Posts in "Policial"

Em 2019 o brasileiro já sonegou R$ 178 bilhões e pagou R$ 800 bilhões em impostos

Os portais “Sonegômetro” e o “Impostômetro” apontam dados interessantes sobre a arrecadação de impostos no Brasil. de 1º de janeiro de 2019 a 24 de abril do mesmo ano foram arrecadados – até o fechamento desta matéria – segundo o “Impostômetro” quase R$ 809 bilhões de reais. Já o “Sonegômetro” mostra que – até o fechamento desta matéria – mais de R$ 177 bilhões de reais deixaram de serem arrecadados frutos da sonegação de impostos.

Para se atualizar na informações que simulam a arrecadação e a sonegação fiscal clique aqui (Sonegômetro) e aqui (Impostômetro).

Para 72% dos ouvidos em pesquisa, segurança não aumenta se pessoas estiverem armadas

O Instituto Datafolha consultou a população sobre os principais pontos que integram o pacote anticrimes do ministro da Justiça, Sérgio Moro, enviado ao Congresso no final de janeiro. A proposta prevê a alteração de 14 leis, como Código Penal, Código de Processo Penal, Lei de Execução Penal e Lei de Crimes Hediondos. O Datafolha ouvi 2.806 pessoas em 130 municípios do país entre os dias 2 e 3 de abril. Veja a seguir alguns dos resultados apontados pela pesquisa.

Para 72% dos entrevistados, a sociedade não fica mais segura com as pessoas armadas para se proteger e, para 64%, a posse de armas deve ser proibida. As informações foram publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo nesta quinta-feira. O entendimento de que a posse de armas deveria ser proibida porque representa ameaça à vida das pessoas é mais alto entre mulheres (74%), jovens de 16 a 24 anos (69%) e pessoas com renda até dois salários mínimos. A facilitação da posse de armas foi uma bandeira de campanha do agora presidente Jair Bolsonaro e já foi implantada, por meio de decreto presidencial, em 15 de janeiro.

Quando perguntados sobre a atuação dos policiais, 81% responderam que a polícia não pode ter liberdade para atirar em suspeitos porque ela pode atingir inocentes e 82% responderam que o agente de segurança que atira em alguém por estar muito nervoso deve ser punido. A proposta de mudança nas leis apresentada pelo ministro Sérgio Moro prevê que os juízes poderão reduzir pela metade a até não aplicar pena em casos de mortes causadas por policiais em legítima defesa se o investigado argumentar que estava sob excesso de medo, surpresa ou violenta emoção.
A imagem da polícia também foi medida pela pesquisa e o resultado aponta que 51% sentem mais medo do que confiança na polícia, enquanto 47% do entrevistados confiam nas polícias mais do que as temem.
Apenas 29% dos entrevistados admitem que o extermínio de criminosos é uma espécie de política de segurança pública. Esse modelo de política têm sido defendida principalmente pelo governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Pelas redes sociais, o presidente Bolsonaro também tem apoiado tais medidas.

Vereador Silvino Castro apresenta Projeto que cria a “Semana de Combate a Violência Contra a Mulher”

Foi protocolado na Câmara de Ribeirão Pires na última quinta-feira (4), o Projeto de Lei nº 021/2019 de autoria do vereador Silvino Castro (PRB) que objetiva a criação da Semana Municipal de Combate a Violência contra a Mulher na cidade.

Segundo a proposta que será debatida e posta para votação na sessão a ser realizada na quinta-feira, 11 de abril, caso seja aprovada pelos vereadores, “na última semana do mês de novembro, a prefeitura municipal de ribeirão Pires deverá desenvolver ações de conscientização, combate e punição contra atos de violência sofridos pela mulher, observando sempre a cultura da Paz.

“A violência contra a mulher é um sério problema de direitos humanos com profundas raízes relacionadas à aceitação cultural deste tipo de problema.  Acredito que é preciso que a família, amigos e a imprensa trabalhem conjuntamente para buscar o fim da violência contra a mulher e também o feminicídio. No pais existem políticas de combate a este tipo de violência a exemplo da Lei Maria da Penha, mas lamentavelmente convivemos com uma dura rotina de mulheres mortas todos os dias”, argumentou o vereador Silvino de Castro.

Malandro tranca Padre no banheiro e rouba celular e R$ 404 reais em Ribeirão Pires

Um homem trajando roupa social assaltou a Igreja Matriz de Ribeirão Pires, localizada no Centro Alto no final da tarde desta segunda-feira (08).

Segundo a informação, o indivíduo teria adentrado ao local com uma suposta sacola de doações, dirigindo-se até a secretaria onde sacou de uma arma de fogo, dado voz de assalto e rendido o padre e uma auxiliar administrativa.

Após pegar a quantia de R$ 404,00 e o aparelho celular do pároco trancou as vítima no banheiro e se evadiu para local ignorado. A Polícia Civil investiga o caso com vista a identificar o criminoso.

Em última sessão em atual endereço, Câmara de Rio Grande é vítima de arruaceiro

Durante a sessão realizada nesta quarta-feira (03), na Câmara Municipal de Rio Grande da Serra, o vereador Claudinho Monteiro que já havia anunciado anteriormente a mudança de endereço da Casa de Leis (conforme noticia do pelo Repórter ABC, ver aqui) anunciou a mudança daquele parlamento para outro local.

“A Câmara de Rio Grande está instalada neste endereço desde a emancipação da cidade. Passaram-se 44 anos e a partir da próxima sessão estaremos realizando provisoriamente a sessões legislativas no Complexo Educacional Primeira Dama Zulmira Jardim Teixeira. A medida trará ao legislativo uma economia anual de mais de R$ 100 mil com o não pagamento de aluguel além de propiciar acessibilidade e maior conforto aos munícipes. Outro ponto importante é que no dia 02 de maio estaremos definitivamente instalados na nova sede que será onde funcionou a Biblioteca Municipal”, destacou o presidente.

Um projeto de Lei apresentado durante a sessão foi aprovado dando a autorização para mudança para as novas instalações. Ainda durante a sessão, foi aprovado Projeto de Lei nº 03/2019 que propôs reestruturação administrativa na Câmara e regulamenta a contratação de 1 assessor parlamentar por gabinete.

Imagem histórica com vereadores e servidores da Câmara Municipal de Ribeirão Pires

Ricardo Darci, arruaceiro e mal educado faz o “V” da vitória

Ao final da sessão, o presidente Claudinho Monteiro convocou todos os vereadores, servidores da Casa e o atual Secretário de Administração de Rio Grande da Serra, Clauricio Bento (DEM) que é vereador licenciado para foto histórica da última sessão realizada naquele plenário.

Arruaceiro desrespeita vereadores, servidores e tenta impor a Lei do cala boca à jornalistas

Digno da comparação com as típicas histórias de Cordel de comumente retratam o cotidiano do nordeste brasileiro onde impera a Lei dos mais forte tendo como personagens o temido “Coroné” que ordena a seus jagunços o uso da força para calar os seus desafetos, após o término da última sessão da Câmara de Rio Grande da Serra naquele endereço teve um final vergonhoso. Conforme os relatos, o acontecido já era previsto! Disputa por espaço, visibilidade política, insatisfação e prepotência foram o combustível. A centelha do pavil (curto) foi o empresário Ricardo Darci, aliado de Clauricio Bento, figura conhecida nas redes sociais e reuniões e defensor apaixonado do Secretário de Administração da cidade. Segundo os relatos colhidos, Clauricio Bento já havia sido alertado sobre o comportamento agressivo de seu assessor informal e que lhe foi pedido para que não levasse Ricardo a Câmara porque o mesmo andava fazendo ataques ofensivos e ameaças de agressão física.

O que se viu ao final da sessão foi destempero e desequilíbrio! Ricardo Darci, constrangendo a todos os presentes foi acompanhados em plena baixaria aos gritos com um munícipe e com o vereador Akira. Tudo poderia ter sido evitado caso o assessor informal do secretário não tivesse recebido o apoio moral e a sensação de acolhida política.

Outra razão pelo chilique que Ricardo Darci era sobre supostas matérias jornalisticas que supostamente são desfavoráveis ao seu aliado político, Clauricio Bento. Marcelo Darci, segundo o relato de um jornalista havia o ameaçado de agressão nessa sessão e a esta reportagem disse que a impressa é bosta e que este jornalista com 20 anos de experiência comprovada não é nada!

Abaixo uma charge que sintetiza a cumplicidade irresponsável entre os aliados “Clauricio Darci x Ricardo Bento”

Motoqueiro morre após acidente no Jardim Caçula

No início da tarde deste sábado (30), um motociclista veio a óbito em acidente fatal na Rua Fagundes Varela. Segundo informações, o condutor da moto tentou uma ultrapassagem quando perdeu o controle e equilíbrio de sua moto de cor branca vindo a cair embaixo do ônibus que passou com as suas rodas traseiras sob sua cabeça da vítima.

Acionados, compareceram ao local equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e do Trânsito Municipal onde o local passa por interdição parcial do fluxo viário.

Câmara aprova projeto que facilita pedido de divórcio de vítima de violência doméstica

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nessa quarta-feira (27) proposta que garante à vítima de violência doméstica e familiar assistência judiciária para o pedido de divórcio. A matéria será enviada ao Senado.

O texto aprovado é um substitutivo da deputada Erika Kokay (PT-DF) ao Projeto de Lei 510/19, do deputado Luiz Lima (PSL-RJ). O texto determina que caberá ao juiz assegurar à mulher vítima de violência o encaminhamento para a assistência se ela desejar pedir o divórcio ou dissolução da união estável.

O texto também prevê que caberá à delegacia na qual ocorrer o atendimento da mulher informá-la sobre esse serviço disponível. “O projeto é simbólico em um momento de tanta polarização na política nacional, pois prova que esta Casa pode ter convergência”, ressaltou Lima, agradecendo à relatoria de Erika Kokay.

Mesmo juizado

O substitutivo dá a opção à mulher de propor a ação de divórcio ou de dissolução de união estável no próprio juizado específico de violência doméstica e familiar contra a mulher.

Caso a situação de violência doméstica e familiar contra a mulher tenha se iniciado após o ajuizamento da ação de divórcio ou de dissolução de união estável, esta ação terá preferência no juízo onde estiver.

Prioridade de tramitação

De igual forma, o texto muda o Código de Processo Civil (Lei 13.105/15) para garantir prioridade de tramitação, em qualquer juízo ou tribunal, aos procedimentos judiciais em que figure como parte a vítima de violência doméstica e familiar nos termos da Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06).

Para a relatora, o juizado especializado possui atendimento mais humanizado para situações que também são comuns a muitas ações de divórcio. “Assim, os fatos serão conexos, sendo interessante e também eficiente que o mesmo magistrado já possa determinar o divórcio”, afirmou.

Exclusivo: Carro cai no Rio em Frente a Delegacia de Ribeirão Pires

 

Um veículo Fiat Toro caiu no Rio Ribeirão por volta das 22:30 horas desta quinta-feira. Segundo as informações o veículo que trafegava na avenida Prefeito Valdírio Prisco quando chegava próximo a Delegacia da cidade foi fechado por um ônibus não chegando a colidir mas perdendo o controle do veículo acabou caído no rio.

O casal que estava a bordo com uma criança foi socorrido por populares e não sofreu ferimentos.

O condutor do veículo é um conhecido comerciante de Ribeirão Pires. Pelas imagem nota-se o forte impacto que deixou a frente do veículo destruído.

Ribeirão Pires investe na Segurança Pública e mantém queda dos índices de criminalidade

Dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de Paulo indicam queda nos índices criminais de furto e roubo – geral e de veículos, no primeiro bimestre de 2019, no comparativo com os dois primeiros meses de 2016. No período, houve redução de 44,18% nos registros de roubo de veículos; de 10,52% no índice de furto de veículos; e de 39,71% em casos de furto geral.

Ribeirão Pires foi o único município na região do Grande ABC que registrou queda de 100% nos registros de homicídio, no primeiro bimestre deste ano, em comparação ao mesmo período do ano anterior. Não foram registrados casos de homicídio nesses dois primeiros meses de 2019.

Novos equipamentos – No mês de aniversário da Estância – celebrado no dia 19 de março – a Prefeitura promoveu a entrega de diversas melhorias no setor de segurança pública.

Na última quarta-feira, dia 27, foi entregue a nova Central de Videomonitoramento, instalada na sede da Secretaria de Segurança Urbana, localizada na Avenida Kaethe Richers – Portal de entrada da cidade.

O local conta, agora, com a integração das forças policiais no acompanhamento das imagens. A Central terá o trabalho integrado da Guarda Civil Municipal, das polícias Civil e Militar, além de efetivo da Secretaria de Transportes e Trânsito do município.

No início do mês de março, a Guarda Civil Municipal recebeu dois novos veículos, modelo Hilux, equipados para uso da ROMU, unidade de policiamento de choque da corporação. A Prefeitura investiu R$ 470 mil para a aquisição e adaptações das novas viaturas.

Além de novos equipamentos, Ribeirão Pires ganhou nova Base da Guarda Civil Municipal – 24 horas, no calçadão entre o Terminal Rodoviário, Estação da CPTM e Atende Fácil.

“Sabemos que a segurança é uma preocupação de toda a comunidade e temos capacitado, estruturado e investido no setor para melhorar a qualidade do serviço, além de promover integrações com as GCMs e polícias de toda a região, aumentando a segurança e diminuindo os índices de criminalidade”, afirma o secretário de Segurança Urbana do município, coronel José Luis Martins Navarro.

Ribeirão Pires lança fluxo de atendimento às mulheres vítimas de violência

A Prefeitura da Estância Turística de Ribeirão Pires promoveu nessa terça-feira, dia 19, cerimônia de lançamento do Fluxo de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência, na Câmara Municipal. Cerca de 100 pessoas acompanharam a solenidade.

O novo Fluxo atende ao Plano de Governo da atual gestão, seguindo princípios da Agenda 2030 da ONU, atendendo também à demanda do Conselho Municipal de Defesa do Direito das Mulheres e do Coletivo Mulheres na Trincheira.

“Com o novo fluxo de atendimentos humanizado, reforçamos nosso compromisso com a igualdade de gênero, mais um dos itens da Agenda 2030 que estamos cumprindo. As informações sobre esses atendimentos serão inseridas em sistema do Ministério da Saúde, contribuindo nas proposições e aperfeiçoamento permanente das políticas públicas voltadas às mulheres. Agradecemos a todos os profissionais e pessoas engajadas nessa importante causa”, declarou o prefeito de Ribeirão Pires, Adler Teixeira – Kiko, que participou do lançamento.

A proposta da ação é integrar e mobilizar serviços já existentes no município, buscando a humanização do atendimento às moradoras, além de diagnosticar a situação no município e promover políticas públicas eficazes no combate a esse tipo de violência.

Os serviços de saúde, educação, assistência social, segurança, além do atendimento ao trabalhador (PAT) e o Conselho Tutelar foram identificados como principais portas de entrada das demandas, sendo possível identificar diversos tipos de violência – física, psicológica, patrimonial, emocional e sexual.

“O enfrentamento da violência contra a mulher é um compromisso de toda a sociedade. Se somarmos forças teremos uma cidade mais segura para todos nós”, afirmou Thaís Nunes, presidente do Conselho dos Direitos das Mulheres.

“Essa integração dos serviços também inclui a tabulação de dados pelo Sinan, que serão enviados ao Ministério da Saúde para mapear a situação na Estância, facilitando a execução de políticas públicas mais eficazes”, explicou Isabela Hornos, integrante da Secretaria de Assistência Social e Cidadania, responsável pela apresentação do Fluxo de Atendimento.

Também estiveram presentes no evento o vice-prefeito Gabriel Roncon; a primeira-dama Flávia Dotto; o presidente da Câmara Archeson Teixeira; a secretária de Participação e Inclusão Social, Elza Carlos; a secretária de Educação, Flávia Banwart; secretária de Assistência Social e Cidadania, Elza Iwasaki; a secretária de Saúde, Patrícia Freitas; a secretária de Assuntos Jurídicos, Liz Dotta; a secretária de Governo, Rosangela Vieira; Márcia Gomes, representando o Coletivo Mulheres na Trincheira; além de autoridades municipais e representantes da sociedade civil.

“Esse é um primeiro passo no enfrentamento da questão. O Poder Público tem que se empenhar para combater e promover a queda destes índices de violência. A participação de toda a sociedade é fundamental para que isso aconteça. A vida de uma mulher depende de todos nós”, declarou Márcia Gomes.

ATENDIMENTO
A referência de atendimento às mulheres vítimas de violência sexual no município é o Hospital e Maternidade São Lucas, localizado na Rua Renato Andreolli, 138 – Centro, com atendimento 24 horas. O local possui o recém-inaugurado serviço do Centro de Referência à Saúde da Mulher, entregue no dia 8 de março. Mesmo se as vítimas de violência sexual derem entrada por outras unidades da rede – como a GCM ou Assistência Social – o novo Fluxo de Atendimento garante que o atendimento prioritário a essas vítimas seja realizado pela Saúde.

Mulheres vítimas de violência física serão encaminhadas – e podem dar entrada diretamente – na UPA Santa Luzia, localizada na Estrada da Colônia, 2959 – Santa Luzia.

A Guarda Civil Municipal possui atendimento 24h a toda a população. Munícipes podem acionar o serviço de segurança pelos telefones 153 ou 4828-3204/4825-2318, ou comparecer à Rua João Domingues de Oliveira, 320 – Centro – Base Central, ou na Base 24h da GCM, localizada na área entre o Terminal Rodoviário, Estação da CPTM e Atende Fácil.

OUTROS SERVIÇOS
O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) é uma unidade pública da política de Assistência Social onde são atendidas famílias e pessoas que estão em situação de risco social ou tiveram seus direitos violados. Como unidade de referência, é formada por uma equipe técnica multidisciplinar e tem o intuito de estruturar uma rede efetiva de proteção especial, e para isso deve contar com o apoio do Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública, Conselhos Tutelares e outras Organizações de Defesa de Direitos. O CREAS está localizado na Rua Batista Lion, 108 – Centro, e o horário de atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 17h.

Kiko Teixeira participa de cerimônia de formatura de vigilantes patrimoniais

O prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSB), acompanhado por seu vice, Gabriel Roncon (PTB), da primeira Dama Flávia Doto e de secretários de governo participou na manhã desta sexta-feira (15) da cerimônia de formatura dos novos Vigilantes Patrimoniais da cidade. Os novos profissionais aprovados em concurso público participaram de curso de preparação para exercer as atividades de fiscalização e segurança de espaços públicos de Ribeirão Pires.

“Desde 2017, trabalhamos para fortalecer as ações da Secretaria de Segurança, por meio da valorização de nossos Guardas Civis Municipais e da modernização do setor. Somente nesse mês, entregamos novas viaturas à ROMU e nova base 24h da GCM na área central do comércio, ao lado do Terminal Rodoviário, da Estação de Trem e do Posto Atende Fácil. Esses investimentos e as ações integradas entre GCM e forças policiais do Estado estão garantindo a queda dos índices de criminalidade. Seguimos trabalhando por uma cidade mais segura para nossa gente”, disse o prefeito.

Pouco antes, Kiko participou de aula inaugural dos cursos de qualificação gratuitos do Fundo Social de Ribeirão Pires.

