É o fim da picada: Agente penitenciária é transferida ao chamar Adriana Ancelmo de detenta.

Uma agente penitenciária foi transferida de unidade depois de chamar Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) de detenta e pedir que ela colocasse as mãos para trás.

A responsável pela denúncia é um colega de profissão da funcionária da Administração Penitenciária do Estado do Rio ouvido pela BandNews FM.

  

Ele afirmou ainda que a direção do presídio Joaquim Ferreira de Souza, em Bangu 8, onde Adriana está presa, tem medo da mulher de Sérgio Cabral.

Adriana Ancelmo está presa desde o fim do ano passado. Recentemente, os advogados de Ancelmo tentaram converter a prisão preventiva em domiciliar onde o juiz Marcelo Bretas da sétima vara criminal Federal do Rio entendeu que os filhos mais novos não podem ser penalizados com o processo em andamento, mas a decisão foi revogada.

Adriana Ancelmo foi detida acusada de participar dos crimes investigados na Operação Calicute da Polícia Federal e Ministério Público Federal

Acostumada com luxos e mimos, Adriana se utilizou de dinheiro possivelmente fruto de corrupção para comprar joias milionárias.

Em depoimento ao mesmo juiz Marcelo Bretas, – o mesmo juiz que queria libertar Adriana -, a governanta da família do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), Sônia Ferreira Baptista, disse no dia 17 de março que comandava 15 empregados domésticos do casal e recebia R$ 20 mil mensais, trabalhando em home office.

A governanta disse também que durante algum tempo, foi remunerada pelo Senac-RJ, onde era lotada em um cargo comissionado, mas nunca trabalhou na função – era empregada do governador. Segundo ela, as despesas mensais da família chegavam a R$ 150 mil.

Se a ex-primeira larápia surrupiadora do Rio, esposa do ex-governador Sério Cabral não é detenta, ela é o que? Presa? Cativa? Detida? Prisioneira? Encarcerada? Não entendi a razão da transferência. Será que a motivação foi a tal picanha no alho que não chegou a tempo da ceia? Luís Carlos Nunes

Deixe uma resposta