Professores em greve marcham, prefeitura pressionada cede e abre negociação.

_DSC0236

Após consumação de greve na manhã desta quarta-feira (22), os profissionais da educação de Ribeirão Pires fizeram concentração na frente do Sindicato dos Professores das Escolas Públicas Municipais (SINEDUC), saíram em marcha pelas principais ruas do centro da cidade com palavras de ordem, fazendo parada estratégica em frente a Câmara de Vereadores se deslocando em seguida ao Paço Municipal onde no estacionamento do poder administrativo foram realizados discursos e cobranças.

A notícia de que aos grevistas seriam recebidos por representante do executivo foi recebida com grande entusiasmo, quando foi passada orientação para a formação de comissão para negociação composta por representante do sindicato e professores.

_DSC0271

O secretário de Comunicação Thiago Quirino foi o nome designado pelo Paço para uma “mesa redonda” para tratar dos pontos reivindicados acompanhado pela secretária de Educação, Dalva Sensato e pelo secretário de Governo Valmir Copina. Em defesa do executivo, Quirino alegou queda de arrecadação em virtude da atual crise econômica que assola o país. “O governo reconhece o direito legal dos profissionais de educação, porém o momento é de dificuldades. O nosso maior temor é conceder o reajuste e lá na frente não conseguirmos honrar com compromissos, especial a manutenção do pagamento da folha de pagamento em dia. Estamos cortando na carne e revendo custos. Não podemos adentrar em gestão temerária. Ainda que haja direito, é preciso que também haja flexibilidade”, argumentou Thiago Quirino.

Em outra ocasião, entrevistado pelo Repórter ABC, o secretário Thiago Quirino reconheceu que se for concedido o percentual de 11,08% isso impactaria em valores próximos a 1 milhão de reais mês na folha de pagamento.

Perla de Freitas, presidente do Sineduc em sua explanação e exposição, argumentou que lamentavelmente a greve só ocorre em função de falta de diálogo por parte do executivo.

O Sineduc tem agido com extrema seriedade e respeito, tanto que não colocamos na pauta aumento real dos salários, o que reivindicamos é tão somente a reposição de perdas inflacionárias. Por outro lado não podemos aceitar atitudes do executivo, que muitas vezes sem critério concede gratificação de até 100% a alguns servidores mais próximos. Estamos a 22 dias batendo as portas da prefeitura tentando canal de diálogo, mas lamentavelmente foi necessário impor pressão”, falou.

_DSC0286

A presidente comunica sobre as negociações e propondo encaminhamento até a assembleia das 16 horas

“Conseguimos abrir as portas da prefeitura que estavam fechadas. Isso mostra o nosso poder de negociação. Quero dizer que estou emocionada com a luta que estamos travando. Os trabalhadores estão de parabéns! Vamos adiante, e mobilizados até a vitória!”, Perla de Freitas.

Após franco diálogo e apresentação da pauta que contém reposição de 11,08%, Reenquadramento Plano de Cargos e Salários, equiparação salarial para servidores concursados e contratados e assédio moral, uma proposta foi apresentada.

O executivo aceita fazer pagamento de 50% do reajuste no próximo dia 15 de julho e o salto até o mês de outubro.

Ficou acertado ainda, novo encontro para as 15 horas para acertar detalhes para que assim em assembléia marcada as 15 horas no Ribeirão Pires Futebol Clube a categoria decida se acolhe ou não a proposta.

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply