Arquivos de Tag: doença

Vereador Anselmo Martins apresenta projeto que visa controlar a proliferação de pombos e evitar doenças em Ribeirão Pires.

O objetivo é controlar a população de aves, evitando contaminações por doenças onde deverão ser criadas ações de conscientização da população para não alimentar. È melhor prevenir do que remediar

Será votado nesta quinta-feira (22) um Projeto de Lei de iniciativa do vereador Anselmo Martins (PR) que pretende implantar serviço permanente para controle de doenças e proliferação de pombos. Conforme proposta, o serviço será viabilizado pelo executivo municipal e sob responsabilidade do Centro de Controle de Zoonoses de Ribeirão Pires.

“Existe a necessidade de um plano de controle de reprodução destas aves, visto que assim como os ratos, as Pombas são classificadas como pragas por órgãos ambientais e de Saúde”, esclareceu o edil em contato com o Blog Caso de Política.

Segundo ainda justificou Anselmo Martins, o objetivo é controlar a população de aves, evitando contaminações por doenças onde deverão ser criadas ações de conscientização da população para não alimentar e não usar as aves para consumo próprio ou animal. É preciso ainda um sistema de limpeza diária nos locais onde há concentração dos pombos, pois suas fezes são prejudiciais à saúde e podem causar problemas respiratórios e afetar o sistema nervoso, podendo causar morte e pessoas e animais domésticos. É melhor prevenir do que remediar”, disse o parlamentar que confirmou ao Caso de Política que uma emenda ao projeto original será apresentada durante a sessão desta quinta-feira para alterar dispositivo que previa multa para quem fosse flagrado alimentando as aves.

Os pombos parecem aves inofensivas e muito simpáticas ao olhar por simbolizarem a paz, mas transmitem diversas doenças para os seres humanos que precisam ficar atentos para não serem contaminados.

Eles vivem em locais onde há restos de alimentos, estão em todos os lugares, especialmente onde há abundância de lixo, que também serve de alimento para pombos famintos.
A Criptococose é a principal doença transmitida pelos pombos, que contamina as pessoas através da inalação de fungos que estão presentes nas fezes deste animal. Ela ataca o pulmão e pode chegar também ao sistema nervoso central, ocasionando sintomas como dor de cabeça, sonolência e febre. Em alguns casos, pode causar até meningite. Cerca de 30% das pessoas infectadas morrem.

Outra doença comum é a histoplasmose, também transmitida pelos fungos das fezes dos pombos. Ela origina uma micose muito profunda que chega a afetar os órgãos internos do ser humano.

A salmonelose, outra doença ligada aos pombos, apresenta os sintomas de uma intoxicação alimentar, principalmente de carne contaminada. Ela causa diarreia e outras dores abdominais.
Os pombos também podem transportar alguns micro-organismos nas penas. Por causa disso, podem causar dermatites caso entrem em contato com os seres humanos. As dermatites causam muita coceira, infecções e até se transformam em alergias que afetam o sistema respiratório.
A melhor forma de evitar a contaminação de doenças transmitidas pelos pombos é não criar condições para a proliferação da ave perto de residências, não dando alimento e água. Manter forros, calhas e telhas sempre limpos também ajuda muito quando o objetivo é afastar essas aves de sua família.

Os pombos são animais muitos frequentes em qualquer cidade, e a transmissão de doenças acontece principalmente através do cocô e, por isso é preciso ter cuidado para evitar o contato direto com as fezes. Além disso, é importante que as cidades façam uma limpeza adequada das fezes, já que, quando secam, podem virar poeira e acabar sendo aspiradas para os pulmões.

A página www.pombo.org (especializada na ave) apresenta um levantamento realizado por 14 anos pelo Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina de Rio Preto. No estudo é apontado que 42 pessoas morreram vitimadas por doenças transmitidas por Pombas e que desde o início do estudo, um total de 198 pessoas vieram a óbito. Para saber mais clique aqui.

A proposta do vereador Anselmo Martins, pode de certa forma ser comparada a castração de cães e gatos para o seu controle populacional. Caso a proposta seja bem compreendida pelo cidadão, as pombas poderão inclusive migrar para outras regiões A bom tempo atrás uma pessoa me disse que “pombos são ratos com asa, na doença e na proliferação”. Luis Carlos Nunes

Mais da metade da população mundial não tem acesso a saneamento básico, diz ONU.

Cerca de 4,5 bilhões de pessoas no mundo – bem mais da metade da população global atual de 7,6 bilhões de habitantes – não têm acesso a saneamento básico seguro, segundo relatório recente divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Já a quantidade de moradores do planeta com algum saneamento básico é de 2,3 bilhões. A informação é da ONU News.

O documento das Nações Unidas indica ainda que o número de pessoas sem acesso à água potável em casa é de 2,1 bilhões em todo o mundo. Esta é a primeira vez que a OMS e o Unicef fazem um levantamento global sobre água, saneamento básico e higiene.

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus afirmou que água potável encanada, saneamento e higiene não deveriam ser privilégios apenas daqueles que vivem em centros urbanos e em áreas ricas. Para ele, os governos são responsáveis por assegurar que todos tenham acesso a esses serviços.

Esgoto tratado

Desde 2000, quando foi lançada a agenda dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, bilhões de pessoas ganharam acesso à água potável e saneamento, mas esses serviços não garantem necessariamente o saneamento seguro, aquele que é ligado a uma rede de esgoto tratado.

Esse quadro gera doenças que podem ser mortais para crianças com menos de cinco anos de idade.
Todos os anos, mais de 360 mil menores morrem de diarreia, uma doença evitável. Já o saneamento mal feito pode causar cólera, disenteria, hepatite A e febre tifóide, entre outros problemas.

O diretor-executivo do Unicef, Anthony Lake, disse que ao melhorar esses serviços para todos, o mundo dará às crianças a chance de um futuro melhor.

Em 90 países, o avanço na área de saneamento básico é muito lento, o que leva a crer que a cobertura universal não será alcançada até 2030, quando se encerra o prazo para cumprimento da Agenda 2030, que estabelece os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, que devem ser implementados por todos os países até aquele ano.

Latrinas compartilhadas

Dos 4,5 bilhões de pessoas sem acesso a esgoto tratado, 600 milhões têm que compartilhar um toalete ou uma latrina com moradores de outros lares. Já o número de pessoas que defecam a céu aberto é de 892 milhões. Devido ao aumento da população, essa situação tem crescido na África Subsaariana e na Oceania.

O relatório indica ainda que, em países que passam por conflitos, as crianças têm quatro vezes menos chance de usar serviços de abastecimento de água e duas vezes menos de ter o saneamento básico que crianças em outros países.

Os serviços de água potável, saneamento básico e higiene são essenciais para que o mundo alcance o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 3: assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar de todos, em todas as faixas etárias.

Está sobrando dinheiro? Não entendi!

_DSC8806

Se sobra dinheiro na saúde como disse o prefeito, então porque falta remédio, médicos e exames laboratoriais básicos. A coisa tá difícil, custo a crer que os servidores terão aumento diante dessa farra de contração de comissionados com salários bem acima dos efetivos. Se sobra, onde ele foi parar?“, Vereadora Diva do Posto

Primeiros testes apontam ineficácia da pílula do câncer.

fosfoetanolamina

Os primeiros testes com a fosfoetanolamina sintética, substância utilizada na pílula do câncer, mostraram que o conteúdo das cápsulas não é puro e que ela não tem eficácia contra células cancerígenas.

A conclusão é de grupo de pesquisadores instituído pelo governo, em uma iniciativa coordenada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e o Ministério da Saúde. Os pesquisadores concluíram que a fosfoetanolamina apresentou quatro substâncias diferentes. A eficácia da substância foi testada apenas em culturas de células, os chamos testes in vitro.

Senado aprova uso da fosfoetanolamina, a “pílula do câncer”.

fosfoetanolamina

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que autoriza a produção, comercialização e o uso da fosfoetanolamina, que ficou conhecida como a “pílula do câncer” por seus supostos efeitos contra a doença, mesmo antes da conclusão de estudos que comprovem sua segurança e eficácia.

A votação foi simbólica, sem registro nominal de votos. Todos os partidos apoiaram a medida. O texto segue agora para votação no Senado. Se aprovado no congresso, deve passar por sanção presidencial.

Pelo projeto, a “pílula do câncer” poderá ser usada por pacientes com diagnóstico de neoplasia maligna (câncer) mediante laudo médico que ateste a doença e assinatura de um termo de responsabilidade.

A “pílula do câncer”, substância de baixo custo, era estudada na USP de São Carlos e distribuída a pacientes, mas teve a produção e distribuição interrompida em 2014. Pacientes acabaram recorrendo aos tribunais para solicitar o suposto remédio anticâncer.

Apesar da falta de estudos e da resistência da comunidade médica, a pressão popular e política levou o governo de São Paulo a investir em estudos da droga. Foi anunciado que o laboratório PDT Pharma, de Cravinhos será o responsável pela produção da fosfoetanolamina, com investimento de R$ 5 milhões na pesquisa. O Ministério da Ciência e Tecnologia também anunciou investimento de R$ 10 milhões em pesquisas com a droga.

O projeto da Câmara permite a produção, importação, distribuição e prescrição concomitantemente aos estudos clínicos, em caráter excepcional, por “agentes regularmente autorizados e licenciados pela autoridade competente”. O projeto não estabelece de forma detalhada como e quando se dará essa produção.

O projeto foi discutido na Comissão de Seguridade Social da Câmara. “A proposta tem como pressuposto básico a autonomia humana, o direito de expressar sua vontade, o direito que cada indivíduo tem de fazer suas próprias escolhas e assumir a responsabilidade por elas”, diz a justificativa do texto.