Escoteiros ganham título de utilidade pública.

_DSC1822

O Grupo de Escoteiros “Anderson Rossi Almeida -160° SP” foi declarado na ultima sessão da Câmara de vereadores como entidade de utilidade pública em razão de importantes serviços prestados em Ribeirão Pires.

Segundo o vereador Hércules Giarola, autor do projeto o reconhecimento é justo e digno de ser reconhecido.

“O escoteiro é quem podemos chamar de cidadão exemplar. Honrado, leal, útil, amigo, cortês, bondoso, obediente, alegre, econômico e limpo. Um de seus lemas é ‘Estar sempre aleita para ajudar ao próximo e praticar diariamente uma boa ação’. O que deveria se estender a toda à sociedade, não é?”, disse o vereador em trecho de sua justificativa.

O escotismo chegou ao Brasil em 1910. Em 4 de novembro de 1924, foi fundada a União dos Escoteiros do Brasil. A hierarquia respeita a faixa etária de seus membros. Os meninos de sete a 11 anos de idade pertencem à categoria dos lobinhos. Os de 11 a 15 anos tornam-se escoteiros.

A partir dos 16 anos, passam a ser seniores, responsáveis pelo ensino e pela guia dos iniciantes. Ao serem admitidos, todos os escoteiros se comprometem a seguir os regulamentos da organização. Assim, recebem o uniforme e os ensinamentos práticos previstos no manual de Baden Powel.

“O escotismo é um ideal de vida. É um dos caminhos mais seguros para que tenhamos uma sociedade mais justa, uma cidade mais humana, uma convivência pacífica, pois as crianças e jovens escoteiros adquirem valores fundamentais para sua formação como o civismo, o ato de compartilhar, a igualdade entre as pessoas, sem distinção de classe social, etnia e credo. Além disso, os escoteiros aprendem e praticam no seu dia a dia a importância dos laços de amizade, o esforço coletivo e as ações de defender e melhorar o ambiente humano para as atuais e futuras gerações”, concluiu Hércules Giarola.

Deixe uma resposta