Estelionatos e golpes crescem em Ribeirão Pires

Os casos de golpe e estelionato têm crescido muito em Ribeirão Pires. Segundo informações apuradas junto a Delegacia de Polícia Judiciária da cidade, no mês de julho de 2018 aconteceram 44 registros de ocorrência, uma média de 1,42 casos por dia. No mês de agosto, houve um acréscimo de mais de 20%. Foram registrados 53 novas ocorrência, ou “1,71” estelionatos por dia.

No levantamento desses últimos dois meses de 2018, não estão discriminados os tipos de golpes mais recorrentes. No entanto, o Repórter ABC que acompanha quase que diuturnamente as ocorrências policiais, não nos fica difícil notar que entre as vítimas nos conhecidos golpes 171 – número do artigo do Código Penal que classifica o crime de estelionato – estão como vítimas os idosos e também em função ao acesso a novas tecnologias, golpes aplicados via internet e telefonia são majoritários.

Uma outra modalidade que está sendo empreendidas pelos estelionatários, acontecem em clonagem de cartões bancários e de crédito.

Uma outra modalidade de golpe que vem ganhando estampas na imprensa local e regional é o conto do vigário. Na delegacia da Estância existem ao menos uma dúzia de registros de ocorrências dando conta deste tipo.

No caso mais recente, no último dia 27 de agosto, o Repórter ABC noticiou em sua página na internet (reporterabc.com.br) que um jovem morador de Rio Grande da Serra caiu no golpe quando um homem deixou cair um pacote que aparentava ter dinheiro dentro. Ao devolver ao dono o rapaz foi ludibriado com a oferta de uma recompensa e acabou perdendo o dinheiro que carregava e outros pertences.

O que é estelionato?

Estelionato é um crime que possui como objetivo atingir o patrimônio de alguém a partir de enganação, golpes, fraudes e outros meios. A intenção principal do autor dessa infração é enganar para conseguir atingir o patrimônio da vítima.

Para identificar um estelionato, algumas características essenciais devem estar presentes. Na falta de alguma delas, não será possível classificar o ato do criminoso como um estelionato. As quatro características obrigatórias são:
Conseguir uma vantagem patrimonial ilícita;
Causar danos à vítima;
Utilizar meios ardilosos, enganosos ou artimanhas;
Enganar a vítima ou levá-la a cometer um erro
É importante saber que esse tipo de crime só pode ocorrer quando o autor realmente deseja realizar o ato e prejudicar a vítima, ou seja, quando possui dolo. Não é possível cometer estelionato de forma culposa, sem desejar ou possuir intenção.

Legislação
O crime do estelionato está previsto na legislação brasileira no art. 171 do Código Penal, com a seguinte redação: obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento.

Speak up! Let us know what you think.