Category Archives: Política

Cemitério São José está pronto para visitações de finados

  

Para melhor receber as pessoas que vão prestar suas homenagens no próximo Dia de Finados, 02 de novembro, a Prefeitura de Ribeirão Pires, intensificou a limpeza no cemitério São José.

Diversas frentes de trabalho, sob a coordenação da unidade pública, Marquinhos Vilela, estão já foram realizadas onde equipes foram divididas para a realização roçagem, capinação e pinturas nos muros e na capela.

Em conversa com Vilela, o mesmo disse que já faz parte do planejamento municipal fazer limpeza periódica no cemitério.

“Nosso objetivo é fazer com que os visitantes, parentes e amigos das pessoas falecidas e sepultadas em nosso cemitério encontrem um ambiente limpo e agradável durante todo o ano”, argumentou.

Atualmente, o cemitério São José possui aproximadamente 59.000 sepulturas e mede 150.000 mil metros quadrados e a expectativa da prefeitura municipal é de que cerca de 25 mil pessoas devem visitar a necrópole para prestar respeito aos entes queridos durante o fim de semana.

“Este ano reformamos os sanitários e realizamos adaptação para acessibilidade para cadeirantes. Também no cemitério foram instalados mais 17 refletores e 16 câmeras de monitoramento que já estão em funcionamento para oferecer maior segurança. Agradeço todo o apoio que foi dado pela secretaria de Infraestrutura na pessoa do secretário Diogo Manera. O mesmo não mediu esforços e enviou pessoal competente e comprometido para a plena execução das tarefas”, concluiu Marquinhos Vilela.

Durante toda a sexta-feira (02), haverá a já tradicional programação religiosa, confira abaixo:

Programação de missas – Dia de Finados (2 de novembro)

8h – Missa Padre Everton (Paróquia Santa Luzia)

10h – Missa Padre José Silva (Paróquia Sant’Anna)

12h – Missa Padre Odelardo (Paróquia Nossa Senhora de Fátima)

14h – Missa Padre Jefferson (Paróquia São Judas)

16h – Missa Padre Nivaldo (Paróquia São José)

Bolsonaro convidará Sérgio Moro para o Ministério da Justiça

Na primeira entrevista que concedeu à imprensa depois de eleito presidente, Jair Bolsonaro (PSL) demonstrou desejo de ter o juiz Sérgio Moro integrando a sua equipe de governo, no comando do Ministério da Justiça.

“Pretendo sim (convidar Sergio Moro), não só para o Supremo, quem sabe até chamá-lo para o Ministério da Justiça. Pretendo conversar com ele, saber se há interesse dele nesse sentido também”, afirmou Bolsonaro à TV Record.

Sérgio Moro desejou ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) ‘que faça um bom governo’. Após o fim da apuração, Moro declarou  que ‘encerradas as eleições, cabe congratular o presidente eleito’. Ele pede reformas ‘com diálogo e tolerância’: “são importantes, com diálogo e tolerância, reformas para recuperar a economia e a integridade da Administração Pública”. Moro é apontado como virtual ministro da Justiça e, posteriormente, do STF.

Bolsonaro detona Imprensa no Jornal Nacional e volta a falar em Kit Gay

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) atacou a Folha de S. Paulo nesta segunda-feira, 29, em entrevista ao Jornal Nacional. Bolsonaro disse que a Folha “não tem prestígio nenhum” e que “só espalha fake news”. Bolsonaro disse também que a Folha não terá verba de publicidade do governo federal a partir do próximo ano.

Em um furo de reportagem da jornalista Patricia Campos Mello, a Folha denunciou o esquema de disseminação em massa de fake news contra Fernando Haddad (PT), pelo Whatsapp, financiada por empresas apoiadoras da campanha de Bolsonaro.

Apesar de criticar a Folha de fabricar “fake news”, Bolsonaro voltou a falar sobre o Kit gay, uma das fake news mais disseminadas contra Haddad na campanha.

“Notável o esforço de Bonner e Renata em tentar ‘normalizar’ Bolsonaro. Deram-lhe todas as chances. Ele dispensou algumas: insistiu com a fake news do kit gay e ameaçou a Folha de S. Paulo”, disse o jornalista Ricardo Noblat sobre a entrevista.

Bolsonaro teve 39% dos votos. Haddad 32%. Nulos, brancos e abstenções somaram 29%

O deputado federal e capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL-RJ) recebeu neste domingo (28) o aval dos eleitores para tomar posse, em 1º de janeiro, como o 38º presidente do país.

Com 100% da apuração concluída, Bolsonaro somou 57,8 milhões de votos, contra 47 milhões do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT). Em termos de votos válidos, os percentuais de cada um são 55% e 45%.

Levando em conta os votos totais, no entanto, os números indicam que Jair Bolsonaro teve o voto de menos de 40% dos 147,3 milhões de eleitores aptos. Mais de 21% se abstiveram de votar. Votos nulos e brancos somaram, respectivamente, 5,8% e 1,7%.

Veja os números exatos:

Resultado final da eleição

Bolsonaro: 57.797.466 (39,3%)
Haddad: 47.040.859 (31,9%)
Abstenções: 31.373.290 (21,3%)
Nulos: 8.608.088 (5,8%)
Brancos: 2.486.591 (1,7%)
Apesar disso, Bolsonaro superou amplamente o adversário. Venceu em quatro das cinco regiões do país. Em termos proporcionais, sua maior vantagem foi registrada no Sul e no Centro-Oeste, onde teve 68% e 67% dos votos válidos. Haddad ganhou somente nos nove estados do Nordeste, no Pará e em Tocantins. No Nordeste, única região em que venceu, Haddad ampliou a vitória obtida no primeiro turno e chegou a 70% dos votos válidos, com vantagem de 40 pontos sobre o adversário. Enquanto Bolsonaro superou o petista com folga nas grandes cidades, o ex-ministro da Educação saiu-se melhor nos pequenos municípios. Foi o mais votado em 2.810 cidades, ante 2.760 de Bolsonaro.

Presidente eleito, Bolsonaro leu discurso em que assumiu o compromisso de cumprir a Constituição Federal e diminuir o tamanho do Estado. “O governo dará um passo atrás, reduzindo sua estrutura e a burocracia, cortando desperdícios e privilégios para que as pessoas possam dar muitos passos à frente”, anunciou (veja abaixo a íntegra do discurso em vídeo e texto).

Naquela que foi certamente a mais acirrada e violenta campanha presidencial realizada no Brasil desde a Constituição Federal de 1988, Jair Bolsonaro alcançou a vitória com o apoio de setores bastante heterogêneos da sociedade. Entre eles, o agronegócio, a maior parte das igrejas evangélicas, o mercado financeiro, movimentos contra a corrupção e integrantes das Forças Armadas e das polícias civil, federal e militar.

Juramento a Deus

“Fizemos uma campanha como deveria ser feita”, disse Bolsonaro na noite deste domingo (28), pouco depois de confirmada a sua vitória. Sentado diante de uma mesa com vários livros e ladeado pela terceira esposa, Michele, e por uma tradutora de Libras, ele levantou uma obra do inglês Winston Churchill para afirmar que vai se inspirar no “exemplo dos estadistas”.

Disse que foi buscar na Bíblia os “fundamentos” de sua pregação eleitoral, que têm na “verdade” o seu eixo central. Também criticou o “extremismo da esquerda”. Ainda na mesa, um exemplar da Constituição Federal e uma obra do filósofo Olavo de Carvalho, filósofo de extrema-direita conhecido pela virulência com que investe contra os que pensam diferente dele.

Em seguida, enquanto uma multidão comemorava o resultado da eleição presidencial em frente à sua residência na Barra da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), Jair Bolsonaro, a família e vários políticos fizeram uma oração de agradecimento a Deus pela graça alcançada. O senador Magno Malta (PR-ES), derrotado no último dia 7 na tentativa de se reeleger, foi encarregado de fazer a oração.

Brasília-DF 28 10 2018 os eleitores do candidato eleito à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), concentram a comemoração pela vitória na Esplanada dos Ministérios.Fabio Rodrigues Pozzebom/Ag. Brasil

Somente depois disso, leu o discurso oficial de celebração da vitória, iniciado por um famoso ensinamento bíblico (“conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”). Agradeceu as orações contra a “ameaça de seguirmos por um caminho que não é o que os brasileiros desejam e merecem”. Prometeu defender a Constituição, a democracia e a liberdade. E acrescentou: Isso é uma promessa não de um partido,  não é a palavra de homem, é um juramento a Deus”.

Para Bolsonaro, “o que ocorreu hoje nas urnas não foi a vitória de um partido, mas a celebração de um país pela liberdade”. Além de prometer diminui o Estado brasileiro, ressaltou o compromisso com o trinômio “emprego, renda e equilíbrio fiscal”: “Quebraremos o ciclo vicioso do crescimento da dívida, substituindo-o pelo ciclo virtuoso de menores déficits, dívida decrescente e juros mais baixos. Isso estimulará os investimentos, o crescimento e a consequente geração de empregos. O déficit público primário precisa ser eliminado o mais rápido possível e convertido em superávit, esse é o nosso propósito”.

Disse ainda que o Brasil reconquistará o “respeito internacional” e se livrará do “viés ideológico” na condução da política externa (veja abaixo a íntegra do discurso).

Rejeição ao PT

Deputado conhecido por seu perfil de extrema-direita, Jair Bolsonaro conquistou a vitória explorando a rejeição contra o partido do seu adversário. Os erros econômicos cometidos pelo PT no poder e, sobretudo, o envolvimento do ex-presidente Lula e de outras figuras importantes do petismo com a corrupção foram intensamente explorados pelo deputado.

Sua competente campanha eleitoral também procurou suavizar atos e afirmações que sempre o levaram a ser tratado como alguém que, enquanto congressista, era ou encarado como uma espécie de piada de mau gosto – que, portanto, não merecia ser levado muito a sério – ou como um perigoso radical de direita. O caminho para o poder foi facilitado por dois episódios: a inelegibilidade do ex-presidente Lula, que liderava todas as pesquisas de intenção de voto mesmo preso desde 7 de abril, por imposição da Operação Lava Jato; e o atentado a faca que ele sofreu em Juiz de Fora (MG), em 6 de setembro, que quase o levou à morte e, por efeito colateral, acabou por vitimizá-lo a despertar a compaixão em parcela do eleitorado.

Em Brasília, os eleitores do candidato eleito á  presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), concentram a comemoração pela vitória na Esplanada dos Ministérios.

Ingrediente decisivo de sua escalada para o Palácio do Planalto foi o uso das redes sociais para a comunicação direta com a população. Com frequência as redes dos seguidores de Bolsonaro foram acusadas de transmitir informações falsas – as famosas fake news – sobre outros candidatos. Mesmo eleito, Bolsonaro responderá a processo no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), movido pelo PT, com base em reportagem do jornal Folha de S.Paulo. Segundo a matéria assinada pela repórter especial Patrícia Campos Mello, o deputado foi beneficiado por um esquema de difusão massiva de mensagens via WhatsApp, com conteúdo contrário a Haddad, bancado por empresários. A lei veda as doações de empresas.

Mistificado pelos seguidores, que sintomaticamente adoram chamá-lo de “mito”, Jair Bolsonaro teve trajetória marcada por polêmicas e confusões com seus pares no Parlamento. Foi alvo de diversos processos judiciais por quebra de decoro parlamentar. Também foi réu no Supremo Tribunal Federal (STF) por incitação ao crime de estupro e injúria.

Problemas com a Justiça o perseguem desde que foi acusado, ainda na década de 1980, de idealizar um plano para explodir bomba em instalações militares como forma de protestar contra os baixos soldos. Ficou preso por 15 dias, mas o Superior Tribunal Militar (STM) reformou decisão da Comissão de Notificação, que havia deliberado por unanimidade pela sua expulsão do Exército.

Quase todos os principais veículos da mídia internacional – incluindo publicações conservadoras como o francês Le Figaro, a revista inglesa The Economist e os dois principais jornais econômicos do mundo, The Wall Street Journal e Financial Times – manifestaram preocupações com a possibilidade de ascensão de Bolsonaro ao poder. Além das ideias extremistas do capitão, tais veículos temem o seu temperamento explosivo, a sua total inexperiência administrativa e a inabilidade para administrar conflitos.

Assista o pronunciamento da vitória:

Íntegra do discurso da vitória de Bolsonaro:

Conhecereis a verdade e a verdade os libertará. Nunca estive sozinho, sempre senti a presença de Deus e a força do povo brasileiro, orações de homens, mulheres, crianças, famílias inteiras, que diante da ameaça de seguirmos por um caminho que não é o que os brasileiros desejam e merecem, colocaram o Brasil acima de tudo. Faço de vocês minhas testemunhas de que esse governo será um defensor da Constituição, da democracia e da liberdade. Isso é uma promessa não de um partido não é a palavra de homem, é um juramento a Deus. A verdade vai liberar esse grande país e vai nos transformar em uma grande nação. A verdade foi o farol que nos guiou até aqui e vai seguir iluminando nosso caminho.

O que ocorreu hoje nas urnas não foi a vitória de um partido, mas a celebração de um país pela liberdade. O compromisso que assumimos com os brasileiros foi de fazer um governo decente, comprometido exclusivamente com o país e o nosso povo e eu garanto que assim o será. Nosso governo será formado por pessoas que tenham o mesmo propósito de cada um que me ouve nesse momento, o propósito de transformar o Brasil em uma grande, livre e próspera nação.

Podem ter certeza de que nós trabalharemos dia e noite para isso. Liberdade é um princípio fundamental. Liberdade de ir e vir, andar nas ruas em todos os lugares desse país, liberdade de empreender, liberdade política e religiosa, liberdade de fazer, formar e ter opinião, liberdade de escolhas e ser respeitado por elas. Esse é um país de todos nós, brasileiros natos ou de coração. Um Brasil de diversas opiniões, cores e orientações.

Como defensor da liberdade, vou guiar um governo que defenda, proteja os direitos do cidadão que cumpre seus deveres e respeita as leis. Elas são para todos, assim será o nosso governo constitucional e democrático: acredito na capacidade do povo brasileiro que trabalha de forma honesta, de que podemos juntos, governo e sociedade, construir um futuro melhor. Esse futuro de que falo e acredito passa por um governo que crie condições para que todos cresçam. Isso significa que o governo dará um passo atrás, reduzindo sua estrutura e a burocracia, cortando desperdícios e privilégios para que as pessoas possam dar muitos passos à frente.

Nosso governo vai quebrar paradigmas, vamos confiar nas pessoas, vamos desburocratizar, simplificar, desburocratizar e permitir que o cidadão, o empreendedor, tenha menos dificuldades para criar e construir o seu futuro. Vamos desamarrar o Brasil.

Outro paradigma que vamos quebrar: o governo respeitará de verdade a federação, as pessoas vivem nos municípios, portanto os recursos irão para os estados e municípios. colocaremos de pé a federação brasileira. Nesse sentido, repetimos que precisamos de mais Brasil e menos Brasília. Muito do que estamos fundando no presente trará conquistas no futuro. As sementes serão lançadas e regadas para que a prosperidade seja o desígnio dos brasileiros do presente e do futuro.

Esse não será um governo de resposta apenas às necessidades imediatas, as reformas que nos propomos são para criar um novo futuro para os brasileiros. E quando digo isso falo com uma mão voltada ao seringueiro no coração da selva amazônica e a outra para o empreendedor suando para criar e desenvolver sua empresa. Porque não existem brasileiros do sul e do norte, somos todos um só país, uma só nação, uma nação democrática.

O Estado democrático de direito tem como um dos seus pilares o direito à propriedade. Reafirmamos aqui o respeito e a defesa desse princípio constitucional e fundador das principais nações democráticas do mundo. Emprego, renda e equilíbrio fiscal é o nosso compromisso para ficarmos mais próximos de oportunidades e trabalho para todos.

Quebraremos o ciclo vicioso do crescimento da dívida, substituindo-o pelo ciclo virtuoso de menores déficits, dívida decrescente e juros mais baixos. Isso estimulará os investimentos, o crescimento e a consequente geração de empregos. O déficit público primário precisa ser eliminado o mais rápido possível e convertido em superávit, esse é o nosso propósito.

Aos jovens, palavra do fundo do meu coração: vocês têm vivido um período de incerteza e estagnação econômica, vocês foram e estão sendo testados a provar sua capacidade de resistir. Prometo que isso vai mudar, essa é a nossa missão. Governaremos com os olhos nas futuras gerações e não na próxima eleição.

Libertaremos o Brasil e o Itamaraty das relações internacionais com viés ideológico a que fomos submetidos nos últimos anos. O Brasil deixará de estar apartado das nações mais desenvolvidas, buscaremos relações bilaterais com países que possam agregar valor econômico e tecnológico aos produtos brasileiros. Recuperaremos o respeito internacional pelo nosso amado Brasil.

Durante a nossa caminhada de quatro anos pelo Brasil, uma frase se repetiu muitas vezes: ‘Bolsonaro, você é a nossa esperança’. Cada abraço, cada aperto de mão, cada palavra ou manifestação de estímulo que recebemos nessa caminhada fortaleceram o nosso propósito de colocar o Brasil no lugar que merece.

Nesse projeto que construímos cabem todos aqueles que têm o mesmo objetivo que o nosso. Mesmo no momento mais difícil dessa caminhada, quando, por obra de Deus e da equipe médica de Juiz de Fora e do Albert Einstein, ganhei uma nossa certidão de nascimento, não perdemos a convicção de que juntos poderíamos chegar à vitória.

É com essa mesma convicção que afirmo: ofereceremos a vocês um governo decente, que trabalhará verdadeiramente por todos os brasileiros. Somos um grande país e agora vamos, juntos, transformar esse país em uma grande nação, uma nação livre, democrática e próspera. Brasil acima de tudo e Deus acima de todos.

Saiba quais são os governadores eleitos em 2018

Além de escolher o novo presidente da República, brasileiros foram às urnas hoje (28) em treze estados e no Distrito Federal para escolher o novo governador.

Em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, João Doria (PSDB) foi eleito com 51,75% dos votos contra 48,25% de Marcio França (PSB). Já no menor colégio eleitoral, Roraima, Antonio Denarium (PSL), que nunca ocupou um cargo público, venceu a disputa com 53,36%, contra 46,64% de José de Anchieta (PSDB).

No Distrito Federal, o advogado Ibaneis Rocha (MDB) ganhou com ampla maioria (69,79%) do atual governador Rodrigo Rollemberg (PSB), que disputava reeleição e ficou com 30,21%. Novidade na política brasiliense, Ibaneis começou a corrida eleitoral com apenas dois pontos percentuais nas pesquisas. O advogado é fundador de um dos maiores escritórios de advocacia da capital e prometeu, durante a campanha, construir moradias populares e escolas.

No segundo maior colégio, o empresário Romeu Zema (Novo) foi eleito governador de Minas Gerais, com 71,81% dos votos contra 28,19% de Antonio Anastasia (PSDB), que volta ao Senado por estar no meio do mandato. Como no DF, Zema começou a corrida eleitoral com pouca intenção de votos segundo as pesquisas, atrás de Anastasia e do atual governador do estado, Fernando Pimentel (PT). Zema será o primeiro governador do parido Novo, fundado em 2015 e que lançou a sua primeira candidatura à presidência esse ano, com João Amoêdo.

No Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) também teve uma ascensão no final do primeiro turno e foi eleito com 59,87% dos votos, derrotando o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (DEM), que obteve 40,13% do total. Witzel é juiz e deixou a profissão para entra na política. Ele recebeu apoio da família de Jair Bolsonaro (PSL), principalmente de seu filho Flavio – eleito para o Senado – o que o ajudou a conquistar a eleição no estado.

