Câmara de Rio Grande repudia trabalho escravo e faz votos de congratulação a PM.

Sessão da Câmara de Vereadores de Rio Grande da Serra, que se prenunciava melancólica, entre diversas iniciativas, dois pontos se apresentaram como sendo de suma relevância na noite de ontem, e que merecem grande destaque.

O Primeiro foi a moção de nº 12 de iniciativa do vereador Benedito Araújo que apresentou votos de congratulação, reconhecimento e júbilo à Corporação da Polícia Militar da cidade.

Segundo o documento lido e aprovado pela Casa de Leis “ as congratulações e agradecimentos a Corporação se fazem necessárias, pois somos conhecedores do brilhante trabalho realizado todos os dias no município, através de blitz, vistoria e apreensão de drogas, bem como, o pronto atendimento às reivindicações feitas por esta Casa de Leis, em especial, policiamento durante as realizações de eventos no município.

Representando a Policia Militar, esteve o sargento Isaias.

Outro ponto, este que merece grande destaque por seu caráter social e humanitário, foi Moção de Repúdio dirigido ao presidente Michel Temer em função de portaria do Ministério do Trabalho que alterou a definição do que é trabalho escravo no Brasil.

Segundo o vereador Silvio Menezes, propositor da Moção “ esta medida trata o trabalhador como animal e é esquecido como ser humano. O que chama a atenção, é a declaração do ministro do Trabalho que afirmou que a referida portaria aprimora e dá segurança jurídica à atuação do estado brasileiro. Esta portaria é uma verdadeira aberração! Ela dificulta em muito a divulgação da chamada ‘lista suja’ do trabalho escravo que reúne empresas e pessoas flagradas no cometimento deste grave crime”, discorreu o edil.

Reforçando o pensamento do colegiado legislativo, o experiente vereador Claurício Bento conclamou a todos os vereadores da casa para fazerem gestão aos deputados para que o documento chegue ao conhecimento do executivo Federal.

Isso é uma coisa inconcebível, peço a todos os vereadores que conversem com os deputados federais para que façam a leitura dessa Moção de Repúdio contra essa portaria. Esse tipo de coiso não pode mais acontecer no país e o pensamento unanime desta cidade de Rio Grande da Serra deve ser divulgado como forma de inibir atos aterradores como este”, concluiu Claurício.

Deixe uma resposta