Brasília virou Praça de Guerra na tarde desta terça-feira (29).

Brasília - Manifestantes entram em confronto com a polícia em frente ao Congresso Nacional (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Brasília – Manifestantes entram em confronto com a polícia em frente ao Congresso Nacional (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Brasília - Manifestantes entram em confronto com a polícia na Esplanada dos Ministérios (Wilson Dias/Agência Brasil)

Brasília – Manifestantes entram em confronto com a polícia na Esplanada dos Ministérios (Wilson Dias/Agência Brasil)

Brasília - Manifestantes entram em confronto com a polícia na Esplanada dos Ministérios (Wilson Dias/Agência Brasil)

Brasília – Manifestantes entram em confronto com a polícia na Esplanada dos Ministérios (Wilson Dias/Agência Brasil)

Brasília - Manifestantes entram em confronto com a polícia na Esplanada dos Ministérios (Wilson Dias/Agência Brasil)

Brasília – Manifestantes entram em confronto com a polícia na Esplanada dos Ministérios (Wilson Dias/Agência Brasil)

Brasília - Manifestantes entram em confronto com a polícia na Esplanada dos Ministérios (Wilson Dias/Agência Brasil)

Brasília – Manifestantes entram em confronto com a polícia na Esplanada dos Ministérios (Wilson Dias/Agência Brasil)

Estudantes realizam protesto hoje (29), na Esplanada dos Ministérios, contra a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição 55, a chamada PEC do Teto, que limita os gastos públicos pelos próximos 20 anos. O grupo reuniu-se no Museu Nacional e caminhou até a frente do Congresso Nacional. Ao chegar ao gramado do Congresso, houve tumulto e confronto entre os manifestantes e a polícia.  A organização estima a participação de 15 mil pessoas, já a Polícia Militar do Distrito Federal diz que cerca de 10 mil participam do ato.

O conflito se intensificou quando um grupo de manifestantes virou um carro de reportagem estacionado próximo à rampa do Congresso. A polícia reagiu disparando bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo.

Houve confronto e os policiais dispersaram parte dos manifestantes, que saíram correndo no gramado em frente ao Congresso. Um grupo de deputados da Comissão de Direitos Humanos dirigiu-se ao local para tentar intermediar a negociação, mas não obteve sucesso.

Um forte aparato policial conseguiu afastar a maioria dos manifestantes, que seguiram rumo à Catedral e foram “empurrados” pela PM em direção à Rodoviária de Brasília.

O arquivamento da PEC 55 é uma das principais pautas das ocupações de instituições de ensino que ocorrem em várias cidades do país e também da greve de docentes das universidades federais e estaduais de ensino.

Os estudantes organizaram caravanas para vir à capital, com mais de 300 ônibus. Antes de caminhar até o Congresso, eles fizeram um ato em frente ao Ministério da Educação (MEC).

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.