Formosa: Porque eles foram vaiados?

Se nas esferas Federal e Estadual, o povo no exercício de seu direito democrático soltou suas vaias e protestos contra a corrupção e pela ética na política, em Formosa do Rio Preto não foi diferente. No município que passa por grave crise administrativa e política, jovens, sindicalistas, idosos e outras minorias não se furtaram. Veja a seguir, os momentos e as razões dos protestos.


Dilma: Após onda de protesto que a principio era contra a carestia do transporte público e sua péssima qualidade, elevado gasto na reforma e construção de estádios de futebol e que acabou evoluindo para questionamento sobre ética na política e contra a corrupção, a Presidenta Dilma ao lado do presidente da FIFA, Joseph Platter e do presidente da CBF, José Maria Marin, foi duramente vaiada na abertura da copa das confederações em pleno estádio Maracanã. Como resposta, Dilma articula pacto para reforma da legislação política.

Jabes Júnior: Na 30ª Vaquejada, conforme informações oficiais, o evento contou com aproximadamente 15.000 pessoas por noite, o prefeito Jabes Junior durante longo intervalo de troca de uma banda musical por outra, se aventurou a fazer discurso. O resultado foi uma ensurdecedora vaia, digna de entrar para a história do município.
Os motivos: O prefeito, pupilo do ex-prefeito e pré-candidato a deputado estadual, Neo Afonso, enfrenta onda de protestos sem precedentes. Professores já realizaram duas paralizações no ano, profissionais da enfermagem estão a quase 30 dias em greve, pais queixam-se de transporte escolar inadequado e irregularidade no fornecimento de merenda escolar, o atendimento a saúde anda mal das pernas, Agentes de Saúde e de Endemias reivindicam melhores condições de trabalho, recursos para obras retornam a cofres federais, funcionários contratados passaram sem receber salário durante vaquejada, ministério públicos investiga administração e prefeito em busca de irregularidades, etc… 

Bira Lisboa: Ao sair de audiência que apura suposta compra de votos e abuso de poder econômico nas eleições de 2012, Bira Lisboa, sem cerimônia, saiu em meio a manifestantes partidários do Prefeito Jabes Júnior e recebeu vaias de protesto.
O motivo não pode ser outro: Ter aberto processo judicial contra a coligação “Unidos Pela Vitória do Povo” e por descuido ou segurança de que sua presença iria passar despercebida.

Deixe uma resposta