Arquivos de Tag: dança

Amaury Dias solicita inclusão de Ribeirão em projetos culturais do estado

O vereador Amaury Dias (PV), solicitou através de requerimento, que a prefeitura de Ribeirão Pires realize convênio com governo do Estado de São Paulo para participar do Programa de Ação Cultural (PROAC).

“São vários municípios do Estado de São Paulo procederam o credenciamento objetivando receber recursos do PROAC – Programa de Ação Cultural, da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo para o desenvolvimento de Programas Municipais de Financiamento à Produção Cultural, na modalidade concursos”, disse o parlamentar através de seu requerimento.

Para o ano de 2018, o governo do Estado disponibilizou a abertura de 38 editais para o fomento de diversas atividades culturais e expressões artísticas, e de acordo com o tamanho da cidade, o PROAC pode comtemplar os selecionados com repasses que variam de R$ 100 mil a R$ 300 mil.

“Quesito imprescindível é que os projetos deverão estar previstos em legislação municipal, ter a forma de concursos/editais, oferecer contrapartidas mínimas e selecionar iniciativas de artistas ou agentes culturais locais que receberão premiações”, concluiu o vereador Amaury Dias.

Prefeito de Ribeirão Pires fecha a Casa do Hip Hop e deixa integrantes indignados.

Integrantes do Fórum do Hip Hop de Ribeirão divulgaram nesta quinta-feira (24), manifesto onde contestam a decisão da Prefeitura Municipal em extinguir a Casa do Hip Hop.

Segue abaixo a íntegra do manifesto (sem revisões)

Prefeito de Ribeirão Pires Adler KIKO fecha Casa do Hip Hop

Por: Comissão Executiva Fórum do Hip Hop de Ribeirão Pires

Na quarta feira do dia 22 de agosto de 2017, em Reunião entre o Fórum do Hip Hop de Ribeirão Pires e representantes da Prefeitura Municipal. O Poder Público nesta agenda representada pela Secretaria de Participação, Acessibilidade e Inclusão Social que tem sob o comando da Pasta a Professora Elza Carlos (Elzinha), informou a todos que a Prefeitura de Ribeirão Pires irá extinguir o Projeto da Casa do Hip Hop, e o local que foi uma conquista de luta deste movimento por mais de 15 anos, se tornará apenas Casa da Juventude, e que a decisão do Prefeito Adler Kiko é final e irrevogável.

O que surpreende este comunicado final são as inúmeras contradições de fala e postura do Prefeito KIKO bem como os encaminhamentos dados pela Secretaria referida sobre os motivos que levaram a tal decisão. O Prefeito disse querer suprimir o Projeto da Casa do Hip Hop para criar outra iniciativa para abrigar outras linguagens e movimentos.

O que cria estranheza a todos, é o fato do Prefeito excluir a participação de um movimento com a justificativa que isso é condição para incluir outros, sendo que atuação do Hip Hop é legitima, existente e atuante na cidade a mais de 20 anos. A pouco mais de 60 dias o Prefeito havia orientado a Secretaria a fazer uma reunião com as lideranças do hip hop e demais interessados, buscando assim um diálogo e alternativas convergentes para as partes, mas isso não ocorreu de forma que a decisão de fechar a Casa do Hip Hop foi unilateral pelo chefe do executivo.

Tirar apenas o termo HIP HOP da nomenclatura mantendo CASA DA JUVENTUDE (o nome anterior era Casa do Hip Hop e Juventude), deixa em evidencia que a atual gestão apenas quer excluir o hip hop por motivos de preconceito e desconhecimento sobre o que o movimento e o Projeto Casa do Hip Hop representa em termos sociais, culturais e de política pública.

A Casa do Hip Hop foi inaugurada em 18 de março de 2012 na Gestão Clóvis Volpi, teve sua continuidade na gestão Saulo Benevides, e será extinta na gestão Adler Kiko.Quanto ao Movimento Hip Hop da Cidade de Ribeirão Pires, fica o registro de repúdio quando a decisão da atual Prefeitura, e a certeza que o Hip Hop continuará sua incansável atuação, pois o Movimento é ativo e assim sempre foi de forma permanente, ao contrário dos governos que estão apenas de passagem.

Inscrições para cursos de Artes e Dança acontecem entre os dias 24 e 28 de julho.

A Prefeitura de Ribeirão Pires abrirá inscrições para os cursos gratuitos das Escolas Municipais de Artes e Dança, para o segundo semestre deste ano. Dentre as opções disponíveis para artes plásticas estão Desenho de Moda, Desenho de Mangá, Tricô e Crochê. Para dança, algumas das opções são Afro (a partir dos 12 anos), Cigana (a partir dos 12 anos) e Expressiva (a partir dos 50 anos).

As inscrições serão realizadas no período de 24 a 28 de julho. Os interessados devem comparecer, das 8h às 17h, no Centro Cultural – Rua Dr. Yutaka Ishihara, 220 – Jardim Pastoril. No ato da inscrição é necessário levar cópia do comprovante de residência e do RG, e duas fotos 3×4. Mais informações pelo telefone 4824-1781.