“Com grande alegria, recebemos moradores da cidade que estão em busca de conhecimento e novas oportunidades profissionais. Por meio do Fundo Social, foram abertas novas turmas em padaria artesanal; corte e costura – inicial e avançado; manicure e pedicure; informática; e construção civil – pedreiro e assentador de piso e azulejo. Mais de mil moradores se formaram nos cursos profissionalizantes de nossa cidade nos últimos dois anos. Seguimos trabalhando, com o apoio de parceiros, para melhorar a vida das pessoas, transformando desafios em novas chances de crescimento. A edificação dos seres humanos é, sem dúvida, o maior legado que podemos deixar a Ribeirão Pires. Damos as boas-vindas aos alunos e parabenizamos todos os monitores e profissionais do Fundo Social, em especial a minha esposa Flávia, pelo belíssimo trabalho”.

Quatro mortes por soterramento de terra em Ribeirão Pires é confirmado por Bombeiros

 

Foram confirmadas, na manhã desta segunda-feira (11), as mortes de quatro pessoas que tiveram seus corpos soterrados no fim da noite de domingo (10), na Rua Caiçara, bairro São Caetaninho, em Ribeirão Pires.

Devido a forte chuva, um forte deslizamento de terra atingiu a casa, que veio abaixo. Entre as vítimas fatais, estão três homens e uma mulher, todos da mesma família.

Socorridas, outras duas vítimas feridas foram encaminhadas pelo SAMU a hospitais da região.

Ainda, segundo informações, uma das vítimas, um homem de 21 anos, teria  realizado uma festa de aniversário poucas horas antes da tragédia.

Ribeirão Pires abre inscrições para Seminário de Defesa Pessoal da Mulher

Atividade, que integra os festejos de aniversário da cidade, acontecerá dia 9 de março

No próximo dia 9 de março, a partir das 10h, a Prefeitura da Estância Turística de Ribeirão Pires, por meio da Secretaria de Esportes, promove o Seminário de Defesa Pessoal da Mulher, no Centro Técnico de Treinamento (CTT) Vereador João Netto (localizado à Avenida Prefeito Valdírio Prisco, 193 – Centro).

O Seminário de Defesa Pessoal da Mulher contará com a participação das atletas de Jiu-Jitsu Geovanna Anjos e Carolina Barusso. Com vagas limitadas, as inscrições para o evento podem ser efetuadas pelo telefone 4823-7444 ou pelo e-mail sel@ribeiraopires.sp.gov.br (encaminhar nome completo, RG e telefone).

A atividade faz parte da programação de aniversário da cidade, que completa 65 anos de emancipação político-administrativa do município em 19 de março (dia do padroeiro da Estância – São José). Durante todo o mês, a Prefeitura promoverá diversas atividades gratuitas – culturais, esportivas, religiosas, bem como a entregas de melhorias para os moradores.

Silvino Castro solicita mais segurança para a avenida Humberto de Campos

O vereador Silvino Castro (PRB), encaminhou ao Executivo Municipal para que seja implantado na avenida Humberto de Campos medidas que ofereçam maior segurança para pedestres e motoristas.

“É urgente que se faça a manutenção nas placas de sinalização, faixas de travessia de pedestres e no canteiro localizado principalmente na altura do número 3.500 da avenida Humberto de Campos, Vila Bocaina”, disse o parlamentar.

Na justificativa da solicitação, Castro alega que o local apresenta elevados riscos onde graves acidentes já foram registrados.

O vereador ainda no documento questionou se “consta no cronograma os serviços de manutenção que estão sendo solicitados e em caso afirmativo, qual o início da execução dos serviços. Em casa negativo requer a urgente inclusão no cronograma para a garantia da segurança de transeuntes e motorista.

 

Agentes Penitenciários fazem apressões em cadeias do ABC

Diadema

Durante o dia 23/02, no Centro de Detenção Provisória de Diadema, quatro visitantes foram impedidas de entrar na unidade após terem sido flagradas com entorpecentes. Em três situações as mulheres levavam maconha escondida em suas roupas (na barra da calça ou no top). O quarto flagrante do dia apreendeu 40 comprimidos análogos ao ecstasy e uma folha de papel, supostamente sendo entorpecente análogo ao LSD. As substâncias estavam todas escondidas na roupa íntima (top) da mulher.

São Bernardo do Campo

No Centro de Detenção Provisória de São Bernardo do Campo, no domingo, 24/02, duas visitantes foram surpreendidas com ilícitos escondidos na genitália, observados através das imagens do escâner corporal. A companheira de um sentenciado da unidade levava em seu corpo um invólucro contendo substâncias característica à maconha, à cocaína, ao ecstasy e ao LSD. Já a irmã de um detento do CDP escondia um pacote com micro celular em sua genitália.

Mauá

Os agentes de segurança do Centro de Detenção Provisória de Mauá apreenderam dois invólucros de maconha com uma visitante da unidade, no último domingo, 24/02. O entorpecente estava escondido no cós do sutiã da mulher e foi visto através das imagens do escâner corporal.

Polícia Civil prende roubador de carga em Mauá

Na segunda-feira (25), policiais civis do 1º Distrito Policial de Mauá (Demacro) prenderam um homem em flagrante por roubo de carga, naquela municipalidade.

Os agentes diligenciaram até a Rua Topázio, em Mauá, após descobrirem que um caminhão havia sido roubado e que o motorista e seu ajudante haviam sido trancados no interior do baú, sob ameaça de arma de fogo.

A equipe daquela unidade recebeu informações privilegiadas sobre o paradeiro da carga roubada, uma comunidade conhecida como “Jardim Kennedy”.

Ao chegarem no local-alvo, os policiais deparam-se com um dos indiciados vigiando a carga que havia sido subtraída. Ele foi abordado e prontamente confessou o crime.

O veículo e a carga, avaliada em cerca de R$ 14 mil, foram apreendidos e restituídos à vitima.

As investigações prosseguem a fim de localizar e prender demais integrantes do grupo.

Parceria entre Polícia Civil e GCM de São Bernardo oferece registro de Boletim de Ocorrência

A Polícia Civil, em parceria com a Guarda Civil Municipal de São Bernardo do Campo, inaugurou na terça-feira (12),o novo serviço de registro de Boletim de Ocorrência Eletrônico, que passa a ser disponibilizado nos cinco postos avançados do Atende Bem (Centro, Rudge Ramos, Riacho Grande, Alvarenga e Assunção) e nas inspetorias da GCM localizadas nos bairros Taboão, Centro, Batistini, Assunção e na Praça Lauro Gomes. A cidade é a primeira do estado a oferecer o serviço em equipamentos municipais.O evento ocorreu na inspetoria da Guarda Civil (GCM) do município, e contou com a presença do prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, do secretário executivo da Polícia Civil, Youssef Abou Chahin, do delegado seccional de São Bernardo do Campo, Ronaldo Tossunian, do secretário de Segurança Urbana, Coronel Carlos Alberto dos Santos e demais autoridades.

A parceria tem o objetivo de colaborar com os distritos policiais, agilizando a prestação de serviço à população, que terá dez postos espalhados pela cidade oferecendo o atendimento.

Endereços para registro de ocorrência:

  • Inspetoria da GCM na Praça Lauro Gomes: Rua Marechal Deodoro, s/nº

  • Inspetoria da GCM no Centro: Rua Redenção, nº 100

  • Inspetoria da GCM no Taboão: Rua Dinamarca, 232

  • Inspetoria da GCM no Batistini: Estrada Galvão Bueno, 5142

  • Inspetoria da GCM no Assunção: Rua das Violetas, 94

  • Atende Bem Centro: Rua Nicolau Filizola, 100

  • Atende Bem Rudge Ramos: Rua Jacquey, 61

  • Atende Bem Alvarenga: Estrada dos Alvarenga, 5815

  • Atende Bem Riacho Grande: Avenida Araguaia, 265

  • Atende Bem Assunção: Av. João Firmino, 900

GCM de Ribeirão Pires prende ladrãozinho de merenda

A GCM de Ribeirão Pires prendeu na segunda-feira (11), um homem acusado de ter roubado diversos itens de merenda na Creche municipal Yoshihiko Narita.

Segundo informações, os guardas após receberem a informação realizaram rondas pelo bairro com o objetivo de prender o autor do crime.

O setor de inteligência da GCM apurou junto a moradores da região que o marginal estava oferecendo itens alimentícios semelhantes aos que haviam sido furtados.

Na continuidade do patrulhamento, na avenida prefeito Valdirio Prisco os Guardas abordou um suspeito onde para surpresa, o meliante já é conhecido da polícia tendo em 26 de setembro de 2018 já ter sido preso por ter furtado um botijão de gás da mesma unidade escolar. Clique aqui para ler a matéria publicada pelo Repórter ABC.

Com o sujeito detido para averiguação, o mesmo confessou aos guardas a autoria do crime.

Na escola, além de ter levado salsicha, frango e os produtos que seriam servidos a crianças como merenda escolar, o delinquente também praticou vandalismo quebrando vários objetos no refeitório da EMEI.

O indivíduo foi conduzido a Delegacia da cidade e apresentado ao delegado de plantão que o indiciou no ART. 155 parágrafo IV do CP (furto qualificado). O indiciado permanece a disposição da justiça.

“Para cada arma comprada, teremos um projeto social”, diz prefeito Maranhão

O prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (sem partido), durante a abertura dos trabalhos legislativos da Câmara municipal na última quarta-feira (06), em anúncio sobre a finalização da capacitação da Guarda Municipal e sobre a previsão do mês de maio tem início dos trabalhos na corporação nas ruas, disse que 38 pistolas calibre 380 estão sendo adquiridas e também coletes balísticos, mas que a cada arma comprada, 38 projetos sociais serão desenvolvidos na cidade.

“Quando falo em comprar 38 armas, eu olho com muita tristeza! Eu tenho certeza de que é mais prazeroso e mais eficiente quando tomamos medidas preventivas ao invés de corretivas. Eu já determinei a minha secretária de Educação e ao meu secretário de Esporte, que haverá 38 projetos para nossa juventude, para que possamos fazer de fato, esses jovens cidadãos, contribuindo para nossa sociedade”, disse Maranhão.

Em tempos de visão parcial sobre importantes questões, o incentivo ao “cuide da sua vida”, Maranhão destoa do senso comum a abraça o coletivismo como solução. Ainda que pareça poético tratar a violência com educação, o prefeito dá um “tiro certo” ao propor o fomento a educação, a cultura, ao esporte e a arte como saída. Entendo que a sociedade está doente e tomada pelo ódio e pelo medo. Mas se atitudes corajosas como essas não forem empreendidas, chegaremos fatalmente à barbárie! Chegaremos à coisificação das pessoas! Chegaremos a retirar todo o valor imensurável da vida! Certa vez um amigo, um advogado criminalista me disse que a pessoa pode ter ódio e raiva, mas o Estado não pode ter ódio, ele deve agir dentro da Lei. O Estado deve preservar vidas e punir todo aquele dentro do que está previsto em Lei. Oportunizar e garantir as pessoas a fazer leitura (em seu sentido mais amplo, seja na arte na cultura…) é agir como um ser humano! Vivemos em um mundo cada vez mais cinzento, triste e opressor. A arte, a cultura, o lazer e a educação são armas prazerosas transformadores! Basta que se de oportunidade! Meus parabéns prefeito pela ousadia e coragem! Luís Carlos Nunes

Diga não a violência contra as mulheres!

Mulheres vítimas de agressões anteriores têm 151 vezes mais chance de morrer por homicídio ou suicídio
Estatística faz parte de dados compilados, cruzados e analisados pelo Ministério da Saúde, que serão publicados em março

Apública

As mulheres brasileiras adultas que registraram episódios de violência nos serviços de saúde públicos têm chance 151,5 vezes maior de morrer por homicídio ou suicídio em comparação com a população feminina geral. Os homicídios e suicídios correspondem a 83% das mortes por causas externas em mulheres vítimas de agressões anteriores.

No caso de idosas e crianças que sofreram violência prévia, a mortalidade por causas violentas aumenta ainda mais: mulheres com mais de 60 anos têm chances 311,4 vezes maiores enquanto meninas com menos de 9 anos têm 256,1 vezes a mortalidade média de outras meninas na mesma faixa etária. Os dados foram compilados pelo Ministério da Saúde e serão publicados em março no livro Saúde Brasil 2018.

Considerando apenas as mulheres adultas, a taxa média anual de mortalidade por causas externas foi de 1.170 por 100 mil. Isso significa que, em média, uma em cada 100 mulheres adultas que deu entrada em hospitais ou postos de saúde públicos por conta de agressões morreu por ano no período.

A coordenadora do estudo, Maria de Fátima Marinho, diretora do Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde (DANTPS), acredita que uma análise de dados mais recentes deve revelar uma situação ainda mais grave. “Desde 2018 estamos identificando um aumento significativo da violência contra mulher, incluindo meninas menores de 10 anos e adolescentes”, explica. “A situação está preocupante, parece que a violência de gênero e agressão sexual contra mulheres e crianças estão liberadas.”

O ministério ainda não possui uma comparação entre notificações de violência e óbitos de mulheres para os anos de 2017 e 2018. No entanto, dados preliminares de 2017 mostram que, naquele ano, as notificações aumentaram 30% em relação a 2016.

O aumento foi maior entre crianças de até 9 anos e adolescentes entre 10 e 19 anos. Entre crianças as notificações cresceram 32% e entre adolescentes, 37%, na comparação de 2017 com o ano anterior. Já os atos praticados contra mulheres adultas e idosas subiram 28% e 29%, respectivamente.

Em média foram registradas 630 notificações de violência contra mulheres por dia no Sistema Único de Saúde (SUS) em 2017. As notificações englobam apenas violências intencionais praticadas por terceiros ou pela própria vítima, o que inclui tentativas de suicídio ou automutilação.

Como o Ministério da Saúde obteve os dados

Agressão contra mulher registrada no SUS nem sempre vira denúncia

O objetivo da análise do Ministério da Saúde era comparar a taxa média anual de óbito por causas externas entre mulheres com e sem notificação de violência nos serviços de saúde brasileiros. Para isso, foram usados dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), onde são registradas todas as declarações de óbito, e do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), utilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para notificar a condição de pacientes vítimas de violência de diversos tipos. O grupo de analistas fez um cruzamento desses dois sistemas para identificar as mulheres, em todas as faixas etárias, que tiveram notificação de violência prévia e foram a óbito por causas externas no período de 2011 a 2016.

Vale destacar que as notificações registradas no Sinan não pressupõem que a vítima fez denúncia da agressão às autoridades policiais. A notificação de violência é um registro feito por um médico ou funcionário da unidade de saúde no sistema e não corresponde a uma denúncia. Trata-se de um instrumento que também permite a apuração de dados confiáveis sobre as doenças e agravos registrados pelos serviços públicos.

A notificação no Sinan é obrigatória em todos os casos em que há suspeita ou confirmação de violência doméstica ou intrafamiliar, sexual, autoprovocada, tráfico de pessoas, trabalho escravo, trabalho infantil, tortura, intervenção legal e violências homofóbicas praticadas contra mulheres e homens em todas as faixas etárias. No caso de violência extrafamiliar e comunitária, ou seja, aquela que ocorre fora do ambiente doméstico, apenas as praticadas contra crianças, adolescentes, mulheres, pessoas idosas, pessoa com deficiência, indígenas e população LGBT são de notificação compulsória.

De acordo com as diretrizes do ministério, as unidades de atendimento de saúde não são obrigadas a encaminhar os pacientes alvo de notificações aos serviços de atenção psicossocial ou orientação para a vítima procurar a Delegacia de Mulheres de sua região.

O encaminhamento do caso ao Conselho Tutelar ou Ministério Público é obrigatório quando a violência é praticada contra crianças e adolescentes; no caso de agressões contra pessoas idosas, o encaminhamento ao Conselho Municipal do Idoso ou Ministério Público também é compulsório. Em agressões contra pessoas com deficiência, a lei determina que sejam comunicados o Conselho dos Direitos das Pessoas Deficientes e o Ministério Público e que a autoridade policial local seja acionada.

Já no caso de mulheres adultas que estejam vivenciando situações de violência e que não sejam nem idosas nem deficientes, as equipes de saúde são orientadas a informar sobre a existência de serviços da rede de proteção social e sobre a importância da denúncia, mas não devem encaminhar o caso sem autorização explícita.

Óbitos poderiam ser evitados com medidas contra a violência de gênero

Como o número de mulheres que segue as orientações e formaliza a denúncia é muito inferior à quantidade de ocorrências, os dados das polícias resultam subnotificados. Assim, os números das notificações nos serviços de saúde são mais utilizados por pesquisadores para analisar o cenário de violência contra a mulher no Brasil. O número real de mulheres vítimas de agressão que depois morreram por causas violentas pode ser ainda maior já que as estatísticas do Sinan excluem as vítimas que não se dirigem aos serviços de saúde e também as que procuram atendimento médico na rede particular.

O Ministério da Saúde utiliza dados identificados, ou seja, que permitem ao pesquisador verificar o nome e outras informações pessoais das vítimas. Isso possibilita que sejam feitos cruzamentos de informações inéditas. Para preservar a privacidade das pacientes, esses dados não são fornecidos a outras entidades de pesquisa. Assim, somente o próprio ministério pode fazer comparações como essa – cruzando os dados de mulheres vítimas de agressões com os de mulheres que foram a óbito.

Os resultados obtidos nessa análise mostram que a notificação no setor de saúde deve ser entendida como um sinal de alerta para a ocorrência de óbitos que podem ser evitados. Uma das conclusões da análise é que são necessárias medidas e políticas públicas mais eficazes. “O enfrentamento da violência contra as mulheres impõe o fortalecimento de estratégias de vigilância, acolhimento e atenção pelos serviços de saúde, articuladas intersetorialmente dentro da rede de proteção e responsabilização”, atesta o documento do Ministério da Saúde.

Para Maria Fernanda Terra, professora de saúde coletiva na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, o relatório demonstra que é necessário repensar o que é feito a partir das notificações de violência. “Trata-se de um dado importante porque ele ajuda as instituições a elaborar políticas públicas e identificar os problemas. Mas o que está sendo feito com esse dado? Como ele está sendo usado? Qual o processo de cuidado que está sendo oferecido a essas mulheres nas unidades de saúde?”, questiona Maria Fernanda. “As mulheres muitas vezes ainda não sabem que a unidade de saúde também é um local em que elas podem pedir ajuda.”

Segundo a professora da Santa Casa, os dados do Ministério da Saúde comprovam que a violência de gênero precisa ser combatida com ações multissetoriais. A raiz do problema está na desigualdade entre homens e mulheres, que, para a pesquisadora, precisa ser questionada não apenas com políticas de saúde pública, mas também no âmbito educacional e pelas autoridades policiais. “A gente vive em uma sociedade que culpa as mulheres por viver uma situação de violência. As mulheres, de todas as faixas etárias, são mais desacreditadas”, explica.

Violência parte de pessoas conhecidas e acontece no ambiente doméstico

O estudo do Ministério da Saúde traz ainda detalhes sobre as agressões sofridas pelas mulheres que depois faleceram por causas externas. As informações são extraídas das fichas de notificação do Sinan, preenchidas pelos médicos que atenderam essas pacientes após o episódio de violência. A agressão física prevaleceu em todas as faixas etárias, com 62% do total. Já a negligência foi mais comum entre crianças (32% dos casos) e idosas (16% dos casos). A residência das vítimas foi o principal local de ocorrência da violência para todas as idades e corresponde a 71% dos registros.

Dentre os meios de agressão mais utilizados destacou-se a força corporal, presente em 19% das ocorrências, seguida pelo uso da arma de fogo, relatado em 16% dos casos. A arma de fogo foi mais utilizada contra mulheres mais novas, usada contra 21% das jovens (de 20 a 29 anos) e 25% das adolescentes (de 10 a 19 anos). O enforcamento (sufocação), terceiro meio de agressão mais comum, prevaleceu entre as mulheres idosas: 20% das mulheres com mais de 60 anos foram vítimas desse tipo de ataque.

As características dos prováveis agressores mostram ainda que 45% de todas as violências foram praticadas por pessoas conhecidas, entre familiares, parceiros íntimos ou amigos. Apenas 11% das agressões contra mulheres que depois morreram por causas violentas foram perpetradas por desconhecidos.

Idosas, crianças e habitantes de cidades pequenas são grupos vulneráveis

Em 39% dos casos a agressão partiu da própria vítima, ou seja, foi autoprovocada. A proporção é ainda maior entre mulheres adultas e idosas: corresponde a 47% dos casos na faixa entre 30 e 59 anos e 49% no grupo com mais de 60 anos. Para os pesquisadores, essa característica revela maior vulnerabilidade das mulheres desse grupo. Esse registro, no entanto, pode esconder agressões feitas por terceiros que são relatadas aos médicos como autoprovocadas.

“É muito difícil para o profissional de saúde determinar exatamente a origem da violência. Muitas mulheres podem falar em lesão autoprovocada quando ela foi feita por uma pessoa próxima e querida”, explica Maria Fernanda Terra. “Nesses casos, por conta da vergonha, é mais difícil para a vítima falar quem foi o responsável, então ela se culpabiliza pela própria violência por conta do medo e da proximidade.”

Segundo os autores do estudo, automutilações ou ferimentos decorrentes de tentativa de suicídio também podem ser consequência de exposição anterior à situações de violência, especialmente a sexual. “Cabe destacar que a violência crônica tem sido considerada um fator de risco para lesão autoprovocada, que por sua vez é considerada fator de risco para suicídio. Esses eventos também podem ser consequência da exposição a situações de violências, especialmente a sexual”, atesta o relatório. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), pesquisas recentes feitas na América Latina e Caribe constataram que um grande percentual de mulheres vítimas do parceiro íntimo foi diagnosticado com ansiedade ou depressão e teve maior probabilidade de cogitar ou tentar suicídio.

No caso das crianças, 73% dos agressores eram pessoas que pertencem ao círculo familiar. O dado preocupa porque em muitos casos os próprios agressores são as pessoas responsáveis pelo cuidado e proteção das crianças. Entre 2011 e 2016, 295 crianças morreram por causas violentas depois de já terem passado por unidades de saúde por conta de episódios de agressão ou negligência. Essa situação dificulta a visibilidade do problema, o acesso aos serviços de saúde e, principalmente, o fim das agressões.

“Crianças são sempre o grupo mais vulnerável porque elas muitas vezes não têm a percepção clara do que é certo e errado”, explica Maria Fernanda. “Vivemos em uma sociedade que desacredita a criança, então a tendência é ela esconder e sofrer com aquilo.”

A raça e a escolaridade das vítimas também são características que apontam para a existência de outros grupos de maior vulnerabilidade. Mais de 50% das adolescentes e jovens com notificação prévia de violência e óbito por causas externas eram mulheres negras ou pardas. O relatório destaca que nesse grupo pode haver um acúmulo de desigualdades relacionadas à estrutura socioeconômica, que limita o acesso a condições de proteção social adequadas. Com relação à escolaridade, 38% de todas as mulheres vítimas de violência e que morreram por causas externas possuem apenas o ensino fundamental completo.

Outro indicador de vulnerabilidade verificado na pesquisa foi o tamanho do município da vítima. Mais de um terço dos municípios de residência das mulheres adolescentes, jovens, adultas e idosas que sofreram violência possuía até 50 mil habitantes. “Nos municípios menores é provável que o medo, a vergonha e a falta de serviços de atendimento adequados façam com que o risco da mulher seja muito maior”, avalia Maria Fernanda.

Segundo ela, em municípios maiores, a mulher pode optar por procurar ajuda longe de sua residência e escapar dos olhares de conhecidos ou familiares, o que a faz sentir-se menos fragilizada. “Esses marcadores, somados a uma rede fragilizada de apoio à mulher, aumentam a vulnerabilidade das habitantes dessas cidades”, explica a pesquisadora.

Porcentagem de mortes de mulheres por população dos municípios

Registros cresceram proporcionalmente mais entre crianças e adolescentes em 2017
Além dos dados que cruzam os registros de violência e os óbitos de mulheres, o Ministério da Saúde compila todas as notificações de violência contra a mulher registradas pelo Sinan. Os dados preliminares de 2017 mostram que a quantidade de registros cresceu 30% em relação a 2016, com incremento maior entre crianças e adolescentes. Foram mais de 230 mil notificações no Sinan apenas em 2017, o que equivale a mais de 630 casos por dia.

Crescimento de notificações de violência contra mulheres

“A tendência da curva muda em 2017, quando o aumento em relação ao ano anterior fica mais acentuado”, destaca Maria de Fátima Marinho, responsável pelo DANTPS no Ministério da Saúde. “O dado de 2018 deve confirmar essa mudança de patamar.”

O perfil das agressões registradas em 2017 é muito similar ao das agressões perpetradas entre 2011 e 2016 contra mulheres que depois morreram por causas violentas. A maior parte (63%) também ocorreu no ambiente doméstico e o principal meio utilizado também foi a força corporal, registrada em 47% dos casos.

Leia mais

Preso autor de feminicídio em Santo André em março de 2018

Rosângela foi assassinada pelo ex-marido com quatro tiros

Através da cooperação da Polícia Civil do Estado de São Paulo, a Polícia Civil de Sergipe prendeu, nessa segunda-feira (4), um homem acusado de feminicídio.

O crime ocorreu em março de 2018, em Santo André.  O suspeito, ex-marido da auxiliar de produção, Rosângela Dias Machado de 41 anos, foi surpreendido pelo filho de 15 anos no momento em que  efetuava disparos de arma de fogo contra a mulher, defronte a casa da família.

Na ocasião, a mulher chegava em sua casa na Rua Belo Horizonte, no bairro Jardim Las Vegas, em Santo André, no ABC Paulista quando o seu ex-marido teria chegado de moto na casa da vítima, arrastado-a para fora da residência, disparado quatro tiros e fugido. Ela foi atingida na região das costas e da cabeça, não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

O filho que presenciou a cena contou à polícia que viu pelas câmeras de segurança o momento em que o pai chegou na casa e arrastou a mãe para a rua, onde teria assassinado-a.

O menino também contou que os pais ficaram juntos por 20 anos, mas que já estavam separados há seis meses. Por causa da violência e da embriaguez do marido, Rosângela se separou dele.

Agentes da Delegacia de Defesa da Mulher de Santo André (Demacro) foram encaminhados para o Estado de Sergipe, a fim de acompanhar a transferência do preso à São Paulo.

O corpo de Rosângela Dias Machado, foi sepultado na manhã de 28 de março no Cemitério do Bairro Baeta Neves em São Bernardo do Campo.

O caso foi registrado como feminicídio e homicído qualificado na 1º DP de Santo André e posteriormente foi encaminhado para a 3º DP que acompanhou as investigações.

Mulheres são covardemente assassinadas no ABC Paulista neste domingo (3)

Duas mulheres que atuam na área da saúde foram covardemente assassinadas neste domingo por seu companheiros de convívio.

Em um dos casos, a médica veterinária Paula Patrícia de Melo de 38 anos foi encontrada com ferimentos de arma branca na cidade de São Caetano do Sul. Segundo informações da GCM. Patrícia foi encontrada com seu namorado Givanilson Valdemir dos Santos de 26 dentro de um veículo Jeep Renegade.

A vítima, ainda em estado de consciência foi socorrida ao Hospital Euryclides Zerbini para cirurgia mas não resistiu vindo a óbito. Ao guarda, Givanilson a princípio disse que o casal havia sido vítima de tentativa de roubo, mas, posteriormente, confessou que esfaqueou a vítima após uma briga. O caso foi registrado como feminicídio.

No segundo caso, em Mauá, a médica cubana Laidys Sosa Ulloa Gonçalves, de 37 anos, foi morta com golpes de chave de fenda pelo seu marido, Dailton Gonçalves Ferreira, de 45 anos.

Dailton  enterrou o corpo em uma mata perto da Estrada dos Fernandes, em Ribeirão Pires

O motivo do crime teria sido uma discussão entre o casal. Parentes da vítima denunciaram o caso a Polícia Militar e Dailton foi preso em fuga na Estrada dos Fernandes em Ribeirão Pires e dentro do seu carro havia manchas de sangue. Dailton Gonçalves Ferreira foi levado ao 1º DP (Distrito Policial) de Mauá, onde foi indiciado por homicídio qualificado, com agravantes de feminicídio e ocultação de cadáver.

Uniforme da GCM de Rio Grande é autorizado pelo Exército Brasileiro

O Secretário de Segurança, Trânsito e Defesa Civil, Tenente Coronel Fausto e o Prefeito Maranhão exibem o documento expedido pelo Exército Brasileiro

O prefeito de Rio Grande da Serra recebeu na última sexta-feira (1º), o reconhecimento do cumprimento de normas e padrão por do Exército Brasileiro sobre o modelo de uniforme que será utilizado pela Guarda Municipal. O documento denominado” Alvará de Não Semelhança de Uniforme”, regulamenta e autoriza a utilização dos uniformes da GCM – Guarda Municipal de Rio Grande da Serra.

Segundo o prefeito, “As Forças Armadas nacionais e a Polícia Militar exigem que as guardas municipais utilizem uniformes que não contenham semelhanças com as peças de seu fardamento oficial, que são de uso exclusivo. Entre os critérios avaliados nas vestimentas estão as formas, as cores e insígnias de posto/graduação ou distintivo. Porém, a Prefeitura ainda aguarda as aprovações dos uniformes da GCM e as emissões dos alvarás pela Marinha, Aeronáutica e a Polícia Militar do Estado de São Paulo”, disse Gabriel Maranhão.

“Para conseguir a aprovação e consequentemente o alvará, são enviadas aos órgãos competentes algumas amostras do uniforme, como pedaços do tecido e fotos, por exemplo, além de documentação que contenha todo o detalhamento técnico das peças que serão avaliadas rigorosamente”, concluiu.

Estelionatária é presa em São Caetano nesta segunda-feira (28)

Uma mulher, de 36 anos, foi presa pela Polícia Civil, por crime de estelionato e uso de documentos falsos em São Caetano. O flagrante foi feito em uma empresa no bairro Vila Santa Paula.

Policiais já investigavam casos semelhantes, quando receberam uma denúncia de uma agência de entregas. No local, os agentes abordaram a suspeita, que estava prestes a retirar uma mercadoria no nome de uma de suas vítimas.

“Questionada a envolvida se apresentou com outro nome e na sequência confessou que realizava compras com um cartão bancário falsificado por ela”, informou a Polícia Civil, em nota.

Foram apreendidos três Carteira Nacional de Habilitação (CNH), dois certificados de registro e licenciamento de veículo, um celular, além de outros documentos e R$ 1,2 mil. Um carro, modelo Hyundai, que era utilizado pela estelionatária, também foi apreendido.

Casal é preso após ‘sequestro relâmpago’ de um motorista de 67 anos em Diadema

Policiais civis do 4º Distrito Policial de Diadema (DEMACRO) prenderam um casal suspeito de praticar um “sequestro relâmpago”, no último dia 9, no bairro do Eldorado.
A vítima, um motorista de táxi de 67 anos, estava em seu ponto quando foi solicitado para fazer uma corrida para um casal.
Após alguns minutos do início da corrida, o casal anunciou o roubo, obrigando o motorista a lhes entregar o cartão bancário e a respectiva senha. O homem se dirigiu a um caixa eletrônico para realizar saques, enquanto a mulher permaneceu no veículo vigiando o motorista. Num momento de descuido, a vítima conseguiu sair do táxi e se refugiou em um comércio.
A vítima contou que conseguiu reconhecer a mulher em razão desta ser uma pessoa conhecida por todos no bairro, pois inclusive já havia prestado serviços à sua avó. Além disso, também conseguiu reconhecer o homem pois ele já o havia roubado há cerca de três meses.
Com as informações, os policiais procederam à investigação, requisitando a prisão preventiva de ambos, que foi cumprida nesta data (24).

Traficante autor de duplo homicídio é preso em Rio Grande da Serra

Na tarde de quinta-feira (24), policiais civis da Delegacia de Polícia de Mauá prenderam o autor de um duplo homicídio, em Rio Grande da Serra.

O crime, que vitimou um casal, ocorreu no último dia 14 de setembro. Investigações revelaram que o motivo do atentado foi a disputa por um ponto de tráfico de drogas na região, entre uma das vítimas e o suspeito.

A prisão ocorreu durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão expedido pela Vara do Júri de Mauá. Na residência do suspeito, os policiais encontraram 766 papelotes de cocaína, 627 eppendorfs da mesma droga, 855 pedras de crack, 644 trouxinhas de maconha, 694 frascos de lança-perfume, quatro aparelhos de celular e anotações relacionadas ao tráfico.

O homem, de 23 anos, foi preso em flagrante e responderá também por tráfico de drogas.