Verba para recuperação do Parque Pérola da Serra não chega e local encontra-se com aspecto de abandono.

Equipamento conhecido como “Ponte de Arvorismo está com falta de tábuas, corrimão e partes podres. Inadequada para visitações 

Anunciada em meados de janeiro deste ano como certa, verba no valor de R$ 1 milhão para a revitalização do Parque Pérola da Serra foi indeferida Fundo Estadual de Defesa dos Interesses Difusos (FID). O documento divulgado pelo órgão e assinado pelo presidente do Conselho Gestor do órgão, Luiz Souto Madureira é datado de 13 de abril de 2018.

A promessa dos recursos foi feita pelo deputado estadual Campos Machado ao vice-prefeito de Ribeirão Pires (quando em exercício do cargo de prefeito) em visita realizada em 16 de janeiro.

Falta de cuidado no Parque: acumulo de água, pichação e mal odor

Segundo o Diário de Ribeirão Pires, veículo de comunicação que alardeou a notícia improcedente e inverídica, a verba já estava garantida. Leia a íntegra da matéria abaixo:

Campos Machado garante recurso para revitalizar parque em RP

O prefeito em exercício de Ribeirão Pires, Gabriel Eid Roncon (PTB) e o Deputado Estadual Campos Machado (PTB), anunciaram na tarde da última terça-feira (16), o recebimento de 1 milhão de reais para a revitalização do Parque Pérola da Serra, ponto turístico localizado na região central da cidade.

O repasse veio por conta de um projeto de revitalização apresentado pela Prefeitura da cidade à Secretaria Estadual de Justiça e da Defesa da Cidadania. Campos foi quem intermediou todo o trâmite e garantiu a Roncon que a verba será enviada à cidade.

A verba será destinada através do Fundo Estadual de Defesa dos Interesses Difusos (FID), vinculado a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania estadual, e mantido por “ações civis públicas. Seus recursos são destinados ao ressarcimento, à coletividade, dos danos causados ao meio ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico, no âmbito do território do Estado de São Paulo”, noticiou na oportunidade.

No documento, divulgado pelo FID, foi divulgado o resultado da análise dos recursos impetrados pelos proponentes referente aos projetos não selecionados no Edital Chamamento Público nº 01. Ver o documento ao final desta matéria.

Com o indeferimento das verbas de R$ 1 milhão, o Parque Pérola da Serra encontra-se carente de cuidados apresentando em toda a sua extensão um aspecto de abandono, com equipamentos quebrados, lago de peixes sujo, mato alto em alguns pontos e em sua parte dos fundos, onde se encontra uma grande rampa, a mesma esta quebrada com falta de tábuas o que faz deste último item um local perigoso e não recomendável a seus visitantes.

Lago encontra-se sujo, com mato ao redor e peixes constantemente pondo a cabeça para fora d’água em busca de oxigênio

Segundo ainda é grafado no documento do FID: “Os Proponentes que tiveram seus recursos indeferidos não poderão apresentar outros, conforme consta no inciso II do item 10.1.1 do EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01 SJDC/FID/2017, a decisão do Conselho Gestor é definitiva e não caberá novo recurso.”

Deixe uma resposta