Educação de Ribeirão Pires protagoniza mais um desrespeito com os servidores.

A secretaria de Educação de Ribeirão Pires, pasta capitaneada pela secretária Flávia Regina Banwart é pivô de mais um descaso com os recém aprovados no concurso realizado em 2016.

Através da portaria 27.879 datada de 11 de janeiro de 2017, foram convocados 360 nomes aprovados para nomeação. Passados 52 dias, os mesmos ainda não assinaram os seus respectivos Termos de Posse.

Na referida Portaria consta que: “As pessoas nomeadas, de acordo com o disposto na Lei nº 6.123, de 03 de novembro de 2016, deverão tomar posse do cargo no prazo improrrogável de 20 (vinte) dias, contados da publicação da presente portaria, decaindo do direito de posse se não o exercerem no prazo. Para a posse, deverão comparecer no Gerência de Recursos Humanos, localizada na Rua Miguel Prisco, nº 288 – Paço Municipal – Centro, no horário das 09:00 às 17:00 horas”.

Diversos servidores convocados procuraram nossa redação a procura de informação e também para denunciar a situação.

Isso é uma grande irresponsabilidade e grande desrespeito com os aprovados! Será que podemos perder o direito conquistado”, disseram a uma só voz e de maneira unanime.

A Legislação Federal, através da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, artigo 13º ao 15º, reforçam o receio dos aprovados.

O Blog Caso de Política, em contato com o Sindicato da Categoria, Sineduc, obteve a informação de que a entidade já entrou em contato com a administração municipal através de ofício cobrando a imediata regularização destes servidores.

Já encaminhamos ofício administrativo para a prefeitura questionando a questão. A postura do Sineduc é de defender o direito dos trabalhadores e não irá permitir que injustiças ocorram com os aqueles que estudaram e passaram no concurso”.

Informações do Paço, afirmam que faltam alguns exames médicos admissionais para serem feitos, os quais não foram realizados por falta de quadro médico.

Só nos resta saber, o que está sendo feito de fato! A secretária Flávia deveria estar esperando o seu 2017 ter início após o carnaval? Ou será que ela não sabia? Este novo escândalo pode trazer graves consequências na vida dessas pessoas que foram aprovadas no concurso de 2016 e também trazer imenso prejuízo ao executivo com novas demandas jurídicas com possível desperdício de custas processuais. Creio que já está mais do que na hora de arregaçar as mangas e trabalhar com vontade e espírito público, fazendo com que a máquina realmente decole e cumpra com sua digna e nobre missão social. Luís Carlos Nunes

Deixe uma resposta