A senadora Fátima Bezerra (PT), que deixa o Senado para assumir o estado do Rio Grande do Norte a partir de 1º de janeiro, será a única governadora mulher no próximo quadriênio. Ela foi eleita com 57,6% dos votos, derrotando Carlos Eduardo (PDT), que ficou com 42,40% do total.

Decisão no primeiro turno

Em 12 estados, a eleição para o governo dos estados foi decidida no primeiro turno. No Nordeste, três governadores ganharam com uma grande vantagem. Foi o caso de Camilo (PT) no Ceará que obteve 79,96% dos votos. Em Alagoas, Renan Filho (MDB) foi reeleito com 77,3% dos votos e na Bahia, Rui Costa (PT) foi para o segundo mandato com 75,5%. No Paraná, o filho do apresentador Ratinho, Ratinho Junior (PSD) foi eleito com 59,99% dos votos.

Composição dos estados por partidos

Apesar de ter sido derrotado na corrida presidencial, o PT é o partido com maior número de governadores. Neste ano, a legenda conseguiu ganhar em quatro estados, todos no Nordeste: Bahia, Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte. O partido, porém, perdeu o governo de Minas, segundo maior colégio eleitoral do país, que era comandado por Fernando Pimentel, que a partir de janeiro passará a ser governado por Zema, do partido Novo.

O MDB foi a legenda que mais perdeu governos regionais: passou de sete em 2014 para três nestas eleições. O partido perdeu o Rio de Janeiro, que era governado por Luiz Pezão, Sergipe, Tocantins, Rondônia, Rio Grande do Sul e Espírito Santo, manteve Alagoas e conseguiu eleger nomes no Distrito Federal e Pará.

Já o PSL, partido do presidente eleito Jair Bolsonaro, que não possuía nenhum governo estadual, conseguiu eleger três governadores: Coronel Marcos Rocha, em Rondônia, Antonio Denarium, em Roraima e Comandante Moisés, em Santa Catarina.

O PSDB, por sua vez, passou de cinco estados para três, São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. A legenda conseguiu manter o comando de São Paulo, maior colégio eleitoral do Brasil e há quase 30 anos governada pelos tucanos.

O MDB e o PSB têm três estados cada e o PSD e PSC, dois. Já o PP, PHS, PDT, PCdoB e Novo conseguiram eleger um governador cada.

Veja a relação dos governadores eleitos e seus vices

UF Governador(a) Partido Vice-governador(a) Partido
AC Gladson Cameli PP Major Rocha PSDB
AL Renan Filho MDB Luciano Barbosa MDB
AM Wilson Lima PSC Defensor Carlos Almeida PRTB
AP Waldez PDT Jaime Pros
BA Rui Costa PT João Leão PP
CE Camilo PT Izolda PDT
DF  Ibaneis MDB Paco Britto Avante
ES Casagrande PSB Jaqueline Moraes PSB
GO Ronaldo Caiado DEM Lincoln Tejota Pros
MA Flávio Dino PCdoB Carlos Brandão PRB
MG Romeu Zema Novo Paulo Brant Novo
MS Reinaldo Azambuja  PSDB  Murilo Zauith DEM
MT Mauro Mendes DEM Otaviano Pivetta PDT
PA Helder Barbalho MDB Lúcio Vale PR
PB João Filho PSB Lígia Feliciano PDT
PE Paulo Câmara PSB Luciana Santos PCdoB
PI Wellington Dias PT Regina sousa PT
PR Ratinho Júnior PSD Darci Piana PSD
RJ Wilson Witzel PSC Cláudio Castro PSC
RN Fátima Bezerra PT Antenor Roberto PCdoB
RO Coronel Marcos Rocha PSL Zé Jodan PSL
RR Antônio Denarium PSL Frutuoso Lins PTC
RS Eduardo Leite PSDB Delegado Ranolfo PTB
SC Comandante Moisés PSL Daniela Reinehr PSL
SE Belivaldo PSD Eliane Aquino PT
SP João Doria PSDB Rodrigo Garcia DEM
TO Mauro Carlesse PHS Wanderlei Barbosa PHS

com informações: Congresso em Foco

Câmara de Ribeirão promove audiência pública sobre Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)

Edmar Oldani, presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, “Audiência será na quarta-feira, 7 de novembro, às 10h, no plenário da Câmara Municipal”

A Comissão de Economia, Finanças e Orçamento da Câmara Municipal realizará no próximo dia 7 de novembro, às 10h, uma audiência pública para discutir a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício financeiro de 2.019.

Durante a audiência, haverá espaço para a população se manifestar e apresentar sugestões, que poderão ser incorporadas ao projeto por meio de emenda parlamentar.

Protocolado na Câmara no dia 18 de outubro, o PL 058/2018 que trata da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019 estima uma receita de R$ 360 milhões.

A Comissão de Economia, Finanças e Orçamento é composta pelos vereadores Edmar Donizete Oldani (PV), presidente, pelo Vereador Danilo Afonso de Carvalho (PSB), vice-presidente e José Nelson da Paixão (PPS), Membro.

Regras para a participação

Para a realização da audiência pública, a Câmara definiu as regras de como será a apresentação e a participação do público onde o presidente da Comissão Permanente de Finanças e Orçamento fará a abertura com a exposição dos motivos e objetivos da audiência.

No ato público será aberto espaço para manifestações dos cidadãos presentes, representantes de segmentos diversos da sociedade e de partidos políticos. As sugestões por escrito também poderão ser apresentadas durante a audiência pública.

Votação

O prazo para a votação da LDO 2019 na Câmara é até o dia 29 de novembro, última sessão legislativa antes do recesso parlamentar de 2018.

O objetivo da LDO é estabelecer as metas e prioridades da administração, além de criar parâmetros para definir o equilíbrio entre as receitas e as despesas municipais.

O texto também serve de base para a elaboração do orçamento anual do município, dispõe sobre alterações na legislação tributária e política de pessoal do município.

Professores participam da Oficina de Libras em Ribeirão Pires

A prefeitura de Ribeirão Pires, através da secretaria municipal de Educação está capacitando professores da rede na Linguagem Brasileira de Sinais – Libras.

Segundo a administração municipal, a ideia é que esses profissionais estejam aptos a atuar comunicativamente junto às pessoas com deficiência auditiva da comunidade escolar ou em situações cotidianas.

“Os encontros resultam na quebra de preconceitos, a fim de tornar a escola um espaço democrático que acolha e garanta a aceitação das crianças e familiares com deficiência auditiva”, explicou a secretária de Educação, Flávia Banwart.

Neste segundo semestre de 2018, foram ofertadas 33 vagas para professores, uma por cada unidade escolar da rede municipal da cidade. A oficina é ministrada pela professora da rede, Rebeca Henrique Lima, que atua também como intérprete de libras. Além do conhecimento das libras, as formações proporcionam vocabulário básico para a interação com os surdos. A carga horária é de 30 horas, com aulas até dezembro. Para o próximo ano, está prevista a ampliação de vagas.

Segundo o vereador amigão D’orto (PTC), a iniciativa municipal vai de encontro ao seu requerimento de informação nº 840/2018 datado de 27 de setembro encaminhado ao executivo municipal.

“Capacitar professores na Linguagem de sinais é oportunizar estudantes com deficiências de fala e audição uma integração junto a sociedade ao mesmo tempo em que promove inclusão social. Quero dar os meus parabéns a secretaria de Educação e ao prefeito por demonstrarem sensibilidade social por atender esta importante demanda”, disse o vereador Amigão D’orto.

Gabriel Maranhão reinaugura Pista de Skate de Rio Grande

 

O prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (sem partido), reinaugurou no último sábado (27), a pista de skate da cidade.

Prefeito Maranhão com Luiza Gama, destaque do skate de Rio Grande da Serra

O evento contou com a presença do campeão brasileiro de 2009, Vanderlei Arame e de Luiza Gama – campeã brasileira na categoria Street infantil em 2018.

“Fico muito feliz em ver o esporte ser valorizado dessa forma em nossa cidade. Tenho certeza que dessa pista, com auxílio do Projeto Skatescola, sairão muitos profissionais, mas, acima de tudo, também acredito que vamos formar grandes cidadãos através desta modalidade”, disse o prefeito Maranhão.

João Miguel de 9 anos: uma promessa do esporte

Ainda está previsto para que a pista de skate “Sandro Dias Mineirinho” receba um novo visual, onde será grafitada de grafite rio-grandense “Livre Somos Crew”.

Xu confessa que matou Regina e corpo é encontrado pela polícia civil

Após intensas investigações Xu, principal suspeito pelo sumiço e morte de Regina Leandro foi preso na tarde deste sábado na cidade de Sorocaba onde se encontrava foragido. Segundo informações da Polícia Civil ver encontra em mata localizada ao final da avenida Rotary em Ribeirão Pires.

No local, enquanto é redigida a matéria o corpo de bombeiros chega para o resgate do corpo. Também é aguardado o IML. Mais notícias a qualquer momento.

Já está na rede a versão digital do Repórter ABC | 19ª edição

Foi distribuída em diversos locais de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, nesta quinta-feira (19), a versão impressa do Jornal Repórter ABC | 19ª edição. Para quem desejar ler a versão digital, clique aqui e boa leitura!

Rato Teixeira solicita informações sobre iluminação pública em Ribeirão Pires

O vereador Rato Teixeira (PTB), através do requerimento 862/2018 solicitou o envio da prestação de contas dos materiais utilizados pela empresa responsável pela iluminação pública em Ribeirão Pires.

Em sua justificativa, o parlamentar argumenta que “em razão das inúmeras solicitações recebidas para a troca de lâmpadas, as quais são atendidas, mas em curto espaço de tempo, as lâmpadas queimam novamente, uma vez que aparentemente são produtos de baixa qualidade”.

O requerimento foi aprovado por todos os vereadores da Casa e segue ao executivo para que providencie as informações.

Ribeirão Pires celebra Dia das Crianças com atividades gratuitas

Prefeitura realizará, em 12 de outubro, série de brincadeiras e atrações para os moradores, no Complexo Ayrton Senna

No Dia das Crianças, 12 de outubro, das 9h às 12h, a Prefeitura de Ribeirão Pires, por meio da Secretaria de Esportes, promoverá diversas atividades gratuitas para a criançada e toda a família, no Complexo Ayrton Senna (Avenida Prefeito Valdírio Prisco, 193, Centro).

Entre as atrações preparadas especialmente para celebrar a data, estão personagens do desenho animado “Patrulha Canina”. Cama elástica, brinquedos infláveis, vôlei, basquete, futebol e badminton também estão entre as atividades disponíveis aos participantes.

Serviço – Atividades gratuitas no Dia das Crianças 

Data: 12 de outubro (sexta-feira), das 9h às 12h

Local: Complexo Ayrton Senna (Avenida Prefeito Valdírio Prisco, 193, Centro)

Prefeitura de RGS promove ações de saúde no bairro Pedreira a partir desta segunda-feira (25)

A Prefeitura Municipal através da Secretaria de Saúde inicia na próxima segunda-feira (15) ações de saúde no bairro da Pedreira. A ação será realizada em parceria com a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público Mordomos da Criação, com a Comissão Deliberativa e moradores do Bairro da Pedreira.

Os atendimentos e procedimentos disponíveis pela secretaria de Saúde serão: médico generalista; equipe de enfermagem; teste de glicemia; aferição de pressão arterial; testes rápidos de HI, Hepatite e sífilis; pesagem e atualização do bolsa família; atualização de vacinas; palestras e orientações de saúde.

Os atendimentos acontecerão na Rua dos Trilhos, nº 180, Pedreira das 9h às 16h nas seguintes datas:

– 15 de outubro;

– 29 de outubro;

– 12 de novembro;

– 26 de novembro;

– 10 de dezembro;

– 17 de dezembro.

ABC paulista recebe projeto itinerante sobre educação ambiental

Um ônibus transformado em cinema e todo estilizado para lembrar uma grande “casa” do joão-de-barro vai percorrer escolas públicas de setes municípios paulistas para mostrar que educação ambiental também é sinônimo de economia. O projeto, batizado de ‘João Ambiente – Construindo uma Casa Sustentável Para Todos Nós’, já passou pelo Rio Grande do Sul e Santa Catarina, e pretende alcançar cerca de 20 mil crianças e adolescentes levando educação ambiental para mais de 400 escolas da rede pública nos três estados que fazem parte do cronograma.

As apresentações na região do ABC vão iniciar por escolas públicas do município de Mauá, a partir da próxima segunda-feira, dia 15. O ônibus-cinema do João Ambiente, além de envolver as crianças pelo ambiente apresenta um filme de 15 minutos, produzido especialmente para projeto, que serve de fio condutor para transmitir a mensagem aos alunos. “Elaboramos cuidadosamente esse material com uma linguagem atual e divertida, que mistura animação, atores reais e game, o filme é o resultado de um documentário produzido para despertar a consciência ecológica nas crianças e jovens de 7 a 16 anos”, comenta o cineasta e responsável pelo projeto, Airton Soares. O ônibus transformado em cinema tem capacidade para 32 espectadores por sessão.

A partir do dia 25 de novembro a “casa” itinerante do João Ambiente inicia um roteiro pelos municípios de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Cubatão e Diadema. A ação pretende levar uma mensagem de qualidade de vida sem desrespeitar o meio ambiente, desenvolvendo nos jovens uma nova mentalidade de como usufruir os recursos oferecidos pela natureza.

O cineasta Airton Soares explica que o filme foi buscar inspiração no João de Barro, o personagem central, para abordar assuntos como preservação ambiental, reciclagem, coleta e separação seletiva de lixo, preservação dos recursos hídricos, consumo consciente de energia, entre outros assuntos do universo ambiental. “Nosso objetivo foi atingir não só o aluno, mas toda família. E para envolver ainda mais os participantes, resolvemos criar uma grande casa do João de Barro estilizada num ônibus que serve de cinema para exibir o filme e envolver os participantes”, afirma.

O objetivo do projeto é passar por mais de 20 cidades, nos estados do RS, SC e SP. Além disso, a meta é atingir indiretamente mais de 100 mil pessoas em todo país com exibições em televisão aberta e paga, universidades e internet, contando com apoio do Ministério da Cultura e da Secretaria de Cultura do Estado, através da Lei Rouanet e da Lei de Incentivo à Cultura, respectivamente. “A iniciativa é um investimento em educação, conscientização em meio ambiente e sustentabilidade e no futuro das novas gerações, pensando na preservação do planeta e na sustentabilidade econômica das famílias”, comenta o cineasta.

ESCOLAS QUE SERÃO VISITADAS:

Mauá: Escola Prof. Maria Josefina Kuhlmann Flaquer, Escola Prof. Manoel Cação, Escola Municipal Guimarães Rosa e Escola Estadual Prof. Antônio Messias Szymanski.

Santo André: EE Ivone Palma Todorov Puggieri, EMEIF Elaine Sena Chaves Maia, EE Prof. Wanda Bento Gonçalves, Cidade dos Meninos – Maria Imaculada, EE Papa João Paulo I, EE Prof. Nelson Cardim de Brito, EMEIEF Augusto Boal;

São Bernardo: EMEB Aldino Pinotti, EM Pastor Delfino Martins Ferreira;

São Caetano: EE Idalina Macedo C. Sodré, EE Laura Lopes;

Ribeirão Pires: EM Engenheiro Carlos Rohm I;

Rio Grande da Serra: Escola Padre Guiuseppe Pisoni

Cubatão: UME Luiz Gustavo de Lima

Diadema: EMEB Lázaro Silveira Pacheco

Prefeitura de Rio Grande inicia na próxima segunda-feira (15) o REFIS 2018

A Prefeitura de Rio Grande da Serra lança o “REFIS 2018” o Programa Especial de Regularização Tributária Municipal. O Programa estará disponível a partir da próxima segunda-feira 15 de outubro.

Condições especiais para pagamento e parcelamento de débitos junto ao Município.
Pague à vista com descontos de 100% na multa e juros ou parcele também com descontos.

PARCELAS DESCONTOS
Única ou em até 3 parcelas 100% na Multa e nos Juros
12 parcelas 85% na Multa e nos Juros
24 parcelas 65% na Multa e nos Juros
36 parcelas 50% na Multa e nos Juros

Instituído pela Lei Municipal nº 2.275 de 04 de Outubro de 2018, o Programa possibilita o parcelamento de débitos tributários de pessoas físicas e jurídicas, com descontos sobre as multas e juros de débitos inscritos na Dívida Ativa do Município até 31/12/2017.

1. Quem pode parcelar?
Todo contribuinte ou responsável tributário, seus ascendentes ou descendentes, cônjuge ou representante legal (indispensável apresentar os documentos que o habilite):
Se pessoa física, RG e CPF e, caso parentes em 1º grau ou representante legal, documentos que o habilite.
Se pessoa jurídica, cópia do contrato social e, se representante legal, apresentar os documentos que o habilite. Preencha os campos “Inscrição Imobiliária” e “CPF” ou “CNPJ”.

2. Onde parcelar?
No setor de Cadastro e Fiscalização Tributária situado na Rua do Progresso, 700 – Jardim Progresso, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

3. O que pode ser parcelado?
As dívidas de IPTU, ITBI, TAXAS, ISS, CIP, ETC.

4. Qual o valor mínimo da parcela?
R$ 50,00 (cinquenta reais)

5. Dívida já parcelada pode ser novamente parcelada?
Sim.

6. Dívida com recurso judicial pode ser parcelada?
Sim, sendo necessária a expressa e irrevogável desistência pelo interessado e seu advogado legalmente constituído e exceto aqueles com garantias depositadas em dinheiro.

O objetivo do Programa é permitir a recuperação de recursos pela Administração, aliada a um planejamento acessível para as pessoas físicas e jurídicas que possuem débitos junto ao Município e buscam regularizar suas situações.

Eleitor inteligente é o que se vê por aí!

A imagem dispensa comentários!

Acompanhe a nova composição da câmara do Deputados Federais em Brasília

A Câmara dos Deputados será composta por 513 deputados federais de 30 partidos diferentes. PT e PSL elegeram o maior número de representantes. A bancada do PT terá 56 deputados e a do PSL, 52. São os dois partidos com mais deputados federais eleitos. Em seguida com mais cadeiras na Casa aparecem PP (37), MDB (34) e PSD (34).

Na comparação do resultado de 2018 com o de 2014, o MDB foi o que sofreu o maior revés. O número de deputados da sigla reduziu quase pela metade: pulou de 66 para 34 deputados. Considerando os números de 2014, apenas o PRTB deixou de eleger um deputado federal.

A partir de 2019, a composição da Câmara contará com representantes de 30 partidos, um recorde desde a redemocratização. Atualmente, 25 partidos estão representados na Casa. Nas eleições de 2014, eram 28 partidos. Em 2010, 22 siglas. Em 2006, 21. Em 2002, 19. Em 1998, 18.

Esta é a primeira eleição com a cláusula de barreira, e os partidos que não cumprirem os requisitos devem ficar sem acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de propaganda gratuita no rádio e na TV. Portanto, mesmo que o partido tenha eleito um deputado, a sigla pode não sofrer essas restrições.

O PSL foi a legenda que mais ganhou cadeiras na comparação do resultado de 2014 com o de 2018. Quatro anos atrás, o PSL tinha eleito apenas um deputado federal. Nestas eleições, a sigla que abriga o candidato a presidente Jair Bolsonaro conquistou uma bancada com 52 deputados.

Depois do PSL, os partidos PDT, PRB e DEM foram os que mais aumentaram o número de cadeiras na comparação com 2014. PDT e PRB ficaram com mais 9 deputados cada um. No total, PRB tem uma bancada com 30 representantes. O PDT, com 28. DEM conquistou mais 8 cadeiras e, portanto, passa para 29 deputados.

PMB, Rede Sustentabilidade e Novo não participaram das eleições de 2014. Desses partidos, o PMB foi o único a não eleger nem sequer um deputado. Rede conquistou uma deputada eleita por Roraima. O Novo conseguiu eleger 8 deputados, eleitos por São Paulo (3), Minas Gerais (2), Rio de Janeiro (1), Rio Grande do Sul (1) e Santa Catarina (1).

Os seguintes partidos, que hoje não têm representantes na Câmara, continuarão sem nenhum nome a partir de 2019: PRTB, PCO, PCB, PMB e PSTU. Atualmente, outros 74 partidos estão em processo de formação no Brasil – ou seja, em busca de apoiamento de eleitores para, depois, entrar com o pedido de registro no TSE.

Número de deputados federais eleitos

Partido Eleição 2018 Eleição 2014 Saldo
MDB* 34 66 -32
PSDB 29 54 -25
PTB 10 25 -15
PT 56 69 -13
PSC 8 13 -5
PV 4 8 -4
PROS 8 11 -3
PSD 34 36 -2
PSB 32 34 -2
SD 13 15 -2
PPS 8 10 -2
PP 37 38 -1
PR 33 34 -1
PCdoB 9 10 -1
DC* 1 2 -1
PRTB 0 1 -1
PMN 3 3 0
PTC 2 2 0
PHS 6 5 1
PRP 4 3 1
PPL 1 0 1
PATRI* 5 2 3
PSOL 10 5 5
Avante* 7 1 6
PODE* 11 4 7
DEM 29 21 8
PRB 30 21 9
PDT 28 19 9
PSL 52 1 51
Novo 8 (não concorreu)
Rede 1 (não concorreu)

*PMDB virou MDB em maio de 2018. PEN virou PATRI em abril de 2018. PTdoB virou Avante em setembro de 2017. PTN virou PODE em maio de 2017. PSDC virou DC em maio de 2018.

Cláusula de barreira

A cláusula de barreira passa a valer, de forma progressiva, a partir destas eleições e restringirá o número de partidos com acesso ao Fundo Partidário (estimado em R$ 888 milhões para 2018) e ao tempo de propaganda gratuita no rádio e na TV. Assim, o Congresso tende a ser menos fragmentado, o que facilitará a governabilidade.

O Palácio do Planalto tem mais dificuldades em aprovar proposições quando o Congresso está fragmentado – ou seja, com alta dispersão partidária. Uma proposta de emenda à Constituição, por exemplo, precisa ser aprovada no plenário da Câmara e do Senado, em dois turnos, por ⅗ dos deputados (308 votos) e dos senadores (49 votos).

Como transição até 2030, a cláusula de barreira crescerá gradualmente. Nas eleições posteriores a 2030, o desempenho mínimo exigido seria o mesmo do pleito de 2030. Saiba abaixo os critérios:

  • Eleições de 2018 – Os partidos terão de obter, nas eleições para a Câmara dos Deputados, pelo menos 1,5% dos votos válidos, distribuídos em, no mínimo, um terço das unidades da federação, com ao menos 1% dos votos válidos em cada uma delas; ou ter eleito pelo menos 9 deputados, distribuídos em, no mínimo, um terço das unidades da federação.
  • Eleições de 2022 – Os partidos terão de obter, nas eleições para a Câmara dos Deputados, pelo menos 2% dos votos válidos, distribuídos em, no mínimo, um terço das unidades da federação, com ao menos 1% dos votos válidos em cada uma delas; ou ter eleito pelo menos 11 deputados, distribuídos em, no mínimo, um terço das unidades da federação.
  • Eleições de 2026 – Os partidos terão de obter, nas eleições para a Câmara dos Deputados, pelo menos 2,5% dos votos válidos, distribuídos em, no mínimo, um terço das unidades da federação, com ao menos 1,5% dos votos válidos em cada uma delas; ou ter eleito pelo menos 13 deputados, distribuídos em, no mínimo, um terço das unidades da federação.
  • Eleições de 2030 – Os partidos terão de obter, nas eleições para a Câmara dos Deputados, pelo menos 3% dos votos válidos, distribuídos em, no mínimo, um terço das unidades da federação, com ao menos 2% dos votos válidos em cada uma delas; ou ter eleito pelo menos 15 deputados, distribuídos em pelo menos um terço das unidades da federação.
O texto diz ainda que o deputado eleito por um partido que não preencher os requisitos tem o mandato assegurado e pode se filiar, sem a perda de mandato, a outro partido que tenha atingido o patamar mínimo. Essa filiação não é, porém, considerada para fins de distribuição do Fundo Partidário e de acesso gratuito ao tempo de rádio e de televisão.

Fragmentação partidária

No livro “Representantes de quem?”, o cientista político Jairo Nicolau afirma que, entre as quatro eleições que tiveram a mais alta fragmentação no mundo, três ocorreram no Brasil (2014, 2010 e 2006) e a outra na Polônia, em 1991, na primeira eleição após o fim do regime comunista. A análise usou dados compilados pelo cientista político Michael Gallagher.

A publicação diz ainda que o Brasil é o país com o maior número de partidos representados na Câmara. E que mesmo países que têm muitos partidos no Legislativo, como Itália, Israel e Bélgica, não chegam perto da fragmentação partidária do Brasil.

“Nos pleitos para a Camara di Diputadi da Itália, em 2013, quinze partidos elegeram representantes. Em Israel, nas eleições de 2015, apenas dez legendas fizeram deputados para o Knesset, o tradicionalmente fragmentado Legislativo do país. Na Bélgica, treze partidos elegeram deputados em 2013”, escreve o cientista político.

Jairo Nicolau também lembra que, em dezembro de 2006, um julgamento do STF declarou inconstitucional o artigo da Lei dos Partidos que criava a cláusula de desempenho a partir das eleições daquele ano. Na época, os ministros argumentaram que a cláusula feria o “direito de representação de minorias, o princípio da proporcionalidade e da igualdade de voto do eleitor”.

Coligações proporcionais

A Emenda Constitucional promulgada também acaba com as coligações partidárias em eleições proporcionais a partir de 2020. Para as eleições deste ano, continuam valendo as regras atuais, em que os partidos podem se juntar em alianças para disputar a eleição e somar os tempos de rádio e televisão e podem ser desfeitas passado o pleito.

As coligações também são levadas em conta na hora da divisão das cadeiras. Hoje, deputados federais e estaduais e vereadores são eleitos no modelo proporcional com lista aberta.

É feito um cálculo, chamado de quociente eleitoral, para a distribuição das vagas com base nos votos no candidato e no partido ou coligação. São eleitos os mais votados nas legendas ou nas coligações.

Quociente eleitoral

O cálculo do quociente eleitoral define o número de cadeiras conquistadas por cada partido ou coligação nas eleições proporcionais. Primeiro, divide-se o número de votos válidos (sem brancos e nulos) pelo número de cadeiras em disputa. Se forem 100 mil votos e dez cadeiras em disputa, por exemplo, o quociente eleitoral é 10 mil.

Em seguida, é feito o cálculo do quociente partidário, dividindo o número de votos que o partido obteve pelo quociente eleitoral.

O número inteiro da divisão, desprezando os algarismos após a vírgula, é o total de cadeiras que o partido ganha nesta primeira fase. Por exemplo, se um partido recebeu 27 mil votos, e o quociente for 10 mil, o resultado da conta dá 2,7. O partido teria direito a duas vagas.

Veja abaixo, por estado, os números de cadeiras na Câmara dos Deputados, eleitores aptos e a relação de eleitores por cada deputado:

Número de cadeiras na Câmara por estado

UF Nº de deputados Eleitores aptos Eleitores por deputado
AC 8 547.680 68.460
AL 9 2.187.967 243.107
AM 8 2.428.098 303.512
AP 8 512.110 64.014
BA 39 10.393.170 266.492
CE 22 6.344.483 288.386
DF 8 2.084.356 260.545
ES 10 2.754.728 275.473
GO 17 4.454.497 262.029
MA 18 4.537.237 252.069
MG 53 15.700.966 296.245
MS 8 1.877.982 234.748
MT 8 2.330.281 291.285
PA 17 5.499.283 323.487
PB 12 2.867.649 238.971
PE 25 6.570.072 262.803
PI 10 2.370.894 237.089
PR 30 7.971.087 265.703
RJ 46 12.408.340 269.747
RN 8 2.373.619 296.702
RO 8 1.175.733 146.967
RR 8 333.464 41.683
RS 31 8.354.732 269.507
SC 16 5.070.212 316.888
SE 8 1.577.058 197.132
SP 70 33.040.411 472.006
TO 8 1.039.439 129.930

Deputados Federal e Estadual eleitos em São Paulo

A votação das eleições em São Paulo definiu os 70 deputados federais que vão compor a bancada paulista na Câmara dos Deputados. Também foram eleitos os 94 deputados estaduais que comporão a bancada paulista.

Veja os candidatos eleitos:

  1. Eduardo Bolsonaro – PSL – 8,74% – 1.843.735
  2. Joice Hasselmann – PSL – 5,11% – 1.078.666
  3. Celso Russomanno – PRB – 2,47% – 521.728
  4. Kim Kataguiri – DEM – 2,21% – 465.310
  5. Tiririca – PR – 2,15% – 453.855
  6. Tabata Amaral – PDT – 1,25% – 264.450
  7. Policial Katia Sastre – PR – 1,25% – 264.013
  8. Sâmia Bomfim – PSOL – 1,18% – 249.887
  9. Capitão Augusto – PR – 1,15% – 242.327
  10. Pastor Marco Feliciano – PODE – 1,14% – 239.784
  11. Baleia Rossi – MDB – 1,01% – 214.042
  12. Vinicius Poit – NOVO – 0,98% – 207.118
  13. Luiza Erundina – PSOL – 0,84% – 176.883
  14. Renata Abreu – PODE – 0,76% – 161.239
  15. Rui Falcão – PT – 0,75% – 158.389
  16. Alexandre Frota – PSL – 0,74% – 155.522
  17. Ivan Valente – PSOL – 0,74% – 155.334
  18. Marcos Pereira – PRB – 0,66% – 139.165
  19. Carlos Zarattini – PT – 0,65% – 137.909
  20. Marco Bertaiolli – PSD – 0,65% – 137.628
  21. Marcio Alvino – PR – 0,64% – 135.844
  22. Guilherme Mussi – PP – 0,64% – 134.301
  23. Arnaldo Jardim – PPS – 0,63% – 132.363
  24. Alex Manente – PPS – 0,60% – 127.366
  25. Bruna Furlan – PSDB – 0,60% – 126.847
  26. Carlos Sampaio – PSDB – 0,60% – 125.666
  27. Nilto Tatto – PT – 0,59% – 124.281
  28. Ricardo Izar – PP – 0,58% – 121.869
  29. Vitor Lippi PSDB – 0,57% – 120.529
  30. Tenente Derrite – PP – 0,56% – 119.034
  31. Cezinha de Madureira – PSD – 0,56% – 119.024
  32. Fausto Pinato – PP – 0,56% – 118.684
  33. Luiz Philippe O. Bragança PSL – 0,56% – 118.457
  34. Alexandre Leite DEM – 0,55% – 116.416
  35. Paulo Freire Costa PR – 0,52% – 109.461
  36. Enrico Misasi PV – 0,51% – 108.038
  37. Rosana Valle PSB – 0,50% – 106.100
  38. Samuel Moreira PSDB – 0,49% – 103.215
  39. Vanderlei Macris PSDB – 0,49% – 102.708
  40. Rodrigo Agostinho PSB – 0,47% – 100.179
  41. Jefferson Campos PSB – 0,47% – 99.974
  42. David Soares DEM – 0,47% – 99.865
  43. Coronel Tadeu PSL – 0,47% – 98.373
  44. Vinicius Carvalho PRB – 0,46% – 97.862
  45. Eduardo Cury PSDB – 0,45% – 94.282
  46. Miguel Lombardi PR – 0,44% – 93.093
  47. Eli Corrêa Filho DEM – 0,44% – 92.257
  48. Gilberto Nascimento PSC – 0,44% – 91.797
  49. Geninho Zuliani DEM – 0,42% – 89.378
  50. Alexandre Padilha PT – 0,42% – 87.576
  51. Arlindo Chinaglia PT – 0,41% – 87.449
  52. Professor Luiz Flavio Gomes PSB – 0,41% – 86.433
  53. Roberto Alves PRB – 0,39% – 82.097
  54. Junior Bozzella PSL – 0,37% – 78.712
  55. Paulo Teixeira PT – 0,37% – 78.512
  56. Milton Vieira PRB – 0,37% – 77.413
  57. Carla Zambelli PSL – 0,36% – 76.306
  58. Paulinho da Força SD – 0,36% – 75.613
  59. Luiz Carlos Motta PR – 0,36% – 75.218
  60. General Peternelli PSL – 0,35% – 74.190
  61. Maria Rosas PRB – 0,34% – 71.745
  62. Vicentinho PT – 0,33% – 70.645
  63. Abou Anni PSL – 0,33% – 69.256
  64. Alencar Santana – PT – 0,32% – 67.892
  65. Orlando Silva PC do B – 0,31% – 64.822
  66. Adriana Ventura NOVO – 0,30% – 64.341
  67. Roberto de Lucena PODE – 0,27% – 56.033
  68. Herculano Passos MDB – 0,24% – 49.653
  69. Alexis NOVO – 0,21% – 45.298
  70. Guiga Peixoto PSL – 0,15% – 31.718

Deputados Estaduais

  1. Janaina Paschoal (PSL) – 2.060.786 Votos
  2. Arthur Mamãe Falei (DEM) – 478.280 Votos
  3. Carlos Giannazi (PSOL) – 218.705 Votos
  4. Coronel Telhada (PP) – 214.445 Votos
  5. Gil Diniz (PSL) – 214.037 Votos
  6. Daniel José (Novo) – 183.480 Votos
  7. Jorge Wilson Xerife Consumidor (PRB) – 177.414 Votos
  8. Caio França (PSB) – 162.166 Votos
  9. Delegado Olim (PP) – 161.569 Votos
  10. Mônica da Bancada Ativista (PSOL) – 149.844 Votos
  11. Edmir Chedid (DEM) – 131.531 Votos
  12. Major Mecca (PSL) – 129.411 Votos
  13. Heni Ozi Cukier (NOVO) – 130.214 Votos
  14. André do Prado (PR) – 123.313 Votos
  15. Alex de Madureira (PSD) – 118.294 Votos
  16. Professor Kenny (PP) – 117.567 Votos
  17. Marta Costa (PSD) – 117.156 Votos
  18. Conte Lopes (PP) – 116.806 Votos
  19. Campos Machado (PTB) – 115.580 Votos
  20. Carlos Cezar (PSB) – 115.566 Votos
  21. Cauê Macris (PSDB) – 114.690 Votos
  22. Reinaldo Alguz (PV) – 114.352 Votos
  23. Analice Fernandes (PSDB) – 110.089 Votos
  24. Bruno Ganem (PODE) – 106.203 Votos
  25. Milton Leite Filho (DEM) – 105.492 Votos
  26. Delegado Bruno Lima (PSL) – 103.823 Votos
  27. Fernando Cury (PPS)- 99.815 Votos
  28. Daniel Soares (DEM)- 97.330 Votos
  29. Barba (PT) – 91.394 Votos
  30. Carla Morando (PSDB) – 89.636 Votos
  31. Rogério Nogueira (DEM)- 89.040 Votos
  32. Barros Munhoz (PSB) – 87.494 Votos
  33. Professora Bebel (PT) – 87.169 Votos
  34. Rodrigo Gambale (PSL) – 86.981 Votos
  35. Enio Tatto (PT)- 86.744 Votos
  36. Altair Moraes (PRB) – 86.230 Votos
  37. Luiz Fernando (PT) – 85.271 Votos
  38. Cezar (PSDB) – 84.657 Votos
  39. Edna Macedo (PRB) – 84.144 Votos
  40. Caruso (MDB) – 83.758 Votos
  41. Gilmaci Santos (PRB)- 82.678 Votos
  42. Itamar Borges (MDB) – 82.185 Votos
  43. Marcos Damasio (PR) – 81.695 Votos
  44. Rafa Zimbaldi (PSB) – 80.789 Votos
  45. Paulo Fiorilo (PT) – 80.430 Votos
  46. Wellington Moura (PRB)- 80.271 Votos
  47. Dalben (PR) – 79.564 Votos
  48. Jose Americo (PT) – 78.326 Votos
  49. Ricardo Madalena (PR) – 77.554 Votos
  50. Léo Oliveira (MDB) – 76.703 Votos
  51. Rodrigo Moraes (DEM) – 75.845 Votos
  52. Sebastião Santos (PRB) – 75.280 Votos
  53. Douglas Garcia (PSL) – 74.351
  54. Maurici (PT) – 74.254 Votos
  55. Carlão Pignatari (PSDB) – 74.006 Votos
  56. Thiago Auricchio (PR) – 73.435 Votos
  57. Rafael Silva (PSB) – 71.992 Votos
  58. Maria Lúcia Amary (PSDB) – 70.743 Votos
  59. Roque Barbiere – Roquinho (PTB) – 70.076 Votos
  60. Roberto Engler (PSB) – 69.969 Votos
  61. Marcos Zerbini (PSDB) – 69.296 Votos
  62. Emidio de Souza (PT) – 65.898 Votos
  63. Mauro Bragato (PSDB) – 65.475 Votos
  64. Vinicius Camarinha (PSB) – 65.441 Votos
  65. Leci Brandão (PCdoB) – 64.487 Votos
  66. Marcia Lia (PT) – 63.751 Votos
  67. Roberto Morais (PPS) – 63.447 Votos
  68. Delegada Graciela (PR) – 63.089 Votos
  69. Dr. Jorge do Carmo (PT) – 61.751 Votos
  70. Ed Thomas (PSB) – 61.371 Votos
  71. Leticia Aguiar (PSL) – 60.909 Votos
  72. Estevam Galvão (DEM) – 59.548 Votos
  73. Ataide Teruel (PODE) – 58.136
  74. Érica Malunguinho da Silva (PSOL) – 55.223
  75. Valeria Bolsonaro (PSL) – 54.519 Votos
  76. Isa Penna (PSOL) – 53.838 Votos
  77. Alexandre Pereira (SOLIDARIEDADE) – 49.741 Votos
  78. Paulo Correa Jr (PATRI) – 46.438 Votos
  79. Dra.damaris Moura (PHS) – 45.103 Votos
  80. Tenente Nascimento (PSL) – 45.050 Votos
  81. Marcio da Farmacia (PODE) – 44.969 Votos
  82. Aprígio (PODE) – 43.320 Votos
  83. Adriana Borgo (PROS) – 41.953 Votos
  84. Marina Helou (REDE) – 39.839 Votos
  85. Agente Federal Danilo Balas (PSL) – 38.661 Votos
  86. Marcio Nakashima (PDT) – 38.081 Votos
  87. Castelo Branco (PSL) – 38.026 Votos
  88. Sargento Neri (AVANTE) – 34.238 Votos
  89. Sergio Victor (NOVO) – 29.909 Votos
  90. Ricardo Mellao (NOVO) – 27.150 Votos
  91. Adalberto Freitas (PSL) – 26.153 Votos
  92. Frederico D’avila (PSL) – 24.470 Votos
  93. Tenente Coimbra (PSL) – 24.109 Votos
  94. Coronel Nishikawa (PSL) – 23.094 Votos

São Paulo terá segundo turno entre João Doria e Márcio França

 

Depois de muita disputa em torno do segundo lugar, o ex-prefeito João Doria (PSDB) e o governador Márcio França (PSB) concorrerão ao comando do estado de São Paulo no segundo turno. Com a totalidade das urnas apuradas, Doria está com 31,77% e França, com 21,53% dos votos válidos.

