“O SINEDUC não vai aceitar afronta e desrespeito”, afirma Perla Freitas.

_DSC9082

A presidente do Sindicato dos Professores das Escolas Públicas Municipais (SINEDUC), disse ao Repórter ABC que a entidade já planeja ações contra o que julga um desrespeito com os Professores de Ribeirão.

“Já estamos nos preparando para pressionar o governo municipal. Nós do sindicato não aceitamos em hipótese alguma, esse desrespeito com a categoria e o não descumprimento da legislação que foi proposta e aprovado pelo atual prefeito. O que queremos é tão somente a reposição que tivemos com a inflação. O acumulado no período de 12 meses é de 11,7%”, disse Perla.

Segundo ainda a representante sindical, ‘Estamos gravemente preocupados, com este silêncio absoluto sobre o cumprimento da Lei que garante nosso dissídio’.

“Este ano nada foi enviado à Câmara Municipal, e os órgãos competentes para tratar do tema não respondem aos inúmeros questionamentos e ofícios enviados pelo Sindicato cobrando que seja dada transparência à questão. A única informação que temos é que a prefeitura está revendo os valores e estudando os impactos de modo a garantir o benefício e que estudo será concluído em breve. Estamos em estado de atenção e se for o caso vamos fazer paralisação até que a reposição inflacionária seja repassada aos trabalhadores”, argumentou.

A presidente Perla Freitas ainda disse que “o SINEDUC, cumprindo seu papel de organizar os trabalhadores está tomando uma série de providências e que – caso for necessário – as chamadas “ações de rua” serão empreendidas e divulgadas em momento oportuno até para que os ‘inimigos dos servidores’ não possam intimidar os trabalhadores. Este é o momento de nossa categoria afirmar sua dignidade e mostrar que cidadãos honestos reagem a desmandos e injustiças. Divulguem o desmando do Prefeito o máximo que puderem , esclareçam a população , peçam apoio porque se o bom senso do Prefeito não retornar, os trabalhadores na Educação pararão a cidade. Temos certeza de que contaremos com o apoio de todos os outros setores, afinal o dissídio é direito de todos e estamos ‘no mesmo barco’. Preparem se!” concluiu.

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply