Expulsão de Maranhão pode causar efeito manada no PSDB. Partidos disputam sua filiação.

A expulsão do prefeito Gabriel Maranhão a pedido do presidente estadual do PSDB, o deputado estadual Pedro Tobias pode se reverter em imenso “efeito manada” no ninho tucano com grande número de vereadores já externado publicamente solidariedade ao prefeito e declaração de apoio à candidatura de reeleição de Márcio França ao Palácio dos Bandeirantes.

Segundo fontes ligadas ao Paço de Rio Grande da Serra, “nesta terça-feira o prefeito recebeu inúmeras ligações de solidariedades de políticos do PSDB que apoiam a decisão de apoio a França”, disseram as fontes.

Segundo ainda, “um dirigente da executiva nacional do PSDB, que entrou em contato com o prefeito Maranhão, todo polido e atencioso, tentou amenizar a crise e comunicou que uma reunião está agendada com o PSDB paulista para discutir a atitude do presidente estadual e os efeitos da decisão de expulsão”.

Essa não é a primeira ocorrência de expulsão de politico na região do ABC. O professor Clóvis Volpi, que disputou a eleição para prefeito de Mauá, pelo PSDB, sob a caneta de Tobias, foi expulso da legenda após anunciar apoio no segundo turno ao candidato do PT, Donisete Braga. Volpi terminou o primeiro turno em terceiro lugar, com 20,23% dos votos válidos. Na ocasião, o PSDB estadual indicou o apoio para Atila Jacomussi que foi eleito pelo PSB.

Com a grande repercussão, com considerável número de políticos investidos em cargos eletivos e calçados por volumosas lideranças, será que todo aquele que declarar voto em França será abatido e posto para fora como infiel? Eis a grande pergunta!

De acordo com informações de bastidores, a expulsão de Gabriel Maranhão foi a pedido do prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando em função da postura do prefeito de Rio Grande da Serra que cobrava no seio do Consórcio Intermunicipal do ABC “um debate mais produtivo e ampliado” com relação a políticas públicas para a região.

Morando é conhecido no ambiente político por ter perfil centralizador e vaidoso, sendo avesso a questionamentos e contrariedades.

Gabriel Maranhão administra a menor cidade do ABC em termos de capacidade de investimentos, mas com esses últimos acontecimentos tem demonstrado prestígio e bom trânsito no cenário político.

Uma fonte nos confidenciou de que diversos presidentes de partido procuraram Maranhão abrindo as portas para filiação. Estão entre os cardeais partidário, o deputado Alex Manente, presidente estadual do PPS, o PROS através de seu presidente Ricardo Teixeira e a deputada Federal Renata Abreu do PODEMOS. O PV é outra legenda que se apresentou simpática em ter o alcaide Maranhão em seu quaro de filiados.

Gabriel Maranhão foi convidado pelo governador Márcio França (PSB) para uma reunião – que não consta da agenda oficial – no Palácio dos Bandeirantes nesta quarta-feira (25). No encontro, Maranhão poderá assinar o seu ingresso ao PSB.

Deixe uma resposta