Portugal e Estados Unidos oferecem oportunidades para brasileiros estudarem nos países.

cats

O governo português quer dar acesso a direitos sociais, vistos de residência e trabalho automaticamente para pessoas que falem português.

A proposta foi apresentada durante reunião em Brasília, no Itamaraty no início do mês e foi acolhida pelos integrantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). O acordo tem previsão de entrar em vigor em até dois anos.

Motivos

A economia ainda sente os efeitos da última crise e o salário mínimo em Portugal é um dos menores da União Européia, em torno de €530 – pouco mais de R$ 1.900.

Por isso, boa parte da população economicamente ativa está deixando Portugal e indo morar em outros países da União Europeia, em busca de melhores condições financeiras.

Outro fator é o amadurecimento da população portuguesa. Começa a faltar mão de obra jovem, saudável, instruída e produtiva.

O governo de Portugal vê com bons olhos a renovação de sua população, e incentiva a entrada de pessoas falantes da língua portuguesa.

O Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, confirmou que com a nova lei de acesso aos países lusófonos, se tornará possível para um maior número de profissionais estrangeiros concorrerem a vagas de trabalho, levando-se em conta a equivalência de títulos profissionais e acadêmicos entre essas nações.

Ele disse que um trabalhador brasileiro, por exemplo, que tenha vivido e trabalhado em Portugal, poderá agregar isso a sua aposentadoria amparado pela legislação, a partir deste acordo. Isso inclui direitos sociais, como previdência social e moradia.

A próxima reunião para concretização do projeto deve ocorrer em Cabo Verde, daqui dois anos.

Além do Brasil e Portugal também formam a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa as nações de Moçambique, Angola, Guiné Equatorial, Timor Leste, São Tomé e Príncipe, bem como o própria sede do próximo encontro, Cabo Verde.

Estados Unidos – oportunidade

A conceituada Harvard Medical School está com inscrições abertas para a 6ª edição do curso de pesquisa clínica “PPCR – Principles and Practice of Clinical Research” (Princípios e Prática da Pesquisa Clínica), cujas aulas ocorrem em parceria com o Centro de Estudos e Pesquisas de Hematologia e Oncologia da Faculdade de Medicina do ABC (CEPHO-FMABC). O objetivo é capacitar profissionais ao desenvolvimento de pesquisa clínica, tendo como bases a metodologia e a expertise de uma das mais conceituadas instituições de ensino e pesquisa do mundo.

O curso de pesquisa clínica da Harvard tem duração de 9 meses, com encontros semanais no anfiteatro do CEPHO, no próprio campus da FMABC em Santo André (SP). As aulas estarão a cargo de professores norte-americanos e serão ao vivo via videoconferência. A equipe do CEPHO coordenará dinâmicas de grupo e demais atividades que necessitem de interação entre os alunos, inclusive com participação de grupos de outras partes do mundo.

Podem se inscrever professores, pesquisadores e demais interessados em realizar pesquisa clínica. As aulas serão sempre às quintas-feiras, das 17h às 20h. Toda a seleção, análises de currículo e dos requisitos mínimos necessários serão feitas diretamente por equipe da Harvard Medical School. O certificado de conclusão do curso também é  emitido pela própria Harvard.

Interessados podem obter mais informações pelos sites www.pesquisaoncologia.com.br e www.ppcr.org ou diretamente no CEPHO, com Karen Sayuri Kusano de Paiva: (11) 4993-5491 (ramal 542) ekaren.paiva@cepho.org.br. As inscrições vão até janeiro de 2017.

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply