Funcionários do São Lucas estão revoltados com as péssimas condições de trabalho.

“O hospital está uma loucura, funcionando sem circuito de respirador, funcionando Pronto Socorro Infantil (PSI) sem torneira na pia da medicação, sem funcionário nenhum, estão assediando funcionários pra forçar pra descer pra atender. Está uma doideira, os funcionários estão todos revoltados”.

As denúncias acima, foram relatadas por funcionários do Hospital São Lucas que contestam as promessas não cumpridas e feitas pelo prefeito Saulo Benevides (PMDB), durante a inauguração da reforma da unidade de atendimento médico no ultimo dia 1º de julho.

Administrada pela Santa Casa de Ribeirão Pires, o local é alvo de longas e antigas queixas por parte de usuários e servidores.

Em suas promessas, o prefeito garantiu que, “o objetivo da reforma foi de ampliar, capacitar e humanizar o atendimento aos munícipes e que já que estão sendo contratados por meio de Concurso Público novos médicos para adequar a escala da Maternidade e do Pronto Socorro Infantil.”

Em outra promessa Saulo disse: “O PS infantil funcionará com plantão de dois médicos e tem todos os equipamentos necessários para atender o paciente infantil como ala para medicação, inalação, soroterapia e observação por 24h”.

A reinauguração completa hoje 7 e segundo o relato dos profissionais lotados a situação é de completo mal estar e insatisfação. “Ainda que “intervenções” estruturais tenham sido feitas, continua faltando humanização, respeito e planejamento por parte do governo”, disse um dos trabalhadores.

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply