Governo Kiko retira projeto do Kit Natal. Vereadores rejeitam íntegra da proposta.

Prevendo uma segunda derrota no mesmo dia, o governo Kiko retirou o projeto nº 079/17 que previa autorização para termo de colaboração entre o executivo municipal e o Sindserv.

Sem se colocarem contra o Kit de Natal, o questionamento por parte dos edis se embasava com duras críticas ao repasse previsto na proposta de R$ 474.005,10 para a entidade sindical.

Segundo a proposta seria repassado a entidades o valor para a compra de 3.649 Kit de natal ao valor individual de R$ 129,90.

Resistentes a proposta, os edis de forma articulada, se anteciparam e elaboraram emenda legislativa ao projeto defendendo para que os valores de R$ 129,90 fossem creditados no Cartão Servidor o que possibilitaria aos trabalhadores a escolha dos itens a serem comprados bem como um aquecimento na economia local.

Uma das razões pela negativa dos vereadores reside no histórico do Sindserv que em convênios anteriores celebrados com a prefeitura não cumpriu com suas obrigações supostamente causando prejuízos aos servidores e ao erário público, conforme já noticiamos aqui no blog Caso de Política. Ver aqui

O Sindserv traz consigo uma série de antecedentes negativos no tocante aos convênios assinados com o executivo municipal. A entidade em 20 de junho de 2017 foi condenada pela 3ª vara do Foro de Ribeirão Pires  e decretou penhora de um veículo para o pagamento de uma dívida no valor de R$ 18.617,18 em favor da Comercial João Afonso Ltda, empresa esta que fornecia cestas básicas. (ver aqui)

Pesa ainda sobre o Sindserv, onde através de convênio assinado com a prefeitura, o fornecimento de cesta básica com produtos de baixa qualidade e mais recentemente repasses feitos pela prefeitura para pagamento dos convênios com farmácias e assistência odontológica foram desviados o que levou a expulsão de Simone Beatriz, aliada de primeira hora da atual presidente Dalva Aparecida. (ver aqui)

Em entrevista ao Caso de Política, o presidente da Câmara de Ribeirão Pires se posicional sobre o entendimento da Casa de Leis, enfatizando que todos os vereadores são favoráveis ao Kit de Natal mas de maneira que os trabalhadores sejam prestigiados com o crédito no Cartão Servidor o que possibilitaria o aquecimento da economia local. Abaixo o depoimento.

Deixe uma resposta