Ribeirão Pires: Secretária de Educação é sabatinada pelos vereadores.

A Secretária de Educação, Inclusão e Tecnologia, Flávia Banwart, após convocação feita pelos vereadores de Ribeirão Pires, compareceu na tarde desta quinta-feira (07) para responder a questionamentos. Entre eles estão: denúncias de assédio moral, compra de merenda escolar, acesso por docente aos alimentos, dentre outros.

Sobre a aquisição em caráter emergencial da merenda Flávia justificou inabilidade de tempo para abertura de certame.

“Estamos a pouco mais de 90 dias à frente da pasta e não foi das mais confortáveis a situação deixada pela gestão anterior. Tivemos que tomar decisão de aquisição emergencial uma vez que verificamos que fornecedores (por falta de pagamento) não estavam atendendo aos contratos existentes por falta de pagamento. Só nos restou deliberar pelo contrato emergencial para que não faltasse merenda aos alunos. E não é verdade que proibimos que professores de comerem da merenda, apenas passamos orientações”.

Em 21 de fevereiro, este blog noticiou matéria com cópia da Rede nº 13 (ver aqui).

Após os esclarecimentos, a secretária questionada pelo vereador Amigão D’orto, se o tempo em que estava no comando da pasta não foram suficientes para abertura de processo licitatório, Flávia respondeu: “O senhor nunca acompanhou uma licitação, não sabe dos procedimentos? Informo aos vereadores que um processo desses consome pelo menos 180 dias”.

Flávia Banwart rebateu ainda acusações de que estaria cometendo assédio moral contra servidores.

“Isso não existe e é preciso que se tenha muito cuidado com este tipo de acusação. Lamentavelmente há certa banalização sobre o tema. A meu ver, toda e qualquer pessoa que se sinta prejudicada pode ingressar com processo administrativo. Estamos trabalhando na secretaria com muita seriedade caso não se comprove as acusações e caso não seja comprovado há com certeza direito de egresso”, explanou a secretária.

Ainda no uso da Tribuna, a gestora ressaltou que a sua pasta convocou 272 professores (PDI) aprovados e concurso.

“Convocamos 172 professores a mais do que estava previsto no edital e tenho consciência de que o número não é suficiente. Atualmente temos 37 professores auxiliares e 150 especialista. Encontra-se em estudos a contratação de professores volantes para que substituam faltas esporádicas de professores titulares”.

Com relação ao processo seletivo de professores contratados, Flávia argumentou que “em meados do mês de maio um edital será lançado”.

Deixe uma resposta