Em entrevista coletiva, Saulo fala da grandiosidade do Teleférico, fala sobre saúde e Shopping Center.

_dsc2394

Em entrevista coletiva concedida a imprensa na manhã desta quinta-feira (20), o prefeito Saulo Benevides apresentou seus posicionamentos sobre temas latentes em Ribeirão Pires, a exemplo das obras do Teleférico cidade Encantada, construção de um Shopping Center na cidade e sobre a saúde.

Iniciando suas declarações, Saulo não poupou a imprensa que segundo a sua avaliação, propagou informações improcedentes não levando a população o real sentido da construção do Teleférico.

“Não é de hoje que há na cidade o desejo de governantes em tocar essa obra. O ex-prefeito Prisco, lá atrás já demonstrava interesse na obra, e também o ex-prefeito Clóvis Volpi também vislumbrou. Eu tive coragem e corri atrás de recursos para tal e na minha avaliação é o maior projeto que Ribeirão Pires já teve uma vez que a sua conclusão trará novos investimentos e arrecadação com a atração de turistas para a Estância sem ônus para Ribeirão uma vez que os recursos são todos oriundos dos governos Estadual e Federal e a manutenção será feita através de uma Parceira Público Privada (PPP)”, disse o prefeito.

_dsc2398

Farto documentação foi disposto aos jornalistas numa tentativa de esclarecer de que o projeto não sofre embargo ou impedimentos.

Sobre a disposição do prefeito eleito, Kiko Teixeira em não dar continuidade ao projeto, Saulo disse que isso é um erro e cobrou posição estadista do futuro mandatário da cidade.

“Quando assumi a administração municipal dei continuidade em obras de meu antecessor. Paralisar as obras seria um grave erro uma vez que esse ato obrigaria o município a ter que devolver todo o dinheiro já investido com correção. Tenho certeza que passado o calor das eleições e assim que ele (Kiko) assumir pensará melhor e verá que temos razão e assumirá uma nova postura sobre o Teleférico”.

Guerra Fiscal

Sobre a construção de um shopping Center na cidade, o prefeito Saulo Benevides defendeu que o projeto é uma necessidade. Questionado pelo Jornal repórter ABC/Caso de Política sobre os 99 anos de concessão para a empresa que exploraria o empreendimento, Saulo alegou que o tema envolve uma acirrada guerra fiscal entre municípios.

“Quero deixar muito clara que em momento algum, eu pensei em tirar vantagens pessoais com o projeto do Shopping. Hoje muitas cidades do estado e até mesmo do país se utilizam de incentivos para atrair novas empresas e empreendimentos. Existem cidade que não oferecem concessão, elas vão além e oferecem doações de áreas que dispõem inclusive de galpões e edificações. Se analisarmos bem, não é hoje que empresas migram para outras cidades por encontrarem lá vantagens maiores do que onde estão alojadas atualmente. Precisamos ter um olhar realista e pararmos de pensar que as coisas acontecem ao acaso. É preciso trabalhar e agir conforme os interesses da cidade. Eu optei pelo desenvolvimentismo, mas infelizmente fui mal compreendido”, argumentou.

Ainda sobre o shopping Center Saulo disse que se reuniu por diversas vezes com os vereadores o solicitou a aprovação para a concessão uma vez que o projeto do shopping criaria cerca de mil novos empregos.

Sem apresentar números, Saulo reconheceu que deixará dívidas para o próximo governo.

“Existe grande especulação de que deixarei dívida de R$ 150 milhões. ainda não temos o valor total. Mas na verdade essa dívida é fruto de uma crise que está instala no país. Iniciei meu governo com um planejamento e as receitas caíram drasticamente. Aguardo e a disposição o envio dos nomes do governo eleito para fazermos uma transição mas até o momento ainda não recebi”.

Finalizando a coletiva, questionado pelos jornalista sobre os seus planos políticos para o futuro, Saulo disse que não planeja concorrer nas próximas eleições municipais de 2020, mas que se o Kiko não concluir as obras do Teleférico e o shopping Center, voltará e o fará.

Deixe uma resposta