Formosa: Sinal vermelho, as contas estouraram

Fontes seguras, afirmam que após orientação por parte do Tribunal de Contas dos Municípios acerca dos excessivos gastos com a folha de pagamento e consequente inchaço da máquina pública com contratação de apadrinhados e parentes, a luz vermelha acendeu em Formosa do Rio Preto. O prefeito Jabes Júnior, em caráter de urgência, convocou assessores, secretários municipais, vereadores da base aliada em busca de solução e temendo de seu enquadramento por crime de improbidade administrativa. A reunião aconteceu na tarde desta segunda-feira, 16 de setembro nas dependências da pousada Casarão, onde o alcaide apresentou como medida, uma suave redução nas remunerações dos cargos comissionados já no próximo pagamento, entre 20% e 25%, podendo nos meses subsequentes chegar a 50% e havendo possibilidade de redução de pessoal. A medida choca-se com a farra de seu início de mandato, onde Jabes Júnior concedia à revelia, gratificações de até 120% para seus indicados, em detrimentos aos concursados. A expectativa em Formosa do Rio Preto, é a de que, se a redução no quadro realmente se efetivar, deva ser feita entre nomeações comuns ou entre os apadrinhados consanguíneos. Eis aí a explicação, para que pela primeira vez, uma (des)administração no município, pague salários de seus servidores em atrazo, como a exemplo, do que ocorreu recentemente com professores e também no período da vaquejada 2013, onde contratados ficaram sem seus sagrados e exploratórios proventos. A população protesta e pede por ética, moralidade com o trato da coisa pública.
You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply