Professores municipais decidem por paralisação na próxima quarta-feira (22).

_DSC9677

Com reivindicação de reposição inflacionária de 11,7%, categoria decidiu, em assembleia nesta quinta-feira (16), parar atividades dia 22, quarta-feira

 _DSC9724

Em assembleia realizada na tarde desta quinta-feira (16), os professores municipais de Ribeirão Pires decidiram paralisar as atividades na próxima quarta-feira (22). A mobilização serve como um indicativo de greve da categoria, que reivindica 11,7% de reposição das perdas inflacionárias.

O encontro foi realizado na área do estacionamento do Paço reuniu, segundo o Sindicato dos Professores das Escolas Públicas Municipais (SINEDUC), cerca de 300 profissionais (conforme assinaturas colhidas) que ao final do ato desfilaram por ruas da região central a cidade.

Segundo afirma Perla de Freitas, presidente do Sineduc, ‘houve por diversas vezes a tentativa de abertura ao dialogo com o executivo’.

_DSC9650

A paralisação por 24 horas é uma resposta as negativas de negociar com os trabalhadores. O prefeito Saulo Benevides insiste em manter a decisão de não dar reposição inflacionária. O que é mais lamentável é que a lei municipal que estabelece o direito é de autoria dele mesmo enquanto ainda era vereador”, argumentou.

A presidente do Sineduc informou ainda que este é o momento de nossa categoria afirmar sua dignidade e mostrar que há reação a desmandos e injustiças.

Não vamos admitir em hipótese alguma que haja ato anti-sindical (ato de coibir organização de trabalhadores). Já estamos recebendo denúncias de que há tentativa de intimidação e assédio aos profissionais da educação, especialmente aos contratados que são ameaçados de demissão caso os mesmos façam adesão às reivindicações. Nesta sexta-feira, estaremos nos reunindo com nosso departamento jurídico orientando para o combate”, falou.

Ficou ratificado na decisão por paralisação que ao final do dia 22 que nova assembleia será realizada para análise da mobilização e possível deflagração de greve caso não seja definido por parte do prefeito o pagamento dos 11,7%.

_DSC9624

O prefeito Saulo Benevides tem por obrigação executar e cumprir as leis vigentes. Nada justifica tamanho desrespeito com os trabalhadores. Na ultima terça-feira (14), foi aprovada as contas do governo do ano de 2013 com uma série e ressalvas onde o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) orientava o executivo municipal a rever pontos. Na verdade o TCE-SP oportunizou na ocasião que a administração do prefeito Saulo fizesse um planejamento capaz de cumprir e honrar com seus compromissos. Infelizmente nada disso foi feito! Ele (Saulo, nomeou muitos comissionados com salários e gratificações graúdas, muito acima do que paga aos servidores de carreira, que no caso dos professores que conseguiram elevar o IDEB de Ribeirão Pires ao topo na região do ABC. Estamos na luta por justiça e não vamos deixar que esse desrespeito continue. Se falta dinheiro é porque não teve gestão e muito menos planejamento. Estamos paralisando e ficamos no aguardo de que o executivo se sensibilize e tenha bom senso. Nossa assembleia foi muito participativa, e tenho certeza de que na quarta-feira todas as escolas estarão fechadas”, argumentou Perla.

_DSC9794

Numa última informação a sindicalista, disse estar preocupada com o 13º salário que deverá entrar na conta dos trabalhadores nesta sexta-feira.

Recebemos informações oficiosas de que o prefeito não pagará os 50% referentes ao 13º conforme determina a legislação. O que nos foi passado, é que somente a metade do que é devido aos trabalhadores entrará na conta corrente”.

A prefeitura

Em conversa reservada com o Secretário de Comunicação, Thiago Quirino, o mesmo informou a esta reportagem que a prefeitura está empenhada em solucionar o problema.

No momento o Paço concentra esforços para fazer o repasse aos professores. O impacto na folha com o reajuste reivindicado representará mensalmente algo próximo a R$ 1.000.000,00 (um milhão) mensalmente. Estuda-se corte de custos em diversas secretarias, mas hoje, a preocupação do executivo é honrar com o pagamento da folha de pagamento sempre em dia”, falou.

Deixe uma resposta