Professora é acionada na secretaria de Justiça do Estado e um segundo processo deverá ser aberto por crime de ódio e discriminação.

A professora Bárbara de Souza Machado que ocupou a Tribuna da Câmara Municipal de ribeirão Pires na última quinta-feira (29), foi acionada na secretaria de Justiça do estado e pode responder pelo crime de homofobia, incitação ao ódio e discriminação.

A informação parte do coordenador do Grupo de Apoio a Diversidade (GAD), Wagner Lima.Segundo disse Lima, ele nunca se sentiu tão ofendido com as palavras proferidas por essa senhora que se diz Pedagoga e que a mesma deverá dar explicações as autoridades competentes.

“Levamos o fato para Justiça e ao conhecimento das autoridades da Secretaria de Justiça do Estado de São Paulo. Um absurdo a Câmara de Vereadores de Ribeirão Pires permitir tamanha ofensa, ainda mais, o convite partindo de um parlamentar, que em anos anteriores utilizou a Tribuna da Casa para enfatizar o seu respeito e compromisso com os direitos de todos os cidadãos, em especial o LGBT. Me sinto triste, ofendido e envergonhado pelo ocorrido, mas certo que em breve essa senhora será chamada aos tribunais para se explicar e provar o que disse. A Casa de Leis, espero que cumpra o seu papel e formalize a Comissão de Ética para analisar a postura do parlamentar, que se não concordou com as falas, se omitiu a pregar o respeito a “família” que sua crença prega como certa. O fato de se omitir, já caracteriza quebra do decoro parlamentar. Nós não deixaremos esse fato passar batido, tenham certeza disso. Desculpe o desabafo, respeitar as opiniões e posições é parte primordial da democracia, agora, propagar mentiras e o ódio e crime!”, argumentou.

O parlamentar citado, refere-se a Silvino de Castro (PRB) que na condição de líder do governo Kiko deveria prezar pelo respeito e alinhamento a ações do executivo municipal que valoriza e recentemente empossou os integrantes do Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual (COMADS).

Num outro processo que deverá ser aberto, está o Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual (COMADS).

Conforme relatou ao blog Caso de Política, o presidente, Rafael Ventura, “Bárbara passou dos limites em suas falas, após começar a dar suas opiniões sobre a Ideologia de Gênero”.

“Foi realizada uma sessão ordinária do COMADS que repudiou a atitude. É extremamente triste ver que esse tipo de pessoa, ainda tenha o espaço para disseminar ódio e a discriminação. Para mim, uma pessoa como essa é desequilibrada, não existe outra explicação para odiar tanto alguém que você nem conhece, apenas por ser ou pensar diferente de você”, lamentou o presidente Rafael Ventura.

Para ler a matéria publica por este blog clique aqui e para saber sobre o andamento da Base Nacional Comum Curricular posta aqui, clique aqui.

Deixe uma resposta