Kelly Magalhães denuncia: “Sondagem para Tálio é feita sem licença”


Na tarde desta terça-feira (12), a deputada Kelly Magalhães (12) denunciou, em pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o início das atividades de pesquisa e sondagem às margens do Rio de Ondas para exploração do tálio. 

Segundo a deputada, os proprietários das terras onde estão sendo realizadas a pesquisa não foram devidamente indenizados e a empresa que realiza o trabalho não possui licença para tal atividade.

“Peço que o INEMA (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos) e o DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral) tomem as devidas providências”, cobrou.

Kelly destacou que a exploração do minério pode transformar a economia de toda região, mas é preciso discutir todos os seus impactos ambientais. “O tálio é um metal altamente tóxico e sua exploração pode  devastar o meio ambiente”, pontuou, acrescentando que o Rio de Ondas é um dos mais importantes patrimônios naturais da região.

A deputada participou, no último domingo (10), de reunião com os moradores da Comunidade do Val da Boa Esperança, para discutir o assunto. Na AL-BA, a parlamentar solicitou à Comissão de Meio Ambiente, da qual é membro titular, a realização, em Barreiras, de uma audiência pública sobre a exploração do tálio e seus impactos.
Leiam artigo de Luís Carlos Nunes postado em 25/02/2011 pelo Jornal nova Fronteira e intitulado Tálio – Morte ou Progresso? Clique aqui

Deixe uma resposta