Paulo Skaf (MDB) ficou em terceiro, com 21,09%. Em quarto, ficou Luiz Marinho (PT), com 12,66%.

Bolsonaro e Haddad se enfrentarão no segundo turno

Os candidatos Jair Bolsonaro (PSL), 63 anos, e Fernando Haddad (PT), 55, disputarão o segundo turno das eleições presidenciais no dia 28 de outubro. Com 99% das urnas apuradas, o capitão reformado do Exército somava 46,07% dos votos válidos, contra 29,22% do petista.

Desde que oficializou a candidatura em substituição ao ex-presidente Lula, em 11 de setembro, Haddad subiu nas pesquisas e passou a disputar com Bolsonaro a preferência do eleitorado, mantendo-se isolado no segundo lugar. Ciro Gomes (PDT) chegou em terceiro lugar nesta reta final eleitoral, com 12,47%.

Sempre referindo-se ao ex-presidente Lula (PT) como preso político, Haddad disse já ter recebido contato dos principais candidatos posicionados mais à esquerda do espectro político – além de Ciro, Guilherme Boulos (Psol) e Marina Silva (Rede). Acompanhado de sua vice, Manuela D’Ávila (PCdoB), o petista aproveitou para alfinetar seu rival no segundo turno. “Não andamos armados.”

Recuperando-se da faca que quase o matou em 6 de setembro, Bolsonaro veiculou um vídeo ao vivo em suas redes sociais e, lendo um texto escrito para a ocasião, disse que se cercaria de nomes técnicos em seu eventual governo. O deputado disse ainda que a troca de favores e o loteamento de cargos não terá vez caso seja eleito presidente.

Profissionais de imprensa do ABC assinam Manifesto à favor da Liberdade de Imprensa

Um grupo de profissionais de imprensa do ABC Paulista e colegas da Bahia, jornalistas, publicitários, radialistas, apresentadores e chargistas, assinaram um manifesto em defesa da liberdade de imprensa e contra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

No documento intitulado “Manifesto pela Permanente Liberdade de Imprensa”, os profissionais pontuam os constantes ataques sofridos por grupos do candidato e elencam o papel fundamental da imprensa para o país. Veja o documento abaixo.

Manifesto pela Permanente Liberdade de Imprensa

Em memória de Vladimir Herzog

Diante da delicada situação que assola o país, devido ao processo eleitoral em que o sentimento de ódio se sobrepõe aos sentimentos de esperança e união para mudarmos positivamente o Brasil, nós, profissionais de imprensa da região do Grande ABC, resolvemos nos manifestar.
Não seria correto nos calarmos diante do perigo iminente que a imprensa e seus profissionais correm mediante o processo claro de intimidação, opressão e desqualificação do trabalho jornalístico no Brasil, veículos e profissionais estão sendo desmoralizados por um exército do ódio, a mando de um capitão que rotula como “fake news” toda e qualquer notícia que não tenha sua aprovação pessoal.
O escrutínio jornalístico e o compromisso básico com a verdade dos fatos estão sendo atacados em decorrência de um projeto político obscuro.
Projeto este que tem os insultos às minorias, a apologia à tortura, a desqualificação da mulher como pontos conhecidos do discurso predominante.
O momento não é apenas de negar este projeto com a frase #EleNão.
É hora de afirmarmos para o país aquilo que queremos para as futuras gerações. a mesma maneira, também repudiamos ações para tolher a liberdade de imprensa advindas do Poder Judiciário, como recentes e arbitrárias proibições de entrevistas impostas pelo Supremo Tribunal Federal à Folha de S. Paulo, El País e outros meios de comunicação.
A liberdade de imprensa não pode ser relativizada.
Queremos uma sociedade justa e igualitária, em que não exista sequer homenagem ao regime que matou jornalistas e pessoas que lutaram pela liberdade de expressão e escolha.
Queremos ser julgados pelo nosso caráter e não pela cor da pele, orientação sexual, raça, credo ou lado político. Pela liberdade, assinam:

Aline Melo
Andressa Dantas
Arnaldo Silva
Bruna Serra
Camilla Feltrin
Carlos Alberto Buzano Balladas
Carlos Alberto Reis Sampaio
Cauê Gomes
Cibeli Leão
Cintia Alves
Cleber Juliano
Daniel Alcarria
Daniel Tossato
Daniel Vila Nova
Danilo Meira
Don Ernesto Guevara
Eduardo Guimarães
Fabio Bezza
Fernando Machado
Gustavo Mendonça
Isaac Ramiris Zetune
Joaquim Vidal
José Roberto de Ponte
Júlia Sanches
Luana Arrais
Lucas Rogério
Luís Carlos Nunes
Luís Izidoro
Luiza Lemos
Marcos Fidelis
Marcos Lu
Odair Capelari Junior
Paulo Sergio Cardoso
Raimundo José da Silva
Rafael Ventura
Raphael Bettega
Renato Magrini
Rita Palladino
Roberto de Sena
Rogério Aparecido Bregaisa Júnior
Rogério Junior
Samuel Boss
Santiago Carvalho Sequeira
Silvia Helena Duarte
Valdo Rocha
Vinícius Dominichelli
Vinicius Galvani
Vitor Lima
Vivian Silva
Wagner Lima

Gabriel Maranhão assina ordem de serviços para obras de tratamento de esgoto no Pq. América

“Saneamento básico mais que tratamento de esgoto é higiene e saúde para a população,” afirma o prefeito

O prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (sem partido), assinou na manhã desta segunda-feira (1/10) a autorização para que a Sabesp inicie a implantação do sistema de coleta e tratamento de esgoto nos bairros Parque América e Vila Fordiane.

Os investimentos que somam quase R$ 27 milhões, beneficiaram 5.000 pessoas e farão com que o esgoto desses bairros passe a ser enviado até a estação de tratamento, contribuindo para garantir mais saúde aos moradores e para melhorar a qualidade da água da represa.

Segundo o prefeito Gabriel Maranhão, após a conclusão dos serviços, a população terá inúmeros benefícios.

Prefeito Gabriel Maranhão autoriza o início das obras de saneamento básico para o Parque América

“O serviço de esgotamento sanitário no Parque América e Vila Fordiane são a concretização de um sonho. Desde o início de meu primeiro mandato que venho lutando para conquistar esse benefício. Segundo técnicos e especialistas, a cada R$ 1 investido em saneamento básico temos a economia de R$ 4 na saúde. Outro ponto de grande importância é a valorização imobiliária na região além de proporcionar na localidade um aspecto mais saudável. Me sinto muito feliz pela conquista, mas sei que temos muito o que fazer pela cidade de Rio Grande da Serra”, disse.

Segundo ainda Maranhão, “Com esta obra, a cidade dará um importante salto de qualidade de vida da população. Estamos trabalhando muito para levar cada vez mais qualidade de vida aos moradores da cidade. Saneamento básico mais que tratamento de esgoto é higiene e saúde para a população”, concluiu.

Rio Grande da Serra terra 100% de sua rede de esgoto tratada

Ainda durante o evento que aconteceu no Salão do Fundo Social de Solidariedade do município, Rio Grande da Serra recebeu das mãos do Secretário Estadual de Saneamento e Recursos Hídricos, Ricardo Borsari, o Plano Municipal de Saneamento. O Plano entregue, leva em consideração a projeção do crescimento populacional de Rio Grande da Serra nos últimos 20 anos, bem como as possíveis indústrias que se instalaram na região, atividades que podem ser incorporadas, levantamento de todas as obras que precisarão ser feitas para suprir as necessidades da população e a análise aumento da demanda.

Kiko Teixeira inicia a construção do Parque Oriental em Ribeirão Pires

Na manhã de domingo, dia 30/09/18, o prefeito da Estância Turística de Ribeirão Pires, Adler Teixeira – Kiko, lançou oficialmente as obras de construção do Parque Oriental da cidade, onde antes funcionava o “camping” municipal.

O evento contou com a presença do Cônsul-Geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi, que cumpriu agenda na cidade em comemoração aos 110 anos da imigração japonesa ao Brasil.

O Parque Oriental integrará novo roteiro turístico da cidade – ligado ao Boulevard Gastronômico na região central e ao Templo Luz do Oriente, onde está situada a Torre de Miroku.

Durante o lançamento da pedra fundamental da obra, Kiko relembrou a trajetória percorrida pela Administração até chegar ao início da construção do Parque.

“Depois de superadas diversas barreiras em 2017, iniciamos esse ano com série de obras e investimentos em todos os setores. Sabemos da preocupação dos moradores sobre a situação do antigo Camping e do desejo de que essa belíssima área de lazer seja reaberta ao público. Estamos trabalhando para garantir que isso seja feito o mais brevemente possível e entregar um novo Parque, muito mais bonito e acolhedor para os visitantes”, declarou o prefeito Kiko.

“Estou muito feliz de testemunhar o início da obra do Parque Oriental, evento que ganha ainda mais importância nos 110 anos da imigração japonesa ao Brasil”, disse o Cônsul-Geral do Japão em São Paulo, ressaltando a importância do turismo para o desenvolvimento da atividade econômica. “Ribeirão Pires está perto de São Paulo, cidade com mais de 12 milhões de habitantes. Esperamos que com os atrativos, Ribeirão Pires reative esse setor.

Situado às margens da Represa Billings, na Estância Noblesse, o Parque, que atualmente não se encontra em funcionamento, tem área de 100 mil m².

O espaço contará com Centro de Convenções, área gastronômica e Centro de Informações, além de áreas para a prática de atividades físicas e de lazer, bem como de contemplação.

Com as obras estruturais e paisagismo, o Parque passará a contar com a temática oriental. Deste ponto sairão os passeios de barco (trimarã) até o Templo Luz do Oriente.

Para garantir os recursos de R$ 4,2 milhões que serão destinados ao Parque Oriental, a Prefeitura iniciou em 2017 intenso trabalho de regularização da situação do município junto ao Dadetur.

Em razão de série de irregularidades cometidas pelos gestores anteriores em convênios do turismo junto ao Estado, a cidade estava impedida de celebrar novas parcerias.

Análises de documentações referentes aos convênios e contratos firmados pela Prefeitura foram realizadas.

Neste processo, erros graves foram identificados, como a falta de licenças junto aos órgãos competentes para a construção do Teleférico, além de falhas relacionadas ao convênio do Parque Temático da gestão anterior.

Por essas irregularidades o Estado atribuiu o impedimento de novos repasses de verbas via Dadetur a Ribeirão Pires.

Depois de identificados os problemas, a Prefeitura iniciou trabalho para a regularização da situação, que incluiu a devolução de R$ 416 mil ao Estado – dinheiro repassado por meio de convênio celebrado com o Dadetur em 2014 e que os antigos gestores usaram para comprar parte dos equipamentos do Teleférico – que nunca foram entregues pela empresa ao município.

A Prefeitura dá andamento a processo para que os envolvidos no caso sejam responsabilizados e os cofres públicos sejam ressarcidos.

O trabalho de regularização, somado às ações de responsabilidade fiscal e saneamento de dívidas herdades (com a consequente recuperação das certidões necessárias à celebração de convênios com o Estado), garantiu ao município a celebração de convênio com o Dadetur em 2017 e 2018.

Por meio das parcerias, estão em andamento, além do Parque Oriental, as obras do Boulevard Gastronômico, fases 1 e 2.

Os três convênios somam R$ 10 milhões em investimentos.

Pesquisa Brasilis/Genial revela como os eleitores avaliam seus candidatos

Uma pesquisa das intenções de votos à Presidência da República, feita pelo Instituto Brasilis e contratada pela Genial Investimentos, divulgada nesta quinta-feira (27), inova ao traçar o perfil dos candidatos na visão do eleitorado brasileiro.
É a segunda pesquisa divulgada pelo Instituto, que ouviu 1 mil pessoas, feita por telefones fixo e móvel, de modo aleatório, entre os dias 25 e 26 de setembro, com uma margem de erro de 3,5 pontos percentuais, para mais ou para menos.
Mas o que difere o levantamento de outros foi a pergunta relacionada aos “atributos dos candidatos”. Tratam-se de palavras-chave que indicam o que motivam os votos dos eleitores, também chamados de “key-drivers do voto”.
Nesse quesito, foram testados seis atributos de imagem: “combater a corrupção”, “ser pulso forte”, “tomar de volta o Brasil das mãos dos ricos”, “entender o problema dos pobres”, “ser gente como a gente”, e “fazer as pessoas comprarem e consumirem mais”.
De acordo com o cientista político e sócio-diretor do Instituto Brasilis, Alberto Carlos Almeida, a pesquisa detectou que cada candidato se caracteriza da seguinte maneira para o eleitorado:
Bolsonaro: o candidato que tem pulso forte para combater a corrupção;
Haddad: o candidato do social, tem o mesmo perfil de Lula em 2002 e 2006 e Dilma em 2010 e 2014;
Alckmin: os eleitores que ficaram com ele o valorizam mais por seu perfil social e, por isso, no segundo turno a maioria deles opta por Haddad;
Ciro: é o candidato que tem pulso forte para aumentar o poder de compra da população, e a proposta do SPC foi importante para formar esse perfil;
Marina: é a candidata que está ao lado do povo, mas não está associada à resolução de problemas, tal como a corrupção e o consumo da população.
De acordo com Almeida, duas características de Bolsonaro são a marca forte do candidato, uma vez que os números escolhidos para estas expressões (34,3% para “combater a corrupção” e 36,6% para “ser pulso forte”) se distanciam muito da média geral do presidenciável, que é de 27,9%.
Da mesma forma, isso revela, na visão do cientista político, “que seus eleitores têm poucos motivos destacados para votar nele”.
Já aqueles que votam em Marina Silva, Ciro Gomes e aqueles eleitores que restaram com Alckmin “têm características semelhantes aos eleitores de Haddad”, voltadas ao social.
Na visão de Almeida, a mudança no perfil de Alckmin, que até então não eram associados a medidas sociais, para o povo, ocorre porque o tucano perdeu os eleitores de centro-direita.
As características que os eleitores de Geraldo Alckmin assinalam é reveladora, demonstrando que ele “perdeu o eleitor típico do PSDB para o Bolsonaro, em particular por causa da característica ‘ter pulso forte, decidido’ que nas eleições anteriores esteve sempre exclusivamente associada ao candidato tucano”, apontou.
Assim, o diretor do Instituto Brasilis, responsável pela pesquisa, conclui que “o PSDB foi esvaziado pelo Bolsonaro”, e que, por isso, Alckmin não tem mais chances na corrida eleitoral: “ele já não consegue trazer para si o eleitor de centro direita”.
A pesquisa também registra o crescimento consistente da candidatura de Fernando Haddad (PT) e a queda de intenções de voto de Jair Bolsonaro (PSL).
No levantamento, Haddad teve um aumento de quatro pontos percentuais, atingindo 22% das intenções registradas, e Bolsonaro aparece com 27%, uma diminuição de três pontos percentuais em comparação ao levantamento anterior, divulgado no dia 21 de setembro.
Na simulação de segundo turno, Haddad vence com 44% das intenções de voto, contra 36% de Jair Bolsonaro, uma inversão na vitória de Haddad, em comparação à semana anterior, quando o candidato da extrema direita ganhava por 43% contra 39% do petista.
No relatório divulgado pela Genial Investimentos, Alberto Almeida também aponta que o aumento das intenções de voto do candidato do PT ocorre “em ritmo mais lento”, ainda que “sem sinais de reversão da tendência de fortalecimento”.
Enquanto que o enfraquecimento de Bolsonaro estaria, em sua visão, associado a ausência do candidato nos debates e atividades de campanha, além dos ataques da equipe de campanha do PSDB e à reação negativa de parte da sociedade, principalmente o eleitorado feminino.
Por fim, Almeida acredita que o resultado de Bolsonaro versus Haddad em um segundo turno já está definido: “Para que um dos demais candidatos se torne capaz de ir ao segundo turno, deslocando ou Bolsonaro ou Haddad, é preciso retirar para si, ao menos, 0,8 ponto percentual por dia dos candidatos favoritos a se qualificarem para o segundo turno. Não há sinais consistentes de que isso possa ocorrer”, concluiu.
Leia a íntegra do relatório da pesquisa abaixo ou clique aqui para download do arquivo

Mourão pode ter sepultado Bolsonaro ao defender o fim do 13º salário

Mourão afirmou que 13º e adicional de férias são “mochila nas costas de todo empresário”

O candidato a vice-presidente na chapa do deputado presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), o general da reserva Hamilton Mourão, em campanha no sul do país, criticou o direito a férias e o pagamento de 13º salário a trabalhadores. Bolsonaro desautorizou o vice pelo Twitter e afirmou que, ao criticar o 13º, Mourão faz “uma ofensa a quem trabalha” e “confessa desconhecer a Constituição”.

Para Mourão, os direitos previstos aos trabalhadores são “jabuticabas” – ou seja, só ocorrem no Brasil – e “mochila nas costas de todo empresário”. “E temos algumas jabuticabas que a gente sabe que é uma mochila nas costas de todo empresário” (sic), diz Mourão, que prossegue citando o 13º salário como um das “jabuticabas”.

“Se a gente arrecada 12 [meses] e pagamos 13? E [o país] é o único lugar onde a pessoa entra em férias e ganha mais”, disse o general da reserva.

Analistas afirmam que a medida em que os trabalhadores tomem conhecimento da determinação isso traga prejuízos a candidatura de Jair Bolsonaro.

Acompanhe abaixo o vídeo

Posto Acessa SP no Jardim Caçula promove inclusão digital em Ribeirão Pires

Por meio de cadastro, população pode utilizar computadores com acesso à internet gratuitamente

Moradores do Jardim Caçula, região afastada da área central de Ribeirão Pires, contam com importante espaço de inclusão digital no bairro. No local, a população conta com o Posto Acessa São Paulo, programa disponibilizado pelo Governo do Estado de São Paulo, com apoio da Prodesp – Companhia de Processamento de Dados do Estado, em parceria com a Prefeitura. O espaço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h – Rua Fagundes Varella, 35 – Jardim Caçula.

O objetivo do Acessa São Paulo é garantir acesso democrático e gratuito às tecnologias da informação e comunicação. No local, os usuários podem utilizar gratuitamente os computadores para ter acesso aos serviços públicos oferecidos pelo Governo por meio digital, realizar trabalhos, pesquisas ou navegar livremente pela Internet, imprimir currículos e outros documentos e até e mesmo desenvolver projetos, com o uso de tecnologias e que beneficiem a comunidade.

De janeiro a agosto de 2018, o Posto Acessa SP do Jardim Caçula atendeu cerca 1400 usuários.  O programa é aberto a toda população. Para utilizar os serviços, é necessário realizar cadastro, mediante apresentação de documento pessoal – RG. Jovens menores de 16 anos devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis para efetivação do cadastro e primeiro acesso.

Mauá lança pacote de melhorias da Saúde

Medidas avançam ações de obras voltadas à Pasta

A Prefeitura de Mauá preparou um pacote de melhorias e inaugurações que vai atender uma importante reivindicação dos profissionais da saúde e, principalmente, dos pacientes do Hospital de Clínicas Dr. Radamés Nardini.

Nesta quarta-feira, 26/9, foi autorizada a abertura de processo licitatório para a reforma do 4º andar do equipamento. Também foi assinada a ampliação do horário da Central de Regulação Municipal para 24h, que havia sido reduzido, além do pacote de obras que serão entregues, como: novo refeitório, leitos, UTI 2, almoxarifado e farmácia.

Para o prefeito de Mauá, Atila Jacomussi, a administração Um Novo Tempo está retomando o compromisso de fazer uma cidade melhor para se viver. “Temos que cuidar do nosso povo e estas medidas mostram que nos preocupamos com todos. A área da saúde é o coração de Mauá, por isso queremos remediar todos os problemas”, afirmou.