Arquivos de Tag: Flávia Banwart

Prefeitura de Ribeirão Pires abre processo seletivo para estagiários. Vagas substituirão professores.

A prefeitura de Ribeirão Pires através do edital 01 de 17 de janeiro de 2018 em parceria com o Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), abriu processo seletivo para contratar 80 estagiários da área de educação com remunerações (bolsa estágio) no valor de R$ 954,00 por uma carga horária de 30 horas semanais. É necessário estar cursando a partir do 4º semestre na data da convocação e ser maior de 18 anos.

O processo seletivo é composto por duas fases, sendo a primeira inscrição via portal CIEE com entrega de documentos na unidade CIEE de São Caetano do Sul e a segunda avaliação de currículo escolar.

Ainda do citado edital 01, é previsto a contração de três profissional de informática que receberá pela jornada de 30 horas semanais R$ 954,00. Para esta vaga é necessário estar cursando a partir do 4º semestre na data da convocação.

Consta também duas vagas na área de Nutrição que por 30 horas semanais receberá a título de bolsa estágio o valor mensal de R$ 954,00.

As inscrições se iniciaram no dia de 22 e se encerram em 02 de fevereiro.

Para acessar a página do CIEE clique aqui.

Para baixar o ANEXO I (Ficha Cadastral) clique aqui.

Clique aqui para baixar o Edital.

Clique aqui para baixar o Formulário de Interposição de Recursos.

Após anos seguidos de abertura de processo seletivo de professores profissionais, o governo de Kiko Teixeira (PSB) interrompe o ciclo e contrata estudantes. O Piso Nacional dos Professores em 2018 foi estipulado pelo MEC em R$ 2.455,35. Luís Carlos Nunes

Ribeirão Pires contrata empresa para fornecer uniformes escolares. Empresa já foi autuada por exploração irregular de mão de obra.

A Prefeitura de Ribeirão Pires assinou o contrato com a empresa Método Uniformes Eireli – Epp, escolhida através do processo PC 3459/2017 para fornecer uniformes escolares que serão distribuídos gratuitamente aos alunos da Rede Municipal de Ensino.

A empresa escolhida receberá pelo fornecimento de uniformes escolares as cifras no valor de R$ 9.805.520,00.

O contrato foi assinado no dia 11 de novembro e o extrato está publicado na edição que circulou na sexta-feira (08) do Diário Oficial do Município.

Empresa contratada foi autuada por exploração de trabalho análogo a escravidão

A empresa Método Uniformes Eireli – Epp, fundada em 25/6/2015 e sediada na cidade de Guapiaçu foi alvo de uma operação do Ministério do Trabalho e Emprego onde em 04 de julho de 2016 na ocasião, fiscais após receberem denúncias se deslocaram ao galpão de costura, constataram exploração de mão-de-obra, ambiente inadequado de trabalho, além de várias costureiras sem registro de trabalho na carteira profissional,

Na ocasião, dentro do galpão, havia 18 mulheres, sendo três bolivianas, trabalhando na confecção de uniformes escolares, que seriam encaminhados posteriormente a Votorantim e Barrinha, que fica região de Ribeirão Preto (SP), cidades em que a empresa ganhou licitação. Segundo informações dos fiscais do MTE, o local foi fiscalizado em junho passado, mas, na oportunidade não havia ninguém dentro da fábrica. A suspeita é que todos fugiram, já que algumas máquinas estavam ligadas e havia comida sendo esquentada no fogão.

Para ver a integra da reportagem feita pela Gazeta de Votorantim, clique aqui. e no portal G1 clique aqui

Veja abaixo vídeo exibido pela TV TEM, afiliada da TV Globo na região

Carro da secretaria de Educação em pleno sábado na rodoviária do Tietê.

Uma fonte do blog Caso de Político acaba de enviar (sábado, 02/12 – 19:39 horas) imagens fotográficas de um veículo Gol de placas placa DMN 1629 com adesivos da secretaria Municipal de Educação de Ribeirão Pires estacionado sem a presença do motorista em espaço reservado para embarque e desembarque da rodoviária do Tietê na capital Paulista.

As perguntas que não querem calar: “o que faz um veículo fora dos limites da Estância em pleno final de semana? Está a serviço? Vai receber hora extra? Ou é apenas uma fugidinha escondida dos desatentos responsáveis de cuidar e zelar pelo patrimônio público? A sim, e o combustível pago a preço de ouro? Quem banca é o munícipe?

Secretaria de Educação de Ribeirão Pires promove planejamento com equipes gestoras.

Com objetivo de traçar novas metas para o segundo semestre de 2017, a Secretaria de Educação, Inclusão, Cultura e Tecnologia promoveu nesta quinta-feira (13) encontro com as equipes gestoras das 33 escolas municipais. Ao todo, 74 gestores participaram da reunião.

“Esses encontros são muito importantes para o planejamento das ações do segundo semestre, que está focado em questões pedagógicas, já que em meados de novembro teremos avaliações nacionais importantes do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) e do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), formulado para medir a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer metas para a melhoria do ensino”, explicou a secretária de Educação de Ribeirão Pires, Flávia Banwart.

Segundo a Secretária, a meta é traçar novas estratégias educacionais e administrativas para intensificar o aprendizado dos alunos. “É uma missão para todos os educadores. Cuidar, estimular e acompanhar o aprendizado faz toda a diferença”, destaca a secretária.

O Núcleo Pedagógico da Secretaria de Educação da cidade busca estratégias para que os melhores resultados para a educação da cidade sejam alcançados. Uma das principais medidas da Prefeitura de Ribeirão Pires para a conquista de uma educação de qualidade é a formação continuada, que visa a organização, a evolução da prática pedagógica e a união da equipe gestora.

Negociações entre Sineduc e Prefeitura começam a dar frutos. Professores obtém conquista histórica.

Após meses de negociações entre o Sineduc e a Prefeitura de Ribeirão Pires, os primeiros frutos já começam a ser colhidos.

Segundo a presidente do Sineduc, Perla de Freitas, “foi fechado acordo onde a partir deste mês de abril, os professores que por ausência ou falta de professor especialista “B” (Infantil e Fundamental I), serão remunerados pelas aulas suplementares”.

O pleito feito pelo Sindicato tem base na Lei Federal 11.738/08 (Lei do Piso Nacional do Professor), que estabelece que 1/3 da jornada de trabalho semanal dos Professores deve ser utilizada para atividades de formação, registro, planejamento, que são inerentes da função de Professor.

“Quero agradecer a sensibilidade do governo municipal que soube ouvir a categoria uma vez que a maioria das Administrações Municipais e também o Governo do Estado tem ignorado ou distorcido a aplicação da referida lei, prejudicando os acúmulos legais dos professores e sobrecarregando-os de aulas”, disse Perla.

A sindicalista disse ainda que foi através de negociação com a Secretária de Educação Flávia Banwart e com o prefeito Kiko que foi possível esta conquista histórica.

“Temos convicção de que esta medida por si só, não resolverá integralmente as alterações que serão necessárias para cumprir totalmente a jornada prevista nesta importante lei, outras medidas necessárias ainda estão sendo debatidas entre sindicato e prefeitura, de forma que nenhum professor de Ribeirão Pires deixe de usufruir o que lhe é garantido em Lei. Esperamos muito em breve poder anunciá-las e acompanhar sua implementação. Porém, a medida garantida através da Resolução 12/2017 assinada pela secretária de Educação, Flávia Banwart, vem ao encontro de importante e antiga reivindicação do sindicato junto aos Professores e tem grande ineditismo. Devemos comemorar e continuar a luta e o diálogo para avançar em todas as questões relativas à qualidade da Educação e a melhoria das condições de trabalho dos Educadores”, conclui Perla de Freitas.

Sineduc e Administração Municipal seguem atualmente negociando o pagamento do Piso Nacional Docente, correção de perdas inflacionárias para os servidores, revisão do Estatuto do Servidores e abertura de processo seletivo para professores temporários.

Ribeirão Pires: Secretária de Educação é sabatinada pelos vereadores.

A Secretária de Educação, Inclusão e Tecnologia, Flávia Banwart, após convocação feita pelos vereadores de Ribeirão Pires, compareceu na tarde desta quinta-feira (07) para responder a questionamentos. Entre eles estão: denúncias de assédio moral, compra de merenda escolar, acesso por docente aos alimentos, dentre outros.

Sobre a aquisição em caráter emergencial da merenda Flávia justificou inabilidade de tempo para abertura de certame.

“Estamos a pouco mais de 90 dias à frente da pasta e não foi das mais confortáveis a situação deixada pela gestão anterior. Tivemos que tomar decisão de aquisição emergencial uma vez que verificamos que fornecedores (por falta de pagamento) não estavam atendendo aos contratos existentes por falta de pagamento. Só nos restou deliberar pelo contrato emergencial para que não faltasse merenda aos alunos. E não é verdade que proibimos que professores de comerem da merenda, apenas passamos orientações”.

Em 21 de fevereiro, este blog noticiou matéria com cópia da Rede nº 13 (ver aqui).

Após os esclarecimentos, a secretária questionada pelo vereador Amigão D’orto, se o tempo em que estava no comando da pasta não foram suficientes para abertura de processo licitatório, Flávia respondeu: “O senhor nunca acompanhou uma licitação, não sabe dos procedimentos? Informo aos vereadores que um processo desses consome pelo menos 180 dias”.

Flávia Banwart rebateu ainda acusações de que estaria cometendo assédio moral contra servidores.

“Isso não existe e é preciso que se tenha muito cuidado com este tipo de acusação. Lamentavelmente há certa banalização sobre o tema. A meu ver, toda e qualquer pessoa que se sinta prejudicada pode ingressar com processo administrativo. Estamos trabalhando na secretaria com muita seriedade caso não se comprove as acusações e caso não seja comprovado há com certeza direito de egresso”, explanou a secretária.

Ainda no uso da Tribuna, a gestora ressaltou que a sua pasta convocou 272 professores (PDI) aprovados e concurso.

“Convocamos 172 professores a mais do que estava previsto no edital e tenho consciência de que o número não é suficiente. Atualmente temos 37 professores auxiliares e 150 especialista. Encontra-se em estudos a contratação de professores volantes para que substituam faltas esporádicas de professores titulares”.

Com relação ao processo seletivo de professores contratados, Flávia argumentou que “em meados do mês de maio um edital será lançado”.