidato à presidência pelo PSDB. Na segunda, ganha de Campos e empata com Aécio.
Em artigo publicado no Globo no domingo 23, o colunista Elio Gaspari fez o que até agora só se especula: lançou definitivamente Barbosa à presidência. O jornalista fez um exercício de futurologia que estimula o presidente da corte suprema a trocar a toga pela política e a seguir a voz das ruas. Leia mais em Gaspari lança de vez Barbosa à presidência.
Esse “não tenho a menor vontade” não é o mesmo que dizer “não sou, nunca serei”. O ministro está deixando as portas e todas as janelas abertas para ser candidato avulso, caso essa figura seja adotada na reforma política prometida para acontecer via plebiscito. O próprio Barbosa, na semana passada, foi a Dilma pedir a inclusão desse item na proposta presidencial para o plebiscito. “Fui mostrar a minha posição”, contou Joaquim.
You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply