Ribeirão Pires: Cabide Solidário ajuda a aquecer quem não possui roupas de frio.

13260148_824828787661508_8915883376530240534_n

A intensa onda de frio porque passa Ribeirão Pires tem assustado muito, mas também inspirado pessoas solidárias e de bom coração que pretendem espalhar um pouco de calor humano. É uma boa notícia em meio ao desalento do clima.

Entre a estação de Trem e a Rodoviária, ao lado da cancela, um movimento de voluntários que quer “abrir os olhos e a mente das pessoas” para motivá-las a ter um olhar mais humano em relação a quem habita a cidade, mas que quase ninguém vê. O que se pede é simples: “Leve uma blusa a mais na bolsa e aqueça quem está com frio”.

Trata-se da Campanha “Cabide Solidário” onde qualquer pessoa que queira doar alguma roupa de frio pode colocar a doação diretamente em cabines afixados no gradil.

13435302_824828764328177_92166336390798559_n

Segundo um dos voluntários que solicitou que não divulgássemos a sua identidade o movimento é feito por pessoas simples e comuns que se organizaram com o objetivo de amenizar o frio de pessoas que não dispõe de vestimenta adequada para suportar as baixas temperaturas que estão acontecendo na cidade.

Segundo estimou nosso valoroso voluntário, aproximadamente 800 peças já aquecem corpos pela cidade.

Agradecemos a todos os doadores que compareceram para fazer as doações ou mesmo entraram em contato conosco. Aqui somos pessoas voluntárias e apartidárias que se mobilizaram com o único objetivo de amenizar a dor e o sofrimento que o frio pode causar“, argumentou.

Segundo ainda informou, é aceito todo e qualquer tipo de vestimenta, mas no momento existe certa procura por roupas infantis.

Estamos recebendo muita calça, camisas e blusas para adulto. Pelo que percebemos aqui existe grande procura por roupas infantis, meias e cobertores. Outro tipo de veste que seria importante recebermos é cachecol, tocas e luvas. Quem puder que faça a sua doação“, disse.

Os voluntários solicitam que em função dá dificuldade de locomoção e transporte, que os interessados em colaborar que se dirijam a estação de trem próximo a cancela e caso não haja ninguém no momento, que os mesmo organizem as roupas nos cabines. As peças ficam expostas e qualquer pessoa que estiver com necessidade e frio pode escolher e se vestir na hora durante 24 horas.

Uma preocupação

Preocupados com uma possível chuva, os voluntários procuram no momento um espaço coberto para evitarem que as roupas se molhem. Um outro problema, refere-se a CPTM que alega que para se utilizar o espaço pertencente a Companhia é preciso autorização. Os voluntários se estão se organizando para nesta terça-feira procurem o responsável da estação para providenciarem a continuidade no local até que consigam um local mais adequado para o importante trabalho humanista.

Me é muito difícil não se comover com a solidariedade e demonstração de bom coração desses voluntários. A atitude merece todo o nosso apoio e respeito. Esperamos que haja sensibilidade social por parte da CPTM não retirando o “Cabide Solidário” de onde ele está. Esperamos também que o poder público se movimente e apoie essa ação e ajude fornecendo um espaço mais adequado. Amenizar a dor e sofrimento de um semelhante é uma causa das mais nobres! É se colocar no lugar do outro! Temperaturas extremas impõem ao organismo um estresse físico e o submete a uma necessidade de mais energia. “Um simples agasalho – coisa que pode não significar muito para os que os possui – pode impedir por exemplo, em função as baixas temperaturas, danos nos dedos e outras extremidades do corpo, podendo inclusive causar necrose. Parabéns aos que são do bem e ajudam sem olhar a quem! Luís Carlos Nunes

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply