Posts in "Policial"

Padre Amário é denunciado pelo MPF por desvio em verbas da educação em Santa Maria da Vitória

O Ministério Público Federal (MPF) acionou por improbidade administrativa o ex-prefeito de Santa Maria da Vitória, Padre Amário dos Santos Santana por desvios de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). As ações foram ajuizadas ao final do mês de maio de 2019.

Segundo o autor das ações, o procurador da República Adnilson Gonçalves da Silva, Padre Amário é acusado de ter desviado valor estimado em R$ 776.816,08 no período de janeiro a novembro de 2014, para o pagamento de pessoas que não atuavam como professores em efetivo exercício na educação básica da rede pública municipal de ensino e de profissionais não vinculados à manutenção e ao desenvolvimento da educação básica, como: zeladores, merendeiras, vigias, operadores de computadores, secretários e auxiliares de creche. Santana foi, ainda, acionado penalmente pelo MPF, em 10 de maio deste ano, por crime de responsabilidade pelos desvios. As investigações comprovaram que a irregularidade foi cometida mais de 400 vezes.

O MPF requer a condenação de Santana por prejuízo ao erário (Lei nº 8.429/92 – Lei de Improbidade) e por crime de responsabilidade por desviar, ou aplicar indevidamente, rendas ou verbas públicas (Decreto-Lei nº 201/1967 – Lei de Crimes de Responsabilidades de Prefeitos e Vereadores).

Confira o número para consulta processual na Justiça Federal (PJe) – Bom Jesus da Lapa:

1001674-13.2019.4.01.3315 – Amário dos Santos Santana (improbidade)

0000278-18.2019.4.01.3315– Amário dos Santos Santana (penal)

A ação civil pública por ato de improbidade administrativa é um instrumento processual para responsabilização civil de agentes públicos e privados que desviam dinheiro público, causam prejuízo ao erário ou violam a lei. Pelo texto da lei, o requerido será notificado para manifestação por escrito, no prazo de quinze dias, depois do quê o juiz analisará se recebe ou não a petição inicial. Recebida a petição inicial, o requerido se torna réu e é citado para contestação, abrindo-se a fase de produção de provas. Ao final, o juiz profere a sentença.

A denúncia, após ser recebida pela Justiça Federal, dá início ao andamento da respectiva ação penal. Sendo instaurada a ação, o denunciado passa a ser réus e caberá ao juiz designado dar seguimento ao processo, o que pode resultar na condenação e na aplicação de penas ao denunciado.

Grave acidente deixa mulher ferida e veículo parcialmente destruído na BR-135 em Formosa do Rio Preto

Fotos: Darlan Lustosa

Um acidente no início da tarde desta terça-feira (16) deixou uma mulher gravemente ferida na BR-135 na altura da entrada da Lagoa de Seu Zé em Formosa do Rio Preto.

Um Fiat Uno, que seguia com sentido Barreiras foi atingido quando diminuiu bruscamente a velocidade para entrar no sentido a localidade de Lagoa de Seu Zé. Com o forte impacto, uma passageira do Fiat Uno foi arremessada de dentro do veículo vindo a cair as margens da rodovia. Outros três passageiros tiveram ferimentos leves.

Já os cinco passageiros da Hilux que seguia do Ceará para o Paraguai onde residem também tiveram ferimentos leves. A Hilux saiu da pista e caiu numa leve ribanceira as margens da BR.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado e encaminhou a vítima em estado grave para o Hospital Municipal Dr. Altino Lemos Santiago em Formosa do Rio Preto.

Uma segunda ambulância do município deu suporte e deverá encaminhar os outros feridos para exames também no mesmo hospital.

Jaques Wagner seria alvo de ação criminosa de procuradores da Lava Jato antes do 2º turno ‘por questão simbólica’

Segundo matéria da Folha de São Paulo escrita pela jornalista Mônica Bergamo, Jaques Wagner seria alvo de uma ação criminosa de procuradores da Operação Lava Jato em Coritiba.

Na reportagem, a jornalista demonstrou, em diálogos com colegas da Lava Jato, em outubro de 2018, que era preciso acelerar ações contra o petista Jaques Wagner.

Wagner tinha acabado de se eleger senador pela Bahia e tomaria posse em fevereiro. Para Deltan, valeria fazer busca e apreensão sobre o político ‘por questão simbólica’, segundo informa a  jornalista. As informações de Mônica Bergamo tem como fonte o site The Intercept.

Leia, abaixo, um trecho da coluna de Mônica Bergamo, em que Deltan, que diz não ser possível atestar a autenticidade das mensagens, afirma que ‘seria bom demais’ uma ação contra Wagner:

Um procurador identificado como Athayde (provavelmente Athayde Ribeiro Costa) responde: “As primeiras quebras em face dele não foram deferidas”. Mas novos fatos surgiram e eles iriam “pedir reconsideração”. “Isso é urgentíssimo. Tipo agora ou nunca kkkkk”, escreve Deltan. Athayde diz que “isso não impactará o foro”. Deltan responde: “Não impactará, mas só podemos fazer BAs [operações de busca e apreensão] nele antes [da posse]”. Uma procuradora pondera que o petista já sofrera uma busca: “Nem sei se vale outra”. Deltan responde: “Acho que se tivermos coisa pra denúncia, vale outra BA até, por questão simbólica”. E completa: “Mas temos que ter um caso forte”. Athayde informa que seria “mais fácil” Wagner aparecer “forte” em outro caso, e Deltan finaliza: “Isso seria bom demais”.

Glenn Greenwald anuncia novo disparo contra Moro para o fim desta sexta-feira

O Brasil conhecerá nesta sexta-feira mais um capítulo da Vaza Jato. O anúncio foi feito pelo jornalista Glenn Greenwald, do Intercept, em seu twitter. “O desespero aqui é triste. Vamos esperar até o final do dia – hoje – e depois me dizer se o que o @Estadao publicou aqui hoje é verdade ou não. Eu acho que a resposta será bem clara”, escreveu o jornalista.

“A versão de integrantes da inteligência do governo dá conta de que já se esgotou o arsenal do The Intercept contra Moro.”- rindo muito. De todos os dias para afirmar isso, hj é o pior dia possível para eles. E obviamente, eles não têm ideia do que temos, então por que fingir?”, escreveu ainda o jornalista.

Vereador Professor Betinho inaugura clínica popular, terceiriza atendimento e pede doações para pagar a conta

O vereador de Mauá Roberto Rivelino, também conhecido por Professor Betinho (PSDC) inaugurou no último dia 20 de junho a “Clínica Veterinária Popular UP Animal”, em parceria com a ONG SOS Cidadania Animal.

Indicando que o local atenderia de braços abertos animais de famílias carentes e de resgates, a clínica, no entanto, tem servido apenas como fachada para que o parlamentar obtenha ganho político com a Causa Animal, pois os atendimentos são terceirizados com outra clínica e a conta é paga por meio de doações e de vaquinhas organizadas por protetoras.

Eventos, resgates de animais e ações relacionadas à “Clínica Veterinária Popular UP Animal” são todas destacadas em nome do vereador Professor Betinho.

Em documento oficial da Junta Comercial do Estado de São Paulo (JUCESP) conta como proprietária da entidade a esposa do vereador Betinho, a senhora Rosângela Ferraz.

Conforme consta no documento da JUCESP a Clínica Veterinária Popular UP Animal, tem capital social de R$ 100 mil e fica localizada no Jardim Zaíra, Rua Agenor Freire de Moraes, 233, conforme segue o documento abaixo.

Caso muito explorado e evidente pela entidade, é o do cachorro Wizard, resgatado recentemente por protetores em situação de saúde precária e que foi encaminhado à clínica ligada ao vereador, mas logo o cão foi transferido para outra clínica de nome Animale Hovet. Clique aqui ou na imagem abaixo para acompanhar o vídeo.

Para pagar as custas com o tratamento dos animais, o vereador Professor Betinho fez campanha aberta nas redes sociais pedindo doações para salvar o cachorro Wizard, conforme comprovante de depósito a seguir.

A quantia deveria ser depositada em conta bancária particular de sua ex-assessora de gabinete, Cristina Soto Espinosa, hoje funcionária comissionada da prefeita de Mauá, Alaíde Damo (MDB).

A denúncia é das mais graves e requer apuraram das autoridades judiciais. Segundo denuncias que seguem nas redes sociais que o vereador Professor Betinho, sua esposa Rosângela Ferraz em aliança com a servidora comissionada da prefeitura de Mauá, Cristina Soto Espinosa, estariam desviando animais que deveriam ser tratados gratuitamente pelo Departamento de Bem Estar Animal da cidade.

Atualização

Momentos após esta publicação, a senhora Cristina Soto Espinosa – servidora comissionada da prefeitura de Mauá -fez a seguinte postagem em sua página pessoal do facebook conforme a seguir:

Lava Jato articulou apoio a Moro diante de tensão com STF, mostram mensagens

Um conjunto de mensagens revelado neste domingo (23) pelo jornal Folha de S. Paulo, em parceria com o site The Intercept, indica que o ex-juiz federal Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança, temia um conflito com o Supremo Tribunal Federal (STF) que levasse a Corte a retirar processos da Lava Jato que estavam sob a tutela de Moro e do Ministério Público Federal (MPF) no Paraná.

O caso ocorreu no dia 23 de março de 2016. Na véspera, a Polícia Federal (PF) havia anexado a um inquérito sobre a empreiteira Odebrecht, cujo acesso era possível pelo sistema de processo eletrônico da Justiça Federal do Paraná, planilhas com nomes e codinomes de políticos com mandato em andamento, ou seja, detentores do chamado foro privilegiado no STF.

Moro avaliava que, por força daquele vazamento, teria que enviar ao STF um processo sobre o publicitário João Santana, ex-marqueteiro de campanhas dos ex-presidentes petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Dallagnol informou a Moro, logo em seguida, ter “ajustado” com a Procuradoria-geral da República (PGR) em Brasília uma divisão dos processos, para que eles pudessem manter no Paraná as apurações contra Santana e o lobista Zwi Scornicki, que representava o estaleiro Keppel Fels. As investigações contra ambos foram, de fato, separadas de ligações com políticos com foro privilegiado e processadas no Paraná.

Moro voltou a afirmar, por meio de nota, que não confirma a autenticidade das mensagens reveladas. Já o MPF do Paraná não se manifestou até o final da manhã deste domingo.

Leia a reportagem da Folha de são Paulo clicando aqui

Acidente na Índio Tibiriçá mata filha de empresário e deixa outra vítima levemente ferida

Um veículo Toyota Primus que seguia pela Rodovia Índio Tibiriça, altura do quilometro 50, próximo ao motel Premier em ribeirão Pires, colidiu de frente com um caminhão por volta das 2:20 horas da madrugada desta quarta-feira (12) deixando a via parcialmente interditada.

Segundo Informações, o caminhão que seguia no sentido via Anchieta estava carregado com um contêiner e com o forte impacto que destruiu a frente de ambos os veículos a jovem Pamela Yuki de Oliveira de 26 anos, filha do empresário conhecido na região do ABC Paulista como Davi Caminhões veio a óbito instantâneo.

Jovem de 26, filha de empresário veio a óbito após o grave acidente

Uma segunda vítima, que estava na carona do Toyota Primus (imagem abaixo), é Susie de Oliveira. Segundo informações é sobrinha de Davi Caminhões foi socorrida por equipes do SAMU e removida para cuidados médicos.

Até o momento não obtivemos informações sobre as condições de saúde do caminhoneiro. Mais informações a qualquer momento.

Ex-ministros da Justiça e mais de 70 entidades atacam liberação de armas e pacote de Moro

Ministro Sérgio Moro durente abertura da reunião com os os Ssecretário de Segurança dos Estados. BsB, 1902-2019. Foto: Sérgio Lima/PODER 360

O pacote anticrime de Sergio Moro e os decretos que facilitam o acesso às armas de fogo são alvos de manifesto de 11 ex-ministros da Justiça dos governos FHC, Lula, Dilma e Temer e de um ato organizado por mais de 70 entidades nesta terça-feira (4), no Largo São Francisco, em São Paulo. O principal argumento é que a flexibilização da posse e do porte de armas de fogo deve estimular o crescimento da violência, em vez de diminuí-la.

Entre as entidades da sociedade civil envolvidas no ato, estão a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (Abracrim), a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) e a Associação dos Defensores Públicos do Estado do Rio de Janeiro. O protesto está previsto para o início da noite na tradicional faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

O ato faz parte da campanha “Pacote Anticrime, uma solução fake”, lançada em março no Congresso, que classifica o projeto de Moro como uma falácia que não traz solução para o problema da segurança pública, contraria a Constituição e aprofunda o encarceramento em massa. “Deste modo, ao invés de promover segurança, o pacote, se aprovado, proverá na prática um aumento da violência e da insegurança pública, com graves efeitos financeiros sobre os estados federados e fortalecimento das organizações criminosas que agem de dentro do sistema prisional”, afirmam os organizadores.

Já o manifesto assinado por ex-ministros das gestões do PSDB, do PT e do MDB destaca que, apesar das diferenças de orientação de cada um, todos trabalharam para reduzir o número de armas em circulação. Eles contestam a facilitação no acesso a armas e munição, prevista em três decretos do presidente Jair Bolsonaro.

“Atuamos para fortalecer as capacidades nacionais de controle e fiscalização, reduzindo as armas em circulação. Também trabalhamos para enfrentar desvios e o tráfico de armas e munições. Resistimos às pressões de grupos no Congresso e de categorias que buscavam flexibilizar as condições de posse e as restrições ao porte de arma de fogo”, diz trecho do documento.

“Precisamos aperfeiçoar, por exemplo, os mecanismos de marcação de armas e munições e a qualidade das informações necessárias para permitir o rastreamento de armas desviadas para a ilegalidade e utilizadas na criminalidade, o que contribuirá para o esclarecimento de delitos”, defendem.

Assinam o texto os ex-ministros Aloysio Nunes Ferreira, Eugênio Aragão, José Carlos Dias, José Eduardo Cardozo, José Gregori, Luiz Paulo Barreto, Miguel Reale Jr., Milton Seligman, Raul Jungmann, Tarso Genro e Torquato Jardim.

Apresentado por Moro em 4 de fevereiro, o Projeto de Lei Anticrime promove alterações em 14 leis, que vão desde o Código Penal e o Código Processual Penal até legislações pouco conhecidas, como a Lei 12.037/2009 (que trata da identificação de criminosos pelo Estado) e a Lei 13.608/2018 (que regula o recebimento de denúncias e o oferecimento de recompensas). As mudanças, segundo Moro, foram organizadas em 19 objetivos, que visam atacar três questões centrais: a corrupção, o crime organizado e os crimes violentos. Para o ex-juiz federal, os três problemas estão interligados.

Veja a íntegra da nota dos ex-ministros da Justiça:

“Nós, ex-ministros da Justiça e da Segurança Pública, que em diferentes momentos da história fomos responsáveis por conduzir a política de segurança pública no âmbito federal, demonstramos nossa profunda preocupação com os retrocessos no controle de armas e munições e com o impacto dos decretos federais no desmantelamento dos principais pilares desta agenda.

A efetividade das políticas públicas depende de sua continuidade, monitoramento e avaliação constantes para que possamos aperfeiçoá-las e dar respostas a seus novos desafios. O controle de armas e munições no Brasil é uma agenda central para o enfrentamento do crime organizado e para a redução dos homicídios. Por essas razões, seus ganhos não podem ser colocados em risco. Precisamos trabalhar para o seu fortalecimento, impedindo retrocessos.

No período em que exercemos nossas funções de ministro, cada um de nós trabalhou para que fosse estabelecida no país uma política de regulação responsável de armas e munições. Em 2003, o Congresso aprovou o Estatuto do Desarmamento, um importante passo nesta trajetória. Resultado de mobilização entre diferentes partidos, organizações da sociedade civil e lideranças de diversos setores da sociedade, além de quase um ano de debates no Congresso, o estatuto definiu alguns dos pilares centrais desta regulação: proibição do porte civil, restrições à posse e o estabelecimento de mecanismos de controle de produção, circulação e comercialização de armas e munições.

Atuamos para fortalecer as capacidades nacionais de controle e fiscalização, reduzindo as armas em circulação. Também trabalhamos para enfrentar desvios e o tráfico de armas e munições. Resistimos às pressões de grupos no Congresso e de categorias que buscavam flexibilizar as condições da posse e as restrições ao porte de arma de fogo.

Independentemente dos partidos que estavam no poder e da orientação dos governos dos quais fazíamos parte, nosso compromisso sempre foi o de fortalecer avanços que consolidassem o Brasil como uma referência de regulação responsável de armas e munições para a América Latina e para o mundo.

Conquistamos avanços importantíssimos, incluindo a queda da taxa de crescimento de homicídios nos primeiros anos da legislação em vigor e a desaceleração no crescimento de mortes por armas de fogo nos anos posteriores. De acordo com o Mapa da Violência, na década seguinte à sua aprovação, o Estatuto do Desarmamento ajudou a salvar a vida de cerca de 133 mil brasileiros. Apesar desses avanços, agora se articula o desmantelamento de uma lei largamente discutida, democraticamente votada e universalmente executada por diferentes governos.

A consolidação de uma regulação responsável de armas e munições no país é uma ação de longo prazo e é preciso orientar todos os esforços para superar os desafios com os quais ainda somos confrontados. Tais esforços precisam ser feitos em contínua colaboração com os estados e quadros técnicos e profissionais que se dedicam ao enfrentamento dos desvios e tráfico ilegal de armas e munições, à redução da criminalidade e à prevenção da violência no país.

Neste sentido, precisamos aperfeiçoar, por exemplo, os mecanismos de marcação de armas e munições e a qualidade das informações necessárias para permitir o rastreamento de armas desviadas para a ilegalidade e utilizadas na criminalidade, o que contribuirá para o esclarecimento de delitos.

Como ex-ministros e cidadãos, estamos convencidos de que ampliar o acesso às armas e o número de cidadãos armados nas ruas, propostas centrais dos decretos publicados pelo Executivo federal, não é a solução para a garantia de nossa segurança, de nosso desenvolvimento e de nossa democracia.

Ao invés de flexibilizar os principais pilares do controle de armas e munições de nosso país, precisamos proteger o legado das conquistas que protagonizamos e concentrar nossos esforços na função primordial do Estado: garantir o direito à vida e a segurança para todos.”

>> Pacote anticrime de Moro ponto a ponto: veja como a lei é hoje e o que pode mudar

Rubão Fernandes é multado pelo TCE

Rubão, uma gestão questionada pelo Tribunal de Contas

O ex-presidente da Câmara de Ribeirão Pires, Rubão Fernandes (PSD) começa a colher os primeiros frutos de sua semeadura enquanto esteve a frente da Casa de Leis.

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo impôs ao ex-gestor a multa de R$ 1.061,20 (40 UFESPS) por descumprir norma legal.

Segundo o órgão fiscalizado, Rubão que presidiu a Câmara entre os anos de 2017 e 2018, não encaminhou – mesmo após notificado – o quadro de Pessoal referente ao mês de 2016 ao sistema Audesp de forma reincidente.

A notificação assinada pelo Conselheiro Dimas Ramalho é data de 15 de março de 2019 e a publicação no Diário Oficial consta na página 25 do Poder Legislativo em sua página 26.

Rubão Fernandes fez uma gestão duvidosa tem ao longo da mesma algumas denúncias noticiadas pela imprensa local.

Em 10 de maio de 2019, o Repórter ABC noticiou que o parlamentar assumiu em vídeo que havia feito negociação com empresário para garantir a sua eleição como mandatário do Poder Legislativo local após questionamento e fala feita pelo vereador Anselmo Martins. Ver matéria aqui.

Em outro escândalo, o Diário de Ribeirão Pires publicou a matéria intitulada “Câmara superfatura licitação de ar condicionado”, onde no texto é dito o valor de R$ 70 mil, 4,5 vez maior que o valor de mercado. Ver matéria aqui. 

Ainda o mesmo veículo, o seu editou publicou o artigo, “Quando o que mais falta é a vergonha na cara”. Ver aqui.

Outra matéria jornalistica que põe em questionamento a lisura e competência de Rubão Fernandes foi compra de combustível (gasolina) ao preço de R$ 4,75 o litro quando o mesmo estabelecimento vendia aos demais cliente por R$ 3,699 a comum e R$ 3,899 para o mesmo combustível aditivado. Ver aqui.

Na ocasião, o Repórter ABC foi procurado pelo ex-secretário geral da Casa que alegou “um erro de vínculo na planilha de controle”. Ver aqui.

Recentemente, foi constatada uma grande farsa montada em torno da aquisição da gasolina durante a gestão de Rubão Fernandes. Texto publicado pelo Repórter ABC, em trabalho de checagem de pronunciamento de Rubão de que o mesmo havia pega a Câmara de Ribeirão Pires com déficit financeiro de R$ 150 mil, pode-se verificar de que o documento que a principio apontava superfaturamento no preço da gasolina era procedente e verídico e de nenhuma alteração ou correção havia sido feita. Ver aqui.

Recentemente o edil em pronunciamento gravado disse que “quando se pega uma casa desarrumada é preciso reforma-la”.

As contas da Câmara de Ribeirão Pires referentes aos anos de 2017 e 2017 ainda não foram apreciadas e apresentadas pelo TCE, mas caso novos escândalos apareçam não serão surpresas.

Integrantes da GCM de Rio Grande recebem “Curso de Primeiros Socorros”

Integrantes da GCM – Guarda Civil Municipal e Servidores da Saúde de Rio Grande da Serra concluíram o curso de Primeiros Socorros, oferecido pela Prefeitura Municipal através da Secretaria de Saúde. As aulas foram distribuídas em duas turmas, sendo a primeira ontem (23) e a segunda, nesta sexta-feira (24). As aulas iniciaram-se, em ambos os dias, às 9h e seguiram até às 16h, com pausa de uma hora para almoço.

No curso foram explanados, através de palestras de bombeiros civis com participação do público, os principais métodos de primeiros socorros, como os tipos de extintores de incêndio que devem ser utilizados para cada situação específica, as formas corretas de imobilização aos prestar socorro às pessoas em diversas situações, massagem cardíaca, entre outros assuntos pertinentes ao tema. Ao final, houve a entrega de certificados de conclusão aos participantes.

Prefeito Kiko Teixeira prepara concurso para 60 vagas na GCM de Ribeirão Pires

Publicação de edital de abertura de concurso público pode ser aberta ainda no primeiro semestre de 2019

Segundo apurado pelo Repórter ABC, o governo do prefeito Kiko Teixeira (PSB) está em fase avançada para a abertura de concurso publico para 60 novos GCM’s na Estância Turística de Ribeirão Pires.

Operadores políticos do Paço dão conta de que a abertura do certame deva acontecer ainda neste primeiro semestre de 2019 com vagas para homens e mulheres.

“O concursos está as vésperas de seu anuncio oficial devendo acontecer ainda neste primeiro semestre. A Segurança Pública tem sido prioridade deste governo em função de atendimento a levantamento feito pela administração sobre as principais prioridade dos munícipes. Kiko pegou uma cidade devastada pela inercia da gestão passada, mas aos poucos a casa está sendo posta em ordem. Para a Guarda, já foram compradas novas viaturas,armamento, coletes balísticos e fardamento o que tem refletido na substancial queda nos índices de criminalidade na cidade. Ainda sobre o incremento para a segurança pública no município, duas novas viaturas serão adquiridas para a corporação, que deverão ser de porte médio para policiamento padrão”, disse nossa fonte.

Conforme ainda argumentou, “prevendo o aumento do efetivo na GCM, Kiko esteve nesta sexta-feira (24), em companhia do secretário Municipal de Segurança Pública, Cel. Navarro, e do Comandante da GCM de Ribeirão, Sandro Torres, o delegado titular da Delegacia de Polícia de Ribeirão, Dr. Wagner, na CBC, onde na pauta de reunião com a alta direção da empresa estava a aquisição de 60 pistola .380 e coletes a prova de balas”, ressaltou.

A reunião teve início por volta das 11hs da manhã e se estendeu até às 15:30hs. Um almoço foi oferecido no refeitório interno da unidade bélica.

Na oportunidade, foi oferecido no stand de tiros, uma cortesia onde o GCM Sandro Torres fez disparos com um Fuzil calibre 556 destinado a grupos de pronto emprego tático e policiamento ostensivo.

Contatado, o Comandante da Guarda Municipal, Sandrão como é popularmente conhecido, falou sobre a experiência.

“É um fuzil muito potente e que dá grande possibilidade de mira. Não tenho total informação sobre as tratativas e não posso afirmar se a GCM terá ou não esse fuzil 655 disponível para o trabalho, o que posso afirmar é que o sonho de qualquer policial poder ter como ferramenta de trabalho uma arma deste porte e qualidade”, falou.

 

Agressor de Eduardo Nogueira é condenado na justiça por Fake News. Processo vem de 2013

Eduardo Nogueira, atual Secretário de Planejamento e ex-vereador de Ribeirão Pires, obteve recentemente teve ganho de causa em “ação de indenização por danos morais” movida contra João de Oliveira Lima Neto que publicou calúnias, injúrias e falsas acusações contra o secretário nas redes sociais. A demanda jurídica data do ano de 2103 e a sentença foi publicada em 09 de abril de 2019.

Dentre as ilações caluniosas feitas em 2012, encontram-se “…Fracassado golpista que, vive e pretende viver as custas do má política” (sic), “…Responde a vários processos judiciais, todos que envolvem apropriação indevida de valores, inclusive durante sua gestão como presidente da ACIARP”, dentre outras agressões morais.

Para embasamento da sentença, o juiz julgador, Dr. Sidnei Vieira da Silva obteve junto aos provedores das redes sociais informações que ratificaram a procedência da queixa e acusação exposta por Eduardo Nogueira.

As provas fornecidas pelos provedores das Redes Sociais confirmaram que as acusações absurdas e levianas foram produzidas pelo autor do perfil nas datas das postagens, inclusive, mais especificamente, os IP’s responsáveis pelas movimentações no perfil.

…”julgo PROCEDENTE o pedido inicial para condenar o requerido ao pagamento de indenização pelo dano moral causado ao autor, que fixo no montante de R$ 10.000,00 (dez mil reais), quantia esta que deverá ser atualizada pela tabela prática de atualização monetária do Tribunal de Justiçado Estado de São Paulo, a partir da data de publicação desta decisão e com incidência de juros da mora de 1% (um por cento) ao mês a contar do evento danoso, em03/09/2012 até o efetivo pagamento…. Em razão da sucumbência do requerente, atendo à Sumula de nº 326, do C. STJ, condeno, ainda, o requerido ao pagamento das custas, despesas processuais e em honorários advocatícios”…

Na referida sentença o magistrado salientou que a responsabilidade civil não se restringe apenas ao autor do perfil que produziu os textos ofensivos, mas também estendem-se aos que fizeram comentários na rede social sem se certificarem da veracidade dos fatos, e, da mesma forma, causando danos morais pela violação da honra e imagem da vítima.

“A referida ação, além de servir como punição para aqueles que caluniaram, difamaram e produziram falsas acusações contra o secretário, também soa como um alerta para aqueles que pensam que podem se utilizar das redes sociais como meio para denegrir a imagem de quem quer que seja sem que haja provas, bem como, para os que compartilham e fazem comentários aprovando tal tipo de publicação”, afirmou Eduardo Nogueira.

Mulher tenta entrar em CDP de São Bernardo com maconha sintética. LSD também foi apreendido

Duas visitantes do Centro de Detenção Provisória de São Bernardo do Campo foram surpreendidas, no último final de semana 18 e 19 de maio com drogas sintéticas, maconha sintética (também conhecida como K4) e LSD.

Em uma das apreensões, a visitante levava K4 em um maço de cigarros, que seriam, segundo a mesma, para consumo próprio.

No domingo, o pai de um detento escondeu LSD em sua cédula de identidade e K4 nas barras de sua calça.

Efeitos da maconha sintética (K4) a longo prazo

Segundo o portal “Mundo sem drogas”, os efeitos em longo prazo da K4 em seres humanos ainda não são totalmente conhecidos, mas os peritos em controle de envenenamento informam que os efeitos da maconha sintética podem ser fatais.

A maconha sintética pode causar dependência e levar aos sintomas de abstinência que incluem: fissura, pesadelos, suor excessivo, náusea, tremores, dores de cabeça, cansaço extremo, insônia, diarreia, vômitos, a pessoa não consegue pensar com clareza e negligencia outros interesses ou deveres.

Os usuários que consomem estas drogas repetidas vezes e, por um longo período de tempo, podem sofrer de esquecimento e confusão mental. Alguns usuários disseram que tiveram paralisia.

Governadores assinam manifesto contra decreto de armas de Bolsonaro

Editado pelo Repórter ABC com informações do Portal UOL, Folha de São Paulo e Câmara dos Deputados

Catorze governadores do País assinaram uma carta pedindo a revogação do decreto das armas, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro no início deste mês.

No texto, eles pedem que os “poderes Executivo, Legislativo e Judiciário da União atuem tanto para sua imediata revogação como para o avanço de uma efetiva política responsável de armas e munição no país”.

Ainda de acordo com os governadores, “as medidas previstas pelo decreto não contribuirão para tornar nossos estados mais seguros”. Para eles, o decreto terá ”impacto negativo na violência – aumentando por exemplo, a quantidade de armas e munições que poderão abastecer criminosos – e aumentarão os riscos de que discussões e brigas entre nossos cidadãos acabem em tragédias”.

Assinado por Bolsonaro, o decreto amplia o porte de armas para 19 categorias, entre elas agentes de trânsito, advogados, políticos eleitos, conselheiros tutelares e até jornalistas da área policial.

O manifesto é assinado pelos governadores dos nove estados do Nordeste e pelos administradores do Distrito Federal, do Amapá, do Tocantins, do Pará e do Espírito Santo. A carta será enviada ao Planalto, segundo assessorias de alguns dos governadores.

  1. Ibaneis Rocha (MDB), governador do Distrito Federal
  2. Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão
  3. Wellington Dias (PT), governador do Piauí
  4. Paulo Câmara (PSB), governador de Pernambuco
  5. Camilo Santana (PT), governador do Ceará
  6. João Azevedo (PSB), governador da Paraíba
  7. Renato Casagrande (PSB), governador do Espírito Santo
  8. Rui Costa (PT), governador da Bahia
  9. Fátima Bezerra (PT), governadora do Rio Grande do Norte
  10. Renan Filho (MDB), governador do Alagoas
  11. Belivaldo Chagas (MDB), governador de Sergipe
  12. Waldez Góes (PDT), governador do Amapá
  13. Mauro Carlesse (PHS), governador do Tocantins
  14. Helder Barbalho (MDB), governador do Pará
“Impacto negativo”

Para eles, as medidas apresentadas no decreto não irão contribuir com a diminuição da violência em seus estados. “Ao contrário, tais medidas terão um impacto negativo na violência aumentando por exemplo, a quantidade de armas e munições que poderão abastecer criminosos e aumentarão os riscos de que discussões e brigas entre nossos cidadãos acabem em tragédias”.

O grupo pede que o governo federal desenvolva ações que melhorem o rastreamento de armas e munições, além de intensificar os meios de controle e fiscalização “para coibir os desvios, enfrentar o tráfico ilícito e evitar que as armas que nascem na legalidade caiam na ilegalidade e sejam utilizadas no crime”.

Leia a íntegra da carta dos governadores contra o decreto:

Carta dos Governadores sobre o Decreto Presidencial n. 9.785 (07 de maio de 2019) e a Regulação Responsável de Armas e Munições no País

Como governadores de diferentes estados do país, manifestamos nossa preocupação com a flexibilização da atual legislação de controle de armas e munições em razão do decreto presidencial n. 9.785 (07 de maio de 2019) e solicitamos aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário da União que atuem tanto para sua imediata revogação como para o avanço de uma efetiva política responsável de armas e munição no país.

Sabemos que a violência e a insegurança afetam grande parte da população de nossos estados e que representam um dos maiores obstáculos ao desenvolvimento humano e econômico do Brasil. Nesse contexto, a grande disponibilidade de armas de fogo e munições que são usadas de maneira ilícita representa um enorme desafio para a segurança pública do país e é preciso enfrentá-lo.

Por essa razão, é urgente a implementação de ações que melhorem a rastreabilidade das armas de fogo e munições durante toda a sua existência, desde sua produção. Também é fundamental aumentar os meios de controle e fiscalização para coibir os desvios, enfrentar o tráfico ilícito e evitar que as armas que nascem na legalidade caiam na ilegalidade e sejam utilizadas no crime. Reconhecemos que essas não são soluções mágicas, mas são condições necessárias para a melhoria de nossa segurança pública.

Reconhecemos que essas não são soluções mágicas, mas são condições necessárias para a melhoria de nossa segurança pública.

Diante deste cenário, e a partir das evidências disponíveis, julgamos que as medidas previstas pelo decreto não contribuirão para tornar nossos estados mais seguros. Ao contrário, tais medidas terão um impacto negativo na violência aumentando, por exemplo, a quantidade de armas e munições que poderão abastecer criminosos e aumentarão os riscos de que discussões e brigas entre nossos cidadãos acabem em tragédias.

As soluções para reverter o cenário de violência e insegurança no país serão fortalecidas com a coordenação de esforços da União, Estados e Municípios para fortalecer políticas públicas baseadas em evidências e para implementar o Plano Nacional de Segurança Pública e Defesa Social, fortalecendo a prevenção focalizada nas populações e territórios mais afetados pela violência e a repressão qualificada da criminalidade.

Reforçamos nosso compromisso com o diálogo e com a melhoria da segurança pública do país. Juntos, podemos construir um Brasil seguro para as atuais e futuras gerações.

Empreendedor, Fernandinho Beira-Mar planeja site para vender produtos com a sua marca

Passados 18 anos de sua prisão por militares do país vizinho, Fernandinho Beira-Mar planeja usar a internet para abastecer a cidade com outros tipos de produtos: canecas, camisas, bonés e capas para telefone celular. Tudo com a marca FBM.

Os produtos, segundo sua advogada Paloma Gurgel, serão feitos por dependentes químicos que estão em tratamento em uma ONG ligados a igreja evangélica.

Veja a matéria completa no UOL

Polícia Civil de Mauá prende autor de feminicídio na cidade de Paraty

Na noite de terça-feira (14), policiais civis da Delegacia de Polícia de Mauá (Demacro) prenderam o autor de um feminicídio, na cidade de Paraty, no Rio de Janeiro.

No dia 24 de abril, o autor, usuário de drogas, ligou para uma mulher para realizarem um programa em seu apartamento. No momento em que foi pagar, não foi autorizado o débito no cartão do autor, fazendo com que vítima e ele discutissem.

O rapaz pegou uma faca e desferiu três facadas na barriga da vítima, estrangulou-a e colocou-a dentro de uma mala, escondendo dentro de um armário.

Após investigações realizadas, os agentes descobriram que o indivíduo havia se refugiado na cidade de Paraty, onde sua genitora reside.

Os policiais deslocaram-se até a cidade citada e cumpriram o mandado de prisão em desfavor do acusado.

Ribeirão está obrigada a adaptar escolas para deficientes. Justiça determinou multa de R$ 190 mil

A 2ª Vara Judicial da Comarca de ribeirão Pires acolheu uma Ação de “Execução de Obrigação de Fazer” movida pelo Ministério Público do Estado de São Paulo representado pela promotora de Justiça, Denise Cecília Pavan Buoro que instalou Inquérito civil denunciando a Prefeitura de Ribeirão Pires por não atender legislação específica sobre adaptação ao acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida nas escolas municipais da cidade.

O processo civil n.º 14.0407.0000282/2014-7 teve inicio no governo do ex-prefeito Saulo Benevides onde o MP através de relatório do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência de Ribeirão Pires apresentou a denúncia.

A época, o MP “após as diligências necessárias e diante do que foi apurado nos autos do referido procedimento investigatório, celebrou-se um Termo de Ajustamento de Conduta – TAC, em que ficou acordado entre o Ministério Público do Estado de São Paulo – Promotoria de Justiça de Defesa da Pessoa com Deficiência, o então Prefeito do Município da Estância Turística de Ribeirão Pires, Sr. Saulo Mariz Benevides, e a então Secretário de Educação, Inclusão e Tecnologia, Sra. Leonice Moura, o que consta das cláusulas a seguir transcritas:

“1-) O compromitente admite e reconhece que os prédios das escolas municipais da Estância Turística de Ribeirão Pires não estão plenamente adaptados ao acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, de acordo com o que prescrevem o Decreto n.º 5.296/04, Lei n.º 10.098/00 e a ABNTNBR 9050.2004 e, através do presente, compromete-se, no prazo de 36 (trinta e seis) meses, a contar da data da homologação do TAC pelo E. Conselho Superior do Ministério Público, à seguinte obrigação de fazer:
[…]
São obrigações da Secretaria de Educação, Inclusão e Tecnologia da Prefeitura Municipal da Estância Turística de Ribeirão Pires:
CLÁUSULA SEGUNDA: Adaptação de todas as escolas municipais de Ribeirão Pires (em todos os níveis), ao aluno portador de deficiência, sob pena de pagamento de multa diária no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais), sendo certo eu as adaptações deverão obedecer ao que estabelecem as normas técnicas da ABNT (NBR: 9050)”…

Foi imputado a administração municipal o pagamento de multa no valor de R$ 500,00 por unidade escolar que com valores atualizados chegam a cifra de R$ R$ 188.964,00.

“Seja pessoalmente CITADO o executado acima qualificado, para, nos termos do artigo 829, do Código de Processo Civil, no prazo de 03 (três) dias, pagar a multa cominatória no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais) instituída na Cláusula Quarta do TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA, devida desde o dia 22.04.2019 (três anos da data da homologação do TAC pelo CSMP), no valor total de R$ 9.000,00 (nove mil reais), ao qual deve ser acrescida de 6% ao ano e à soma de 10 (dez) salários mínimos diários, correspondente à cláusula penal prevista no acordo, o que perfaz o valor líquido de R$ 188.964,00 (cento e oitenta e oito mil, novecentos e sessenta e quatro reais), podendo o executado, no prazo de 30 (trinta) dias, opor embargos à execução, na forma prescrita no art. 910, do CPC;”…

A prefeitura deverá fazer as devidas adaptações nas escolas municipais sendo: Identificar Entrada e Saída, Identificar Rota de Fuga, Identificar Dependências (Visual e Braile), Instalar Piso Alerta-Direcional, Sanitários, Adaptar Sanitário Infantil, Adaptar Balcão Refeitório, Adaptar Bebedouro, Instalar Plataforma Elevatória/Elevador bem como instalação de rampas de acesso.

Segue baixo a relação de todas as escolas com as respectivas adaptações a serem realizadas:

Na Entrada das Unidades Escolares

Rebaixar calçada: E.M Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade II; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Maria Gomes do Pilar; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Olivia Marques Petrilli; E.M. Palmira Antônio Pereira; E.M. Prof. Valberto Fusari; E.M. Yoshihiko Narita.

Resolver Desníveis

E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Prof. Antônio Lacerda Bacellar; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade II; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Herbert José de Souza; E.M. Júlia Del Corto Roncon; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Maria Gomes do Pilar; E.M. Maria Siqueira de Paula; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Mathilde Figueiredo David; E.M. Monteiro Lobato; E.M. Prof. Neusa Luiz Sanches; E.M. Palmira Antônio Ferreira; E.M. Prof. Sebastião Vayego de Carvalho; E.M. Silvio Roberto Grecco; E.M. Tia Marinha; E.M. Prof. Valberto Fusari; E.M. Yoshihiko Narita.

Locar Rampa

E.M. Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva.

Instalar Piso Tátil/Alerta Direcional

E.M. Com. Abdalla Chiedde; E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angelina Denadai Bertoldo; .M. Prof. Antônio Lacerda Bacellar; E.M. Pastor Antônio Cumpian Silva; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade II; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Prof. Francisco Lourenço de Melo; E.M. Herbert José de Souza; E.M. João Midolla; E.M. Júlia Del Corto Roncon; E.M. Prof. Lavínia de Figueiredo Arnoni; E.M. Prof. Mabel Cunha; E.M. Manoel Batista da Silva; E.M. Maria Bernadete B. de Seixas; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Maria Gomes do Pilar; E.M. Monteiro Siqueira de Paula; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Mathilde Figueiredo David; E.M. Monteiro Lobato; E.M. Prof. Neusa Luz Sanches; E.M. Olívia Marques Petrilli; E.M. Palmira Antônio Pereira; E.M. Prof. Sebastião Vayego de Carvalho; E.M. Silvio Roberto Grecco; E.M. Tia Mariinha.

Retirar Obstáculos no Passeio

E.M. Com. Com. Abdalla Chiedde; E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Mathilde Figueiredo David; E.M. Monteiro Lobato.

Executar Desnível para Capacho

E.M. Com. Abdalla Chiedde; E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angleina Denadai Bertoldo; E.M. Prof. Antônio Lacerda Bacellar; E.M. Pastor Antônio Cumpian Silva; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade II; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Prof. Francisco Lourenço de Melo; Prof. Lavínia de Figueiredo Arnoni; E.M. Manoel Baptista da Silva; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Maria Gomes do Pilar; E.M. Maria Siqueira de Paula; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Monteiro Lobato; E.M. Prof. Neusa Luz Sanches; E.M. Olivia Marques Petrilli; E.M. Silvio Roberto Grecco; E.M. Tia Mariinha.

Simbologia (Área Interna/Externa)

Identificar Embarque e Desembarque: E.M. Com. Abdalla Chiedde; E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Prof. Antônio Lacerda Bacellar; E.M. Pastor Antônio Cumpian Silva; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Prof. Francisco Lourenço de Melo; E.M. Herbert José de Souza; E.M. João Midolla; E.M. Júlia Del Corto Roncon; E.M. Prof. Lavínia de Figueiredo Arnoni; E.M. Prof. Mabel Cunha; E.M. Manoel Baptista da Silva; E.M. Maria Bernadete B. de Seixas; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Maria Gomes do Pilar; E.M. Maria Siqueira de Paula; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Olívia Marques Petrilli; E.M. Palmira Antônio Pereira; E.M. Prof. Sebastião Vayego de Carvalho; E.M. Silvio Roberto Grecco; E.M. Tia Mariinha; E.M. Prof. Valberto Fusari; E.M. Yoshihiko Narita.

Identificar Entrada e Saída

E.M. Com. Abdalla Chiedde; E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Prof. Antônio Lacerda Bacellar; E.M. Pastor Antônio Cumpian Silva; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade II; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Prof. Francisco Lourenço de Melo; E.M. Herbert José de Souza; E.M. João Midolla; E.M. Júlia Del Corto Roncon; E.M. Prof. Lavínia de Figueiredo Arnoni; E.M. Prof. Mabel Cunha; E.M. Manoel Baptista da Silva; E.M. Maria Bernadete B. de Seixas; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Maria Gomes do Pilar; E.M. Maria Siqueira de Paula; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Mathilde Figueiredo David; E.M. Monteiro Lobato; E.M. Prof. Neusa Luz Sanches; E.M. Olivia Marques Petrilli; E.M. Palmira Antônio Pereira; E.M. Prof. Sebastião Vayego de Carvalho; E.M. Silvio Roberto Grecco; E.M. Tia Mariinha; E.M. Prof. Valberto Fusari; E.M. Yoshihiko Narita.

Identificar Rota de Fuga

E.M. Com. Abdalla Chiedde; E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Prof. Antônio Lacerda Bacellar; E.M. Pastor Antônio Cumpian Silva; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Prof. Francisco Lourenço de Melo; E.M. João Midolla; E.M. Manoel Baptista da Silva; E.M. Maria Siqueira de Paula; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Monteiro Lobato; E.M. Olivia Marques Petrilli; E.M. Palmira Antônio Pereira; E.M. Silvio Roberto Grecco; E.M. Tia Mariinha; E.M. Prof. Valberto Fusari.

Identificar Dependências (Visual e Braile)

E.M. Com. Abdalla Chiedde; E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Prof. Antônio Lacerda Bacellar; E.M. Pastor Antônio Cumpian Silva; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade II; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Prof. Francisco Lourenço de Melo; E.M. Herbert José de Souza; E.M. João Midolla; E.M. Júlia Del Corto Roncon; E.M. Prof. Lavínia de Figueiredo Arnoni; E.M. Prof. Mabel Cunha; E.M. Manoel Baptista da Silva; E.M. Maria Bernadete B. de Seixas; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Maria Gomes do Pilar; E.M. Maria Siqueira de Paula; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Mathilde Figueiredo David; E.M. Monteiro Lobato; E.M. Prof. Neusa Luz Sanches; E.M. Olivia Marques Petrilli; E.M. Palmira Antônio Pereira; E.M. Prof. Sebastião Vayego de Carvalho; E.M. Silvio Roberto Grecco; E.M. Tia Mariinha; E.M. Prof. Valberto Fusari; E.M. Yoshihiko Narita.

Instalar Piso Alerta-Direcional

E.M. Com. Abdalla Chiedde; E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Prof. Antônio Lacerda Bacellar; E.M. Pastor Antônio Cupian Silva; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade II; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Prof. Francisco Lourenço de Melo; E.M. Herbert José de Souza; E.M. João Midolla; E.M. Júlia Del Corto Roncon; E.M. Prof. Lavínia de Figueiredo Arnoni; E.M. Prof. Mabel Cunha; E.M. Manoel Baptista da Silva; E.M. Maria Bernadete B. de Seixas; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Maria Gomes do Pilar; E.M. Maria Siqueira de Paula; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Mathilde Figueiredo David; E.M. Monteiro Lobato; E.M. Prof. Neusa Luz Sanches; E.M. Olivia Marques Petrilli; E.M. PalmiraAntônio Pereira; E.M. Prof. Sebastião Vayego de Carvalho; E.M. Silvio Roberto Grecco; E.M. Tia Mariinha; E.M. Prof. Valberto Fusari.

Sanitários

Adaptar Sanitário Adulto: E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade II; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Prof. Francisco Lourenço de Melo; E.M. João Midolla; E.M. Júlia Del Corto Roncon; E.M. Maria Bernadete B. de Seixas; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Monteiro Lobato; E.M. Olivia Marques Petrilli; E.M. Palmira Antônio Pereira; E.M. Silvio Roberto Grecco.

Adaptar Sanitário Infantil

E.M. Com. Abdalla Chiedde; E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Pastor Antônio Cupian Silva; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Prof. Francisco Lourenço de Melo; E.M. João Midolla; E.M. Júlia Del Corto Roncon; E.M. Prof. Lavínia de Figueiredo Arnoni; E.M. Prof. Mabel Cunha; E.M. Maria Bernadete B. de Seixas; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Maria Gomes do Pilar; E.M. Maria Siqueira de Paula; E.M. Mathilde Figueiredo David; E.M. Monteiro Lobato; E.M. Prof. Neusa Luz Sanches; E.M. Olivia Marques Petrilli; E.M. Silvio Roberto Grecco; E.M. Tia Mariinha; E.M. Prof. Valberto Fusari.

Geral

Adaptar Balcão Refeitório (Passa-Prato): E.M. Com. Abdalla Chiedde; E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Prof. Antônio Lacerda Bacellar; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Fiorindo Roncon; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Herbert José de Souza; E.M. Júlia Del Corto Roncon; E.M. Prof. Lavínia de Figueiredo Arnoni; E.M. Prof. Mabel Cunha; E.M. Manoel Baptista da Silva; E.M. Maria Bernadete B. de Seixas; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Maria Siqueira de Paula; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Monteiro Lobato; E.M. Prof. Neusa Luz Sanches; E.M. Olivia Marques Petrilli; E.M. Tia Mariinha; E.M. Prof. Valberto Fusari.

Adaptar Bebedouro

E.M. Com. Abdalla Chiedde; E.M. Prof. Antônio Lacerda Bacellar; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade II; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. FranciscaFerreira Santiago; E.M. Prof. Francisco Lourenço de Melo; E.M. João Midolla; E.M. Júlia Del Corto Roncon; E.M. Maria Bernadete B. de Seixas; E.M. Maria Siqueira de Paula; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Mathilde Figueiredo David; E.M. Monteiro Lobato; E.M. Prof. Neusa Luz Sanches; E.M. Olivia Marques Petrilli; E.M. Palmira Antônio Pereira; E.M. Silvio Roberto Grecco; E.M. Tia Mariinha; E.M. Prof. Valberto Fusari; E.M. Yoshihiko Narita.

Criar Sala de Recursos

E.M. Amauri do Nascimento; E.M. Angelina Denadai Bertoldo; E.M. Pastor Antônio Cupian Silva; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade II; E.M. Cícera Benevides dos Santos Silva; E.M. Francisca Ferreira Santiago; E.M. Prof. Francisco Lourenço de Melo; E.M. Júlia Del Corto Roncon; E.M. Prof. Mabel Cunha; E.M. Maria Bernadete B. de Seixas; E.M. Maria da Glória Barbosa Xavier; E.M. Maria Gomes do Pilar; E.M. Mercedes D’Orto; E.M. Mathilde Figueiredo David; E.M. Prof. Neusa Luz Sanches; E.M. Olivia Marques Petrilli; E.M. Palmira Antônio Pereira; E.M. Tia Mariinha; E.M. Yoshihiko Narita.

Instalar Plataforma Elevatória/Elevador

E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade I; E.M. Eng. Carlos Rohm – Unidade II; E.M. Maria Gomes do Pilar; E.M. Prof. Sebastião Vayego de Carvalho.

Inauguração do Diretório do PR é tomado por lideranças políticas. Clovis Volpi participou do ato

Com ruas das imediações da avenida Francisco Monteiro, altura do nº 800 tomadas por automóveis, foi inaugurado nesta quinta-feira (16), a sede do Partido da República (PR). Lideranças políticas locais e regionais se apertaram no amplo espaço para ouvirem a falas.

No evento coordenado pelo presidente do PR de Ribeirão Pires, Nonô Nardeli, o ex-prefeito Clóvis Volpi fez parte de cerimônia e em sua fala denominou a nova sede de “A Casa da Democracia”, um espaço para acolher lideranças que tem ou já tiveram algum tipo ligação política com ele.

“Independente do partido em que estavam ou que estão, o objetivo desta Casa é acolher um pouco mais de democracia para que ao longo do tempo possamos nos preparar ao longo do tempo em que nos preparamos para as eleições de 2.020 auxiliar as pessoas a ter um conhecimento maior do que é a política e como ela se desenvolve”.

Ainda em seu discurso, Clóvis Volpi discorreu sobre um dos principais metas do espaço e propôs reflexão sobre os caminhos que foram todos na política.

“Aqui dentro da Casa do PR, está também instalado o Centro de Formação Política e Social (CFPS) que está parte importante e a grande novidade da política. Precisamos de uma nova política”.

Na continuidade, argumentou: “Olhem bem pra trás e vejam o que está acontecendo o que aconteceu com aqueles que foram atrás de uma nova política! E muitas vezes pelo noviciado na política e até mesmo pela idade levaram e estão levando as cidades a uma degradação total. Nós temos exemplos aqui pertinho, na cidade de Mauá”, citando o caos administrativo causado com a eleição de Átila Jacomussi.

Em tom incisivo, Clóvis Volpi afirmou que na cidade vizinha o que aconteceu foi uma renovação sem conhecimento de causa e sem experiência e que não se faz mais política se não se aprender o que é de verdade a política.

“Meu desejo é que em outras cidades esse modelo de formação seja também implantado. Queremos que Ribeirão Pires seja o precursor. É preciso que se faça uma política de transparência! Uma política que se olhe para o povo e se saiba quais as necessidades e o que o povo quer. Basta de mentiras! A nova política é dar um basta na mentira! Queremos que os jovens venham, mas queremos que também venha o conhecimento desta nova política. Quero que vocês, ao saírem daqui, levem o sentimento de construção de uma nova política e é necessário dar conhecimento a aqueles que querem estar na nova política”, cravou.

Com fala crítica e engajada, pregou a revolução na forma de construção da política.

“Vamos revolucionar a política! Não tenham vergonha vocês jovem de aprender e não se intimidem vocês que tem os cabelos brancos em vir também aprender. “Precisamos de renovação com o sangue do que é esta nova política”.

Na conclusão de sua fala, Clóvis Volpi conclamou a todos a multiplicarem a proposta de renovação.

“Precisamos de renovação! Se você exerce liderança no seu trabalho, no seu bairro, podem dizer que o PR esta fazendo em Ribeirão a nova política”.

Além de lideranças políticas, sindicais, estiveram presente o prefeito de rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão, o prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, o deputado Thiago Auricchio, e os representantes do PR, José Renato e Baldani dos diretórios estadual e nacional respectivamente.

Os cursos de formação política e de gestão pública serão oferecidos gratuitamente por especialista da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e pelo professor Clóvis Volpi.

O diretório do PR de Ribeirão Pires está localizado na avenida Francisco Monteiro, 880.

Clique aqui e acompanhe a íntegra do pronunciamento de Clóvis Volpi.

Curso de formação da GCM de Rio Grande inicia no próximo dia 27 de maio

O efetivo da GCM – Guarda Civil Municipal – de Rio Grande da Serra iniciará o Curso de Formação de Guardas Municipais na próxima segunda-feira (27 de maio), com aula inaugural a ser realizada no Teatro Municipal Primeira-Dama Zulmira Jardim Teixeira, a partir das 19h.

O curso faz parte das exigências para a GCM poder atuar no Município em conformidade com a legislação vigente no país. Será ministrado por instrutores das guardas municipais das sete cidades do Grande ABC. A previsão de duração do curso é de aproximadamente quatro meses.

Desfile Cívico

No Desfile Cívico do dia 1º de maio, o efetivo da GCM foi apresentado ao público como uma das grandes atrações do evento. Na ocasião, também fizeram parte do desfile as duas primeiras viaturas que serão utilizadas pela Guarda.

Cabo Cléber Quirino recebe convite para disputar as eleições municipais de 2.020

“O sistema político anda muito contaminado, cheio de vícios e de promessas vazias, e é preciso dar um basta nesse caos social”, Cabo Cléber Quirino

Ribeirão Pires vive um intenso momento de articulações políticas com vistas às eleições municipais de 2.020.

Partidos políticos e suas lideranças arregimentam nomes capazes para a disputa eleitoral que se avizinha. Entre os prováveis candidatos, está o Cabo PM Cléber Quirino.

Morador de Ribeirão Pires há 35 anos, Cabo Cléber Quirino tem 40 anos de idade é casado e tem uma filha. Com 19 anos de atuação na Polícia Militar do Estado de São Paulo, foi efetivo no esquadrão da ROCAM, atuou por 7 anos na ROTA, fez policiamento por três anos na força Tática  e atualmente compõem o efetivo do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP) na região do ABC Paulista.

“Em período que antecedeu as eleições de 2.016, fui convidado para disputar uma vaga de vereador em Ribeirão Pires. Nunca tive intenção em disputar uma eleição para cargo público, mas de tanto ver desmandos e coisa errada na política. Recebi alguns convites para sair a vereador e até mesmo para vice-prefeito e no momento estou analisando essa possibilidade”, disse Cabo Cléber Quirino.

Sobre qual partido irá se filiar, ele disse que ainda não se decidiu, mas argumentou que ainda há tempo para a definição.

“Estou conversando com algumas lideranças políticas e preciso de um pouco mais de tempo para me decidir. O que sei, é que caso eu venha a ser candidato irei me empenhar ainda mais em dialogar com a população. O sistema político anda muito contaminado, cheio de vícios e de promessas vazias, e é preciso dar um basta nesse caos social. Precisamos de uma maior eficiência na segurança pública. Hoje temos a GCM que desempenha importante papel na cidade. Outro ponto que sempre teve a minha atenção é a criança e a juventude que hoje se encontra desassistida. Não é mais possível tolerar a violência contra a mulher, o auto índice dos mais diversos tipos de crime. Acredito que uma cidade bem administrada e fiscalizada pode render ótimos resultados para o bem de toda a população”, conclui Cabo Cléber Quirino.

Prefeitura de Mauá abrirá sindicância para apurar agressão contra servidora

A prefeitura de Mauá, através de nota dirigida a imprensa, informa que instaurará sindicância para apurar denuncia de agressão por parte do secretário de Administração, Paulo cordeiro contra uma servidora.

Conforme noticiou o o Repórter ABC (ver aqui a matéria), a servidora M.V.V. de 36 anos, dirigiu-se ao refeitório localizado no interior do Paço, onde lá foi cientificada por uma atendente de que o “arroz e a mistura” haviam acabado. Após M.V.V. conversar com a atendente, a mesma se comprometeu amigavelmente em resolver a falta da alimentação. Enquanto a vítima ainda conversava com a atendente, o secretário Paulo Cordeiro abordou-a de maneira agressiva, onde passou a gritar com ela na presença de todos os presentes, injuriando-a. M.V.V. se retirou do local passando mal e o secretário Paulo a seguiu abordando-o e ofendendo-a novamente segurando em seu braço.

Boletim de Ocorrência foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher, onde foi prestada a vítima todas as  orientações. o B.O. foi encaminhado para a 1ª Delegacia de Polícia da cidade de Mauá que ficará responsável pela apuração e investigação do caso.

Abaixo a íntegra da nota da prefeitura de Mauá:

“A Prefeitura de Mauá informa que tomou conhecimento da ocorrência no final da tarde desta segunda-feira, 13/05/2019, e que amanhã, dia 14, irá instaurar uma sindicância para apurar os fatos e iniciar os trâmites para tomar as devidas providências”.

Secretário de Administração de Mauá agride servidora municipal

O secretário de Administração de Mauá é acusado de ter agredido moralmente e fisicamente a servidora no interior do Paço Municipal.

O fato aconteceu na quinta-feira, 8 de maio, quando a servidora M.V.V. de 36 anos, como faz diariamente, se dirigiu ao refeitório, e chegando – conforme conta em Boletim de Ocorrência – foi cientificada por atendente da empresa contratada para o preparo da alimentação de que o “arroz e a mistura” haviam acabado.

Após M.V.V. questionar a atendente e argumentando que entendia que o problema não era ela e que os serviços eram péssimos e uma patifaria com o servidor. A atendente se comprometeu em resolver a falta da alimentação.

Enquanto a vítima ainda conversava com a atendente, notou que o autor, Paulo Cordeiro abordou-a de maneira agressiva, onde passou a gritar com ela na presença de todos os presentes, injuriando-a com os dizeres:

“Quem você pensa que é para ofender e tratar mal as pessoas aqui?! Eu não admito que tratem mal funcionário aqui na minha gestão não! A prefeitura está passando por muitos problemas, não vou admitir reclamações neste sentido…(referente a alimentação)”, consta no Boletim de Ocorrência.

Segundo a vítima, a mesma não teve outra reação, a não ser chorar e que os próprios funcionários da empresa Real Food tentaram explicar ao autor que não estava acontecendo nenhum problema, mas que ainda assim Paulo Cordeiro não parou de gritar e que a vítima passou mal e diante o abalo emocional chegou a vomitar logo após ter saído.

Segundo o registro policial, Paulo Cordeiro seguiu a servidora municipal e do lado de fora do prédio a abordou novamente e a segurando pelo braço a assediou.

“Tá vendo como você é durona menina!”

Na Delegacia de Defesa da Mulher, a vítima foi orientada sobre o prazo de 6 meses  para interposição de representação criminal e que o registro de Ocorrência será encaminhado para a 1ª Delegacia de Polícia da cidade de Mauá que ficará responsável pela apuração e investigação do caso.

Se comprovadas as denúncias o lobo perderá a pele e pode sofrer sanções judiciais. Cabe agora saber o que será feito pelo governo de Alaíde Damo que contém entre as suas pastas, uma que tem como missão a defesa da mulher. A Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres! Luís Carlos Nunes

Ladrões arrombam Igreja em Ribeirão Pires e roubam fiação elétrica

Em um período de 30 dias Ribeirão Pires registra mais um crime de roubo a um templo religioso. No dia 8 de abril o Repórter ABC noticiou o caso em que ladrões roubaram a Igreja Matriz da cidade após trancafiarem o Padre e uma funcionaria levando R$ 404 e um aparelho celular. (Ver matéria aqui).

Desta vez, malandros serram as grades da Igreja Jesus Cristo dos Últimos Dias – também conhecida por Igreja Mórmon – e furtaram cabos e fiação elétrica avaliada em aproximadamente R$ 10 mil.

Segundo as informações, no dia 2 de maio, o responsável pela Igreja ao chegar ao local contatou que diversos aparelhos foram danificados em função da falta de energia elétrica.

Boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia da cidade onde policiais investigam a autoria do crime.

Gabriel Maranhão recebe a doação de dois veículos para a futura Guarda Municipal

 

O prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (Cidadania), recebeu no gabinete nesta sexta-feira (26), o prefeito de São Caetano do Sul, José Auricchio Jr. (PSDB) que doou dois veículos para serem utilizados como viaturas pela futura Guarda Municipal da cidade.

José Auricchio Jr. que chegou acompanhado pelo deputado Estadual Thiago Auricchio (PR) e pelo ex-prefeito de Ribeirão Pires Clóvis Volpi.

Os veículos são da marca Chevrolet, sendo um do modelo Corsa e o outro, Astra.

A previsão é de que a Guarda Civil Municipal de Rio Grande inicie as atividades em maio, mês em que são realizadas as festividades pelo 55º aniversário de emancipação de Rio Grande da Serra.

“É um grande prazer recebê-los aqui em Rio Grande da Serra. Estamos muito agradecidos pela doação desses dois veículos, que vão trazer muitos benefícios à nossa Cidade. A única entre as sete cidades do ABC Paulista que ainda não possuía a sua GCM, que a partir de maio já estará nas ruas trazendo muito mais segurança para a população”, disse Gabriel Maranhão.

Em 2019 o brasileiro já sonegou R$ 178 bilhões e pagou R$ 800 bilhões em impostos

Os portais “Sonegômetro” e o “Impostômetro” apontam dados interessantes sobre a arrecadação de impostos no Brasil. de 1º de janeiro de 2019 a 24 de abril do mesmo ano foram arrecadados – até o fechamento desta matéria – segundo o “Impostômetro” quase R$ 809 bilhões de reais. Já o “Sonegômetro” mostra que – até o fechamento desta matéria – mais de R$ 177 bilhões de reais deixaram de serem arrecadados frutos da sonegação de impostos.

Para se atualizar na informações que simulam a arrecadação e a sonegação fiscal clique aqui (Sonegômetro) e aqui (Impostômetro).