Arquivos de Tag: barulho

Rio Grande da Serra: Polícia Militar reforça segurança durante o Réveillon.

Para garantir a segurança e evitar excessos durante o Réveillon, a Polícia Militar (PM) vai reforçar o policiamento em Rio Grande da Serra. Segundo a corporação, há esquemas de segurança montados em locais estratégicos, com policiais a pé, em viaturas e em motocicletas.

A ação policial muito esperada por grande parte da população local ganhou o nome de “Operação Psiu” e espera-se que seja evitado badernas e arruaças a exemplo do que aconteceu na noite de Natal onde na alta madrugada, motoqueiros circulam pelas ruas da cidade em suas máquinas barulhentas causando grande transtorno e irritação aos munícipes.

A previsão do início da “Operação Psiu” é a partir das 15 horas e deve seguir por toda a madrugada. A previsão é de que policiais a pé e em viaturas façam rondas, junto com motociclistas da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam) e também policiamento ostensivo da polícia rodoviária.

Rio Grande da Serra: Polícia Militar vai reforçar policiamento na passagem de ano para evitar excesso de barulho.

A Policia Militar de Rio Grande da Serra, após receber inúmeras queixas acerca da baderna e muito barulho na noite de Natal, decidiu reforçar e melhor o policiamento na passagem de ano, nos dias 31 de dezembro para 1º de janeiro de 2018.

Segundo o comando do destacamento militar, a medida será estendida em toda a cidade com atenção especial para o bairro Santa Tereza e arredores onde a população se queixa de excessos nas comemorações natalinas deste ano.

O artigo 42 do Decreto-Lei n° 3.688/41 estabelece prisão de 15 dias a 03 meses ou multa para quem perturbar o sossego sob qualquer meio, seja através de uma festa noturna, uso de instrumentos musicais ou qualquer forma de barulho

Perturbar o sossego alheio é uma infração, no entanto, a grande verdade é que o barulho e a poluição sonora se constituem como infração grave dos deveres de qualquer pessoa, que deve ter consciência que pode fazer ou não qualquer coisa em sua casa, desde que isso não perturbe a tranquilidade de seu vizinho.

É evidente que se torna necessário apelar ao bom senso, mas nem todo mundo é capaz dessa atitude. Segundo o artigo 42 do Decreto-Lei n° 3.688/41 estabelece prisão de 15 dias a 03 meses ou multa para quem perturbar o sossego sob qualquer meio, seja através de uma festa noturna, uso de instrumentos musicais ou qualquer forma de barulho.

A lei foi promulgada para proteger a tranquilidade e o sossego a que todos têm direito e essa questão de excesso de poluição sonora assume proporções intoleráveis quando uma pessoa acaba invadindo o sossego alheio com um churrasco barulhento em sua casa, interrompendo a leitura de um vizinho ou mesmo seu merecido descanso.

É importante lembrar que devemos viver de forma pacífica e ordeira, não nos sendo permitido ampliar nossos pretensos direitos, principalmente quando invadimos o direito alheio.

Não podemos nos esquecer que todos têm o direito de se divertir, de trabalhar, de estudar e descansar, cada um no seu devido lugar. Se alguém pretende fazer uma festa em sua casa, é preciso limitar a sonoridade e a algazarra para que a alegria não seja motivo de insatisfação da vizinhança.

Motorista será multado por ouvir som alto no carro.

Motoristas que costumam ouvir som no carro muito alto estarão sujeitos à perda de cinco pontos na carteira e a multa de R$ 127,69. O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) aprovou ontem, quarta-feira 19, uma resolução que determina a autuação do condutor que for pego com som automotivo que possa ser ouvido do lado de fora do veículo.

Pela Resolução nº 624, a infração, considerada grave, independe do volume e da frequência do som. A medida só exclui ruídos produzidos por buzinas, alarmes, sinalizadores de marcha-a-ré, sirenes pelo motor e outros componentes obrigatórios do próprio veículo. Também não estarão sujeitas às penalidades as emissões sonoras de publicidade, divulgação ou entretenimento público previamente autorizados.

A regra entrará em vigor a partir da publicação no Diário Oficial da União (DOU), que ainda não tem prazo para ser feita.