Ribeirão Pires: Estudantes vão debater PEC 241. Assembleia desiste por ocupar escola.

_dsc2493 Em assembleia realizada entre estudantes da Escola Ruth Neves Santanna em Ribeirão Pires, na manhã desta quarta-feira (09), estudantes decidiram abortar uma ocupação da unidade escolar que estava marcada para hoje.

Em conversa com alguns adolescentes todos foram unanimes em afirmar que as medidas que estão sendo apresentadas pelo governo Federal são prejudiciais ao ensino do pais, é o que relatou Natacha que cursa o 3⁰ ano. “Estamos às vésperas do final do ano letivo e paralisar as aulas nesse momento seria muito prejudicial aos estudantes. Quanto a PEC 241, posso dizer sou filha de professora e que ela sim é prejudicial e não sou a favor”.

Yasmin Souza de 17 anos, vice-presidente do Grêmio Estudantil disse que nessa função ter o dever de apresentar aos demais gremistas o que está acontecendo sobre o mundo do ensino.

“Fizemos um debate democrático onde foram apresentados alguns pontos sobre a PEC 241. Acredito que todos aqui querem melhoria no ensino e a manutenção de direitos, o fato de não terem aprovado a ocupação é em função da expectativa de que quem está no 3⁰ ano ingressem numa faculdade”, argumentou.

Debate está marcado para o dia 19 deste mês nas dependências da escola para debater temas ligados sobre a reforma do ensino médio, congelamento de gastos sociais e outros assuntos correlacionados.

A assembleia dos estudantes foi acompanhada pelo Dr. Denis que representou a OAB – Ribeirão Pires.

Estudantes vão debater e são recebidos com spray de pimenta no senado

images-cms-image-000523352

A Polícia Legislativa do Senado agrediu nesta tarde estudantes paranaenses que viajaram até Brasília para acompanhar audiência pública sobre a MP 746 (reforma do ensino médio) e a PEC 55 (antiga PEC 241), que congela os gastos públicos por 20 anos e que agora está em debate no Senado.

Os policiais receberam os estudantes secundaristas com spray de pimenta. O grupo, que fazia um cordão em frente à entrada do Senado em protesto às medidas do governo Temer, foi impedido de entrar no Senado e surpreendido com os jatos de spray de pimenta.

Eles denunciaram ainda que os policiais utilizaram armas de choque elétrico. Entre humilhação e confusão, alguns estudantes se sentiram mal com a agressão sofrida e houve caso de estudante que foi parar no hospital, conforme denunciou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), durante sessão na Casa.

“Estudantes querem debater a PEC. Querem ser ouvidos. Querem participar e defender seus direitos. É lamentável que sejam recepcionados desta maneira. O estado de exceção casa vez mais evidente. Inadmissível!”, protestou a senadora, sobe o episódio.

Os estudantes do Paraná se encontraram com uma caravana de Goiânia, que também pretendia acompanhar uma audiência sobre a MP 746 (reforma do ensino médio) no Senado. com informações do 247

Deixe uma resposta