Arquivos de Tag: Dedé da Folha

Kiko terá a legalidade de seu mandato julgado pelo TSE. Decisão final pode estar próxima.

Após quase um ano e seis meses das eleições de outubro de 2016, Ribeirão Pires finalmente pode ter um capítulo final da novela sobre a cassação ou manutenção do diploma dos eleitos Kiko Teixeira (PSB) e Gabriel Roncon (PTB), prefeito e vice respectivamente.

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), divulgou nesta terça-feira (27) despacho assinado pelo presidente da Casa de Justiça, desembargador Cauduro Padin, onde é admitida o processamento dos recursos especiais interpostos. No despacho, é grafado:

“Fls. 793/797 vº e 814/824: Admito o processamento dos recursos especiais interpostos pela Procuradoria Regional Eleitoral e por Edinaldo de Menezes, ante o permissivo do artigo 276, I, ¿a” , do Código Eleitoral. Com efeito, tendo em vista a plausibilidade das ponderações dos recorrentes relativas a aplicabilidade da Súmula 47 do colendo Tribunal Superior Eleitoral diante das peculiaridades do presente caso, denota-se viável a abertura da via especial para manifestação do colendo Tribunal Superior Eleitoral acerca de eventual ofensa às normas previstas nos artigos artigo 14, § 9º da Constituição Federal e artigo 262 do Código Eleitoral, porquanto a liminar que sustou os efeitos da desaprovação das contas teve como fundamento fato inverídico.Intimem-se as partes contrárias para oferecer contrarrazões no prazo legal. São Paulo, 23 de março de 2018.

CAUDURO PADIN

Presidente” 

Segundo consta na mencionada Súmula 47 do Tribunal Superior Eleitoral:

“A inelegibilidade superveniente que autoriza a interposição de recurso contra expedição de diploma, fundado no art. 262 do Código Eleitoral, é aquela de índole constitucional ou, se infraconstitucional, superveniente ao registro de candidatura, e que surge até a data do pleito.”

Conforme o despacho do desembargador Cauduro Padin, o prefeito Kiko e seu vice serão intimados a apresentarem a suas defesas dentro do prazo de 03 dias após contados a data de publicação. Cumprida esta regra, o presidente do TRE-SP encaminhará o para as mãos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que deverá dar a palavra final sobre o caso.

Relembre o caso

O atual prefeito de Ribeirão Pires obteve o seu registro de candidatura para a eleição de 2016 grafado como “deferido com recurso” e o processo sob o nº 0000845-77.2016.6.26.0183 foi um recurso movido contra a expedição de Diploma quando nas eleições de 2016, o então candidato Kiko Teixeira para conseguir registro de chapa alegando cerceamento de defesa.

O ministro Edson Fachin que concedeu a decisão monocrática que permitiu o registro da candidatura, após pedir a cassação de sua própria decisão alegou que foi induzido ao erro.

STF vai julgar no dia 07 de março, a ADI 5619, que poderá acabar com nova eleição em caso de cassação da Chapa eleita.

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar no próximo dia 07 de março, em sua 4ª Sessão ordinária com início previsto para às 14:00 a ADI 5619, a Ação Direta de Inconstitucionalidade, com pedido de medida cautelar, proposta pelo Partido Social Democrático – PSD Nacional, em face do § 3º, do art. 224, do Código Eleitoral, introduzido pelo art.  da Lei nº 13.165/2015, que estabelece a hipótese de novas eleições no caso de decisão da Justiça Eleitoral, com trânsito em julgado, que importe o indeferimento do registro, a cassação do diploma ou a perda do mandato de candidatos eleitos em pleito majoritário, independentemente do número de votos anulados.

A matéria submetida à apreciação do STF é de inequívoca relevância, bem como possui especial significado para a ordem social e a segurança jurídica. Isto porque a presente ação envolve a análise da compatibilidade dos atos normativos atacados com os art. 29, II, art. 46, bem como o art. 77, todos da Constituição Federal.

Decorre disso, relevante discussão sobre a realização de novas eleições como critério exclusivo de sucessão nos pleitos majoritários.

I – DA AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE

Trata-se de ação direta de inconstitucionalidade, com pedido de medida cautelar, proposta pelo Partido Social Democrático, tendo por objeto o artigo 224, ~ 30, da Lei nO 4.737, de 15 de julho de 1965 (Código Eleitoral), introduzido pelo artigo 40 da Lei nO 13.165, de 29 de setembro de 2015. Eis, em destaque, o teor do dispositivo impugnado:

Art. 224. Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do pais nas eleições presidenciais. do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais. julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias.
§3″ A decisão da Justiça Eleitoral que importe o indeferimento do registro, a cassação do diploma ou a perda do mandato de candidato eleito em pleito majoritário acarreta, trânsito em julgado, a realização de novas eleições, independentemente do número de votos anulados.

Após defender sua legitimidade ativa ad causam, o requerente sustenta que a norma atacada, ao prever a realização de novas eleições nas hipóteses de indeferimento do registro, cassação do diploma ou perda do mandato de candidato eleito em pleito majoritário, independentemente do número de votos anulados, violaria o disposto nos artigos 29, inciso II; 46; e 77, todos da Constituição Federal, assim como os princípios da soberania popular (artigos 10 inciso I e parágrafo único; e 14, caput, da Constituição ), da proporcionalidade (artigo 5°, inciso L1V, da Carta) e da economicidade (artigo 70, caput, da Lei Maior). Além disso, alega que o dispositivo questionado não tutelaria suficientemente a legitimidade e a normalidade das eleições, nos termos do que preceitua o artigo 14, ~ 9°, da Carta Constitucional.

Nessa linha, assevera que seria inconstitucional “a realização de novas eleições como critério exclusivo de sucessão nos pleitos majoritários” (ll. 06 da petição inicial). De acordo com o autor, nas eleições para os cargos de Senador da República e de Prefeito de Município com menos de duzentos mil eleitores, ambos disputados pelo sistema majoritário simples, a anulação de menos de 50% (cinquenta por cento) dos votos válidos não justificaria a realização de novas eleições, considerando que a titulação do segundo colocado preservaria a vontade da maioria e atenderia aos princípios da razoabilidade, da proporcionalidade e da economicidade.

O requerente ressalta, outrossim, que estimativas da Justiça Eleitoral indicariam que, por força do disposto pela norma sob invectiva, 145 (cento e quarenta e cinco) Municípios brasileiros com menos de duzentos mil eleitores teriam de se submeter a novas eleições, o que confirmaria a suposta violação aos princípios constitucionais referidos.

Desse modo, entende que seria necessária a declaração da inconstitucionalidade parcial, sem redução de texto, para atestar do âmbito material de validade da norma impugnada os pleitos referentes ao sistema majoritário simples, de modo que a anulação de menos de 50% (cinquenta por cento) dos votos não implique a realização de novas eleições.

Diante dos argumentos expostos, o autor requer a concessão de medida cautelar para suspender os efeitos do artigo 224, * 3°, do Código Eleitoral quanto aos cargos disputados pelo sistema majoritário simples. No mérito, pleiteia a procedência do pedido para que seja declarada a inconstitucionalidade “de uma hipótese de interpretação de aplicação da norma. do S3 do art. 224 do Código Eleitoral. qual seja. no caso de eleição majoritária simples” (n. 16 da petição
inicial). ADI n° 5619.\fl7. Robert0 Barroso.

O processo foi distribuído, por prevenção, ao Ministro Relator Roberto Barroso, que, nos termos do rito previsto pelo artigo 12 da Lei n° 9.868/1999, solicitou informações às autoridades requeridas, bem como determinou a oitiva da Advogada-Geral da União e do Procurador-Geral da República.

VEJA ABAIXO O QUE DIZ A LEI EM VIGOR

 Lei nº 4.737 de 15 de Julho de 1965

Institui o Código Eleitoral.

 Art. 224. Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias.

§ 3o A decisão da Justiça Eleitoral que importe o indeferimento do registro, a cassação do diploma ou a perda do mandato de candidato eleito em pleito majoritário acarreta, após o trânsito em julgado, a realização de novas eleições, independentemente do número de votos anulados. (Incluído pela Lei nº 13.165, de 2015).

VEJA DO QUE SE TRATA A ADI 5619

Secretaria Judiciária
Decisões e Despachos dos Relatores
Processos Originários
AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 5.619 (1400)
ORIGEM : ADI – 5619 -SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL
PROCED. : DISTRITO FEDERAL
RELATOR :MIN. ROBERTO BARROSO
REQTE.(S) : PARTIDO SOCIAL DEMOCRÁTICO – PSD
ADV.(A/S) : EZIKELLY BARROS (0031903/DF)
INTDO.(A/S) : PRESIDENTE DA REPÚBLICAPROC.
(A/S)(ES) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃOINTDO.
(A/S) : CONGRESSO NACIONALPROC.
(A/S)(ES) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO

DESPACHO:1.Trata-se de ação direta de inconstitucionalidade, com pedido de medida cautelar, proposta pelo Partido Social Democrático – PSD Nacional, em face do § 3º, do art. 224, do Código Eleitoral, introduzido pelo art. 4º da Lei nº 13.165/2015, que estabelece a hipótese de novas eleições no caso de decisão da Justiça Eleitoral, com trânsito em julgado, que importe o indeferimento do registro, a cassação do diploma ou a perda do mandato de candidatos eleitos em pleito majoritário, independentemente do número de votos anulados.
2.A matéria submetida à apreciação desta Corte é de inequívoca relevância, bem como possui especial significado para a ordem social e a segurança jurídica. Isto porque a presente ação envolve a análise da compatibilidade dos atos normativos atacados com os art. 29, II, art. 46, bem como o art. 77, todos da Constituição Federal. Decorre disso, relevante discussão sobre a realização de novas eleições como critério exclusivo de sucessão nos pleitos majoritários.
3.Em face da presença dos requisitos legais, aplico o rito abreviado do art. 12 da Lei nº 9.868/1999, de modo a permitir a célere e definitiva resolução da questão. Assim, determino as seguintes providências: (i) solicitem-se informações à Presidência da República e à Presidência do Congresso Nacional, no prazo de dez dias; (ii) em seguida, encaminhem-se os autos ao Advogado-Geral da União para manifestação, no prazo de cinco dias; e, (iii) sucessivamente, colha-se o parecer do Procurador-Geral da República, também no prazo de cinco dias.
Intimem-se. Publique-se.
Brasília, 24 de novembro 2016.
Ministro LUÍS ROBERTO BARROSO Relator

Bancada do PPS de Ribeirão Pires questiona executivo sobre vazamento de informações sigilosas.

Os vereadores Edson Banha Savieto, Flávio Gomes e Paixão, representantes do PPS na Câmara de Ribeirão Pires questionam o governo do prefeito Kiko Teixeira (PSB) sobre suposto vazamento de informações sigilosas.

Através de ofício, os parlamentares solicitam informações quanto a notícias veiculadas pela imprensa, “quanto assuntos do Sistema Tributário Nacional, Lei nº 5.172/66, no que versa o Artigo 198…é vedada a divulgação”.

Na indagação, os edis querem saber:

  • Por quais canais, vazaram informações estritamente pessoais, quanto assuntos do Sistema Tributário Nacional, Lei nº 5.172/66, no que versa o Artigo 198?:

Art. 198. Sem prejuízo do disposto na legislação criminal, é vedada a divulgação, por parte da Fazenda Pública ou de seus servidores, de informação obtida em razão do ofício sobre a situação econômica ou financeira do sujeito passivo ou de terceiros e sobre a natureza e o estado de seus negócios ou atividades.

  • Qual a Secretária que passou essas informações, descumprido o Código Tributário?
  • Qual foi o amparo legal, que permitiu tal ação?

Em sua página pessoal no Facebook, a vítima do suposto ilícito, Edinaldo de Menezes, demonstrou disposição em levar a questão aos tribunais.

“O que o Governo Kiko Teixeira (PSB) e Gabriel Roncon (PTB) fizeram de expor, com mentiras, a questão do IPTU de minha família, pode gerar um belo processo contra a Prefeitura de Ribeirão Pires. Hoje os vereadores do PPS aprovaram um requerimento na Câmara Municipal solicitando informações sobre a violação ao artigo número 198 do Sistema Tributário Nacional. Já passei a questão ao advogado que está estudando o assunto. Logo mais informações”

Caso se confirme o vazamento por parte do executivo, a coisa pode ficar muito feia. Divulgar dado sigilo é grave, gravíssimo. Até onde sabemos, quebra de sigilo somente o judiciário pode fazer. Será que a desculpa será a velha e cabeluda “Eu não sabia? Não é meu amigo, ou não articulei contra algoz notório e público?” É como diria o Arnaldo: A Lei é clara! Mas em se tratando de Brasil, tudo pode não é mesmo nobre leitorado? Luís Carlos Nunes

STF fará julgamento que pode mudar destino político de pequenas cidades. Caso aprovado, prefeito cassado será substituído pelo 2º colocado.

Ribeirão Pires, desde a posse do prefeito Kiko Teixeira e seu vice Gabriel Roncon, passa por grandes traumas e aguda insegurança política e administrativa. Corre no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, processo que pede a cassação da chapa vencedora nas eleições de 2016. Segundo a demanda jurídica, Kiko é acusado de má fé ao induzir ao erro o ministro Luiz Edson Fachin do Supremo Tribunal Federal (STF) ao alegar cerceamento de defesa e não intimação para sustentação em julgamento onde suas contas quando presidia o parlamento da cidade de Rio Grande da Serra, foi rejeitada por dolo insanável o que o enquadrou na Lei da Ficha Limpa impedindo-o de postular cargos públicos eletivos. Esses argumentos levaram Fachin a conceder Decisão Monocrática que possibilitou o registro da chapa e disputar as eleições. A atitude foi contestada pela Ministério Público Eleitoral do Estado que apresentou cópia da intimação feita em Diário Oficial. A permissão para o registro foi retira pela 1ª Turma do STF.

Em sessão de julgamento acontecida no dia 27 de setembro de 2017, no Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo (TRE) o juiz relator do processo, após ouvir acusação, defesa e ministério público decidiu retirar o processo da pauta para que seu voto fosse refeito, argumentando sob agendamento para o dia 03 de outubro (terça-feira). Até o fechamento desta matéria, a pauta não consta agendada na página oficial do TRE. Para saber mais clique aqui.

Informação de bastidores, nos instruem que diante falta da publicação do Acórdão do STF que retirou a decisão monocrática que deu direito a Kiko Teixeira e Gabriel Roncon de disputarem as eleições de 2016 e também do julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 5619 (ADIN) na quinta-feira 05 de outubro, o TRE deverá aguardar até o final de outubro. Essa argumentação, segundo nossa fonte “tem o objetivo” de ato seguro, uma vez que uma possível cassação traria num curto espaço de tempo a retirada do atual prefeito e vice, posse interina do presidente da Câmara de Vereadores e prazos para registro de candidatura e data das eleições suplementares.

STF julgará ADIN e poderá direcionar Ribeirão Pires a um novo tempo

Segundo publicação oficial do Supremo Tribunal Federal (STF), está marcada para o próximo dia 05 de outubro, o julgamento de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) que pleiteia que em municípios com menos de 200.000 eleitores, ao invés de convocação de novas eleições, que o segundo colocado nas eleições seja conduzido ao cargo de prefeito com seu respectivo vice.

A Ação foi apresentada pelo partido PSD que em sua justificativa sustenta que:

“a previsão de anulação do pleito majoritário ‘independentemente do número de votos anulados’, para que sejam realizadas novas eleições nas hipóteses em que a Magna Carta exige apenas a maioria simples de votos para a escolha do eleito, contraria o disposto no art. 29, inc. II Art. 46 c.c art. 77 da Constituição Federal (CF/88), a Soberania Popular (CF/88, art.1º, I e parágrafo único, c.c. art. 14, caput), o Princípio da Proporcionalidade (CF/88,art. 5º, LIV), o Princípio da Economicidade (CF/88, art. 70, caput), bem como deixa de proteger suficientemente a legitimidade e a normalidade dos pleitos eleitorais, tal qual disposto no art. 14, § 9, da CF/88”. Aduz que “caso o candidato eleito com menos de 50% dos votos válidos venha a ter os mesmos anulados pela Justiça Eleitoral, quando o sistema adotado para aquela eleição for o de maioria simples, contrário senso, deverá ser considerado eleito o segundo candidato mais votado”. Diante disso, requer a “declaração de inconstitucionalidade sem redução de texto, para afastar do âmbito material de validade da norma os cargos de Prefeito e vice de municípios com menos de 200 mil eleitores e o cargo de Senador da República”, entre outras coisas.

Essa ADIN tem parecer favorável parcial da Procuradoria Geral da República (PGR) e da Advocacia Geral da União.

“Entendendo que viola os princípios da razoabilidade e da economicidade exigir novas eleições para prefeitura de municípios com menos de 200 mil eleitores em razão de indeferimento de registro, cassação de diploma ou perda de mandato de candidato eleito, por decisão da Justiça Eleitoral, conforma-se, em princípio, com o sistema representativo e com os princípios da proporcionalidade, soberania popular, legitimidade e normalidade do pleito. Pela procedência parcial do pedido, devendo ser declarada a inconstitucionalidade parcial, sem redução de texto, do artigo 224, § 3º, da Lei nº 4.737, de 15 de julho de 1965 (Código Eleitoral), introduzido pelo artigo 4º da Lei nº 13.165, de 29 de setembro de 2015, para afastar de seu âmbito de validade, tão somente, as eleições de Prefeitos de Municípios com menos de duzentos mil eleitores”.

Dedé da Folha é condenado pelo TRE e fica inelegível por 8 anos.

O ex-vice-prefeito Edinaldo de Menezes, popularmente conhecido como Dedé da Folha, foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP) em processo julgado nesta terça-feira (09).

Dedé foi acusado de se utilizar durante as eleições municipais de outubro de 2016, – quando era candidato a prefeito -, de ter feito uso indevido e vedado em benefício próprio do jornal “Folha de Ribeirão Pires”, empresa a qual segundo a acusação formulada pelo então candidato e hoje prefeito eleito Kiko Teixeira, aponta que a empresa jornalística em questão foi fundada pelo pai do acusado e que nos quadros societários há grau de parentesco em primeiro grau.

A ação judicial que teve como relator o juiz Luiz Guilherme da Costa Wagner Júnior, foi a plenário e teve votação unanime (6×0) entre os magistrados daquele Tribunal.

Com a decisão, Dedé da Folha fica enquadrado na Lei da Ficha Limpa ficando inelegível pelo período de 8 anos. Da decisão cabe recurso. O número do processo é 0000495-89.2016.6.26.0183

PRE-SP pede a cassação de Kiko e Gabriel Roncon.

A Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo (PRE-SP), solicitou no final da tarde desta segunda-feira (08), a cassação dos diplomas do prefeito eleito de Ribeirão Pires e seu vice, Kiko Teixeira (PSB) e Gabriel Roncon (PTB) respectivamente.

O processo protocolado e registrado no TRE-SP em 19/12/2016 pelo segundo colocado nas eleições, Edinaldo de Menezes, alega através de sua assessoria jurídica que Kiko encontrava-se em condição de inelegível para o pleito eleitoral.

Agora, após a manifestação da PRE – que pede a cassação do diploma -, cabe ao relator do processo nº 0000845-77.2016.6.26.0183, o juiz Luiz Guilherme da Costa Wagner Júnior, decidir se acolhe ou não a denúncia que será apresentada ao Pleno do TRE-SP, composto por desembargadores.

Dedé da Folha e Kiko realizam atividades em busca do voto neste sábado.

cats

Imagens obtidas no Facebook dos candidatos

Dedé da Folha (PPS) e Kiko (PSB), os dois principais candidatos ao Paço de Ribeirão Pires realizaram importantes atividades nesta véspera das eleições.

Kiko concentrou suas energias para a realização de uma carreata que percorreu as principais ruas da cidade o que causou grande congestionamento irritando alguns motoristas que trafegavam pelo trajeto e não participavam do ato.

Já o candidato Dedé da Folha escolheu a estratégia do corpo-a-corpo com a população e orientou sua militância a realizarem reuniões e bater de porta em porta em busca do voto. A equipe de Dedé da Folha também fez panfletagem nos principais pontos do centro da cidade e locais estratégicos nos bairros.

Pesquisa do Instituto WSN aponta Dedé da Folha e Kiko tecnicamente empatados.

capa

Pesquisa divulgada pelo Instituto WSN Assessoria Pesquisas Estatísticas S/S Ltda., que polariza a disputa entre os candidatos a prefeito por Ribeirão Pires, Dedé da Folha (PPS) e Kiko (PSB) como tecnicamente empatados na primeira colocação, causou muito barulho na cidade.

Registrada junto ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE) sob o nº SP-09171/2016, ouviu 600 pessoas no dia 27 de setembro e sua margem de erro é estimada em 4 pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%. O levantamento cumpriu todos os requisitos legais, constou todos os candidatos registrados aos cargos de Prefeito.

A referida pesquisa foi questionada junto ao TRE, requerendo ordem de busca e apreensão do Jornal Repórter ABC que trouxe em sua capa de forma isenta o resultado da pesquisa.

O referido questionamento ocorreu por um lapso do Instituto contratado, no envio do arquivo PDF ao TRE-SP, fatos este que já foi corrigido, e que não gerou dúvidas na lisura e apuração do resultado, ora publicado, não restando a mais ninguém dúvida sobre a autenticidade do levantamento.

O Repórter ABC, veículo de comunicação sediado em Ribeirão Pires tem se pautado ao longo de sua existência pela ética e seriedade em sua labuta de noticiar fatos e levar aos seus leitores textos isentos e sem vícios.

Como contratante do instituto de pesquisa, cumprimos rigorosamente com nossas obrigações e temos a plena convicção de que ao divulgar os dados constates no levantamento contribuímos com o eleitor/cidadão de Ribeirão Pires levando conhecimento sobre a real intenção de votos na cidade.

Leia a versão digital do Repórter ABC | 12ª edição.

Clique na imagem abaixo e leia a versão digital do Jornal Repórter ABC

rabc12600

Dedé da Folha e Kiko chegam empatados na reta final das eleições municipais de domingo.

cats
Domingo acontecem as eleições municipais em todo território nacional. Em Ribeirão Pires o cenário promete fortes emoções aos candidatos e eleitores. Pesquisa realizada na terça-feira (27), encomendada pela Ágora Comunicação administradora do Jornal Repórter ABC e realizada pela WSN Assessoria e Pesquisas Estatísticas S/S Ltda. mostra que Dedé da Folha (PPS) e Kiko (PSB) estão tecnicamente empatados e o resultado das urnas imprevisível. Os números mostram que um dos dois candidatos será o próximo prefeito da Estância Turística. A pesquisa ouviu 600 pessoas e está registrada sob o número SP-09171/2016. A margem de erro é estimada em 4 pontos, com nível de confiança de 95%.

espontanea-rabc

No levantamento espontâneo, Kiko aparece com 18.9% das intenções, seguido de perto por Dedé da Folha (PPS) com 16,3%, Luiz Carlos Grecco – PRB com 13,3%, Saulo Benevides – PMDB (4,2), Leo – PMB (3,8), Renato Foresto – PT (2,8), Dra. Rosana – Rede (0,6), Carlos Sacomani – PSL (0,5) e Lima – PSTU (0,2). Não sabe em quem votar são 34,2% e brancos e nulos somam 5% das intenções de voto.

estimulada-rabc

Quando o eleitor é estimulado a escolher um candidato, Kiko aparece com 23,5%, Dedé da Folha com 21% e Grecco em terceiro com 16,3%. O prefeito Saulo Benevides está em quarto lugar com 5,5% das intenções de voto. A pesquisa segue com Leo (4,9), Renato Foresto (3,5), Carlos Sacomani (1,3), Dra. Rosana (0,6) e Lima (0,3). Na sondagem ainda não declararam o voto 13,2% e disseram votar nulo ou branco 9,9%.

Rejeição

Segundo a metodologia da pesquisa, o entrevistado poderia escolher mais que um candidato para rejeitar, com isso, os índices ficaram elevados para maioria dos concorrentes ao Paço de Ribeirão Pires. O prefeito e candidato à reeleição Saulo Benevides lidera com 75,5%, seguido por Leo (49,8), Kiko (49,3), Dedé (47,2), Grecco (46,0), Renato Foresto (46,0), Lima (45,8), Dra. Rosana (43,3) e Sacomani (32,8).

Ainda segundo o levantamento, com o pesquisado podendo escolher mais que um candidato, a porcentagem de pessoas que não sabe qual candidato rejeita também é elevado alcançando os 27%. A metodologia apresentada pela WSN Assessoria e Pesquisas Estatísticas S/S Ltda. É diferente da maioria dos institutos, quando o entrevistado rejeita apenas um dos candidatos mostrado no disco de identificação.

Pesquisa aponta empate entre Dedé da Folha e Kiko entre homens e mulheres Se os números apontam que os candidatos Dedé da Folha e Kiko estão disputando voto a voto a intenção do eleitorado, em vários quesitos do levantamento a disputa também é acirrada.

No levantamento de gênero, Kiko leva pequena vantagem com as mulheres, mas perde nas intenções de voto do público masculino.

Ao avaliar os pesquisados por renda, Dedé da Folha é bem visto por pessoa com rendimento familiar acima de três salários mínimos, enquanto Kiko é o preferido entre pessoas que ganham entre R$ 800,00 e R4 1.760,00.

Os líderes na pesquisa também aparecem tecnicamente empatados quando verificado a idade dos entrevistados. Pessoas entre 34 e 44 anos tendem a votar com Dedé da Folha, enquanto jovens até 24 anos preferem Kiko.

Quando analisados os dados ligados a escolaridade, Kiko é melhor avaliado entre pessoas com Ensino Fundamental, enquanto Dedé é preferido entre as pessoas com Ensino Médio e Superior.

Leia a versão digital do Repórter ABC | 11ª edição.

Clique na imagem abaixo e leia a versão digital do Jornal Repórter ABC

rabc11600

Dedé da Folha registra Boletim de Ocorrência por ameaça.

Foi registrado na manhã desta sexta-feira (23 )na Delegacia de Polícia de Ribeirão Pires, um Boletim de Ocorrência (B.O.) pelo candidato a prefeito Dedé da Folha (PPS) contra Gildo Roncon. O motivo é uma suposta ameaça gestual e verbal que Dedé alega ter sofrido por parte do pai do candidato a vice-prefeito na chapa de Kiko Teixeira. Ainda durante o debate entre os candidatos a prefeito, Dedé da Folha solicitou a mediação do evento providência sem função dos ataques e denunciou aos presentes o que estava acontecendo assim que foi autorizado a utilização de microfone.

O B.O. está registrado sob o nº 3892/2016, abaixo a íntegra da histórico relatado

“Presente a vítima, acima qualificada, informando que na data e horário dos fatos, participava de debate político na Associação Nipo Brasileira, situada no local dos fatos, como candidato a prefeito por esta cidade, estando a vítima no palco juntamente com os demais candidatos, quando o averiguado que estava na platéia, ameaçou a vítima com gestos, apontando o dedo indicador para a vítima e fazendo menção com a mão a uma arma de fogo,complementando com movimentos labiais. A vítima  informa que o averiguado é pai do candidato a vice prefeito Gabriel Roncon de outra chapa, que na ocasião, tornou público a ameaça que sofrera, falando aos que ali estavam no momento em que teve a palavra. Vítima orientada quanto ao prazo decadencial de seis para ofertar representação em face de averiguado. Nada mais”

Leo, Renato Foresto, Drª Rosana e Dedé da Folha são destaques no debate.

cats

Propostas, equilíbrio e objetividade  foram a marca dos candidatos

Renato Foresto (PT), Drª Rosana (REDE), Dedé da Folha (PPS) e Leo (PMB) foram os candidatos que melhor se posicionaram durante o debate ocorrido nesta quinta-feira (22) no Clube Kaikan. Com ideias claras e afinação ideológicas com seus programas de governo, discursaram e debateram os termas propostos com equilíbrio e respeito devido aos seus adversários não deixando o foco do debate de ideias.

Leia a versão digital do Repórter ABC | 10ª edição.

Clique na imagem abaixo e leia a versão digital do Jornal Repórter ABC

rabc10600

Chargista de Ribeirão narra a “Corrida Eleitoral de Ribeirão Pires”.

kikodede

O chargista de Ribeirão Pires Raphael Bettega, desenvolveu uma criativa e bem animada narrativa da corrida eleitoral rumo ao Paço municipal.
Baseado em levantamento realizado pelo Instituto DGABC, Bettega ilustrou, editou e narrou os principais candidatos da cidade e deu vida com a participação e comentário do Jornalista e humorista Samuel Boss. O talentoso Raphael Bettega é designer Gráfico e estudantes de Rádio e TV na universidade USCS de São Caetano do Sul.
Vale a pena assistir e rir.

Justiça Eleitoral nega pedido de direito de resposta a Kiko.

kiko

O candidato a prefeito em Ribeirão Pires Kiko Teixeira amargou derrota na Justiça Eleitoral ao solicitar direito de resposta contra Dedé da Folha (PPS). Segundo a solicitação feita por Kiko, Dedé da Folha, no dia 03 de agosto publicou em sua página do Facebook uma “Nota Oficial” intitulada “Nota Oficial Sobre Notícia de Apoio de Saulo a Candidatura de Dedé a Prefeito. Nego e Não Quero Apoio”.

Na nota foram inseridos os dizeres “Comigo liberado para disputar a Prefeitura, fez o grupo de Kiko Teixeira perder o chão e agora começa a propagar mentiras. Kiko está se especializando cada vez mais em falar mentiras, agora com essa invenção do apoio de Saulo a minha candidatura. Não sou contra pessoas de outras cidades serem candidatas em Ribeirão Pires. Mas a pessoa tem que morar em Ribeirão Pires e é certo e todos nós sabemos que Kiko não mora e nem nunca morou em Ribeirão Pires”.

Kiko apontou que tais afirmações são inverídicas e ofenderam sua honra, desabonando sua imagem, retirando sua credibilidade e ofendendo seu caráter como pessoa.

Notificado para a sua defesa, Dedé da Folha argumentou que “nos dias 02 e 03 de agosto de 2016, foi publicada matéria no Jornal Diário do Grande ABC, online e impresso, com a notícia da possível desistência do pleito pelo atual Prefeito Saulo Benevides. Dedé da Folha disse ainda que também circulou na sociedade e no meio político, principalmente pelas redes sociais, possível apoio do atual prefeito a sua candidatura. Por tal motivo, editou a nota de esclarecimento e apontou que os boatos foram propagadas pelo grupo de Kiko, e que o presidente do PSB – partido de Kiko -, João Mancuso compartilhou sessenta e uma vezes a matéria”.

Dedé da Folha disse ainda que “é fato notório que Kiko fez carreira política em Rio Grande da Serra, e que transferiu o domicílio eleitoral para Ribeirão Pires para a disputa das eleições, fato que está sob investigação criminal”.

Em pronunciamento, o Ministério Público pontuou que a postagem na rede social não ultrapassou os limites do regular direito de liberdade de expressão e não entrou na esfera íntima e privada do representante e opinou pela improcedência do pedido.

Em despacho no dia 23 de agosto, o Juiz Eleitoral Walter de Oliveira Junior, analisou como fato sem importância Dedé da Folha ter afirmado que Kiko não mora e nunca morou em Ribeirão Pires e julgou que não houve ofensa a sua honra, posto que é de conhecimento geral a sua carreira política na cidade de Rio Grande da Serra.

“…a mera imputação de que Kiko estaria inventando mentiras não induz gravidade suficiente a causar desequilíbrio ou induzir o eleitor a erro, posto que é próprio do debate político o apontamento de pontos de vistas sobre os mais diversos assuntos. Não se avista a intenção, a vontade de ferir a honra do requerente nos dizeres aventados, posto que inseridos em contexto de justificativa da não aceitação de apoio do atual prefeito. Ainda que exaltadas as palavras, não o é suficiente para abalar a honra de qualquer homem médio. Há ainda prova de compartilhamento de notícia anterior supostamente efetuada pelo próprio presidente do partido PSB João Mancuso, o que confirma que os comentários são realizados nos limites do debate eleitoral. Ainda não resta qualquer prejuízo que se apure, pois o atual prefeito procura sua reeleição, sendo público e notório o fato, de modo que perdeu o objetivo eventual direito de resposta que se esclareceu pelos próprios fatos supervenientes. Ante o exposto, acolho o parecer do Ministério Público, julgo improcedente o pleito e indefiro o pedido de resposta requerido por ADLER ALFREDO JARDIM TEIXEIRA movido em face de EDINALDO DE MENEZES”, sentenciou o Juiz Eleitoral que teve a sua publicação em 12 de setembro de 2016.

Eleições em Ribeirão Pires: baixaria nas redes sociais já é alvo de críticas.

fake

Em Ribeirão Pires a disputa eleitoral deste ano está mais voltada para o embate virtual do que a discussão de propostas. Soldados virtuais se voltam para criticar uns ao outro, e as propostas que os candidatos têm para o município ficam em último lugar. Essa pseudo “guerra cibernética” é clara e já vem sendo alvo de rejeição por parte dos eleitores que estão sempre conectados nas redes sociais.

Já foram alvos de “trolagem” e ataques o candidato a prefeito Renato Foresto (PT) que viu seu nome na mira de Fake’s (falso em inglês), que tramavam estratégia para denegrir a sua imagem. Dedé da Folha (PPS), também não foi poupado quando sobre uma possível desistência do candidato Saulo Benevides viu inclusive o presidente de uma agremiação compartilhar por mais de 60 vezes nas redes sociais de que Saulo apoiaria sua candidatura, fato amplamente negado por Dedé. O prefeito Saulo Benevides também entrou numa insana “metralhadora giratória” em seu desfafor com charges, vídeos…

Num caso mais recente, um vídeo cita o candidato Kiko do PSB e seu vice, Gabriel Roncon. O material com edição profissional e voz “macabra” expõe o nome de apoiadores de suas candidaturas como verdadeiros mal feitores e um suposto fatiamento de um possível governo. Boletim de Ocorrência foi registrado e representação foi feita junto ao Ministério público para possível apuração dos responsáveis.

Não é de hoje que ouvimos de alguns eleitores que esse nível de discussão política não agrada, pois ela não soma em nada e o principal foco que é o que os candidatos vão fazer caso sejam eleitos fica de fora da discussão.

A reforma política realizada ano passado trouxe algumas modificações nas leis eleitorais, e uma delas é que cada candidato principalmente ao executivo envie suas propostas de campanha ou plano de governo ao TSE, isso é muito importante, pois se o seu candidato não fala em plano de governo ou não diz o que pretende fazer, pode ter certeza que ao votar nele você estará assinando um cheque em branco, para ele fazer o que quiser. Espera-se que o debate seja feito com bases sólidas, tudo documentado para que não paire dúvidas até mesmo porque as eleições passam e o cidadão fica! Por tanto nada de brigas, baixo nível ou ofensas pessoais.

Aqui não faremos juízo de valor e tão pouco puxar a braza para a sardinha de ninguém. Mas conceitos e ânimos de muitos precisam ser revistos! O que se qualifica como situações negativas, o eleitor encara como baixaria. De certa forma, essas discussões são muito importantes para esse momento de eleições, pois o eleitor se informa sobre os candidatos disponíveis ao pleito seu passado e o que ele já fez ou deixou de fazer. Se tivermos apenas campanha positiva de todo candidato, na prática, a eleição se consagrará como uma apresentação de candidatos que ficarão ilesos aos ataques”. Mas há limites, difundir informação sem base documental ou legal é crime. A falta de um programa de governo ou a falta da discussão do que se pretende fazer faz parte da velha política no Brasil e políticos que estão fora desse quadro, mostram-se alinhado em um novo jeito de administrar as cidades. Povo bem informado é povo poderoso! Luís Carlos Nunes.

Dedé da Folha (PPS), fala sobre suas prioridades caso seja eleito nas eleições de 2 de Outubro.

_dsc1306

Dedé elencou como prioridade número 1 a Saúde, que segundo ele, foi precária nos últimos anos e não atendeu as necessidades da população.

“Precisamos implantar o Cartão Cidadão Saúde, como forma de agilizar o atendimento médico e ambulatorial, colocarem prática a entrega de medicamentos de uso contínuo em casa e reformar as Unidades Básicas de Saúde, para estender o horário de funcionamento em regiões como Ouro Fino Paulista, Quarta Divisão, Jardim Guanabara e Jardim Caçula. Iremos garantir o funcionamento do Hospital São Lucas e da UPA 24 Horas e finalizar as obras do Hospital Municipal, e ainda, implantar o Programa Dose Certa, dar maior agilidade na realização e exames e resultados e garantir médicos especialistas nas Unidades Básicas de Saúde, bem como, planejar o Programa Saúde da Família”.

A rigidez das atitudes no trato com o dinheiro público também é colocado como necessário para uma boa gestão, recomendou o candidato.

“Sou pós-graduado em Gestão de Cidades pela FAAP, procurei essa especialização por entender ser necessária para todos que pretendem administrar um município. Vou colocar em prática tudo que aprendi. Minha primeira ação será no sentido de diminuir o número de secretarias e a quantidade de cargos comissionados, adotando critérios rigorosos para os gastos públicos. Entendo que uma boa gestão só será possível com o empenho do servidor efetivo, pretendo criar a Secretaria de Recursos Humanos, com o objetivo de implantar programa de cargos e salários, com um plano de carreira e incentivo à formação acadêmica, permitindo uma progressão profissional dentro da Administração, e aliado a isso, descentralizar os serviços da Prefeitura para locais como Quarta Divisão, Jardim Caçula e Ouro Fino Paulista”.

Para Dedé da Folha é necessário garantir direitos para todas as camadas sociais. É defensor da criação do Centro de Referência, voltado para o atendimento das camadas mais vulneráveis da população, centralizando os serviços em um só local.

“Hoje quando uma pessoa é agredida por questões de raça ou gênero necessita passar por vários departamentos da Prefeitura, tendo de contar e recontar o fato, precisamos agilizar o atendimento e o encaminhamento do problema, portanto, acredito que o Centro de Referência possa ser uma boa saída”.

O candidato falou ainda sobre Juventude. Para Dedé é preciso oferecer oportunidades para os jovens, e seu Plano de Governo dedica espaço para esse tema.

“Acompanho a juventude, sei dos seus anseios, das dificuldades e do avanço das drogas. Ribeirão Pires está devendo uma política séria voltada ao segmento. Pensamos algumas prioridades para esses jovens. Iremos levar cultura, esporte e lazer para os bairros, utilizando o espaço das escolas. Pretendo implantar o Programa Municipal de Incentivo ao Primeiro Emprego, empresas recebendo incentivos para contratar nossos jovens. Vou implantar a Escola Municipal de Idiomas, sabemos que no mercado de trabalho dominar o Inglês e o Espanhol é fundamental, e claro, incentivar o esporte amador e modernizar as escolas de música, dança, artes e esportes”.

Dedé ainda falou sobre suas propostas de valorização à vida. Quer priorizar a creche 24 horas para os pais que trabalham no período noturno, implantar a Casa do Vovô, com espaços adaptados para as pessoas de a Melhor Idade ficar enquanto seus parentes trabalham, e ainda, garantir o funcionamento do programa Assistência Integral à Saúde da Mulher.

Por fim, se comprometeu em se empenhar para garantir o pleno funcionamento dos conselhos municipais, oferecer um ensino de qualidade e ampliar o número de vagas em creche.

Dedé da Folha destacou o setor da Segurança, focando a efetivação da operação da central de monitoramento por câmeras24horas, a ampliação do efetivo da Guarda Civil Municipal, com novas viaturas, coletes e equipamentos e a instalação de unidades da Guarda Civil Municipal nos bairros. Dedé quer monitorar com motos as divisas e implantar a Guarda Civil Comunitária. Discorreu ainda sobre o para Direito dos Animais.

“Quero promover campanhas permanentes para a conscientização da posse responsável e combate ao abandono, implantar o Programa Municipal de Microchipagem, revitalizar o Canil Municipal, atendendo a Legislação e as indicações da sociedade civil e firmar parceria com instituições de proteção aos animais. Iremos implantar o Projeto Asas, voltado para proteção da flora e fauna de Ribeirão Pires, além de revitalizar o Viveiro Municipal e implantar o Centro de Educação Ambiental”, finalizou o candidato.

Para saber mais sobre as propostas e o Plano de Governo acesse: facebook.com/dededafolha23

Leia a versão digital do Repórter ABC | 9ª edição.

Clique na imagem abaixo e leia a versão digital do Jornal Repórter ABC

rabc9600

Candidatos ao Paço de Ribeirão Pires apresentam propostas e troca de farpas em debate organizado pela UJS.

_dsc1868

O debate organizado pela União da Juventude Socialista (UJS) com os candidatos à prefeitura da cidade Leo (PMB), Lima (PSTU), Renato Foresto (PT), Luiz Carlos Grecco (PRB), Drª Rosana Figueiredo (REDE), Kiko Teixeira (PSB) e Dedé da Folha (PPS), pelas expectativas, foi morno em relação a ataques, mas marcado pela significativa presença de propostas. Eleitores previamente inscritos tiveram a oportunidade de acompanhar o evento no auditório do Ribeirão Pires Futebol clube e também via internet com transmissão ao vivo. Foram registradas as ausências dos candidatos Saulo Benevides e Carlos Sacomani.

O debate dividido em 5 blocos teve como mediador o jornalista Raphael Ventura. Em todos os blocos, utilizando o critério do sorteio, primeiro foram feitas perguntas de candidato para candidato, no segundo representantes da imprensa fizeram perguntas de tema livre, no terceiro foi permitido questionamento livre entre candidatos previamente sorteados. Já no quarto bloco, munícipes fizeram perguntas e no ultimo bloco foi aberto para as considerações finais.

cats Surpreenderam os candidatos Renato Foresto (PT), Leo (PMB) e Luiz Carlos Grecco (PRB) que de maneira objetiva expuseram destaques de seus planos de governo argumentando e contra-argumentando seus projetos. Merece também destaque a candidata da Rede, Drª Rosana Figueiredo que apresentou sua proposta da “Cidade Colaborativa” e atenção ao ciclismo e reforma administrativa. O candidato Lima, utilizou de todos os seus espaços para contestar todos os candidatos sem mencionar de maneira clara o seu plano de Governo.

Trocando farpas

_dsc1904

De maneira previsível e esperada, a troca de farpas e ataques foi protagonizada entre os candidatos Kiko Teixeira (PSB) e Dedé da Folha (PPS). Se por um lado Dedé da Folha apontava deficiências de Kiko quando administrou a vizinha cidade de Rio Grande da Serra e também escândalos de possíveis desvios de verba na área da saúde, a exemplo de denúncia formulada pelo Ministério Público, onde Kiko é denunciado por desvio de R$ 45 milhões, Kiko por sua vez tentava se esquivar dos fatos incontestáveis tentando impingir em seu adversário, adjetivos e desqualificações. Kiko após infringir o regulamento do Debate, foi advertido verbalmente pela organização do evento para que não mais mencionasse de forma depreciativa, nomes ou pessoas que não participem da disputa eleitoral. Ainda nas considerações finais, Dedé da Folha lembrou da polêmica fala onde Kiko afirma a existência da represa Billings no bairro de Ouro Fino.

_dsc1969

Ainda que bem organizado, durante os Debates, foi registrado manifestação acintosa em favor de um candidato, integrantes de grupos adversários se manifestaram alegando de que integrantes da UJS estavam se posicionando favoráveis a candidaturas e que isso não deveria acontecer. Após conversas acaloradas os ânimos se acalmaram.

A UJS está de parabéns pela organização do Debate democrático que possibilitou a população acompanhar e avaliar os candidatos a prefeito de ribeirão Pires. Luís Carlos Nunes

UJS de Ribeirão organiza debate com candidatos a prefeito.

debate

Acontece nesta sexta-feira (09), um debate com os candidatos a prefeito de Ribeirão Pires organizado pela União da Juventude Socialista (UJS).

O evento será o primeiro debate com os candidatos do município. Segundo os organizadores, “o debate quer propiciar o crescimento e respeito à democracia dando oportunidade para todos os postulantes da cidade exporem suas propostas e ideias”.

Foi ainda informado que “foram convidados todos os participantes da eleição majoritária, sendo eles: Kiko Teixeira (PSB), Renato Foresto (PT), Luiz Carlos Grecco (PRB), Leo Moura (PMB), Saulo Benevides (PMDB), Carlos Sacomani (PSL), Dedé da Folha (PPS), Rosana Figueiredo (REDE) e José Cantídio de Lima (PSTU)”.

O evento acontecerá no auditório do Ribeirão Pires Futebol Clube e terá como mediado, o jornalista Rafael Ventura. Convite foi estendido a toda a mídia local e será transmitido ao vivo no grupo Pensar Ribeirão Pires, no Facebook.

O debate será aberto ao público que adquiriram antecipadamente convites. Perguntas e questionamentos serão recepcionados até momentos antes do debate.

Para maiores informações: (11) 97382-1493 – Thyene de Lima ou (11) 97741-0117 – Mateus Paulino ou pela página de relacionamentos da UJS Ribeirão Pires no Facebook.

Dedé da Folha debate moradia popular em reunião organizada pelo candidato a vereador Professor Gelão.

14183823_1124801654271197_4324568804962921884_n O candidato a prefeito de Ribeirão Pires, Dedé da Folha (PPS), participou de reunião neste domingo (05) organizada pelo candidato a vereador Professor Gelão (PEN).

Do encontro participou o vereador Severino do MSTU que dispõe de larga experiência no setor habitacional focada na moradia popular.

14202685_1124801677604528_249810079684598812_n

“Me sinto motivado, hoje colhemos oportunidade de conhecer novas práticas que se adéquam as necessidades de Ribeirão Pires. O tema moradia popular é uma necessidade urgente na cidade especialmente as pessoas mais carentes que gastam grande parte de seus salários com alugueis ou mesmo residem em moradias multi-familiares com muitas vezes com pouco conforto e dignidade. Agradeço ao candidato a vereador Gelão pela oportunidade e pela proposta de focarmos também a nossa futura administração na construção de casas”, disse Dedé da Folha.

Para Gelão, a moradia trás segurança ao cidadão trabalhador e a toda a sua família. “Estamos já a bom tempo conversando com a população e pelo o que tenho ouvido da população, uma das principais prioridades do futuro governo deve ser a criação de uma efetiva política habitacional no município. Moradia para quem precisa terá a atenção necessária em nosso Governo. Ribeirão Pires tem jeito!”, concluiu o Professor Gelão.

14211950_1124798930938136_2793883691186396833_n

No mesmo dia, Dedé da Folha e sua vice, Professor Rosí participaram de reunião no Jardim Guanabara.

Kiko despenca e Dedé da Folha empata. Grecco e Saulo seguem logo atrás, aponta pesquisa.

Sem Título-1

Pesquisa divulgada pelo DGABC Pesquisa nesta sexta-feira (02 de setembro), aponta empate técnico entre o ex-prefeito de Rio Grande da Serra, Kiko Teixeira (PSB) e o ex-vice prefeito de Ribeirão Pires, Dedé da Folha (PPS).

estimulada

Com margem de erro de 5 pontos percentuais para mais ou para menos, no quesito estimulado que é quando os nomes dos candidatos são apresentados aos entrevistados, Kiko Teixeira (PSB) aparece com 16% das intenções de voto seguido de perto por Dedé da Folha (PPS) com 12% da preferência.

Ainda no mesmo quesito, na terceira colocação da preferência do eleitorado – e não distante dos líderes, aparece o ex-prefeito Luiz Carlos Grecco (PRB) apontado por 10,5% dos entrevistados. Na quarta colocação, aparece o atual prefeito Saulo Benevides do PMDB com 8,3%.

A candidata do PMB e atual vice-prefeita, Leo foi citada por 2,8%, Carlos Sacomani (PSL), Renato Foresto (PT) e Drª Rosana (REDE) obtiveram 2 pontos percentuais cada um. Lima do PSTU tem a preferência de 0,3% do eleitorado de Ribeirão Pires.espontânea

Quando questionados, de maneira espontânea que é quando o eleitor cita a sua preferência por candidato, houve novo empate técnico, e dessa vez menor. Kiko do PSB foi lembrado por 8,5% do eleitorado e Dedé da Folha (PPS), encostado tem a preferência de 6,5%. Saulo Benevides (PMDB) e Luiz Carlos Grecco (PRB) dividem a terceira colocação com 5,3%, Renato Foresto (PT) e Leo (PMB) empatam na quarta colocação com 1,3%cada. Carlos Sacomani do PSL foi lembrado por 1% do eleitorado, Drª Rosana da Rede, 0,80% e Lima do PSTU não pontuou.

Rejeição

No cenário da rejeição, o prefeito Saulo Benevides (PMDB) teve substancial redução se comparada com levantamento anterior, Saulo aparece neste novo cenário com 47,5%. Kiko (PSB) é o segundo nome mais rejeitado, aparecendo com 10%.

Dedé da Folha (PPS) obteve 3,8%, Luiz Carlos Grecco (PRB), 3,5%, Renato Foresto (PT), 2,5%, Drª Rosana (REDE) 1,5%, Carlos Sacomani (PSL) e Lima (PSTU com 1%.

Os que não souberam responder somam 9,6%, rejeição a todos são 10,8% e os que não votariam em nenhum candidato 8%.

O levantamento ouviu 400 pessoas em Ribeirão Pires na quarta-feira, 31 de agosto. O estudo está registrado no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo nº 07115/2016.

Leia a versão digital do Repórter ABC | 8ª edição.

Clique na imagem abaixo e leia a versão digital do Jornal Repórter ABC.

RABC8600

Dedé da Folha fala sobre legalidade das contas que o liberou para ser candidato.

dede

O Repórter ABC acompanhou o candidato a prefeito de Ribeirão Pires, Dedé da Folha (PPS), durante uma caminhada pelo Jardim Caçula. Entre um abraço e outro nos moradores, o candidato falou sobre a revisão das contas de quando era presidente da Câmara. Antes rejeitadas, foram aprovadas pelo Tribunal.

Com a decisão do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, Dedé da Folha ficou liberado para concorrer a prefeito de Ribeirão Pires.

“Foram anos de angústia, tentando mostrar ao Tribunal que não tínhamos feito nada de errado. Mas para tudo tem a sua hora e no dia 20 de Julho, a injustiça foi corrigida e me tornei Ficha Limpa”.

A análise do pedido de revisão foi feita pelo conselheiro Antonio Roque Citadini que sentenciou a favor de Dedé da Folha, seguido por unanimidade dos conselheiros daquela Corte.

“O reconhecimento do recolhimento em momento anterior ao trânsito em julgado impõe admitir a inexistência de débito ao erário. Assim, tenho que a documentação apresentada possui eficácia para autorizar o recebimento diante da ausência de lesividade ao patrimônio, é o caso de sua procedência para declarar a regularidade das contas aqui em exame”, concluiu o relator.

Para Dedé da Folha o assunto ficou no passado. É hora levar suas propostas para os cidadãos de Ribeirão Pires.

“Já foi, provamos que somos bons administradores, sem pendências judiciais ou acusações de desvio de dinheiro público. Agora, vou levar as minhas propostas para população de Ribeirão Pires e fazer o que poderíamos ter feito antes”.

O candidato optou por caminhadas pelos bairros. Com equipamento de som fala para população. Durante as conversas, explica aos moradores suas propostas de governo e ouve as demandas.

“É a melhor forma de dialogar com a população. Candidato que não percorre as ruas dos bairros, não descobre as verdadeiras demandas”, disse Dedé da Folha.

Leia a versão digital do Repórter ABC | 7ª edição.

Clique na imagem abaixo e leia a versão digital do Jornal Repórter ABC.

RABC7-600