Arquivos de Tag: Samuel Boss

Samuel Boss lança o CD “Feito à Mão” no dia 18 em Ribeirão Pires.

Após meses de trabalho solitário, compondo, gravando todos os instrumentos em produção caseira, Samuel Boss lança o seu 1° CD intitulado “Feito à Mão”.

Natural de São Caetano do Sul, ABC Paulista, mas morador da cidade de Mauá, o jovem cantor, compositor, multi-instrumentista, jornalista e multimídia Samuel Boss, encontra na riqueza de suas composições, tanto nas letras como nas melodias, um meio de fortalecer a fé. E ele considera um dom este o de passar emoções para o papel e transformá-las em músicas.

No próximo dia 18 de novembro, às 19 horas, Boss lança seu primeiro CD, “Feito à Mão” (com recursos próprios), com uma apresentação na Igreja Avivamento Bíblico localizada na avenida Humberto de Campos 866, Ribeirão Pires.

“Com composições inspiradas ficou pronto esse meu primeiro trabalho. Farei o lançamento no sábado, dia 18 de novembro às 19h, na avenida Humberto de Campos 866, na Igreja Avivamento Bíblico. Ficaria muito honrado se você fosse, estou convidando meus amigos e todos aqueles que buscam palavras de paz em momentos tão difíceis a que passamos na atualidade”, disse Samuel Boss ao fazer o convite.

Assista abaixo uma das faixas que integram o CD “Feito à Mão”

Yes, nós temos propostas! Só que não! por Samuel Boss*

samuel-boss

Começo afirmando: não existe virgem em bordel, tampouco, existe inocente em campanha política. Todos jogam o mesmo jogo, todos entram em campo dando canelada, carrinho, empurrão e quando necessário fazem pênalti para não tomar um gol. A eleição é uma disputa, e como em qualquer disputa o acirramento dos ânimos é parte do processo.

Em Ribeirão Pires não é diferente, todos os candidatos fazem carinha de bom moço, acenam para a senhora na janela, pegam criança no colo, comem pastel na feira, dizem frases como “bateu desespero”, “vamos continuar levando nossas propostas sem ataques”, porém quando entram dentro de seus comitês com os responsáveis pela campanha, “o pau tora”.

O próprio candidato tenta se distanciar dos guerrilheiros que ele contratou para atacar seu adversário, pois é a forma mais lógica de parecer isento de maldades, mas todo mundo sabe que para um político chegar ao posto de candidato e ter seu nome num santinho, muita gente ele já derrubou e muita gente ele já ferrou nessa vida. Afinal, a política é a arte de manter e conquistar novos territórios, e nessa conquista alguém sempre perde.

O povo de Ribeirão Pires se acostumou a receber vídeos e montagens de ambos os lados, de ataques aos principais adversários, são ataques cruzados que partem de todas as principais candidaturas.

Cada principal candidato tem um jornal aliado para chamar de seu, e o usa no momento certo para atacar seu adversário. Mas e as propostas?

Pelo que vemos em Ribeirão os ataques são muito mais competentes do que as propostas. As candidaturas optaram por fazer propostas genéricas como: vamos melhorar; vamos ampliar, vamos fazer; vamos construir….

Mas nenhum delas se aprofunda em dizer como, com que dinheiro, e em quanto tempo. São promessas parecidas com a de “ex-marido” que promete voltar pra casa e ser um novo homem, mas não se compromete em parar de beber, não se compromete em frequentar uma
igreja e nem largar o futebol. São promessas vazias para simplesmente ganhar a confiança de que já desconfia.

E sobre os ataques de candidato contra candidato, tenho a dizer:
Todos se merecem!

*Samuel Boss é jornalista, editor do satírico “Quarta Ordinária” e apresentador e apresentador da “Coluna Ordinária na TVMais”

Os eflúvios do Boss: Pai de menino feio ninguém quer ser!

Samuel Boss jO cuidador da vida alheia, jornalista Samuel Boss, timoneiro-Mor do satírico “Quarta Ordinária não se emenda. Anti-petista, anti-azeitona-na-empadinha, avesso ao CÚnha (desde que não seja o seu) e Snaiper “bodoqueiro” de Tucano, com a proximidade do dia das mães, nosso língua de trapo, Samuel Boss, amigo do comuna “Daniel delicado” dispara mais um de seus eflúvios cerebrais e mete a colher onde não é chamado.

Presente na inauguração do Poupatempo de Mauá, comprovou o que todo mundo já sabia: ser pai de menino feio ninguém quer ser!

Vejam só a pérola do coxinha comedor de mortadela

Pais e mãe do Poupatempo: Leonel Damo, Vanessa Damo, Donisete Braga, Diniz Lopes, Átila Jacomussi e mais 23 vereadores.

E indaga

Quem é o pai da Eaosa?

Quem é o pai da enchente no piscinão do paço?

Quem é o pai da dívida da Sama?

Quem é o pai da avenida paralela da Barão (puts, não fizeram)?

Quem é o pai das mortes por falta de atendimento nos PS’s e UBS’s dos últimos 20 anos?

Os eflúvios do Boss: O ir e vir de Brasília.

O cuidador da vida alheia, jornalista Samuel Boss, timoneiro-Mor do satírico “Quarta Ordinária não se emenda. Anti-petista, anti-azeitona-na-empadinha, avesso ao CÚnha (desde que não seja o seu) e Snaiper “bodoqueiro” de Tucano, fica atento aos movimentos golpistas e “caçatórios” de Vana Rousseff. Em nova incursão soltou seus eflúvios cerebrais em sua página do Livros de Rosto (Facebook).

Samuel Boss j

“Muitos políticos neste momento indo para Brasília, mas flagramos Luiz Zacarias (vereador andreense) chegando de Brasília”.

13006672_1021210101293918_2076409487929692007_n

Provocador, abusado e metido a rábula, cutuca até “dotô” letrado. Pregando subversão e com palavra de ordem copiada do twitter, nosso BOSSal brada: Deixa de nhém, nhém, nhém!

Se a OAB é contra bandidos e corruptos, façamos um bem para o Brasil, expulse da ordem todos os advogados que defendam integrantes de Facções Criminosas. Deixem estupradores, traficantes, assassinos e assaltantes cumprirem a pena máxima por falta de defesa.

Vamos passar o Brasil a limpo?

Parece que o slogan das manifestações é: Quem defende bandido é bandido também. Então OAB, o que acha?

Por incrível que pareça, essa criatura existe e na próxima quarta-feira (13) entrevista o vereador Cachorrão apoiado por seu delicado parceiro Daniel Alcarria.

12993522_1097739090290765_7351685436412340367_n

Jornalista Samuel Boss, joga ácido e analisa processo de impeachment.

12991069_1019431218138473_6766953056098505590_n

O jornalista Samuel Boss, titular do satírico “Quarta Ordinária” desenha análise curiosa sobre o processo de impeachment em curso onde deputados federais debatem o destino da presidente Dilma Rousseff.

Samuel Boss jEm seu post bem a seu estilo humor-ácido e inteligente, Boss diz: “Quando vejo essa comissão do Impeachment, me lembro do filme Carandiru, onde bandidos dentro da cadeia (Faxinas) julgavam outros presos por desvios de condutas no cárcere”.

Jornalista Samuel Boss recebe covarde ameaça de morte.

  Samuel Boss

O jornalista Samuel Boss ex- editor chefe do jornal “A Voz de Ribeirão Pires” recebeu intimidado ameaça via e-mail nesta segunda-feira (07). Na correspondência eletrônica, o documento assinado por um tal “Paulo Silva” dispara covardes ameaças ao jornalista e também a sua família.

email ameaça

“Bom saber que não esta mais pelas redondezas, e para sua informação é agora que eu vou começar a agir, durante este tempo fiquei somente analisando sua vida, pois hoje com tantas informação que as redes sociais nos passa, sei exatamente suas rotinas e dos ¨SEUS¨, mais claro que me aprofundei sobre sua família, que me importa, agora vamos ver o quanto você é bom Samuel Boss. Só aguarde”, dizia a mensagem.

Em conversa com o jornalista Samuel, o mesmo informou ao Blog Caso de Política que como profissional de comunicação, em especial em Ribeirão Pires, realizou o se papel na cidade. “Denunciei, cobrei, fiscalizei e exigi, e se isso gerou a fúria dos fiscalizados e denunciados, não serão ameaças que me farão andar para trás. Agi de forma protocolar, registrei Boletim de Ocorrência (B.O) e  a delegacia de “Crimes Virtuais” já está cuidando do caso, porém gostaria de deixar público, para que todos saibam que ainda existem pessoas que se acham acima do bem e do mal. Pessoas que acreditam que matar é uma decisão egoísta que se toma com alguém que discorde de suas ideias. Acredito em Deus, e na inteligência dos homens, pois insistir numa imbecilidade dessa é dar o start para puxar a ponta do novelo”, disse o jornalista Samuel Boss.

bo samuel