Arquivos de Tag: Datafolha

Datafolha analisa que Lula deve crescer após condenação.

Infomoney – A condenação unânime em segunda instância dificulta e muito uma eventual candidatura do ex-presidente Lula. Porém, o impedimento pode demorar alguns meses para acontecer e o petista pode até mesmo entrar em campanha antes de uma decisão final sobre o assunto.

Neste cenário, se Lula conseguir concorrer sob judice, o maior beneficiário da condenação pode ser ele mesmo, segundo a avaliação do diretor do Datafolha, Mauro Paulino, em entrevista ao jornal Valor Econômico.

“É possível até que ganhe mais intenção de voto. A trajetória anterior do Lula mostra que ele sai fortalecido de episódios como esse”, disse Paulino ao jornal. Ele lembra que, no auge do mensalão, o petista perdeu força num primeiro momento, mas logo se recuperou e impulsionou até mesmo a eleição da ex-presidente Dilma Rousseff.

“O mesmo aconteceu com depoimentos do Lula ao Sérgio Moro, que fizeram com que ele ganhasse mais intenção de voto, saiu 25%, 30% e chegou a 36%”, diz. A última pesquisa do Datafolha, de dezembro, apontou Lula com 34% dos votos, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) 17%, Marina 9%, Ciro Gomes (PDT) 6% e Geraldo Alckmin 6%.

Para Paulino, contudo, mesmo se Lula for impedido de concorrer, isso não significará que ele não será um agente importante na corrida eleitoral, apontando que um terço dos eleitores votariam com certeza em um candidato apoiado por ele.

De acordo com o diretor do Datafolha, 25% dos votos de Lula iriam para Marina Silva, no caso de impedimento do ex-presidente, sendo ela a principal beneficiária, 14% iriam para ex-ministro Ciro Gomes (PDT), enquanto o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) herdaria 6% dos votos do petista. Já um cenário sem o petista, cerca de 29% dos eleitores diz que votariam branco ou nulo. O restante se declara indeciso.

Lula se consolida em 1º e Bolsonaro se fortalece no 2º lugar, diz Datafolha.

Lula tem 34% das intenções de voto no principal cenário; em simulação de segundo turno com Bolsonaro, Lula aparece com 51%

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está fortalecido em primeiro lugar em um novo levantamento para as eleições de 2018 feito pelo Datafolha e divulgado neste sábado (2). O petista aparece com 34% da preferência dos eleitores no principal cenário.

A pesquisa mostra também que Jair Bolsonaro (PSC) se consolidou em segundo lugar e aparece isolado na posição com 17% das intenções de voto.

Na sequência, Marina Silva (Rede) – que neste sábado lançou pré-candidatura à Presidência – ocupa o terceiro lugar com 9%, seguida por Geraldo Alckmin (PSDB) com 6%, mesma porcentagem de Ciro Gomes (PDT).

Os números também apontam: Joaquim Barbosa (sem partido) 5%, Alvaro Dias (Podemos) 3%, Manuela D’Ávila (PCdoB) 1%, Michel Temer (PMDB) 1%, Henrique Meirelles (PSD) 1% e Paulo Rabello de Castro (PSC) 1%.

As intenções de voto branco/nulo, assim como em pleitos anteriores, são significativas:

12%. Outros 2% disseram não saber em quem votar.

Segundo turno

O ex-presidente Lula lidera também os cenários de simulação de segundo turno. Com Bolsonaro, por exemplo, Lula tem 51% das intenções de voto, contra 33% de seu virtual adversário.

Em uma hipotética disputa com Marina Silva no segundo turno, porém, a porcentagem a favor do petista cai para 48%, enquanto a candidata do partido Rede surge com 35%.

Contra Alckmin, Lula volta a subir nas intenções de voto com 52% se disputasse o segundo turno com o tucano, que aparece com 30% neste cenário.

Sem Lula

O Datafolha fez ainda um levantamento sem o ex-presidente Lula concorrendo à presidência. No principal cenário, Jair Bolsonaro tem 21% das intenções de voto, seguido por Marina Silva (16%), Ciro Gomes (12%) e Alckmin (9%).

Condenado a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso envolvendo o tríplex do Guarujá, no litoral de São Paulo, Lula pode ter sua candidatura barrada se a pena do juiz Sérgio Moro for confirmada em segunda instância.

Como a decisão cabe recurso, o Partido dos Trabalhadores crê que é possível manter seu principal candidato na briga pela Presidência ao menos até o pleito.

O instituto Datafolha fez 2.765 entrevistas entre 29 e 30 de novembro em 192 cidades. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

Ranking da Eficiência: Rio Grande da Serra tem o pior desempenho no ABC.

ABCD_paulista

Foi divulgado no último domingo (28 de agosto) pelo jornal “Folha de São Paulo” em conjunto com o Instituto Datafolha, uma ferramenta inédita que afere quais prefeituras do Brasil entrega mais serviços básicos à população usando menos recursos financeiros.

O Ranking de Eficiência dos Municípios Folha (REMF) leva em consideração o atendimento das prefeituras nas áreas básicas de saúde, educação e saneamento, tendo como determinante para o cálculo de eficácia na gestão a receita per capita disponível de cada cidade.

educação

Na educação, o ranking contabiliza os percentuais de crianças atendidas por creches e escolas municipais. Na saúde, a cobertura da população por equipes de atenção básica e o total de médicos por habitante.

No saneamento, os percentuais de domicílios atendidos por redes de água e esgoto e por sistemas de coleta de lixo. O levantamento cobre 5.281 municípios (95% do total) e se utiliza dos dados mais recentes disponíveis para uma base dessa dimensão, sendo que após as análises, os municípios foram separados em quatro categorias, sendo: Eficiente, Alguma eficiência, Pouca eficiência e Ineficiente.

saúde

Entre os sete municípios do grande ABC Rio Grande da Serra apresenta o pior desempenho aparecendo na classificação nacional na posição 3.528 e também ficando nas últimas colocações entre os sete municípios do grande ABC quando analisados os serviços ofertados em Saúde, Educação e Saneamento Básico.

Como era de se esperar o melhor desempenho e da cidade São Caetano do Sul que lidera em todos os setores pesquisados.

Merece destaque a cidade de Ribeirão Pires que segundo os dados apurados nas fontes mais atualizadas, no item educação galgou a quarta posição em oferta de vagas para crianças de zero três anos (29%), repetindo a colocação para crianças de quatro a cinco anos cobrindo 84%dessa faixa etária.

rem

Ribeirão Pires, segundo o levantamento do Datafolha quando no ano de 2014 ofertou 0,5 médicos para cada grupo de mil habitantes, ficando a frente da cidade de São Bernardo do Campo e Rio Grande da Serra, última colocada.

Rio Grande da Serra é o pior IDH do ABC

kikoRio Grande da Serra amarga o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do ABC, segundo os dados mais recentes, de 2010, período em que o prefeito era Kiko Teixeira.

De acordo com o ranking do Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas – IDH, que é uma medida resumida do progresso em longo prazo em três dimensões básicas do desenvolvimento humano: renda, educação e saúde, a cidade de Rio Grande da Serra ocupa a 562º colocação, que significa último colocado no ABC paulista.

Ribeirão Pires ocupa a 100º colocação, quarto colocado atrás de São Caetano do Sul, Santo André e São Bernardo do Campo.