Com início do período eleitoral, Kiko e Lair são os únicos que apresentam fragilidade jurídica.

kikolair

Os candidatos a prefeito de Ribeirão Pires reúnem alguns fatores pró e contra suas candidaturas. Abaixo, o Repórter ABC, apresenta esses pontos que para que nossos leitores conheçam e reflitam sobre a situação daqueles que em 1º de janeiro poderão ser empossados como prefeito da cidade.

7Kiko Teixeira (PSB) – Em relação ao Candidato do PSB, Kiko Teixeira, político experiente que já exerceu mandato como vereador e também como prefeito por duas vezes na cidade de Rio Grande da Serra, o mesmo está envolto em grande polêmica sobre o seu domicílio eleitoral que atualmente encontra-se em investigação a pedido do Ministério Público. Pesa também contra Kiko, o processo nº 0119752-26.2008.8.26.0053 no Supremo Tribunal Federal (STF) onde Kiko pode ser condenado por crimes cometidos enquanto exercia a presidência do legislativo de Rio grande da Serra. Kiko obteve garantia de registro de candidatura graças a decisão monocrática do Ministro Edson Facchin. O referido processo aguarda agendamento para julgamento pelos 11 juízes do STF causando homérica fragilidade jurídica em sua candidatura.

2Renato Foresto (PT) – Vereador de primeiro mandato, tem exercido desde a sua a posse, forte oposição ao atual governo municipal. Articulado e inteligente, no parlamento de Ribeirão Pires tem sido forte voz na luta pela transparência. É dele o requerimento de abertura da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que pretende apurar possíveis irregularidades no setor da saúde. Filiado ao Partido dos Trabalhadores, tem boa avaliação pessoal, restando-lhe durante esse pleito eleitoral se sobressair e apresentar projetos e personalidade que se oponham ao cenário desfavorável a seu partido em âmbito nacional.

8Dedé da Folha (PPS) – Edinaldo de Menezes, também conhecido por Dedé da Folha, foi vereador por Ribeirão Pires e vice-prefeito. Fez graduação em Letras, Jornalismo e pós-graduado em Gestão de Cidades. Enquanto exercia presidência da Câmara de vereadores sofreu processo administrativo sendo condenado a inegibilidade pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Em 25 de julho de 2016 após recurso, foi reconhecido o erro cometido e o direito político foi reconhecido para a disputa desse ano. Sem ter feito pré-campanha, Dedé da Folha tem a seu desfavor a desconhecimento por parte do eleitorado sobre a sua candidatura.

5Lima (PSTU) – José Cantídio de Sousa Lima está se candidatando ao cargo de prefeito na cidade de Ribeirão Pires. Lima é declarado candidato de esquerda de linha ideológica socialista. Defensor do estado como indutor, prega estatização dos meios de produção, saúde e educação. Seu partido tido como nanico, nunca elegeu candidatos a nenhum cargo público. Seu objetivo principal nessas eleições é ampliar diálogo com a população com o discurso do proletariado e da participação popular nos rumos da cidade.

1Saulo Benevides (PMDB) – Atual prefeito da cidade, é tido como bom articulador político. Foi vereador por cinco mandatos. Seu governo passa por grave crise financeira e administrativa. Com uma série de obras inacabados a exemplo do Teleférico e da avenida Brasil, entre todos os candidatos é o que apresenta maior rejeição. Com grande número de candidatos ao Paço, o candidato a reeleição Saulo Benevides aposta numa recondução ao posto de mandatário do município.

3Rosana Figueiredo (REDE) – Servidora pública na cidade, advogada de profissão, Rosana Figueiredo nunca concorreu a cargo eletivo. Tem como principal proposta o “Cidade Colaborativa que segundo planeja, a administração e o cidadão atuarão colaborativamente no problema e na solução, no planejamento e na gestão. O projeto se baseia na transparência e na participação popular gerando controle. Para a candidata esse projeto “Cidade Colaborativa” não se trata de objeto de poder pelo poder, mas um projeto da cidade para a cidade. Pesa ao desfavor de Rosana a falta de visibilidade e o desconhecimento de seu nome.

6Leo Moura (PMB) – Atual vice-prefeita de Ribeirão Pires, acumulou cargo na atual gestão como secretaria de Educação. Atuante na área da saúde e inclusão também foi dirigente da APRAESPI. Pesa sobre Leo, a dificuldade de interlocução com segmentos sociais e também o fato de sua companheira de chapa, Lair Moura figurar na lista de fichas sujas do Tribunal de contas do Estado de São Paulo. Segundo posicionamento do TCE, a decisão é irrecorrível e caso não consigam liminar, a vice deverá ser substituída.

4Luiz Carlos Grecco (PRB) – Ex-prefeito de Ribeirão Pires por duas vezes, sendo que na década de 80 renunciou para ser candidato a deputado estadual a pedido de Paulo Maluf. Tem a seu favor um grande apego por parte do funcionalismo público. Segundo corre no meio político, Grecco apresenta propostas que não se adequam a atualidade. Outro ponto desfavorável é a sua pouca inserção em meio a juventude.

9Carlos Sacomani (PSL) – Carlos Alberto Sacomani está se candidatando ao cargo de prefeito na cidade de Ribeirão Pires pelo PSL. Conhecido como Banana, é empresário do ramo alimentício, recentemente teve uma de suas empresas envolvidas em escândalo de merenda escolar. Ainda que tenha concorrido em licitação e vencido, a sua empresa não possuía autorização para fornecer alguns tipos de gêneros alimentícios ficando impedido de prestar os serviços para a prefeitura de Ribeirão Pires. Com pouca penetração social, levar o seu nome a parcela significativa do eleitorado é fundamental.

 

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply