Saúde de Ribeirão Pires orienta sobre vacina contra febre amarela.

A Secretaria de Saúde e Higiene da Prefeitura de Ribeirão Pires está reforçando a orientação aos moradores da cidade sobre o esquema de vacinação contra a febre amarela. A Estância não é considerada área de risco da doença, entretanto, as doses da vacina estão disponíveis aos munícipes que irão viajar para regiões que estão em situação de atenção, em data específica e seguindo os critérios de vacinação do Ministério da Saúde.

Moradores de Ribeirão Pires que forem viajar a alguma das áreas de risco da doença devem receber a vacina com dez dias de antecedência à viagem, para que a mesma funcione eficazmente. A vacinação está sendo realizada às quintas-feiras, das 8h às 17h, na Unidade Básica de Saúde Central – sem agendamento, mas com distribuição de senhas às 8h e às 13h.

Seguindo os critérios do Ministério da Saúde, as pessoas não devem tomar doses de outras vacinas 30 dias antes e 30 dias depois da aplicação da vacinação contra a febre amarela. Gestantes e idosos somente receberão a dose com a indicação médica, para evitar riscos de agravos. O esquema atual da vacina se encerra em duas doses, sendo que há intervalo de 10 anos entre as doses (com exceção de crianças menores de cinco anos e em caso de pessoas com o vírus HIV – para estes casos, deve ser observado calendário vacinal específico). Os profissionais da UBS Central estão à disposição da população para esclarecer dúvidas sobre a vacinação e sobre a doença.

“É importante que os moradores estejam atentos aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde e também às recomendações, para garantir segurança na aplicação da dose. Nossas equipes estão mobilizadas para disseminar informações sobre a vacinação e prestar bom atendimento àqueles que irão viajar para as áreas de risco da doença”, explicou a secretária de Saúde e Higiene da cidade, Patrícia Freitas.

Em Ribeirão Pires, de janeiro até a presente data (22/03) foram aplicadas 1.200 doses da vacina contra a febre amarela. A Secretaria de Saúde e Higiene registrou um caso suspeito da doença, que teve resultado de exame negativo – referente a moradores que viajou para áreas de risco da doença.

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply