Brasil não identifica quase nenhuma criança vítima de pornografia na web

De acordo com dados expostos pelo presidente da SaferNet Brasil,  Thiago Tavares Nunes de Oliveira, mais de 99% das crianças e  adolescentes envolvidas em casos  de pornografia na internet  permanecem sem identificação.

As informações foram divulgadas durante a CPI sobre Exploração Sexual de Crianças e  Adolescentes, na última  quarta-feira (28).

Ainda de acordo com Oliveira, somente 0,65% dos menores que aparecem em materiais apreendidos pelas autoridades é reconhecido.  

As restantes, como declarou a presidente da CPI, deputada Érika Kokay (PT-DF), “acabam ficando fora dos serviços de atendimento para esse tipo de violência, e muitas delas continuam sendo vítimas da exploração”.

Segundo a Agência Brasil – entre 2005 e 2012 – a SaferNet recebeu  mais de 3 milhões de denúncias  anônimas sobre a comercialização  de material desse tipo pela  internet. São mais de 450 mil páginas, hospedadas em 88 países, o que dificulta o trabalho de investigação.

“Não só pela questão técnica, mas também porque a maioria destas páginas se encontra hospedada em sites no exterior, onde nossa legislação não vale”, disse o presidente da entidade.

Quando esse conteúdo é identificado, é preciso operar em conjunto com países como Rússia, Camboja, Vietnã e Bulgária para que eles investiguem, tirem o site do ar e encontrem os responsáveis.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.