Kiko alega dificuldades e não paga reajuste anual a servidores.

Através de um comunicado dirigido aos servidores, a administração do prefeito Kiko Teixeira anunciou impossibilidade para pagar 4,69% referentes as perdas inflacionárias do período 2016/2017.

Com a decisão que descumpre legislação federal e disposto municipal, os servidores de Ribeirão Pires encontram-se a 2 anos sem reajuste totalizando 15,77%.

“Ocorre que a despesa com pessoal é vinculada à receita do município que, por vedação legal, não pode ser superior a 51,30% da arrecadação”.

Por outro lado, o Paço alega ter se utilizado de alternativa e reajustou o cartão servidor em 100%.

“Com esta medida quase mil servidores terão acrescidos de mais 11% em seu poder de compra e outros mil e novecentos servidores terão um aumento financeiro superior ao índice inflacionário…”

Atualmente o Sineduc, – que já ingressou na justiça com ações individuais no mês de dezembro e vem obtendo vitórias em favor dos trabalhadores -, está convocando os trabalhadores para a abertura de novos processos para garantir 11,08% referentes as perdas inflacionárias do período de 2015/2016.

Kiko atualmente se utiliza de 52,55 (apenas 0,66% a menos que a gestão anterior) da receita para pagar os salários dos 3.244 servidores efetivos.

Todos perdem com a situação. Sem o reajuste previsto em Lei, o servidor tem impacto direto no cálculo de seu 13º salário, férias e também nas suas contribuições previdenciárias. Sem o aumento das remunerações, o comércio é impactado com uma possível queda nas vendas, a arrecadação de impostos fica menor, postos de trabalho podem ser fechados. A previsão de aumento da judicialização com trabalhadores indo a justiça reivindicar o direito legal, o que aumentam os custos da máquina administrativa. O efeito é dominó! Se preferirem, uma verdadeira bola de neve! Luís Carlos Nunes

 

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply