Arquivos de Tag: UJS

Ribeirão Pires: Debate na câmara termina em troca de ofensas e acusações.

Debate no início da noite desta sexta-feira (27) na Câmara de vereadores de Ribeirão Pires extrapolou os limites das argumentações ideológicas e terminou com bate boca e troca de acusações entre defensores e contrários ao tema “Escola sem Partido”.

Foram protagonistas do lamentável episódio a atual secretária de Participação, Acessibilidade e Inclusão, Elza Carlos e o Militante da organização de ultra-direita MBL, Everton Sodario.

A troca de farpas rendeu registro de ocorrência na delegacia da cidade onde Sodario, que é advogado nega ter chamado Elza Carlos de Nega Fedida.

Momentos antes da chegada de sua fala no púlpito, um post sem base de critérios foi feito, como segue abaixo o print.

Durante sua fala em tom incisivo, o militante que se auto denomina como conservador e que prega mudanças no sistema de ensino, acusou os seus opositores de desconhecerem o projeto e que o mesmo tem base legal para ser implementado e queixou-se de que grupos de direita não tem espaço junto a movimentos estudantis.

O jovem advogado ostenta em sua página no Facebook, imagem polêmicas que vão desde fotos com o ator pornô Alexandre Frota e foto com metralhadora em punho onde argumenta “… só para oprimir os meliantes!!!”

Possível candidato ao parlamento estadual nas eleições de 2018, pelo atual Partido Ecológico Nacional (PEN) – prestes a mudar para Patriotas -, esta não é a primeira vez em que Everton Sodario se mete em confusão.

Em sua página pessoal na rede de relacionamentos Facebook, Sodario postou que foi agredido durante ato político o qual participava. Boletim de Ocorrência foi registrado.

Elza Carlos por sua vez, fez post em sua página do Facebook com suas argumentações acerca dos fatos ocorridos.

Vivemos momentos de pura e histeria social com homérico crescimento da intolerante! Segmentos sociais já retiraram direitos trabalhistas já bancaram criminalização de manifestações, estudam abolir direitos previdenciários, o direito a rica cultura alimentar pode não mais existir. Como sempre ao longo da história querem impor o conhecimento a um grupo diminuto e seleto sob a argumentação de que há partidarização esquerdista no ensino. Até o nosso mais importante educador, Paulo Freire pode ser cassado por ser considerado comunista. Nossa educação sempre foi vista como solução e problema, porém nada de concreto é feito para a sua melhoria. Professores são desvalorizados, as estruturas escolares do país são sucateadas e o ambiente são tediosos e desinteressantes. Impor censura ao livre pensamento é no mínimo coisa terrível.

Querer tirar a liberdade de professores de ensinar ou impor o que deve ser ensinado é no mínimo imoral e desrespeitoso.

Tudo não passa de “politiquinha” de gente que quer poder ou se manter dentro nele. A população está alheia a tudo isso e não é e nem nunca foi de esquerda ou de direita. A população é trabalhadora e ocupada demais para se ocupar de tão complexos assuntos que se apresentam.

No Brasil da sopa de letrinhas, onde existem 33 partidos políticos e mais algumas dezenas a espera de reconhecimento legal, de fato e verdade, para o plano político e ideológico bastavam tão somente 3 agremiações políticas com suas teses e ideologias. Nada além de direita, esquerda e centro. Vale expor aqui, que tanto Comunismo, quanto Capitalismo são sistemas econômicos e que não passa de balela que a garantia de direitos civis, sociais e políticos seja coisa de comunista. Se assim o fosse, países do norte Europeu, a exemplo da Dinamarca, Holanda, Alemanha seriam países comunista em função das garantias estendidas aos seus cidadãos. Outro exemplo que vale ressaltar é a Inglaterra que tem como regime político a Monarquia e o chefe de governo é representado atualmente por conservadores.

O debate, no Brasil, lamentavelmente ainda está se arrefecendo e deve realmente ferver nas próximas eleições quando deve ser apresentado dois projetos políticos, um conservador e outro voltado ligado as questões sociais.

Voltando ao tema da escola sem partido, lembro-me que a pelo menos 3 décadas, um professor de história, ferrenho defensor e admirador do ex-governador Mário Covas (PSDB) disse em sala de aula uma definição interessante sobre a matéria a qual lecionava: “A história é uma profeta com os olhos voltados para o passado. Se quisermos entender o presente e prever o futuro estudem história”.

Art. 206 da Constituição Federal de 88

Constituição Federal de 1988

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Art. 206. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:

I – igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;

I – igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;

I – igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;

II – liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;

II – liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;

II – liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;

III – pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;

III – pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;

III – pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;

IV – gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;

IV – gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;

IV – gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;

V – valorização dos profissionais do ensino, garantido, na forma da lei, plano de carreira para o magistério público, com piso salarial profissional e ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, assegurado regime jurídico único para todas as instituições mantidas pela União;

V – valorização dos profissionais do ensino, garantido, na forma da lei, plano de carreira para o magistério público, com piso salarial profissional e ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, assegurado regime jurídico único para todas as instituições mantidas pela União;

V – valorização dos profissionais do ensino, garantido, na forma da lei, plano de carreira para o magistério público, com piso salarial profissional e ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, assegurado regime jurídico único para todas as instituições mantidas pela União;

V – valorização dos profissionais do ensino, garantidos, na forma da lei, planos de carreira para o magistério público, com piso salarial profissional e ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

V – valorização dos profissionais do ensino, garantidos, na forma da lei, planos de carreira para o magistério público, com piso salarial profissional e ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

V – valorização dos profissionais do ensino, garantidos, na forma da lei, planos de carreira para o magistério público, com piso salarial profissional e ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

V – valorização dos profissionais da educação escolar, garantidos, na forma da lei, planos de carreira, com ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, aos das redes públicas; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)

V – valorização dos profissionais da educação escolar, garantidos, na forma da lei, planos de carreira, com ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, aos das redes públicas; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)

V – valorização dos profissionais da educação escolar, garantidos, na forma da lei, planos de carreira, com ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, aos das redes públicas; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)

VI – gestão democrática do ensino público, na forma da lei;

VI – gestão democrática do ensino público, na forma da lei;

VI – gestão democrática do ensino público, na forma da lei;

VII – garantia de padrão de qualidade.

VII – garantia de padrão de qualidade.

VII – garantia de padrão de qualidade.

VIII – piso salarial profissional nacional para os profissionais da educação escolar pública, nos termos de lei federal. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)

VIII – piso salarial profissional nacional para os profissionais da educação escolar pública, nos termos de lei federal. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)

VIII – piso salarial profissional nacional para os profissionais da educação escolar pública, nos termos de lei federal. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)

Parágrafo único. A lei disporá sobre as categorias de trabalhadores considerados profissionais da educação básica e sobre a fixação de prazo para a elaboração ou adequação de seus planos de carreira, no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)

Parágrafo único. A lei disporá sobre as categorias de trabalhadores considerados profissionais da educação básica e sobre a fixação de prazo para a elaboração ou adequação de seus planos de carreira, no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)

Parágrafo único. A lei disporá sobre as categorias de trabalhadores considerados profissionais da educação básica e sobre a fixação de prazo para a elaboração ou adequação de seus planos de carreira, no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)

Essa fala fez e me faz muito sentido, principalmente quando vem à tona o debate de uma reforma drástica no ensino, e me pergunto: “como impor ao professor limitar o conhecimento? Será que a história do direito é desnecessária? Será que conhecer a biografia de Hitler ou Stalin não interessa? E as revoluções industriais? E a política do Welfare State (bem-estar social)? Falar sobre economia e o impacto social da venda de patrimônio mineral, de petróleo deve ser proibido? Será o caminho acabar com aulas de filosofia, história, geografia e outras? Em que se avançará na qualidade do ensino com isso? A pessoa, o cidadão estudante de escola pública terá censo crítico e estarão aptos a analisar e compreender questões relevantes?

Com esses e outros questionamentos que povoam nossas mentes, pegando como parâmetro os países do norte da Europa e a Inglaterra, será que o Brasil está ou já esteve sob regime comunista? As dúvidas e os debates muitas vezes são postos de forma maliciosa com o objetivo de enganar incautos.

O momento nacional é temeroso! Muito longe de fazer aqui uma defesa, uma presidente eleita pelo voto, em processo questionável foi deposta e permite-se a manutenção no poder de um governo de caráter duvidoso e que através de provas robustas, compra deputados com dinheiro público. A imprensa noticia aeronaves carregadas de cocaína e nada se apura. Muitos casos poderiam aqui ser citados, o que não faltam são exemplo de corrupção que escandalizam a nossa República causando constrangimento mundo a fora. 

O Brasil ao invés de estratégia eleitoral, precisa urgentemente de um projeto de nação que valorize as pessoas, que preserve o seu patrimônio material e cultural. O Brasil precisa de menos ambição e mais respeito. 

Uma última análise que julgo pertinente é que nenhum projeto político ou econômico radical em que acompanhamos ao longo da história da humanidade prosperou. A história nos conta que injustiça, morte e miséria sempre foram as suas marcas.

A “estória” é bonitinha, mas carregada de nuvens turvas! Esse radicalismo presente e a raiva social bancada pelas diversas elites do país pode ser um ingrediente perigoso! Luís Carlos Nunes

Candidatos ao Paço apresentam propostas e troca de farpas em debate organizado pela UJS.

_dsc1928

O debate organizado pela União da Juventude Socialista (UJS) contou com os candidatos à prefeitura da cidade Leo (PMB), Lima (PSTU), Renato Foresto (PT), Luiz Carlos Grecco (PRB), Drª Rosana Figueiredo (REDE), Kiko Teixeira (PSB) e Dedé da Folha (PPS), pelas expectativas, foi morno em relação a ataques, mas marcado pela significativa presença de propostas. Eleitores previamente inscritos tiveram a oportunidade de acompanhar o evento no auditório do Ribeirão Pires Futebol clube e também via internet com transmissão ao vivo. Foram registradas as ausências dos candidatos Saulo Benevides e Carlos Sacomani.

Dividido em 5 blocos, o debate teve como mediador o jornalista Rafael Ventura. Em todos os blocos, utilizando o critério do sorteio, primeiro foram feitas perguntas de candidato para candidato, no segundo representantes da imprensa fizeram perguntas de tema livre, no terceiro foi permitido questionamento livre entre candidatos previamente sorteados. Já no quarto bloco, munícipes fizeram perguntas e no último bloco foi aberto para as considerações finais. Por ironia do destino, os sorteios destinaram – segundo levantamento do Diário do Grande ABC -Dedé da Folha e Kiko, lideres da preferência do eleitorado, foram empurrados para um franco embate por seguintes sorteios que direcionaram os candidatos.

Bem organizado, durante o debate, foi registrado manifestação acintosa em favor de um candidato e integrantes de grupos adversários se manifestaram alegando de que militantes da UJS estavam se posicionando favoráveis a determinada candidatura e que isso não deveria acontecer. Após conversas acaloradas os ânimos se acalmaram. Leia a seguir o desempenho dos candidatos.

6Leo Moura (PMB) – Leo destacou seu trabalho na Educação e saúde A candidata

Leo Moura (PMB) usou o espaço no debate eleitoral para destacar o seu trabalho na área da Educação, inclusão social de portadores de necessidades especiais, saúde e preservação do patrimônio. A candidata em promessa, disse que manterá o ensino fundamental nas escolas ampliando a sua qualidade e valorização dos profissionais envolvidos na pasta. Foi destacado por Leo que graças a sua gestão foi possível a elevação dos índices no setor. Provocada sobre se tivesse diversos processos, se a mesma disputaria cargo público, Leo disse não ter capacidade jurídica para avaliar a situação, mas que se fossem questões graves não se candidataria a cargos eletivos ao mesmo tempo em que enfatizou sua condição de ficha limpa.

4Luiz Carlos Grecco (PRB) – Grecco destacou a saúde e sua experiência como prefeito por duas vezes

O candidato utilizou seu tempo para relatar sua atuação de seus dois governos. Segundo Luiz Carlos Grecco, foi em sua administração a inauguração do Hospital São Lucas nos moldes do SUS. Sobre o Hospital Municipal, Grecco prometeu a sua conclusão para a implantação em ribeirão Pires de uma cidade saudável onde todos tenham atendimento digno e humanizado. Outro ponto destacado pelo candidato foi à importância do Consórcio Intermunicipal Grande ABC lembrando que foi em sua primeira gestão que os prefeitos da região iniciaram a discussão sobre a destinação adequada do lixo, problema debatido até os dias de hoje. Sobre a educação, Grecco explanou seu compromisso com a Educação relatando que prefeito garantiu um ensino de primeira qualidade para todos tendo inclusive criado uma creche em tempo integral, sendo o pioneiro a nível de Brasil.

3Rosana Figueiredo (REDE) – falou sobre transporte público, administração pública e cidade colaborativa

A candidata destacou que eleita, irá dar prioridade para o ciclismo incentivando-o como meio de turismo e transporte de locomoção comum. Rosana discorreu ainda sobre a utilização de impostos municipais onde a exemplo do IPTU que é imposto recolhido localmente e por rua não é utilizado para seus fins. Segundo ele é preciso que se cometa justiça uma vez que se há recolhimento do imposto o mesmo deve ser utilizado e não deixando diversos pontos da cidade sem a mínima urbanização. Outro ponto destacado pela candidata é a redução do número de secretarias, passando para 8. Na justificativa ela disse que basta olhar para as atuais administrações para ver quantas são as secretaria que realmente funcionam. Por fim a candidata da REDE falou sobre a “Cidade Colaborativa” que pretende criar uma nova cultura na sociedade e na administração pública. “Cidade Colaborativa” é um conceito novo, que vem tomando espaço em nossas vidas aos poucos. A ideia consiste em incentivar aos habitantes a se organizar e dividir espaços, serviços ou bens. O cidadão de direito terá direito e voz caso eu seja eleita”. Em tom mais agudo, Rosana defendeu ainda que sua candidatura é a que mais representa mudanças e criticou os grupos políticos que sempre administraram Ribeirão Pires sempre repetindo da mesma dose.

2Renato Foresto (PT) – Criação do Bilhete Único, o Controle Ambiental e a Educação

O candidato do PT, Renato Foresto fez apaixonada defesa pela implantação do Bilhete Único para o transporte público alegando o alto valor das passagens classificando como uma “vergonha” o “chiqueirinho” no interior da rodoviária. Posicionou-se avesso a concessão da área da Fábrica de Sal para construção de um Shopping Center apontando como opção para o local, a criação de um espaço público de cultura e lazer. Para o setor da educação, Renato Foresto defendeu ampliação do diálogo com os profissionais do setor para a implantação de um modelo educacional de qualidade no município. Sobre o Meio Ambiente, o candidato disse que Ribeirão passa por forte degradação ambiental e prometeu ampliar a fiscalização. Renato defendeu ainda o orçamento participativo.

8Dedé da Folha (PPS) – Questionou processos judiciais que envolvem Kiko e pregou o combate a corrupção

Dedé da Folha solicitou explicações sobre processos que envolvem o nome de Kiko, entre eles, o que o candidato está com os bens bloqueados por possível desvio de dinheiro da Saúde quando prefeito de Rio Grande da Serra no valor de R$ 45 milhões. Outro processo é o que envolve favorecimento a um filho de um secretário da época em que era prefeito, e por fim, o fato de estar sendo investigado pela Polícia por possível fraude de domicílio eleitoral.

Dedé dá Folha, de forma veemente pregou o discurso do combate à corrupção, saneamento das contas públicas com a consequente redução do número de secretarias e não permitindo cabides de emprego. Ouvindo as pessoas e colocando os conselhos para funcionar, vamos planejar a cidade. Quero um governo participativo com oportunidade para todos.

7Kiko Teixeira (PSB) – Falou em Transparência em licitações, saúde e o retorno da base do SAMU para Ribeirão

Kiko não deixou por menos e partiu para o ataque frontal, “quero tranquilizar a todos, não tenho nenhuma condenação. Quanto ao domicílio eleitoral, fico triste de ser chamado de forasteiro” em outra oportunidade lembrou que Dedé da Folha nas eleições de 2012, não teve os votos computados por problemas com a Justiça e que tinha ligações estreitas com a atual administração do prefeito Saulo Benevides (PMDB), mantendo apoiadores na Prefeitura. Kiko Teixeira frisou a transparência da máquina administrativa e a humanização da saúde argumentando sobre planejamento municipal e transparência nas licitações de obras. Para a pasta da saúde, o candidato prometeu humanizar o atendimento, capacitar servidores e estender o horário de atendimento das UBS’s, bem como a ampliação do Programa Saúde da Família e retorno da base do SAMU para Ribeirão Pires. Com farto do documento contida em uma pasta, Kiko deixou de esclarecer os questionamentos sobre o envolvimento de seu nome em processos judiciais.

5Lima (PSTU) – falou sobre terceirização da Saúde

Em apaixonada defesa do serviço em saúde, o candidato a prefeito pelo PSTU, Lima, disse que a pasta da saúde deve ser administrada diretamente pela prefeitura e sem terceirizações. Segundo Lima, ele é o único candidato que não está ligado a nenhum tipo de defesa ou terceirização do setor e que os demais candidatos estão ligados a empresas fantasmas que sucatearam o setor deixando a cidade num verdadeiro estado de caos. Lima defendeu ainda que é possível garantir uma saúde pública de qualidade utilizando os servidores municipais, caso contrário, é privatização.

Candidatos ao Paço de Ribeirão Pires apresentam propostas e troca de farpas em debate organizado pela UJS.

_dsc1868

O debate organizado pela União da Juventude Socialista (UJS) com os candidatos à prefeitura da cidade Leo (PMB), Lima (PSTU), Renato Foresto (PT), Luiz Carlos Grecco (PRB), Drª Rosana Figueiredo (REDE), Kiko Teixeira (PSB) e Dedé da Folha (PPS), pelas expectativas, foi morno em relação a ataques, mas marcado pela significativa presença de propostas. Eleitores previamente inscritos tiveram a oportunidade de acompanhar o evento no auditório do Ribeirão Pires Futebol clube e também via internet com transmissão ao vivo. Foram registradas as ausências dos candidatos Saulo Benevides e Carlos Sacomani.

O debate dividido em 5 blocos teve como mediador o jornalista Raphael Ventura. Em todos os blocos, utilizando o critério do sorteio, primeiro foram feitas perguntas de candidato para candidato, no segundo representantes da imprensa fizeram perguntas de tema livre, no terceiro foi permitido questionamento livre entre candidatos previamente sorteados. Já no quarto bloco, munícipes fizeram perguntas e no ultimo bloco foi aberto para as considerações finais.

cats Surpreenderam os candidatos Renato Foresto (PT), Leo (PMB) e Luiz Carlos Grecco (PRB) que de maneira objetiva expuseram destaques de seus planos de governo argumentando e contra-argumentando seus projetos. Merece também destaque a candidata da Rede, Drª Rosana Figueiredo que apresentou sua proposta da “Cidade Colaborativa” e atenção ao ciclismo e reforma administrativa. O candidato Lima, utilizou de todos os seus espaços para contestar todos os candidatos sem mencionar de maneira clara o seu plano de Governo.

Trocando farpas

_dsc1904

De maneira previsível e esperada, a troca de farpas e ataques foi protagonizada entre os candidatos Kiko Teixeira (PSB) e Dedé da Folha (PPS). Se por um lado Dedé da Folha apontava deficiências de Kiko quando administrou a vizinha cidade de Rio Grande da Serra e também escândalos de possíveis desvios de verba na área da saúde, a exemplo de denúncia formulada pelo Ministério Público, onde Kiko é denunciado por desvio de R$ 45 milhões, Kiko por sua vez tentava se esquivar dos fatos incontestáveis tentando impingir em seu adversário, adjetivos e desqualificações. Kiko após infringir o regulamento do Debate, foi advertido verbalmente pela organização do evento para que não mais mencionasse de forma depreciativa, nomes ou pessoas que não participem da disputa eleitoral. Ainda nas considerações finais, Dedé da Folha lembrou da polêmica fala onde Kiko afirma a existência da represa Billings no bairro de Ouro Fino.

_dsc1969

Ainda que bem organizado, durante os Debates, foi registrado manifestação acintosa em favor de um candidato, integrantes de grupos adversários se manifestaram alegando de que integrantes da UJS estavam se posicionando favoráveis a candidaturas e que isso não deveria acontecer. Após conversas acaloradas os ânimos se acalmaram.

A UJS está de parabéns pela organização do Debate democrático que possibilitou a população acompanhar e avaliar os candidatos a prefeito de ribeirão Pires. Luís Carlos Nunes

UJS de Ribeirão organiza debate com candidatos a prefeito.

debate

Acontece nesta sexta-feira (09), um debate com os candidatos a prefeito de Ribeirão Pires organizado pela União da Juventude Socialista (UJS).

O evento será o primeiro debate com os candidatos do município. Segundo os organizadores, “o debate quer propiciar o crescimento e respeito à democracia dando oportunidade para todos os postulantes da cidade exporem suas propostas e ideias”.

Foi ainda informado que “foram convidados todos os participantes da eleição majoritária, sendo eles: Kiko Teixeira (PSB), Renato Foresto (PT), Luiz Carlos Grecco (PRB), Leo Moura (PMB), Saulo Benevides (PMDB), Carlos Sacomani (PSL), Dedé da Folha (PPS), Rosana Figueiredo (REDE) e José Cantídio de Lima (PSTU)”.

O evento acontecerá no auditório do Ribeirão Pires Futebol Clube e terá como mediado, o jornalista Rafael Ventura. Convite foi estendido a toda a mídia local e será transmitido ao vivo no grupo Pensar Ribeirão Pires, no Facebook.

O debate será aberto ao público que adquiriram antecipadamente convites. Perguntas e questionamentos serão recepcionados até momentos antes do debate.

Para maiores informações: (11) 97382-1493 – Thyene de Lima ou (11) 97741-0117 – Mateus Paulino ou pela página de relacionamentos da UJS Ribeirão Pires no Facebook.

Enquanto a CEI da Saúde não sai sobram problemas no setor.

Eduardo Nogueira trans

Ribeirão Pires assistiu à ocupação da Câmara por jovens liderados pela união da Juventude Socialista (UJS), favoráveis abertura da CEI para investigar possíveis irregularidades na saúde.

Atividade legítima que merece o reconhecimento de todos nós. Meu apoio vem pela atitude, organização e determinação desse grupo que cobrou posição e clareza no trato público. A indicação da CEI foi votada em setembro de 2015, pedida por um grupo de vereadores, inclusive eu, para investigar o setor que acumula problemas. O requerimento aguarda desde então, a indicação dos membros. Os nomes que irão compor a CEI são de exclusividade do presidente da Casa, segundo o Regimento Interno. Cobro semanalmente a instalação da CEI, mas não sou atendido. Espero que com a repercussão do caso, possamos finalmente investigar o setor e descobrir os motivos da recorrente falta de medicamentos, médicos, exames e outros itens.

“Não há motivo suficiente para a abertura da CEI”, diz José Nelson.

 _DSC9360

Durante sessão extraordinária convocada para acontecer no Teatro Municipal Euclides Menato nesta sexta-feira (03), em entrevista coletiva a imprensa, o presidente da Casa de Leis José Nelson de Barros disse não encontrar elementos suficientes para a abertura de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI).

_DSC9366

José Nelson durante coletiva de imprensa

“Não posso fazer da Câmara um palanque eleitoral! Como todos sabem, entre os vereadores, existem dois que concorrem a cargo majoritário nas próximas eleições.  Tenho conversado com o prefeito e acredito que devemos esperar por mais 30 dias uma vez que alguns problemas como 20% de gratificação para médicos, reposição do estoque de medicamentos já estão sendo repostos”, disse o presidente.

_DSC9206Contrapondo-se a postura de José Nelson, o autor do requerimento de abertura da CEI, vereador Renato Foresto (PT) criticou a postura do presidente da Casa. “Na reunião com os jovens ele falou que simplesmente não ia abrir a CEI”, relatou.

Após três dias, juventude desocupa Câmara de Ribeirão Pires.

 _DSC9276

Estudantes que ocupavam a Câmara de Ribeirão Pires desde a última terça-feira (31), desocupou na tarde desta sexta-feira (3), sem apresentar resistências em cumprimento a determinação judicial que estabelecia uma multa de R$ 10 mil por estudante e até mesmo emprego de forças policiais caso a desocupação não ocorresse até as 16:59hs.

Os estudantes ligados a União da Juventude Socialista (UJS) reivindicam a instalação de Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar supostas irregularidades na gestão da saúde ao longo do governo do prefeito Saulo Benevides (PMDB).

_DSC9344

No local, devidamente inspecionado pelo Secretário Geral da Casa, Márcio Nicoluchi foi verificado que não houve depredação e como ultima expressão de protesto, foram deixadas rosas vermelhas aficadas nas poltronas.

_DSC9256

Já do lado de fora, os manifestantes gritavam palavras de ordem questionando os motivos da não abertura da CEI.

_DSC9335

Vereadores assinam termo de entrega

Segundo a presidente da UJS no município, Raíssa Braga a luta deve continuar até que as investigação comessem.

“Estamos deixado a sede do legislativa com a sensação de que fizemos a nossa parte. Solicitamos a mediação do judiciária para tentar um acordo com o presidente da casa, mas infelizmente o mesmo não aceitou. Quero esclarecer que entre muitas falácias feitas por pessoas que não passaram pelo local durante esses três dias, que não atrapalhamos em nada a rotina do legislativo, tanto que foram realizadas duas reuniões, sendo uma do Conselho Municipal de Segurança e outra com o Conselho Municipal de Saúde. Nós em momento algum descartamos a possibilidade de termos antecipado a nossa ocupação. Lamentamos a atitude do chefe do legislativo que não aceitou dialogar”, disse a líder estudantil.

13331001_1051010561636053_9002700236503090568_n

Em marcha, munidos de tambores e apitos, os manifestantes e apoiadores do protesto rumaram para o Teatro Municipal Euclides Menato, no Complexo Ayrton Senna onde acompanharam a sessão do Legislativo convocada em caráter extraordinário.

Ocupantes da Câmara planejam ato às 14 horas.

A juventude da UJS que ocupa desde a ultima terça-feira o plenário da Câmara de vereadores planeja ato em frente a Casa Legislativa hoje (03) as 14 horas.

Segundo informou a presidente do movimento estudantil, Raíssa Braga, o objetivo é chamar a atenção da sociedade para os desmandos no sistema de saúde público em Ribeirão Pires.

“Ocupamos o plenário por discordarmos da ineficiência no atendimento em saúde e pela falta de médicos e medicamentos básicos que deveriam ser entregues a população. Nosso objetivo é que seja instalada pela presidência da Casa a CEI para investigar o setor”, disse.

Uma ordem judicial expedida pelo judiciário local determinada desocupação até as 16:59hs. No local o clima é de indignação entre os manifestantes que se dizem espantados pela acusação do chefe do legislativo que acusa o movimento de interromper os trabalhos da casa.

“Essa afirmação não é verdadeira, tanto que nesse período em que estamos acampados aqui já foram realizadas duas reuniões sendo uma com o Conselho Municipal de Segurança e outra com o Conselho Municipal de saúde”, rebateu Raíssa.

Segundo ainda foi informado pela líder estudantil a ocupação limitou-se somente ao plenário da Câmara sendo que a ala dos gabinetes e administrativo da Casa não sofreu nenhuma interrupção em suas atividades.

Charles D’orto afirma que jovens da UJS deram aula de democracia.

dortoujs

Charles D’orto em vídeo postado em sua página do Facebook parabenizou a juventude que ocupou durante três dias a Câmara de vereadores cobrando fiscalização na saúde do município. Segundo D’orto “foi uma aula de democracia” ao mesmo tempo que pediu as autoridades ponderação e busca das melhores soluções.

abaixo o vídeo

Ribeirão Pires: Justiça concede reintegração de posse e ocupantes da câmara tem prazo para sair.

_DSC9181

Os estudantes ligados a UJS que ocupam a câmara de vereadores desde a última terça-feira (31), para pressionar o presidente da Casa a instalar a CEI da Saúde tem prazo de 24 horas para deixarem as dependências do parlamento ribeirão pirense.

A determinação foi expedida pelo juíza Maria Carolina Marques Caro Quintiliano no final da tarde de hoje (01) e apresentada por oficial de justiça que adentrou na Casa de Leis por volta das 20:40h. Na decisão judicial o magistrado determina:

“citando-se e intimando-se os requeridos que estiverem ocupando o prédio da Câmara Municipal deste município para se retirarem do local, no prazo máximo de 24 horas e para não mais o ocuparem ou realizarem atos que dificultem ou impeçam a autora de desempenhar sua função constitucional, tudo sob pena de multa individual unitária de R$ 10.000,00 para cada ocupante que vier a ser identificado descumprindo a presente decisão, aós o decurso do prazo fixado”.

O militantes estudantis da UJS, questionam a decisão e prometem novas ações, inclusive judiciais até que o pleito da CEI seja concretizado.

Conforme publicação realizada por este blog, o advogado dos estudantes, Drº João Cláudio “a ocupação é legítima e o pleito dos estudantes legítimas e que medidas judiciais podem ser tomadas mas que caso a reintegração de posse fosse concretizada, seria proposto ao judiciário mediação para a formação de uma mesa de negociação entre as partes envolvidas”. (leia mais aqui).

Até o fechamento desta matéria os citados não haviam sido notificados oficialmente.

Estudantes ocupam Câmara de Ribeirão Pires e cobram abertura de CEI da saúde.

_DSC9066

Alunos prometem ficar na Câmara até que CPI da Saúde seja aberta

Um grupo de jovens estudantes ligados a União da Juventude Socialista (UJS) ocuparam na tarde desta terça-feira (31), a Câmara de Ribeirão Pires como forma de protesto e reivindicação de instalação de uma CEI (Comissão Especial de Inquérito) para investigar supostos desvios na gestão da Saúde no município.

Por volta das 16h30, quando o presidente em exercício, Jorge da Auto Escola (DEM), suspendeu a sessão após se sentir ofendido com xigamentos, os jovens adentraram na sala de sessões munidos de instrumentos de percussão.

“Só sairemos daqui depois de instalada a comissão de investigação”, diziam.

A Polícia Militar e a Guarda Municipal, onde a Capitão Graziela Bazili, articulou comissão de negociação junto aos estudantes para diálogo com o presidente da Casa de Leis, vereador José Nelson de Barros.

_DSC9122

Um debate acalorado marcou o encontro entre as partes na sala da presidência José Nelson afirmou que não nomeara os integrantes da CEI.

“Não vou fazer do plenário da Câmara um palanque eleitoral. Estamos amparados pela lei orgânica municipal e também pelo regimento interno da casa. A abertura de uma CEI as vésperas de uma eleição é ato político e em nada ajudará o município. Inclusive o Ministério Público já se pronunciou sobre o caso e só iremos mudar nossa posição por força de lei e imposição da justiça”, argumentou.

Participaram também das negociações, os vereadores: Jorge da Auto Escola (DEM) e Renato Foresto (PT).

_DSC9117

Cumprindo papel institucional, a Câmara de vereadores deu entrada no período da noite em pedido de reintegração de Posse, que deverá ser expedida ou não pelo poder judiciário. Não houve tentativa de retirada dos manifestantes grupo, formado por cerca de 15 manifestantes. A abertura da CPI da Saúde chegou a ser aprovada na Câmara de Ribeirão Pires em setembro do ano passado, mas até agora está apenas no papel.

_DSC9125

Os jovens pernoitaram no plenário da Câmara conforme mostra a imagem.

Ribeirão Pires: CEI da Saúde tem novo capítulo polêmico.


_DSC8419

O tema Comissão Especial de Inquérito (CEI) novamente teve destaque na sessão da Câmara de vereadores realizada nesta terça-feira (18).

Da Tribuna Popular com discurso apaixonado , a jovem Raíssa Braga, líder do União da Juventude Socialista (UJS) de Ribeirão Pires, cobrou a abertura da comissão para apurar irregularidades no setor.

 _DSC8759 “A saúde está caótica e somente um processo de investigação pode por fim aos desmandos desse prefeito. Sem não houver a instalação (da CEI), vai haver ocupação”, disse Raíssa.

Cobrado, o presidente da Casa de Leis, o vereador José Nelson de Barros apresentou ofício convite para que o Ministério Público (MP) envie representante para prestar esclarecimentos à sociedade.

“Quero informar a todos que estamos convidando o MP para se posicionar aqui na Câmara acerca de fatos relatados. De minha parte estou respeitando o pronunciamento assinado pelo promotor de justiça que em documento oficial alega não haver provas de que a saúde não vai bem”.

O documento em questão foi em resposta a representação formulada pelo vereador Renato Foresto, onde o mesmo aponta irregularidades na Pasta da Saúde onde nos dias 02 e 03 de abril a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) estaria sem médicos para prestar atendimento à população, o que teria gerado grandes transtornos aos que eventualmente precisassem de auxílio médico.

No despacho o representante do MP diz: “Não se vislumbra por ora, qualquer irregularidade praticada no tocante ao declinado na representação. É cedido que problemas ocorrem, e o município solucionou da melhor maneira possível, sem gerar prejuízo a atendimentos de urgência e emergência, não se justificando responsabilização por questões que não foram gerados pelos administradores. Diante de tais fatos, indefiro a representação. Intime-se o representado para que, querendo, recorra ao Egrégio Conselho Superior do Ministério Público”.

_DSC8422Para o vereador Renato Foresto “a postura do MP é absurda uma vez que não se digna em apurar o assunto que é recorrente na imprensa local e regional e que tem grande apelo feito por parte da população que sofre na pele com os maus serviços prestados”.

Segundo informou o vereador José Nelson ‘o assunto já extrapolou a competência da Câmara’.

1986_jose nelson“Não podemos nunca, e em momento algum agir precipitadamente. Respeito às leis e jamais tomarei decisão onde até a justiça estadual já se posicionou sobre o assunto. Na verdade sempre agi com responsabilidade e não vou ceder à pressão política. Num passado recente, quando se tentou abrir investigação semelhante contra o governo da ex-prefeita Maria Inês do PT eu votei contrário dando meu voto de minerva. Hoje há grande pressão de todos os lados, mas nada está perdido! Enviei convite ao MP para que o órgão envie representante que preste esclarecimentos aqui na Câmara. Por outro lado, o processo pode ser enviado pelos interessados a instância superior e caso seja decidido pela justiça determine que a investigação deva ser feita por Comissão, não fugirei da obrigação legal de instalar a CEI”, disse o presidente.