Gerson Bonfantti, prefeito de Formosa concede entrevista.

O prefeito de Formosa do Rio Preto, Gerson Bonfantti, em entrevista por telefone, falou sobre a sua administração. A pouco mais de 2 meses à frente da administração municipal falou das dificuldades de seu governo, do seu prazer em concretizar projetos, sobre as suas ações e suas prioridades de governo. Gerson assumiu o compromisso de que até o final de sua gestão, entregar 70 ações e obras 100% concluídas. Entre os seus maiores objetivos, estão a construção do Distrito Industrial como forma de geração de emprego e também qualidade de vida através ações que impactem a vida do formosense. Leia abaixo a seguir a entrevista

“A coisa que mais gosto é isso! É poder fazer a coisa acontecer! Não vejo a hora do dia clarear para poder sair para rua e trabalhar”, Gerson Bonfantti

Repórter – A quanto tempo você estar à frente da administração municipal?

Gerson Bonfantti – Eu sumiu a prefeitura no dia 22 de outubro, mas estive também entre os dias 02 de junho até o dia 22 do mesmo ano. Período em que pude consertar muita coisa que estava errada. Agora estou desde o dia 20 de outubro, 56 dias no governo.

Repórter – Como você encontrou a prefeitura ao assumir o governo?

Gerson Bonfantti – Era muita desorganização, um total desgoverno, não havia se quer um setor que não houvesse irregularidades. Assim que assumi, iniciei uma auditoria nas contas e encontrei uma série de irregularidades a exemplo da empresa de lixo que recebia R$ 320.000,00 por mês. Rescindimos esse contrato e contratamos nova empresa que colocou o dobro de pessoas trabalhando pela metade do valor oferecendo um serviço de maior qualidade e regularidade.

Repórter – E como foi encontrado o caixa da prefeitura?

Gerson Bonfantti – Ao assumir tínhamos R$ 479 mil de saldo em caixa e aproximadamente 15 milhões de dívidas através de empenhos. Através da auditoria, detectamos graves irregularidades e reduzimos de imediato a dívida para R$ 10.700 milhões anulando vários empenhos fraudulentos. Ainda estamos auditando pra baixar em ainda mais. Nosso objetivo é garantir a continuidade dos serviços essenciais e o pagamento de salários dos servidores. Acredito que não podemos causar prejuízo para aqueles que realmente prestaram serviços no município, porém sabemos que não vamos quitar todas as dívidas, pois não existe recursos previstos. A dívida aproxima-se de 30 milhões, sendo 15 milhões em empenhos e outros 15 milhões com a folha de pagamento que corresponde ao pagamento de outubro, novembro e dezembro, décimo terceiro salário e 1/3 de férias de rescisões. Estamos com a folha em dia, pagamos 50% do décimo terceiro salário pago no mês passado, até a próxima terça-feira pagamos a outra metade e já temos garantido recursos para o salário de dezembro.

Repórter – Gerson, você está às vésperas do final deste seu curto mandato, quais são as principais ações que você destaca?

Gerson Bonfantti – Sem dúvida alguma, uma das principais ações foi tapar o ralo do desperdício por que passava Formosa do Rio Preto. Até o dia 31 de dezembro, estaremos entregando a população 70 obras e ações 100% concluídas. Sempre tivemos o sonho da instalação de um Distrito Industrial no município para a geração de empregos. Acreditamos que o próximo governo, que é parceiro nosso, terá muito êxito em função de já haver procura de empresas. Já fizemos a recuperação de diversas praças no município, entre elas destaco as intervenções feitas no Jardim Progresso (antigo Peba), onde realizamos importante obra de drenagem das águas da chuva com abertura de canal. Só para se ter uma ideia, no ano de 2015 houve uma chuva de 88 milímetros que inundou o bairro alagando as casas. Nesse ano de 2016, após as obras foram aproximadamente 120 milímetros e as águas nem chegaram perto das casas. Ainda no Jardim Progresso fizemos cascalhamento em 100% das ruas levando 1.000 de guias  e calçadas dentro dos padrões do código de posturas dando dignidade e qualidade de vida aos moradores.

Repórter – Mas se a prefeitura estava sem dinheiro como está sendo possível pagar salários e ainda executar obras e serviços?

Gerson Bonfantti – Recebemos repasse do governo Federal referentes a repatriação de divisas. Foram quase R$ 1.200.000,00 que estão nos ajudando em muito. Outro caminho encontrado, após análise da folha de pagamento, constatamos grande quantidade de servidores fantasmas ou ainda que recebiam e não trabalhavam. Cortei esses gastos desnecessários e convoquei os servidores para conscientiza-los sobre a importância do serviço público. Fiz alguns remanejamento de servidores colocando-os em outros setores que se encaixavam melhor aos seus perfis. A fórmula do olho-no-olho e da austeridade está dando certo e quero poder continuar contando com o empenho de todos.

Repórter – E o que a população pode esperar até o final do seu mandato?

Gerson Bonfantti – Até o dia 31 de dezembro teremos 70 ações e obras nos mais diversos setores da administração pública 100% concluídas e entregues a população. Já reformamos as praças da cidade (Santa Helena, CESP, Matriz, Santuário), iluminação pública está sendo feita. Com relação a distribuição de água, fizemos um excelente trabalho. Fizemos ornamentação de natal dando uma cara nova na cidade fazendo com que o natal fosse visto. Finalizamos algumas obras paralisadas como a quadra da Santa Helena, do Novo Horizonte, e a quadra do bairro Projeto que até o dia 31 vamos entregas. Trabalhamos na questão do lixão onde mudamos o local para mais 4 quilômetros distante do centro para evitar mal cheiro e doenças. Recolhemos todo o lixo que estava na estrada próxima para ao aeroporto. Estamos fazendo capinação e limpeza total da cidade. Fizemos jogos esportivos na cidade que a muito tempo não eram feitos onde por três finais de semana seguidos, realizamos o campeonato de futsal, fizemos a final do futebol de campo e organizamos o campeonato infantil e juvenil. No dia 16, 17 e 18 próximo, estamos reiniciando os Jogos do Rio Preto paralisado há alguns anos. São 12 municípios confirmados em várias modalidades, sendo que no domingo (6), na grande final, teremos um trio elétrico e banda na rua pra comemoração da festividade esportiva. Fiz a recuperação de várias máquinas e veículos (o que podia ser feito), que estavam jogados no pátio. Por exemplo, de 5 caminhões que não estavam funcionando coloquei 3 em condições de funcionamento.

Na distribuição de água, colocamos 12 carros pipas pra trabalhar nesse período de outubro a novembro ao custo de R$ 43 mil. No governo passado eram gastos R$ 250 mil e não se via nada.

Para reduzir o custo na distribuição de água, adquirimos 12 bombas de poços artesianos para comunidades diversas e adequações e reparos foram feitas em toda rede de distribuição e no sistemas dos poços. Nossa expectativa é que até o fim do mês, somente dois carros pipas estejam em operação. Atualmente são quatro.

Estamos economizando mais de R$ 50 mil somente com a distribuição de água. Só pra dar um exemplo, na comunidade do Pavão, a população estava a mais de 30 dias sem água e foi gasto apenas R$ 42 para regularizar o sistema de água. O que acontecia era um verdadeiro desgoverno. Outro caso semelhante aconteceu na comunidade do Arroz que tem um sistema de água feito pela CESB, um sistema muito bom, onde a 26 dias, aproximadamente 2000 pessoas estavam sem água e o que faltava era a contratação de um profissional especializado pra fazer a ligação e o tratamento da água. Assumimos a prefeitura no dia 20 de outubro, ás 13:45 e as 15 horas já estávamos com a água nas torneiras do pessoal. Essa contratação do profissional não onerou o município, tudo foi custeado pela CERB.

Um outro programa que é a “menina dos olhos” deste governo, é a aração de terra de pequenos agricultores. Se no governo passado foi gasto, R$ 1 milhão e 638 reais. Nós estamos gastando R$ 250 mil com a contratação de 19 tratores. O investimento é de aproximadamente R$ 240 mil já inclusas todas as despesas. Com a ação, vamos beneficiar mais de 1.000 com a aração de terra, cerca de 90% da demanda. Essa aração é feita indistintamente através de um cadastro independentemente de quem seja a pessoa ou mesmo critério político. Já fizemos distribuição de aproximadamente 700 cestas básicas para as pessoas carentes, sorteamos publicamente, colchões de densidade 45 novos que estavam “escondidos” e adquiridos através de uma multa do IBAMA. Temos o Projeto “Natal da Família” onde vamos distribuir 5.000 cestas básicas que atenderá praticamente 80% da população de Formosa do Rio Preto. Fizemos um cadastro total na cidade onde foi feita uma criteriosa avaliação para fazer esta distribuição. O município tem uma renda per capta elevada, algo próximo a R$ 45.000, maior que o da cidade de Luiz Eduardo Magalhães que é R$ 23.000, mas nós sabemos que nosso povo é pobre porque essa renda é mal distribuída, ou seja; existem os grandes agricultores que ficam com 99% da renda enquanto 99% da população fica com apenas 1%. Implantamos uma linha de ônibus gratuito na cidade em caráter experimental. Espero que o próximo governo implante essa ideia. Fizemos a recuperação dos cemitérios da cidade. Na área da educação lançamos o DEP que irá facilitar em muito o sistema de acompanhamento e controle escolar por professores, direção de escolar e a secretaria de educação.

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply