Formosa: Força tarefa liderada pelo Ministério Público faz vistoria ambiental e sanitária

Blog Oeste Global – Agentes de diversos órgãos fiscalizadores ambientais, como o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – INEMA, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia – CREA, Divisão de Vigilância Sanitária – Divisa, Fundação Nacional de Saúde – FUNASA que sob coordenação do Ministério Público Estadual (MPE) e apoio da Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental – CIPPA, realizaram nesta terça-feira (20/ago), ação de fiscalização em Formosa do Rio Preto. Participou também da equipe fiscalizadora, representando a secretaria de Meio Ambiente do município, o educador ambiental Oséias Aparecido de Souza.
Com atuação discreta, os agentes faziam anotações em agendas e notebooks e dirigiam-se a órgãos municipais para solicitar documentações necessárias. Segundo informações da Técnica Ambiental do MPE, Lara Lacerda, de forma sucinta, declarou que a ação trata-se de rotina da Fiscalização Preventiva Integrada – FPI. “Estamos aqui em Formosa do Rio Preto para vistoria na rede de distribuição e qualidade da água potável, fiscalização da destinação de resíduos sólidos, entre outros”, disse.
A força tarefa assim que chegou, foi recepcionada pelo vice-prefeito Gerson Bonfantti que acompanhou junto a equipe a verificação de instalações e sistema de distribuição de captação de água feita por carros pipas, seguindo logo após ao sistema de captação de água da EMBASA. 

Após o almoço a equipe se dividiu, sendo que uma se dirigiu até a sede da EMBASA em busca de verificar os processos de tratamento e distribuição de água, a outra dirigiu-se ao Hospital Municipal Altino Lemos Santiago, onde o agente do MPE fez registro do lixo hospitalar depositado em local inadequado. 

Sobre o lixo hospitalar, uma técnica da SESAB ao ver algumas imagens capturadas lamentou. “Isso é realmente lamentável, lixo hospitalar quando não dado destinação correta por empresa especializada deve ficar em local reservado e protegido, nunca exposto em espaço aberto e de fácil acesso, especialmente ao alcance de crianças”, disse a sanitarista.

Finalizando a missão, escoltados por policiais ambientais fortemente armados, dirigiram-se até o lixão municipal, onde se viu ao longo do caminho, tratores e caminhões com emblemas da prefeitura municipal retirando lixo e removendo terra as margens da via. 

Já no lixão, um cenário caótico, com aparente queimada e manejo do material recentes, carcaças de animais espalhadas, foram feitos registros fotográficos e diversas anotações sempre de maneira sepulcral.


You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply