Kiko apto para prefeito, sentencia Ministro Fachin.

O ministro do STF – Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin tomou a decisão de anular a decisão do TCE – Tribunal de Contas do Estado em um processo administrativo movido contra Adler Teixeira, o Kiko (PSB) época em que se licenciou da presidência rumo ao vitorioso pleito de 2004.

A falta de amplo direito de defesa constitucional e do princípio do contraditório por parte do Tribunal de Contas do Estado – TCE, durante a análise das contas do Legislativo de Rio Grande no exercício de 2004, foi determinante no sinal verde dado por Fachin no final do ano passado, que inocentou o ex-prefeito das acusações.

Dúvidas em relação à condição de elegibilidade dos postulantes ao cargo de prefeito da Estância Turística, são muito comuns por parte dos eleitores da cidade após o pleito de 2012, em que o ex-candidato à prefeito e ex-vice-prefeito de Ribeirão Pires, Edinaldo de Menezes, o Dedé da Folha (PPS)  teve sua candidatura impugnada por abuso de poder econômico, não obtendo o aval da justiça para participar das eleições municipais, também pesa contra Dedé, decisão do TCE, que rejeitou as contas do período em que presidiu o legislativo ribeirão-pirense, deixando o ex-vice prefeito inelegível até 2021.

No caso de Kiko a decisão do STF abre definitivamente o caminho para pleitear na próxima eleição o cargo de prefeito de Ribeirão Pires, “Essas contas já haviam sido julgadas em 2008, mas meus adversários quiseram tirar proveito disso, o que não deu certo.

Agora eles não podem mais questionar (a decisão) porque foi do STF, mais alta corte do nosso país.” Disse ele. Da assessoria do pré-candidato Kiko Teixeira

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply