Braço direito de Alckmin é investigado por enriquecimento ilícito.

edson aparecido

O Ministério Público de São Paulo instaurou nessa segunda-feira, 29, inquérito para investigar suspeita de enriquecimento ilícito contra o secretário-chefe da Casa Civil de São Paulo, Edson Aparecido dos Santos, o nº 1 do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Aparecido é suspeito de ter comprado um apartamento de luxo por um valor até 70% inferior ao de mercado, de uma construtora que tem contratos com o governo estadual (leia mais).

Promotor de Justiça Marcelo Camargo Milani, que irá investigar o caso, afirmou que há “notícia de possível atentado aos princípios da administração pública e de possível enriquecimento indevido, a configurar, em tese, a prática de atos de improbidade administrativa, sendo necessária a coleta de outras informações para orientar a eventual tomada de providências legais e pertinentes”. Milani estipulou prazo de dez dias para que o secretário da Casa Civil, após ser comunicado, preste “eventuais esclarecimentos”.

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply