Secretária de educação é vista com ressalvas no Paço, sua permanência pode estar por um fio.

Após sequencias de inabilidades no trato com a equipe da educação, desrespeito com servidores e ameaças, a atual secretária de educação de Ribeirão Pires pode estar com seus dias contados a frente da pasta.

Segundo fontes, Flávia Regina Banwart está cometendo diversos erros políticos. “Ela, após 60 dias ainda não resolveu a falta de professores nas escolas e recentemente ameaçou diretores de escola que deixassem vazar ordens emitidas por ela. Ela é muito burocrática e pouco acessível”, disse a fonte.

Segundo ainda informou, sem explicitar as circunstâncias do ocorrido, “o nome de Flávia já foi tema de uma possível substituição”.

Banwart, é também, a patrocinadora de uma atitude inédita em Ribeirão Pires, quando através de uma Comunicação, proibiu professores de se alimentarem com merenda oferecida aos alunos, o que gerou grande descontentamento em meio aos educadores que se queixam de que muito tem jornada estendida e nos ambientes escolares não existe disponibilidade equipamentos para conservação ou mesmo para o aquecimento ou preparo de alimentos.

“Não temos a mínima estrutura nas escolas! Enquanto ela se deleita com chazinho e guloseimas, nas escolas, os servidores não temos direito a um simples cafezinho”, disse outra fonte.

Os profissionais da educação de Ribeirão Pires não dispõem de auxilio alimentação.

Num outro depoimento que recebemos, a secretária, furiosa, “foi vista por algumas vezes aos berros com servidores com grau hierárquico menor”, numa flagrante atitude de assédio moral.

Numa possível tentativa de reparar a sua “Rede 13” (ver aqui), a secretária emitiu a Rede 19, com data onde reconhece “15 minutos” para as refeições.

Em reunião com dirigentes escolares, na semana que antecedeu as folia de carnaval, Flávia Banwart em tom de ameaça, enfatizou: Não é para passar os documentos para os professores nem deixar vazar. Cabe aos diretores a responsabilidade de executar as determinações vindas da secretaria”.

Tratar com desrespeito servidor, gritar com trabalhador é coisa grave, pode configurar Assédio Moral que pode culminar em doença profissional e a outros males. Como gestora, caso todos os relatos sejam verdadeiros, as atitudes são desconexas e incompatíveis com o cargo. Outro dado que também chama a nossa atenção, é esse documento não revisado que apresenta data de um longínquo pretérito. Será que a secretária Flávia Banwart não lê as determinações que profere? A continuar nessa toada, poucos sentiram falta desta indigitada senhora! Luís Carlos Nunes

  1. José Cicero disse:

    Nós independentemente de quem somos,devemos tratar seja quem for com educação,porque a mesma vem de berço,não é uma faculdade,ou mestrado,ou qualquer graduação que vai te dar esta educação!

  2. Fábio dos santos disse:

    Deviam passar na saúde, onde o jeito de tratar os funcionários são os mesmos, fazendo esse tipo de coisa, inclusive o pessoa da gestão passada continua a todo vapor na nova administração .

Deixe uma resposta