Membros da cultura Hip-Hop de Ribeirão Pires organizam fórum.

hip-hop ribeirão pires

Comissão composta por oito Integrantes do movimento cultural de Hip-Hop de Ribeirão Pires lançaram carta que base estrutural de Fórum.

O evento que terá data e local definidos em reunião que acontecerá entre os dias 12 e 13 de outubro têm como objetivo contribuir nas discussões e ações entre o Hip-Hop e demais segmentos da área cultural e social, bem como ajudar nas relações de participação e atuação junto às iniciativas públicas e privadas, além de garantir que as ações do movimento Hip-Hop já existentes sejam preservadas, atuantes e ampliadas.

“O Fórum do Hip-Hop de Ribeirão Pires, é um espaço de participação e diálogos entre os atuantes no cenário local e regional do movimento Hip-Hop, acolhendo discussões e vivencias que venham a trazer contribuições e fomento, com ações especificas de fortalecimento do movimento Hip-Hop e das culturas urbanas”, disse Pedro Lúcio, um dos ativistas do movimento.

Segundo ainda Pedro Lúcio “todo indivíduo atuante no Hip-Hop pode se integrar aos grupos e coletivos do segmento já existentes na cidade e pertencentes ao Fórum, ou procurar os membros do Fórum para obter mais informações. Os encontros do Fórum são periódicos e divulgados amplamente nos meios de comunicação e redes sociais”, concluiu.

2ª Edição do Flash Back na Praça: Suor, nostalgia e dança.

_DSC1105

O Palco da Praça Central de Ribeirão Pires ficou pequeno nesse domingo (31) para comportar uma multidão que se reuniu para curtir os grandes sucessos dos anos 80 e 90.

_DSC1098

No evento que teve início às 14hs e terminou por volta das 21hs, cinquentões saudosistas que desconheciam celular e ostentavam belos cortes de cabelo ‘Pig-Maleão’, juntaram-se a jovens que sob as batidas comandadas por Dj’s, coreografavam os tradicionais ‘passinhos’ muito comuns na época.

_DSC1089

Dj Ralbert Sória agitando a galera

No comando das pick-ups estavam os Dj’s: Adilson Marchetti, Erick Albert,  Jeff Borges, Fábio Lisboa, Ricardinho Ricca, Luca Teixeira, Márcio Parra, Ralbert Sória, Anderson Pisca, Jeff Slade, Lucas Monteiro e Guga Mix.

_DSC1096

_DSC1091

_DSC1102

Vereador Eduardo Nogueira tem Lei aprovada que beneficia artistas de rua.

Eduardo Nogueira

O projeto regulamenta as produções artísticas em espaços públicos de Ribeirão Pires e garante o livre exercício da arte de rua, inclusive podendo receber incentivos públicos e privados para a execução do trabalho.

Em Sessão ocorrida na Câmara Municipal de Ribeirão Pires, os vereadores aprovaram por unanimidade o Projeto de Lei de protocolo número 025/2015, de autoria do vereador Eduardo Nogueira, que “dispõe sobre a apresentação de Artistas de Rua nos logradouros públicos do Município de Ribeirão Pires”. De acordo com o projeto, elaborado em consulta a vários artistas de rua da cidade, as manifestações artísticas realizadas ao ar livre não precisarão de prévia autorização do poder público, uma vez observados alguns requisitos, os quais podem ser visualizados na íntegra no final do texto.

Segundo justificou o vereador Eduardo Nogueira, a aprovação do projeto é mais uma vitória para a classe artística de Ribeirão Pires, especialmente os que desenvolvem seus trabalhos utilizando a rua como palco, dando maior valorização e incentivo aos espetáculos produzidos pelos mesmos nesses locais.

“A classe artística de Ribeirão Pires sabe como é difícil conseguir apoio para realizar cultura na cidade. Temos informações de que em alguns casos a liberdade de se apresentar em espaços públicos já chegou ao absurdo de ser cerceada e esta proposta visa proteger os artistas de rua, garantindo sua livre expressão no espaço público, respeitada a livre circulação e integridade de logradouros e áreas verdes”, argumentou o vereador Eduardo Nogueira.

Após a aprovação, o projeto de lei segue para a sanção do prefeito municipal. Confira abaixo, leia o projeto de lei na íntegra!

Eduardo Nogueira tem sido uma altiva e assídua voz em defesa das minorias escanteadas na cidade. Seu mandato vem acolhendo demandas de gênero, de entidades sociais e de classes. Sem a menor sombra de dúvidas, após a promulgação da “Lei Eduardo Nogueira”, artistas mambembes e alternativos, dançarinos, malabarista e outros… poderão desenvolver seus talentos artísticos com dignidade e respeito levando cultura e entretenimento onde o povo está, ou seja nas ruas e praças da cidade. Meus parabéns vereador pelo belo préstimo a sociedade e a comunidade artística. Luís Carlos Nunes