Campanha do Laço Branco reforça combate à violência contra a mulher no ABC.

laco-branco-caso-de-politica

O movimento pelo fim da violência contra a mulher ganha neste ano mais visibilidade com a Campanha Regional do Laço Branco, lançada na sexta-feira (25) pelo Consórcio Intermunicipal Grande ABC. Desenvolvida nas sete cidades, a ação estimula o engajamento dos homens no combate à violência doméstica e à cultura machista. A versão regional da iniciativa internacional tem organização do Grupo Temático Gênero e Masculinidades, em parceria com o Fórum de Gênero e Masculinidades do Grande ABC.

Durante o lançamento da campanha, o diretor de Programas e Projetos do Consórcio, Hamilton Lacerda, classificou a iniciativa como a consolidação da atuação da entidade, por meio dos cursos de formação realizados, e do Fórum. “Este é um trabalho importante, estratégico e inédito, mas ainda pouco conhecido, envolvendo homens que têm como bandeira o combate à violência contra a mulher”, afirmou.

Membro do Grupo Temático Gênero e Masculinidades, Reginaldo Bombini defendeu a necessidade de políticas integradas para desconstrução do machismo, um dos objetivos do grupo criado neste ano. “A sociedade dissemina essa cultura machista e depois quer punir os filhos desse modelo hegemônico”, disse.

Representando o Fórum de Gênero e Masculinidades do Grande ABC, Vivian Navarro, destacou o estímulo ao debate como fundamental para o combate à violência doméstica. “A masculinidade imposta socialmente contribui para a violência e para a desumanização do homem. É importante trazer essa discussão como prevenção”.

A coordenadora do Grupo de Trabalho (GT) Gênero, Maria Socorro Pereira Miranda, classificou o lançamento da Campanha Regional do Laço Branco como um avanço e um marco histórico para o ABC. “Diante dos retrocessos e do aumento da violência contra a mulher que estamos vendo no dia a dia, este ato é uma vitória”.

O lançamento da ação contou ainda com a presença de Tereza Godinho, presidente do Conselho Gestor do Programa Casa Abrigo Regional, iniciativa mantida pelo Consórcio que atende mulheres vítimas de violência doméstica, e de Claudia Geovania Batista, da organização não governamental Promotoras Legais de Santo André (Proleg).

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply