Formosa: Jornada Pedagógica enfatiza combate à pedofilia

Foto e Textos: Luís Carlos Nunes
 

A Jornada que fez sua abertura com aproximadamente 360 professores, praticamente, mais que dobrou em seu dia de encerramento, ontem 27/fev) nas dependências do Colégio Sagrado Coração.

O Promotor de Justiça Carlos José e Silva Fortes, membro da equipe técnica da CPI da pedofilia, ministrou palestra sobre abuso sexual contra crianças e adolescentes.
Atentos, pais, professores, profissionais de educação, autoridades municipais e público diverso puderam conhecer casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes que infelizmente acontecem no país e relembrar casos que tiveram repercussão nacional como foi o caso acontecido no município de Sebastião Barros no estado do Piauí.
O promotor também falou dos perigos da Internet, a Campanha Todos Contra a Pedofilia e a legislação protetiva para enquadrar os crimes sexuais cometidos contra a criança, respondendo no final uma série de perguntas dos assistentes.
O promotor Carlos Fortes também respondeu a perguntas e sugeriu aos pais meios de proteger seus filhos quanto aos conteúdos da Internet.
Para o promotor Carlos Fortes, o abuso sexual cometido contra a criança atinge todos os seus direitos. “A criança que é vítima de pedofilia tem evidentemente desrespeitados seus direitos à saúde, uma vez que é agredida fisicamente, à vida, à sua dignidade, ao respeito e à liberdade. A criança que é vítima de pedofilia tem atacada drasticamente sua autoestima, via de regra, se torna depressiva e apresenta sequelas para toda a vida, tendo atingidos, pois, seus direitos à saúde (também mental), à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização e à cultura”, argumentou.
Segundo o promotor, as estatísticas mostram que há enorme tendência de que a criança abusada na infância se torne um abusador na idade adulta, podendo ainda, ter desvios de conduta e caráter.

Deixe uma resposta