Eleições em Ribeirão Pires: baixaria nas redes sociais já é alvo de críticas.

fake

Em Ribeirão Pires a disputa eleitoral deste ano está mais voltada para o embate virtual do que a discussão de propostas. Soldados virtuais se voltam para criticar uns ao outro, e as propostas que os candidatos têm para o município ficam em último lugar. Essa pseudo “guerra cibernética” é clara e já vem sendo alvo de rejeição por parte dos eleitores que estão sempre conectados nas redes sociais.

Já foram alvos de “trolagem” e ataques o candidato a prefeito Renato Foresto (PT) que viu seu nome na mira de Fake’s (falso em inglês), que tramavam estratégia para denegrir a sua imagem. Dedé da Folha (PPS), também não foi poupado quando sobre uma possível desistência do candidato Saulo Benevides viu inclusive o presidente de uma agremiação compartilhar por mais de 60 vezes nas redes sociais de que Saulo apoiaria sua candidatura, fato amplamente negado por Dedé. O prefeito Saulo Benevides também entrou numa insana “metralhadora giratória” em seu desfafor com charges, vídeos…

Num caso mais recente, um vídeo cita o candidato Kiko do PSB e seu vice, Gabriel Roncon. O material com edição profissional e voz “macabra” expõe o nome de apoiadores de suas candidaturas como verdadeiros mal feitores e um suposto fatiamento de um possível governo. Boletim de Ocorrência foi registrado e representação foi feita junto ao Ministério público para possível apuração dos responsáveis.

Não é de hoje que ouvimos de alguns eleitores que esse nível de discussão política não agrada, pois ela não soma em nada e o principal foco que é o que os candidatos vão fazer caso sejam eleitos fica de fora da discussão.

A reforma política realizada ano passado trouxe algumas modificações nas leis eleitorais, e uma delas é que cada candidato principalmente ao executivo envie suas propostas de campanha ou plano de governo ao TSE, isso é muito importante, pois se o seu candidato não fala em plano de governo ou não diz o que pretende fazer, pode ter certeza que ao votar nele você estará assinando um cheque em branco, para ele fazer o que quiser. Espera-se que o debate seja feito com bases sólidas, tudo documentado para que não paire dúvidas até mesmo porque as eleições passam e o cidadão fica! Por tanto nada de brigas, baixo nível ou ofensas pessoais.

Aqui não faremos juízo de valor e tão pouco puxar a braza para a sardinha de ninguém. Mas conceitos e ânimos de muitos precisam ser revistos! O que se qualifica como situações negativas, o eleitor encara como baixaria. De certa forma, essas discussões são muito importantes para esse momento de eleições, pois o eleitor se informa sobre os candidatos disponíveis ao pleito seu passado e o que ele já fez ou deixou de fazer. Se tivermos apenas campanha positiva de todo candidato, na prática, a eleição se consagrará como uma apresentação de candidatos que ficarão ilesos aos ataques”. Mas há limites, difundir informação sem base documental ou legal é crime. A falta de um programa de governo ou a falta da discussão do que se pretende fazer faz parte da velha política no Brasil e políticos que estão fora desse quadro, mostram-se alinhado em um novo jeito de administrar as cidades. Povo bem informado é povo poderoso! Luís Carlos Nunes.

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply